sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Passarela em verde e branco!

Depois de uma sequência de resultados fracos a torcida já estava desconfiada e os Hardies (ó vida, ó dia) já estavam ameaçando um breve retorno.

Retornam agora pra toca, até que haja qualquer outra patinada. Mas é o suficiente pra que passemos o carnaval sem ouvir as velhas cantilenas de time fraco etc.

O São Bernardo (assim como vários outros do Paulistão) veio muito bem posicionado, com a mesma composição que havia surpreendido outros “grandes”.

Dane-se... fomos lá e desmontamos a estrutura. 2x0 na lata. É impossível deixar de notar como alguns se destacam. Fernando Prass é excelente. Alan Kardec também não encosta na bola pra fazer besteira. Ambos estão nas melhores fases de suas carreiras.

E o Valdívia... bem o que falar? Odiado pelo recalque adversário que vê em sua  genialidade um afronta, apresenta momento mágicos, onde põe a gorducha onde quer, fazendo o difícil parecer fácil. Brilhante... é só estar com a perna boa e a cabeça leve... o resto se resolve.

Destaque também pro Lúcio que vem reencontrando seu futebol e para o Wendel, que finalmente vê sua aplicação tática dando resultado.

Chupa Impren$inha nº 25.452
E é lógico que o "repórter" vai lá no Valdívia e cutuca pra ver se o cara se queima. Não busca informar o torcedor de nada. Apenas polemizar. Isso não é profissional... VÁ PRO INFERNO, impren$inha sensacionalista maledetta! Ao invés de nos trazer informação útil, só querem polemizar!

É óbvio que o cara forçou o 3º amarelo pra unir suspensão à convocação pela seleção chilena! Dããããã… mais óbvio ainda é que ele, já absorvendo a brasileirice nossa de todo dia, tem que adotar a cara de pau idêntica a de vários politicos nossos e dizer que fez uma falta “normal do jogo”. Malandro já está pegando nosso jeito. É isso aí Maguito.

Agora vamos é pro skindolelê galera… lembrando que os estagiários – eventualmente – se tornam bons profissionais. Depois de uma boa declaração (Palmeiras é o maior "verde" do mundo), e a classificação praticamente consolidada às finais, ganhou um ponto. Bora alinhar esse padrão aí, Kleina!!! É VERDÃO na passarela! Olha aí a galera no esquenta...


                                               
 

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Erros à vista!

O problema ontem não foi a derrota. Foi assistirmos a um ataque que mal chegou ao gol adversário.
Era o ataque reserva, ok. Mas ainda assim, tínhamos um meio campo criativo que mais uma vez não conseguiu se livrar da marcação adversária.

Falta rapidez na articulação do ataque. Aproximação e movimentação conjunta. O bom e velho entrosamento ainda capenga em início de temporada.

Mas não pense que a paciência será eterna não hein Kleina. O time teve uma nítida queda de rendimento nas últimas semanas e isso precisa ser resolvido.

E o que foi aquilo do Bruno César? Bebeu? Faz bafômetro no homem porque isso não é atitude de jogador responsável. Não é assim que se joga por aqui meu filho!

Vamos se posicionar direito e tocar essa bola de prima, cazzo. Vamos recompor essa defesa mais rápido. E as laterais ainda nos atrapalham mais do que ajudam...  o Matheus ontem teve uma partida catastrófica. Tem que cuidar pra não queimar... o Valdívia também, não foi mal, participou bastante. Mas poderia passar um único jogo sem levar cartão? Aí já desfalca no próximo...

Ou seja, tem coisa pra cacete pra melhorar Kleina. E se isso não acontecer logo, talvez o Palmeiras não seja pra você.  O Palmeiras é grande demais pra receber 10 reforços e mal assustar o goleiro do Botafogo de Ribeirão (que está jogando muito bem). É um desabafo, terás tempo pra corrigir, mas acerta aí as cabeças.

Rapidez, inteligência, participação conjunta. Não há time que vença sem isso. Fala com o Marcelo Oliveira, fala com o Lúcio. Fala com o time inteiro! Aproximação, genialidade, entrega, persistência.Cabeça FRIA e responsabilidade.

