segunda-feira, 28 de abril de 2014

VINCIT QUI SE VINCIT parte 1

Antes de iniciar as palavras, gostaria de declarar explícitamente: nunca fui mais palmeirense do que agora. Isto posto, vamos lá.

Tá todo mundo indignado metendo o pau na diretoria. A eminente saída do Kardec, o futebol pífio que o time vem mostrando já há um bom tempo e a última derrota foram estopins pra indignação geral.

Com 42 anos vividos, pelo menos 35 deles acompanhando o Palmeiras devo declarar que estou me divorciando da maior corrente de pensamento que hoje está presente NA TORCIDA do Palmeiras.

Não suporto mais ver os mesmos erros sendo cometidos. Os mesmos erros de avaliação, os mesmos julgamentos que não passam do balcão do boteco etc. Compreensível, mas não aceitável.

Estamos nos limites da paciência com o que o time tem nos mostrado. E inflamados pela indignação, batemos sempre na mesma tecla. Ora o problema são os jogadores, ora o técnico, ora a diretoria. Nós trocamos jogadores, trocamos diretoria, trocamos técnico. E o problema continua.

A quem quiser entender a problemática palestrina, recomendo antes uma youtubada nos temas da história italiana pra compreender como nossa bagagem é complexa. O italiano é um ser que tem por passatempo predileto não se entender com o vizinho. Tudo acaba em pizza, mas a regra é ninguém se entender.

O caso é que já vi, em minha vida, pelo menos 20 vezes. E desde 2000, que escrevo (ou modero fóruns) sobre o Palmeiras, já devo ter lido milhares de vezes.

Nós voltamos à cantilena de esculhambar a diretoria, ou melhor a presidência. Olha, o que eu já fiz disso é brincadeira. Mas é insuportável ver a mesma história sendo repetida ad nauseum. Mustafá, Della Mônica, Palaia, Belluzzo, Tirone e agora, nosso caro Nobre... todos no espinafre. Mudamos presidentes e os problemas continuam.

Técnicos então, nem se fala quantos já passaram por aqui. Com a exceção de um Luxemburgo ou Felipão, ninguém desembrulha o futebol encaixotado do Palmeiras. Mudamos treinador e os problemas continuam.

Então vamos lá: tivemos os presidentes mais diversos, tivemos os treinadores mais diversos. Lógico que cada um teve erros e acertos (a maioria mais erros do que acertos). Mas até quando vamos bater nas mesmas teclas deixando de ver o óbvio? Que existe um AMBIENTE interno contaminando tudo!

Peguem as entrevistas. Leiam, assistam, conversem com quem é de dentro. Jogador, treinador, jornalista, todos concordam que o Palmeiras é um dos times MAIS DIFÍCEIS pra se jogar, por toda pressão e paixão envolvidas.

Tendo um AMIBIENTE interno tão CORROSIVO e AUTODESTRUTIVO quanto o que temos tido nas últimas décadas, é difícil qualquer coisa prosperar. Fogo amigo. Vaidade e interesses individuais. A oposição (pouco vezes sadia) de quem não está no poder. Esse é o principal problema do Palmeiras há muito tempo. E isso se reflete na torcida que fica a mercê de informações destiladas nessa soda cáustica que é o ar que paira alí entre a Turiaçu e a Padre Tomás.

Por isso, o lema escolhido para representar nossos 100 anos não poderia ter sido melhor. O MAIOR PROBLEMA DO PALMEIRAS ESTÁ DENTRO DELE MESMO. Vence quem se vence! A maior vitória é contra seus próprios erros, suas próprias falhas. Em primeiro lugar precisamos vencer A NÓS MESMOS pra sair dessa lama. Caso contrário continuaremos a ter de Mustafá à Nobre sem resolver porra nenhuma. E continuaremos estupidamente repetindo as mesmas queixas para os mesmos problemas.

VINCIT QUI SE VINCIT, PALMEIRAS!!!!

No post de amanhã vem a continuação, o que devemos fazer, agora, de forma prática pra reverter a situação, já.

