quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Palestra Itália - Palmeiras: a transformação

Fratellada... foi-se o dia 20 de setembro, aquele que marca nossa mudança de Palestra Itália ao Palmeiras que hoje conhecemos.

Não existe acontecimento que tenha mudado tanto a história da humanidade quanto a II Guerra Mundial. E nela nos transformamos.

Assim como muitos outros, o Palestra Itália surgiu para atender sua imensa coletividade italiana em solo brasileiro. Dessa forma nasceu e cresceu.

Mas tal qual a cultura italiana se espalhou e se misturou magistralmente às cores nacionais, assim também fez o Palmeiras.

Se no passado o mundo admirou sistemas que depois viu nocivo, o mesmo se passou por aqui. E talvez esteja aí nossa maior virtude. A transformação!

Flertamos sim! Quem não sente orgulho de suas raízes?  A herança cultural que essa coletividade carrega sempre foi um de seus maiores diferenciais. Por ela vivemos, mas por ela também quase perecemos. Mas tivemos a GRANDEZA de perceber isso para mudar.

O mundo muda. E assim o Palmeiras mudou. Decupou, filtrou seu passado para manter os valores positivos e humanistas. Assim fizemos e assim crescemos.

O Palestra nasceu como um clube “de colônia”. Evoluiu para um clube “de todos”. Ou pelo menos de todos aqueles que se identificam com os valores de EDUCAÇÃO e TRABALHO, com nossa personalidade apaixonada e visceral, nosso jeito atrapalhado e teatral. Nosso coração GIGANTE, once cabe de Santo a Animal.

Obrigado Palmeiras, obrigado por existir. Estou absolutamente convicto de que boa parte de meus melhores momentos de vida passei junto a ti. E também outros não tão alegres, mas fundamentais pela experiência. Viver é torcer. E torcer é um exercício de amor.

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Tudo pelo G4

Ganhamos do Coritiba pelo placar mínimo, mas o que interessa são os 3 pontos que nos mantém saudavelmente no G4. Miramos agora o Santos pra beliscar essa terceira posição.

É impressionante como o time joga mais tranquilo sem tanta pressão. Toca a bola com mais calma, não se desespera e evita chutão. Os jogadores atuam mais próximos e não fogem da bola. É um efeito em cascata que produz efeitos imediatos.

Cuca NÃO DEVE sair no fim do ano, ao contrário do que tantos comentaristas gambás desejam. Imaginar que alguém que comece o trabalho do zero possa fazer melhor do que o Cuca é ilusão. Pode vir Abel, Renato, Mano, Wanderley... tudo a mesma merda. Nenhum deles ou outros possui nada além do que o Cuca já tem, com a desvantagem de não conhecer o time.

É inacreditável que ainda falemos o mesmo desde o começo do ano: ainda não temos uma lateral esquerda segura. Que o Egídio até joga bem com adversários pequenos mas que abre o bico com outros mais parrudos.

Também estamos capengas na volância, não sendo o Tchetche aquele volante do ano passado, mesmo com a volta do Moisés. Esse sim faz diferença no meio campo... o Deyverson vem ganhando espaço e na medida que o Dudu alinhar com essa formação, muita coisa boa pode acontecer. Se o Borja volta ou não, só depende dele.

Um parabéns final à torcida que compareceu em grande número ao Pacaembú, dando mostra inequívocas de paixão irredutível. Palmeiras não é mesmo só um time. É a encarnação esportiva de uma coletividade miscigenada, educada, trabalhadora e vencedora, buscando espaço num mundo malandro que ain da insiste em levar vantagem "no braço"... contra isso jogamos, contra isso VENCEMOS!

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Em paz, Palmeiras é mais.

Um pouco de tempo para refletir melhor sobre o que nos acontece no dia a dia pode ser excelente pra termos uma compreensão mais afinada sobre as coixas...

Livre da pressão e da obsessão Libertadora, o Palmeiras segue em quarto lugar do campeonato, há boas 7 rodadas. Lógico, outros adversários também perdem, tal como tivemos e ainda teremos nossa cota. Mas a tendência é evoluir.