Padrão de jogo se constrói através de características que o time inteiro assume, de forma nítida. Que os erros vistos sejam corrigidos, pois se até agora era a invencibilidade que atraia a atenção, agora são as falhas que serão observadas. Mãos à obra Kleina!


sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Assim foi em 1942.


Prezados irmãos palestrinos, parece que o imbróglio entre WTorre e Palmeiras sobre as benditas cadeiras do estádio vai pra arbitragem final lá na GV (Fundação Getúlio Vargas).

Aí eu pergunto: NÃO ESTÁ NA HORA DE NÓS NOS MANIFESTARMOS? Uma grande mobilização EXIGINDO que as cadeiras sejam DO PALMEIRAS e não da construtora é fundamental agora.

Se as cadeiras ficarem com a construtora, ela cobrará mensalidade sobre grande parte delas (tal como se faz com uma cativa). Aí bonitões, quem quiser assistir em qualquer lugar (que não seja atrás do gol, talvez) terá que, além da grana do ingresso, pagar À CONSTRUTORA a mensalidade pela uso do assento. Bonito né?

Além do estádio ficar inacessível a imensa maioria dos torcedores, o AVANTI que é a maior fonte de receita prevista para os próximos anos VAI PRO SACO, porque poucos terão condições de pagar a mensalidade do Avanti (essa é barata), mais uma mensalidade (essa sim nervosa) pela cadeira da construtora.

PELOAMORDEDEUS SEU GETÚLIO!!!! Se essa construtora insistir na SAFADEZA que estão fazendo, comprará uma briga DIRETA com nossa torcida que, aí sim, terá perdido seu estádio para um grupo de aproveitadores.

A ARENA É NOSSA!!!! Camarotes e shows são deles, mais 10.000 cadeiras cativas já previstas. Agora querem mais? É o cúmulo da USURPAÇÃO.

MANIFESTAÇÃO JÁ!!! ASSIM COMO EM 1942, NÃO SABEM COM QUEM ESTÃO MEXENDO!!!!

PALMEIRENSE, MOSTRE SEU BRIO PRA DEFENDER O FUTURO DE NOSSO CLUBE!!!! MANIFESTE-SE!!!! O PALMEIRAS PRECISA DE NÓS, JUNTOS E UNIDOS!!!!

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Vence quem persevera

Um Pacaembú com pouco mais de 6.000 palmeirenses assistiu ontem a vitória da perseverança. Poderíamos ter jogado com o regulamento e dizer que o empate não seria um mal resultado. Mas depois de 2 empates o time estava com fome de vitória. E foi buscar, martelando, martelando o bem montado time do Ituano.

Time que quer ser campeão é assim, tem sede de vitória e não se contenta com um empate. Mas por que tivemos tantas dificuldades? Porque o meio campo não funcionou direito e o ataque foi pouco acionado. E porque o Ituano veio bem, Paulistão é assim mesmo, difícil.

Vai sobrar pro Mazinho, que não conseguiu se livrar da marcação e fazer uma boa dupla com o Mendieta, que também não jogou lá grande coisa. Mas vamos lá...

Agora a imprensa está praticando a empurroterapia do Kardec pra seleção. É bom pro Palmeiras? Bem, se o passe dele fosse nosso sim, mas como não é, não vejo lá muita vantagem a não ser pela motivação dos jogadores em perceber que realmente o Palmeiras é uma excelente vitrine. Fora isso, não vejo mais nada que nos ajude.

Seleção é ótimo, todos querem. Mas frequentemente a seleção apresenta um efeito colateral aos jogadores, tirando sua concentração do clube onde o cidadão para de evoluir e as vezes até mesmo para de colocar o pé nas jogadas pra não se machucar. Pode até ser bom pro gerente de banco do jogador, mas pro clube? Meleca.

Só mais uma das babaquices de uma imprensa pra lá de sensacionalista. Não que o Kardec não esteja jogando bem, está detonando! Mas em véspera de Copa do Mundo é arriscado chamar um jogador que não vinha sendo testado. E só pra termos comparação, se houver alguém pra ser chamado é o Fernando Prass, isso sim. O Julio César está horrível (no Canadá!) e a posição de goleiro não altera a parte tática, como acontece com jogador de linha.