11 comentários:

  1. Precisamos parar de criticar o Palmeiras e torcer para o Palmeiras!
    Só assim venceremos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso aí Gus... mas a torcida tá muito maltratada por tanto vexame e não aguentaria outro. Se o Palmeiras perde mais uma ou duas haverá um desespero geral compreensível. Só que nossa torcida tem "massa crítica" pra discernir e não repetir os mesmos erros. Apoio não pode faltar, seja quem for o presidente, diretor, técnico ou jogador... é o PALMEIRAS que está lá. Abração.

      Excluir
  2. Eu fico puto quando leio os comentários de torcedores dizendo que vão cancelar Avanti, que não vão mais aos estádios e outras baboseiras desse tipo. PORRA o maior patrimônio do time é a torcida, a crítica é democrática e faz a instituição evoluir mas quando desvaloriza o próprio time é burrice e só faz piorar a situação.
    Agora tá uma chiadeira danada porque o Kardec foi embora, também acho que o Nobre fez cagada, mas acretido que tentou defender o clube o que ameniza um pouco a minha decepção. O que importa é que no fim das contas os dois vão passar e o Palmeiras fica e independente da cagada de um ou do desprezo do outro a gente continua torcendo feito malucos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ouvi a entrevista do Nobre na ESPN, Julio... dá ódio do jeito mercenário como o pai do Kardec e o SP fecharam o negócio, sem dar chance ao Palmeiras sequer de estudar uma contraproposta, pois o Nobre já havia conseguido os 4milhões de euros pra compra junto ao Benfica (com um investidor). Os caras foram SUJOS, SORRATEIROS... VTNC! Porra, o Nobre fez o que pode, estava defendendo o clube e ainda tinha 1 mês de prazo pra negociar. Mas os RATOS do Jardim Leonor chegaram no pai do cara, no meio da negociação. Isso acontece mesmo no futebol, acho que o Nobre foi sim um pouco ingênuo na parada e ter CERCADO melhor o procurador ($$). Não é a política do Palmeiras mas se há outros praticando isso, ficamos vendidos se tbm não o fizermos. O Nobre tá certo... só tem que ser mais malandro nesse mundo de víboras filhasdaputa. Valeu...

      Excluir
  3. Muito bom post. Precisamos unificar a Itália.... quer dizer o Palmeiras.
    Entretanto é preciso diferenciar opinião, concordância ou crítica, do tipo estou com a situação ou com a oposição. Mas precisamos não ser incondicionais em nenhum dos casos. Até torcendo para o presidente acertar, seja lá qual for, é preciso indicar erros, sugerir e festejar os acertos.
    E tem algumas coisas que não podem ser minimizadas para evitar repetições ou para permitir soluções.
    De qualquer forma, vc acertou no foco. É preciso acabar com divergências predatórias ao clube. Da oposição à situação. Se vê isso hoje, de parte a parte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Veja man, mas nós podemos torcer incondicionalmente sem deixar de observar o que for preciso. Time em campo, torcida presente e atuante. Fora de campo, torcida observadora e fiscalizadora. Mas sempre com bom senso e sem ficar repetindo as pataquadas que ouvimos na imprensa. valeu!

      Excluir
  4. Infelizmente não consigo encontrar solução pra esse ambiente CORROSIVO e AUTODESTRUTIVO, algum tempo atras eu imaginava que o tempo iria dar conta disso, matando os velhinhos que vivem lá, mas isso eu também já perdi minhas esperanças, hoje existe uma nova geração de pessoas la dentro que esta com o mesmo pensamento predatório de busca pelo poder a qq custo.
    Estou ansioso pra ver suas sugestões.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Revoluzzione, caro Andrez, revoluzzione. E uma boa mãozada no Estatuto. Nos falamos. Abração!

      Excluir
  5. perfeito suas crônicas !!! e realmente não somos amados pelo palmeiras como o amamos devido nossos diretores.....

    ResponderExcluir
  6. perfeito suas crônicas !!! e realmente não somos amados pelo palmeiras como o amamos devido nossos diretores.....

    ResponderExcluir
  7. Galuzzi!
    Acho que as diretas seriam o primeiro passo. O rodízio de poder entre grupos é o câncer a ser retirado no palmeiras!

    PALMEIRAS TE CARREGO NA ALMA!

    Carlinhos

    ResponderExcluir