Apesar da maledicência midiática que amplifica qualquer pressão pra arrancar treinador, o Cuca pode trabalhar com tempo de sobra pra implantar seu padrão tático. E se isso acontecer, teremos vaga garantida pro torneio continental de 2018, o que com certeza deve fazer a diretoria buscar a manutenção da comissão técnica, evitando a ILUSÃO de um novo “príncipe que vira sapo em 6 meses”.

Vitrine melosa
De boa... jogador que fica de indireta tirando onda de praia quando não é escalado é o fim da picada. É o cúmulo do “mau” uso da comunicação pra autopromoção, a antítese do espírito de equipe, do conjunto coeso e do profissional que respeita a hierarquia de comando em prol do grupo.

É a VITRINE sendo muito maior que o ESPORTE. Grotesco, nauseante. Eu torço pro PALMEIRAS, não pra pseudo-estrelas que por ele passam. Torcedor não é IDIOTA pra eleger um ídolo a cada 6 meses.

Não é PN, que seja PG
Sabemos que o Galiotte não é nenhum Nobre. Aliás, é difícil chegar no nível do PN. Mas que seja então isso aí, “pica grossa” mesmo, presente, atuante. Deveria inclusive ter estado ao lado do Melo em sua entrevista de retorno.

Presidente entenda... o futebol não é lugar para tímidos. Bota “pg” geral na mesa e verás tudo o que apodrece nosso caminho recuando embostalhado com o rabo entre as pernas... essa praga da VAIDADE, da FOFOCA, do DESMANDO, da DISSONÂNCIA que atrapalha qualquer plano de excelência, só se prolifera quando não há pulso firme pra fechar-lhe as portas na fuça, como deve ser. Força prisa!

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Vivendo e aprendendo a jogar

Felipe Melo pode voltar... não encontrou que pagasse e ficou lá mandando post tirando onda, como sempre.

Se deve voltar ou não importa menos do que o comportamento que ele terá caso isso aconteça. Volta, fica quieto e não interfira no trabalho do treinador com opiniões que não devem ser externadas. Noutras palavras, seja profissional.

O Felipe Melo se acha o bonitão, o sabe tudo. Mas esquece que o entrosamento e conjunto da equipe podem se esfacelar sem um comando definido e bem orientado. E que no caso do Cuca, não é possível haver esse duplo comando. Quem manda alí é ele e ponto.

O Felipe Melo já veio pra cá sob desconfiança sobre seu temperamento. Conseguiu queimar o filme publicamente. Se é mesmo o sabichão como pensa, que tenha a consciência que está tendo mais uma chance. Milionariamente remunerada, mas ainda assim uma chance.

Essa é a hora Melo. De ficar quieto. De colocar o grupo e a hierarquia de comando acima de opiniões pessoais. Quem sabe, faz a hora... reconhece seus erros e faz a diferença. As vezes é hora de falar. As vezes é hora de calar, e jogar. Sem precisar ser titular. Dando graças a Deus que nos acompanha, amém.

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

A vitória necessária

E AE? Quero ver agora os tais "FORA CUCA!" que já pululavam na rede!!! Benditos!!! Ser menos imediatista hoje em dia é uma tarefa hercúlea e uma virtude pra lá de necessária.

A volta do Moisés foi importantíssima ao esquema, ainda mais com a ausência do Dudu. Mas é bom preservá-lo, pois saiu da partida mancando. Ainda bem teremos 2 semanas de "folga" pra recuperar todo mundo e o que é melhor, num bom astral.

Ganhar do tricolete é sempre bom, mesmo que seja quando eles estão despencando pela tabela. Poucas vitórias possuem um efeito tão reconfortante em nossas ruidosas alamedas, o que, bem sabemos, é das coisas mais necessárias para o desempenho do time.

PAZ... a paz. Há paz, finalmente. Mas suspeito que isso vá além da excelente atuação do William, Guerra, Moisés e Cia. Reflete, isso sim, a PRESENÇA DO PRESIDENTE que nessas semana veio a público fazer algo que deveria ter feito há 2 meses atrás, mas ok, ainda está valendo.

Veio o presidente, garantiu CUCA e MATTOS, calou a boca das maritacas da Pompéia e deu a mínima tranquilidade que o time precisava. Dito e feito!!! Mesmo saindo atrás fomos buscar a virada e saímos com a moral que precisávamos! E que moral!