Deixando a imprensa pra trás, vemos que o time pode ser líder, mas ainda falta muito pra desenvolver um padrão de jogo consistente, haja vista a dificuldade em vencer esquemas bem montados. Temos que concentrar nisso, pois pra ser campeão é preciso vencer os grandes. Vencer só os nanicos, por mais bem montados que estejam, não nos levará muito longe.  VAMOPALMEIRAS!!!!


segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Se liga Kleina... agora é a hora.

Há algum tempo era recorrente a expressão: “não tem time como o Palmeiras para reabilitar os outros”... e quase que reabilitamos o curintinha de nuevo... só que não!!! Temos ali o cabeceio preciso de nosso centroavante iluminado Kardec, que tirou o Pacaembú da sobra escura, pondo o verde no mapa.

Não, não foi só o Kardec, foi um conjunto. Mas há jogadores devendo e temos reservas com fome de bola. A defesa até vem ganhando entrosamento. As laterais vem cumprindo certo as determinações, mas ainda lhes falta um quê de criatividade e resistência na marcação. Temos o William Matheus que pode dar um upgrade.
  
A defesa pelo meio... Oliveira na contenção (cabeça de área) e Wesley na saída de bola. Deixando a desejar principalmente este último. Oliveira não é um Pierre, mas tem grande atenção tática e movimentação. Temos França, Eguren etc. Ou mesmo deslocar outro pra saída de bola...

foto diariosp
O imbróglio maior começa no meio campo, quando o Valdívia é bem marcado. Precisava proteger um pouco melhor pra distribuir com mais calma. Mas cadê o Mazinho? É ele que deve desafogar um pouco a jogada, chamando a bola e marcação. Temos Mendieta, Bruno César, Marquinhos Gabriel etc.

O receio de uma jogada mais forte que traga contusão faz com que o jogador atue de forma diferente, mesmo de forma inconsciente. Ou o Kleina coloca alguém pra auxiliar, fazer 1-2, ou a criatividade no meio campo ficará capenga. E o Valdívia ser mais inteligente puxando  a marcação e abrindo espaços.

No ataque, duas cabeças: uma a boa, do Kardec, outra meio zoada, do Leandro, que adora cair deixando uma perna pro adversário... já levou uns 3 amarelos por conta e não parece disposto a deixar a prática. Também lhe falta um posicionamento melhor. Temos o Diogo ou o Rodolfo aí pra tentar uma sequência.

Kleina, A BOLA TÁ CONTIGO. Agora tá tudo mais claro, o que precisa ser feito. Não tenha medo de fazer mudanças, essa é a hora. Tá bom, mas vamoquevamo que há muito pra melhorar.

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Imaculada Religião Futebolística

Quem vai  à igreja não vai pra quebrar, quem vai ao estádio não deve ir pra brigar. Porque um estádio sem partida não é estádio e se a violência prevalecer, em pouco tempo não haverá nem 10% permitido. Clássicos de uma só torcida seriam a vitória da porrada contra a possibilidade de convivência.

O esporte deve ser entendido uma das mais belas capacidades do ser humano de – preservando suas diferenças – coexistir. Que competir é uma forma de se aprimorar sem destruir ou ser destruído.

Aí temos a situação de hoje onde isso as vezes parece distante. Quando eu era criança havia muito menos grades de separação etc. Para onde vamos? Ou, para onde viemos?

Então, qualquer ação que ressalte a paz é válida. Deve começar aí e se estender às torcidas. Só que o diálogo é muito complicado e o clube não pode fazer praticamente nada para pacificar torcidas adversárias.

O que resta é a nós, torcedores enfatizar a importância de preservar a paz não só nesse clássico mas em todas as partidas, pois são eventos sagrados, centenários!

Tivemos o exemplo nessa semana de como uma ASNEIRA pode esvaziar por completo um movimento de conteúdo legítimo. Um maldito morteiro pode ceifar não só uma vida, mas nossa crença de que um dia possamos viver em paz lado a lado, aceitando nossas sagradas diferenças.

