segunda-feira, 21 de julho de 2014

Além do resultado, a atuação.

Todos que aqui frequentam sabem que não há espaço pra chapa branca. Embora nosso amor seja incondicional, se é pra descer a lenha, fazemos sem dó. E a situação do time não está fácil, longe disso.

Mais uma derrota em casa poderia começar a trazer pânico para nossa leal torcida. Mas quem assistiu a partida contra o Cruzeiro percebeu que, apesar da derrota, o time apresentou uma grande evolução, com destaque nítido à formação tática, mais coesa e participativa. Fora os 20min. iniciais onde o Cruzeiro fez seus 2 gols, dominamos o restante da partida.

Se essa evolução se confirmar tenho certeza que poderemos respirar aliviados no fim da temporada. O que traz alívio pra um e outro pode ser diferente, mas creio que a maioria entenderá ao que me refiro...

Alguns estão dizendo que mais do que a mão do treinador está a ausência do Wesley. Pode ser, concordo. O time joga de forma muito mais rápida e dinâmica quando ele está fora. O problema é que agora sem o Valdívia ficamos a ver navios no meio campo.

Mendieta é complicado. Felipe Menezes é aplicado e pode evoluir, mas faz umas de doer (tipo passe errado de 5m.). E ainda é cedo pra acreditar em jovens como o Erik. Ah, pérai... temos também o Bruno César. Pra que eu não sei, mas temos.

É isso que precisamos rever. A questão que não se cala: porque o Palmeiras contrata tão mal? Tudo bem vá, nem tudo é ruim, haja vista a grata surpresa do Henrique. Mas via de regra de 10 que trazemos, 2 ou 3 se salvam, o resto pode ser dono de comércio depois que sai daqui, que ninguém (do futebol) irá notar.




|Mas o lance é esse: PALMEIRENSE, ACREDITE! Pra você que acha que “o problema é a diretoria”, saiba que isso é um sintoma clássico de Síndrome Maternal, moléstia recorrente à maioria dos empedernidos torcedores. O problema não é seu filho (seu time). São as influências “externas”, amigos etc. (é a diretoria, é o jogador, é o juiz...). Não fratello, o problema não é “a diretoria”, mas tudo que a cerca, ou seja, o problema é O PALMEIRAS mesmo.

Aí ficamos cabreros. Ué, vamos ter que mudar de time então? Não, não teremos que mudar de time. Teremos que mudar O TIME. O PALMEIRAS tem que mudar, de dentro pra fora, do estatuto à forma como se contrata. Da comunicação com a torcida ao layout do time. Da torcida (e a forma como ela se comporta) ao estádio novo. Já há um movimento nesse sentido. Só temos que incorporar elementos que deixem essa posição bem clara!

Palmeirense, acredite. Esse Gareca parece bão, mas só o tempo rei dirá se combina com o Verdão. Fé que o treinador terá o comando e os jogadores certos em campo. Sem um comando traçado, sem uma ordem bem definida, assimilida e praticada, vimos na Copa o que acontece. Força Gareca, VAMOS PALMEIRAS!!!!!!

2 comentários:

  1. "Já há um movimento nesse sentido. Só temos que incorporar elementos que deixem essa posição bem clara!". Não entendi muito bem Galluzzi. Mas com tudo que acontece e não vejo mudanças, estou cada vez mais convicto que a unica forma do Palmeiras sobreviver é ser vendido, como acontece com os times da Inglaterra. Nem sei se a nossa legislação permite, mas sinceramente não vejo outra alternativa com "as influencias" que fazem parte do clube. Se vendido estes influenciadores poderiam perfeitamente influenciar o presidente em qual a cor das bolas de bocha, ou a alcalinidade da agua da piscina, ou até mesmo se as penas das petecas sejam de ganso ou de pavão como eles gostam. Mas no futebol seriam como qualquer um de nós aqui.

    ResponderExcluir
  2. Fala PG! Cara, não creio que esse tipo de ação nos ajudaria. Fazer isso é admitir, cabalmente, nossa incapacidade em gerir algo que nós mesmos criamos. Além disso seria uma proposta que daria margem a todos olharem o Palmeiras e o verem como "sem alma, vendido". E ér no sentido oposto que precisamos ir!

    Acho que precisamos esclarecer melhor isso nos próximos posts. Mas de antemão, digo que precisamos aproveitar o momento do estádio novo e centenário para isso. Esse é o momento! Trata-se de uma série de ações continuas que são capazes de mudar a a imagem e reforçar nossa identidade. PG, estou convencido que só NÓS a torcida (e seu dindim) podemos reabilitar o Palmeiras. Mas pra isso, o Palmeiras precisa MOBILIZAR sua torcida adotando uma postura nova, uma IMAGEM renovada que dê ao combalido palestrino orgulho e vontade de comparecer. Só assim poderemos reaver o nosso Palmeiras.

    Isso passa pelo novo estádio, novo estatuto e o centenário. Não se trata de uma única pedra, mas vários tijolos, principalmente lá dentro, onde o fogo amigo é nosso pior inimigo. Vamos detalhar melhor isso... abração!

    ResponderExcluir