Até que enfim o Bastos fez uma e ajudou de forma decisiva pela esquerda e o Jean parece que voltou em definitivo à sua posição de origem na direita. O meio ainda vacilou, mas o ataque salvou. William é nosso atacante mais efetivo e o Deyverson parece tranquilo em fazer dupla e assistência. O Keno sem dúvida tem qualidade e outra boa surpresa foi o Hyoran... suspeito que esse moleque tenha muito mais a mostrar...

Pode ser que essa vitória tenha definido melhor ao Cuca quem pode ser titular. Agora ele tem a "boa dor de cabeça", pois com a volta do Moisés, podemos voltar a jogar no estilo de antes, tendo Guerra e Dudu assistindo Deyverson e William, protegidos por Thiago Santos e ele, Moisés, como segundo volante.

Tenho receio dessa formação pois sobrecarrega demais o Moisés. Mas é importante saber que temos essa força de meio campo - Dudu, Moisés e Guerra - um setor que desde o ano passado temos dificuldade.

Bora Cuca, agora você tem o tempo e a (mínima) tranquilidade que precisava. Está com o time na mão e a torcida apaziguada. Essa era a vitória necessária. Que a semana seja bem aproveitada e o time se inspire com nosso aniversário e parta à Arrancada Heróica mais uma vez, que nem precisa trazer o título, mas a classificação (entre os 4) à Libertadores 2018 e um fim de ano digno, que nos encha da mesma esperança que estamos sentindo hoje... À FRENTE PALMEIRAS!!!!

sábado, 26 de agosto de 2017

Um Coletivo de Valores chamado Palmeiras

Quando o Palestra Itália surgiu, há exatos 103 anos, o mundo era diferente. Muito diferente...

Ali então surgia um grupo que se reunia por bagagem cultural e étnica. Num mundo onde tais grupos se reuniam em centenas e centenas de coletividades, não poderiam os italianos aqui de São Paulo ficar sem sua representação.

Tal como o Palestra Itália, inúmeros “coletivos” semelhantes surgiam na mesma época, fossem reunidos social, artística ou esportivamente. Mas o Palestra Itália não era “mais um”. Era “o” coletivo.

Desde seu nascimento, nosso time de coração reuniu multidões. Fosse por sua enorme representatividade ou por seu estilo nobre, com a estirpe europeia tão referencial naqueles tempos. Lógico, personalidade atrai a inveja daqueles que dela carecem. E assim sempre foi...

Acontece que o Palestra Itália, assim como o mundo, também mudou. Num parto traumático e espetacular ao mesmo tempo, o Palestra renasceu numa Arrancada Heróica, como um PALMEIRAS CAMPEÃO!

Renascido, transmutado, mas lealmente comprometido com sua essência de AMOR, TRABALHO, EDUCAÇÃO e CONQUISTA de seu PRÓPRIO CAMINHO. Se há algo pelo qual o Palmeiras é conhecido é pela paixão de sua torcida, mas também por CAMINHAR À FRENTE, sendo referência, imitado e copiado.

No maior exemplo do espírito PAULISTANO “NON DUCOR DUCO”, o Palmeiras não é conduzido, CONDUZ. Não imita, é referência. E não tem VERGONHA de seu passado, de suas falhas, de sua origem, de suas quedas, de suas brigas, de suas trapalhadas... por sua história, por sua gente, por sua realidade, o Palmeiras é o MAIS HUMANO entre os TIMES, com a mais humana entre as torcidas.

NÃO HÁ TORCIDA com tal tamanho e AMÁLGAMA CULTURAL, essa bagagem que recebemos de família e nos é tão valiosa. É a FORÇA dos VALORES que essa comunidade reúne que nos torna tão apaixonados.

A Família Palmeiras, o Palmeiras, o Palestra Itália e toda a HISTÓRIA magnífica desses 103 anos, constituem um verdadeiro PATRIMÔNIO CULTURAL dessa cidade, desse estado, desse país, que JAMAIS seria o que é (do lado bom), não fosse a força estupenda dessa coletividade que aqui veio, empreendeu, conquistou e venceu.

PARABÉNS PALMEIRAS! De ti não espero vitórias. Espero apenas que MANTENHA SUA ESSÊNCIA PURA, MANTENHA SEUS VALORES e assim JAMAIS deixará de ter aqueles que ERGUEM SUA BANDEIRA com GLÓRIA, COM AMOR E SEMPRE COM MUITA ESPERANÇA DE UM MUNDO MELHOR. E assim estaremos juntos, para todo SEMPRE!