A VIDA VALE MUITO. Que a paixão nos conduza, que o amor nos guie.VAMOPALMEIRAS!!!

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Curintcha desfalcado dos Oliveiras

Extra, fratellada, extra. Jogador gambalino força cartão e não atuará. Marelô. Mas o maior desfalque são os irmãos Oliveira, que nem entraram no sorteio. Agora sim, pelo menos serão 11 contra 11.

O que o Palmeiras precisa considerar é o seguinte: estamos na pré-temporada, que só começa mesmo nas finais do Paulista. É hora de acertar o time, ver quem joga melhor com quem e como, etc. Ganhar é importantíssimo, mas agora é hora de testar, observar, acertar.

Pra isso, nada melhor que um clássico. O Clássico. O que pode ser um momento ruim do adversário pode ser também sua busca de redenção, que lhes traria um alívio no tumultuado momento. Por outro lado a derrota pode fazer a casa cair geral e, com medo da reação, os caras vão correr. Ah vão...

É jogo pra fazermos de cabeça fria. O que aliás é a tônica de uma equipe confiante. Mas ainda não temos essa confiança. Vamos ganhando aos poucos, mas não surge de uma hora pra outra... é preciso pelo menos um título para isso.

Aí sim você vê uma equipe “forte”. Capaz de ganhar um título e não se desmanchar. Joga com mais confiança e entra num círculo virtuoso, com mais facilidade de jogar, mais vitórias e assim por diante.
 
Esse time está comprometido com isso. Chegar à final, ganhar, levantar o caneco, correr pra galera. Mesmo que não possamos afirmar que títulos serão uma certeza, pelo menos podemos dizer que temos uma boa equipe pra uma boa temporada. Agora é com a gente. VAMOPALMEIRAS!!!

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Planejamento é bom e dá resultado


É fácil encontrar articulistas tentando explicar a boa fase do Palmeiras. Ainda acho que falta um tanto pra podermos considerar o momento como uma fase, seja lá qual for. De toda forma é inegável o que a conjunção tempo x planejamento pode produzir em benefício do time.

Um planejamento bem feito faz que  um time, mesmo com limitadas condições financeiras possa trazer reforço pontuais – quase 10 – pra temporada. Pra se juntar a outros que já haviam sido trazidos ano anterior, aí sim, formando um elenco capaz de deixar a expressão “limitado” pra trás.

Tudo isso sem patrocínio master. Não que seja um mérito não tê-lo. Mérito é fazer tudo isso e ainda reduzir a despesa, dando folga pra quando vier o cash. Isso sem contar no “Plano de Carreira” que conduz uma penca de jogadores (quase 30) à outros times onde possam se destacar e decolar pra jogar com o Messi na próxima temporada. A gente brinca mas... é isso aí.

Digo tudo isso porque aqui no Brasil é recorrente o fato de que, além de não se reconhecer os elementos que levam ao fracasso, tampouco se reconhece de quem e de onde vem o verdadeiro mérito da conquista.

Parabéns à diretoria que em última análise representa o clube. A qual passamos décadas vociferando contra. Mas que quando parece – vejam bem , parece – que está acertando no rumo, deve ser reconhecida e parabenizada. Pois é fratellada, o Palmeiras também tem carne de primeira, não só adiposidade! VAMOPALMEIRAS!

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Goleiros (deles) garante o empate. Dessa vez...



Olha, até que faz jus ao nome. Esse time do Audax (ainda um "timinho" pelo tamanho de torcida), até é mesmo audaz. Com essa proposta de futebol sem chutão, inauguraram o primeiro clube-conceito do país. Aquele que por não ter torcida pode perder a vontade.  E quem não tem nada a perder pode inovar, ousar. E é isso que fazem.

É legal jogar contra um time que privilegia os passes. Corre-se o risco de chegar no segundo tempo cansado (principalmente os atacantes), de tanto correr atrás da bola. Só que um time que conta com o banco que temos, pode renovar esse fôlego e anular essa desvantagem.

