segunda-feira, 17 de março de 2014

31 finalizações ao gol? Aí sim!

Que fim de semana pode ser mais agradável do que aquele que nos trás uma vitória, dá uma derrota comemorada pela tricolagem e elimina a gambazada do campeonato?

O lelê... tá começando bonito esse centenário!!! Mas o melhor é assistir a equipe evoluindo. Pô, foram 31 finalizações contra a Macaca, há quanto tempo não víamos o ataque operando assim?

Mais do que a vitória, o que agrada é a forma como isso vem sendo buscado, agora sim com um futebol alegre, participativo, com brio e poder de reação. Parafraseando a psicologia, sem tesão não há solução.

Futebol não é sorte... é um conjunto de fatores agindo pelo time. O ambiente, o grupo, a política utilizada pela diretoria para formar um elenco unido. É isso que faz a diferença.

Mas o que ajuda mesmo é ter uma figura como o Mago no time. Um cara irreverente, que defende o time nas entrevistas e ainda comemora gol com o juiz! Ter um Fernando Prass. Um Lúcio reconquistando a confiança e até um banco capaz de fazer a diferença. Aí sim... o Thiago Alves por exemplo, voltou muito bem à zaga. 

E olha que o time parece que melhorou sem o Wesley hein... França e Oliveira na volância, Lúcio e outro zagueiro (Wellington, Thiago Alves) na zaga. Wendel e Juninho na laterais, o Gordo e o Mago na criação, servindo Kardec e Leandro. E ainda temos Mendieta, Marquinhos Gabriel, Mazinho, Vinícius, Rodolfo, Diogo...

Líderes isolados, teremos a semana pra descansar e mirar o Santos da Vila, onde jogaremos pelo empate. Promete ser um jogaço.

Essa vitória nos deu a confiança, o prazer de torcer por um time que finalmente começa a nos representar de verdade. Vamos invadir o litoral NA PAZ pra assisitir um dos maiores clássicos do futebol mundial (se alguém duvida consulte a história) com os 2 times jogando o fino. É assim que se faz Palmeiras!!!


2 comentários:

  1. Galluzzi, você tocou num ponto que a anos nós palmeirenses não sentíamos, que é a montagem de um time. Não sou fã do Gilson Kleina e continuo achando que ele não é o técnico ideal do Palmeiras por sempre escalar o time de forma errada e isso prejudica a definição de um sistema tático e o consequente entrosamento. Basta ele escalar os melhores que tudo isso vem na urina. Mas voltando ao raciocínio, quando temos uma definição de time, mesmo que a nossa ainda não está consolidada, ajuda tecnicamente os jogadores. O exemplo que você citou do Thiago Alves é perfeito. Ele não é um jogador com primor técnico, e se entrasse no time dos últimos anos seria queimado e talvez nem estivesse mais no Palmeiras. Mas hoje ele consegue entrar no time e jogar bem, porque o time mesmo que lentamente meio aos trancos vem tomando forma. Quanto ao Wesley eu ja acho que ele é fundamental para o time. Ele é o único 2º volante que temos que sabe jogar como meia (ele não é meia, mais é fundamental jogar como), que da uma boa saída de bola e mais dinâmica de jogo, faz a função do Paulinho da seleção do Hernandes, Elias, são pouquíssimos times que tem um jogador assim, por isso acho que o nosso presidente deve fazer um esforço para mantê-lo. O que precisamos mesmo é de 2 laterais. No mais o time é este mesmo jogando no 4,2,3,1 moderno com Prass, Wendel, Lucio, Welington e Juninho. Eguren e Wesley. Leandro, Valdivia e Bruno Cesar. Alan Kardec.

    ResponderExcluir
  2. É isso Galuzzi!
    Critiquei sim, em momentos em que vi a coisa querendo degringolar, mas que estão voltando ao seu devido lugar!
    O time jogou e se comportou bem, saiu atras e foi buscar a vitória, então méritos para todo o time, e até para o seu Girso, que até quis inventar, mas não comprometeu!
    Grande Abraço a todos!

    PALMEIRAS TE CARREGO NA ALMA!

    Carlinhos

    ResponderExcluir