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Finalmente, alguém falando forte!

BOOOOOA Galiotte!!! Finalmente deste uma dentro. Pois o p... na mesa e cantou : quem manda nessa porra sou EU e o Cuca fica. E o Mattos também!!!

Agora sim, gostei. Assumiu a frente e tomou uma posição de macho. Macho alfa e inteligente. Calar a boca dessa gente BURRA , reencarnações dos caçadores de bruxas do século XVII, inquisitores maledettos.

Não dá mais... não dá mais pra continuar pensando da mesma forma do século XX. Um pensamento raso, tosco, mimetizado, infantilizado e que só reproduz o pior do que ouve, dando margem aos piores julgamentos e piores decisões possíveis.

Quem quiser achar que troca de técnico resolve o problema, que continue. Existem SIM situações que isso pode até ajudar – aquelas de receio de queda – mas a verdade é que esse recurso é muito menos efetivo do que nossas azias gostariam.

Qual foi o principal problema do Palmeiras nesse ano? FALTA DE COMANDO. Tivesse o Galiotte chamado o Melo ainda nos seus primeiros “posts chororô” que questionavam o treinador, e falado “cala boca meu filho, senão será afastado”, tudo teria se resolvido antes.
Força Galiotte! Assuma a responsa e não ceda à pressão

Tivesse o Galiotte segurado o tranco ainda na eliminação do Paulista, dizendo: “tivemos uma verdadeira guerra na última partida e o trabalho do Batista não deve ser julgado por esse resultado”, poderíamos ter feito a TRANSIÇÃO para o Cuca, que invariavelmente voltaria, de forma a equilibrar o tranco da “troca de filosofia”.

Tivesse o Galiotte blindado mais o time, tomando a frente e a responsabilidade pelas decisões, o time poderia ter entrado mais TRANQUILO em campo, algo que nitidamente nos faltou nas partidas decisivas, com o time sentindo enormemente a pressão. Mas não, estava ausente.

Essa é a verdade. Agora querem achar que a culpa é do treinador. Sinceramente, é muita ingenuidade. É muita obstusidade mental achar que sempre, tudo se resume a troca de treinador ou jogadores mal escolhidos. O buraco é mais embaixo... ou mais em cima, como queiram.

Existem diversas situações que um treinador deve ser dispensado. Mas existe um número ainda maior de ocasiões que sua troca – apesar de um alívio momentâneo – não traz resultado efetivo algum e o pior, DESVIA A ATENÇÃO do verdadeiro problema. 

Por um Palmeiras PROFISSIONAL, menos PASSIONAL e mais RACIONAL. Que se espelha nos exemplos europeus. Que não deixa que sua PAIXÃO o consuma. Que assuma responsabilidades e busque performance. Que é mais que um clube de bairro, um condomínio da Água Branca... é uma NAÇÃO carregada de VALORES que deve defender. Se queremos ser DIFERENCIADOS devemos pensar além do convencional, fora da caixa.

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Profissionalismo x Clubismo

Tempo.... aaahhhh o tempo, sempre ele e inexorável. Ainda me lembro bem, quando lá pela Pompéia, Água Branca, Lapa e Vila Romana, ainda se sentava na calçada descascando laranja, passando-se as manhãs de domingo a cumprimentar a vizinhança. Bons tempos.

Mas o tempo passa e as coisas mudam. E o que ontem era descascado, hoje se engarrafou. Não fomos nós que quisemos assim, mas foi assim que aconteceu. Bem que a gente ainda tenta descascar nossas laranjas por aí, mas a prática vem se tornando menos habitual...

Pois no futebol é a mesma coisa. Vivemos um passado glorioso, onde reinávamos quase absolutos, curintcha era “faz-me-rir” e o tricolete mal passava de um juntado da Vila Leonor, pré-Natel... mas o mundo udou, e muito.

O Palmeiras sempre foi um clube de larga presença “social”. Na própria fundação do clube tivemos que cancelar a primeira reunião, pois achavam que era pra fundar um clube de dança e poesia....