Outro detalhe é que você deve ter jogadores com exímio passe e colocação, caso contrário irá perder a bola na defesa e levar o goleiro à loucura, isso quando não levar uma sonora goleada, caso o adversário saiba aproveitar as chances, justamente o que não fizemos contra o Audax.

Finalização Kleina, vamos treinar finalização nesta semana! O time já está meio que definido, sem maiores dúvidas, além de uma ou outra posição (lateral esquerda Juninho/W.Matheus, meio Mazinho/Mendieta/Marquinhos).

Pelo que sei, quando o time perde várias chances é porque ao menos está chegando ao gol. Aí é questão de acreditar, persistir e calibrar o pé. Só precisamos de atenção na forma como o time ataca, com as costas de nossas laterais e de não deixar o Lúcio no mano a mano.

Sinceramente, gostaria de ver o França ao lado do Marcelo Oliveira, com o Mendieta ao lado do Mago. Sem deixar de utilizar o Diogo, Marquinhos Gabriel e o Rodolfo, boas armas para o decorrer dos 90min. 

Mas para isso teríamos que descartar o Wesley, o que parece impossível. Mas ainda acho que – com exceção do Fernando Prass – não devemos ter titulares intocáveis.


 Seja como for, que seja uma excelente semana de preparação, apesar da imprensinha já estar fazendo seu jogo de lambidos e apedrejados. Faz parte... sempre fez. E vamoquevamo Palmeiras!!!

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

É Palmeiras, baby!

O time não jogou lá grande coisa contra o XV, mas foi à casa do adversário e trouxe uma bela vitoria, marcada pela belíssima atuação de nosso goleiro Fernando Prass, dificuldade da bola chegar redonda no ataque, destempero da comissão técnica, nosso goleiro Bruno como treinador revelação e o França acertando o ninho da coruja, num golaço que levantou todo mundo do sofá. E nossa torcida, que cantou e torceu de forma linda, lógico.
Moçada esperta dando nova cara ao Palmeiras


Primeiro: o que é isso Kleina e seu assistente Juninho? Tomem maracujina aí, senão essa pilha acaba sendo passada ao elenco. Ter 1 expulso do banco ok. Mas 2? Tenha dó. Se liga que o Bruno arrepia no comando hein... energia sim... choque elétrico não!

Segundo: obrigado Vasco. Por deixar de pagar o Prass, abrindo brecha pra sua vinda. Se o Palmeirense é exigente quanto a quem veste seu manto, é em dobro quanto a posição de goleiro. E o cara veio, substituindo ninguém menos que um dos maiores ídolos de nossa história. E está arrepiando. Só espero que NÃO vá pra seleção agora, pq seria uma perda e tanto. Olha pra lá Felipones.

Terceiro: é normal a equipe oscilar as atuações. Quem viu o Palmeiras no clássico e ontem, sentiu grande diferença na aplicação, na marcação da saída de bola etc. É normal, o importante é estar 220v nos clássicos...

Quarto: nossas opções de banco decidiram a partida. A entrada do Diogo, Mendieta e França foram decisivas, haja vista que o gol da vitória passou pelos pés dos 3 antes de acabar macia e lindamente na rede adversária.

Finalizando: e a impen$inha continua levando na jaca com as Notas de Esclarecimento que o Palmeiras vem, sistematicamente, dando como resposta às besteiras que são proferidas em seu nome.

O que essa patuléia ainda não percebeu é que a mídia alternativa está crescendo de uma forma que em pouco tempo NÃO PRECISAREMOS mais da convencional, de massa, que rasteja pateticamente pela audiência, oferecendo pirotecnia ao invés de conteúdo esclarecedor.

ELES precisam de nós e não o contrário. Nosso público será garantido pela exposição natural, por todos os canais disponíveis e abundantes em internet e mesmo TV. FEITAS POR NÓS. Então, que se fale TUDO o que deve ser falado, mas quem quiser inventar ASNEIRA pra vender manchete vai falar com seu amigo TRAÇO na audiência.

Às crianças, uma pequena lembrança: O futebol já dava espetáculos e lotava estádios décadas antes da TV pensar em existir.