Tendo esse contexto em vista, sem mais delongas, vivemos hoje tempos de TOTAL PROFISSIONALISMO onde a prática administrativa NÃO PODE MAIS ficar reclusa aos recônditos clubísticos, mais para administração de condomínio do que clube de futebol.

Futebol é PROFISSIONAL. O nome já diz. E no Palmeiras o clubismo é uma PRAGA que agrilhoa o time num ambiente PROVINCIANO, CASEIRO, PASSIONAL e quase sempre PREJUDICIAL.

Amo a FAMÍLIA PALMEIRAS. Se há algo pelo qual me orgulho é de vestir essa camisa. Mas temos que reconhecer nossas fraquezas, falhas, tão comuns a todos. E entre elas está o efeito colateral dessa personalidade forte, que trazconsigo uma paixão, um quê visceral que nos impele a agir de forma pouco arrazoada, como se dizia antigamente.

O CLUBISMO – conjunto de práticas de associados e conselheiros que visam o interesse pessoal e corroem o ambiente dentro do futebol, de vazamento de informações à fofocas de imprensa, de carteiradas à presença em vestiário – é uma praga dentro do Palmeiras. MUITO MELHOR SERIA se o futebol saísse para sempre de lá e a ACADEMIA, nosso Centro de Treinamento fosse FECHADA A 4 CHAVES contra a presença e a influência dessa coisa.

Quanto MAIS PROFISSIONAL for nosso futebol, menos expostos estaremos a essa praga. Essa FALTA DE COMANDO, esse DESMANDO, essa ZORRA que fica lá dentro, com pressão, intriga, vaidade e futrica por todos os lados. SEM UM PULSO FORTÍSSIMO, o Palmeiras é CORROÍDO por completo, por pessoas sempre clamando “Palmeiras acima de tudo!”... e isso década após década.

Palmeiras BLINDE-SE. Blinde-se de nossa própria paixão... de nossa própria ignorância... de nós próprios... digo e repito Palmeiras.... VINCIT QUI SE VINCIT!!!

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Mudar treinador agora é ainda pior

Roger Carvalho? Aquele que acabou de ser DEMITIDO do Atlético-MG? Sinceramente, os níveis de ilusão a que nos submetemos, achando que a culpa é sempre do treinador, é absurdo.

Há 2 meses havia palmeirense no Vaticano, esmurrando o papa e pedindo CUCA ao berros. Agora o mesmo palmeirense está lá, dando voz a imprensa (que ri de nós) e esmurrando o próprio Cuca.

É hora do Galiotte vir a público de novo e chamar a responsa do investimento, dizer que é fodão e é isso aí, "nóis investe mesmo" e se demorar mais tempo do que o previsto pra mostrar resultado, paciência, é o que tem e é com o que vamos e acreditamos.

Sofremos por nossa paixão mas pecamos pela ingenuidade. Em muitas ocasiões nossa capacidade de discernimento não é mais profunda que um pires. Planejamento aqui é piada e a única retórica vigente é a de botequim, suspensa entre um gole e outro.

Não adianta nada mudar treinador agora. Blinde o time, afaste a pressão e dê-lhes tempo. A troca de comando foi visto justamente como motivo de nossa instabilidade. Vamos repetir o processo?

Temos que lutar contra NÓS MESMOS*. Nosso próprio impulso apaixonado que nos impele a caçar as bruxas e sempre acaba em treinador. Depois do episódio Melo, o grupo fechou com o Cuca, as cartas estão dadas, pedir nova mão só vai complicar a situação.

Que o time não está jogando bem é evidente. E que o time está jogando nervoso também. A defesa capenga com uma nova formação a cada jogo. As laterais tentam se consolidar com Bastos e Jean. O meio faz o mesmo com a volta do Moisés, que nos dá esperança.  E o ataque claudica com sua ressaca pós-Jesus, tendo jogadores que ainda não mostraram serviço algum e que, sinceramente, deveriam estar com VERGONHA de seus polpudos salários, pagos por NADA.

Mas não adianta. A única coisa que pode melhorar o Palmeiras hoje é tranquilidade e tempo. E isso só a PRESIDÊNCIA pode mostrar. A bola é sua Galiotte. Blindagem, essa é a hora!

*VINCIT QUI SE VINCIT, PALMEIRAS!