segunda-feira, 22 de setembro de 2014

RENASCIMENTO.

Vou repetir: O PALMEIRAS MORREU. RENASCIMENTO JÁ!

DOR, TRISTEZA, FRUSTRAÇÃO. É difícil traduzir em palavras o que o Palmeirense sente no dia de hoje. Um dia que não é exceção, já que fazer 6 gols no Palmeiras não é exclusividade de um só time. Mirassol, Vitória, Coritiba, Portuguesa, Goiás... isso, HÁ ANOS. E ainda acham isso aí é o Palmeiras.

Foi o Paulo Nobre que perdeu de 6 pro Mirassol? Ou pro Coritiba? Isso deixa claro que o problema não é um presidente é uma situação que nos acomete HÁ DÉCADAS!!!!

Mudem o Nobre, que seja... isso não importa. Enquanto o Palmeiras não perceber que MORREU no fim da década de 70, não conseguirá RENASCER. RENASCIMENTO, TAL COMO NA ITÁLIA DE GIOTTO E BOTTICELLI! De um mundo arrasado, recriaram o mais belo de nossa civilização, baseados em conhecimentos que existiam antes (na Grécia).

Pelo AMOR DE DEUS, Palmeiras, ACORDA!!!!

TOTAL REVISÃO DE NOSSO SISTEMA ADMINISTRATIVO/POLÍTICO INTERNO
TOTAL REVISÃO NA RELAÇÃO CLUBE/ DEPARTAMENTO DE FUTEBOL
TOTAL REVISÃO NA COMUNICAÇÃO CLUBE/ TORCIDA
e de quebra uma mudança de layout qualquer pra marcar as mudanças.

Se isso não acontecer, ESQUEÇAM o Palmeiras. Pode até acontecer uma ou outra vitória que sempre traz uma esperança (falsa) aos mais dedicados corações. Pobres corações.

O Palmeiras morreu com Paschoal Byron Giuliano, em sua expressão “QUANDO O PALMEIRAS SE UNE NINGUÉM NOS VENCE!”. Isso acabou, e acabamos junto. Nos afastamos de nossas origens, simples, batalhadoras. Vencemos e nos tornamos soberbos, vaidosos. E a vaidade nos destruiu. Acompanho o Palmeiras (in loco) desde 1977.

É isso irmãos. Se não amarmos o Palmeiras pelo que ele É, ao invés de condicionar esse amor à vitórias, vai ficar difícil e minguado. Corremos o risco de entrar numa espiral descendente que pode definitivamente nos tirar do rol dos GRANDES. NOSSA geração não pode deixar isso acontecer.

O grande Mestre Jesus caiu 3 vezes e depois foi à cruz. Só que ao contrário do grande mestre, não temos vocação pra santa ceia e sim prum quadro cômico com o qual outras torcidas se divertem. Parabéns pelos 100 anos, Palmeiras.

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Chega de PALHAÇADA. A Arena é NOSSA!!!!

Olha pessoal, esse é um post pra todos os irmãos palmeirenses que se sentem indignados com a atual situação da Arena, sobre a qual a construtora já se acha mais dona do que o clube e a torcida.

Declarações ABJETAS de que o estádio "é da construtora", e coisas semelhantes vem sendo ditas à mídia, para a incredulidade do torcedor, que sempre teve seu estádio como um dos fatores de maior orgulho e agora se vê numa condição ridícula, pra não dizer pior.

Tudo bem que o Palmeiras passe fases sem ganhar. Mas não nos tirem o que temos de mais precioso, nossa história, nossos valores, nosso estádio!!!

Já inconformados com o fato de receber um projeto diferente do que nos foi apresentado (e até vendido, via maquetes!), ainda temos que conviver com o descalabro de um parceiro que entende ter direito de aluguel de todas os lugares do estádio, ao invés dos camarotes e "cativas" (especiais), como é razoável e normal de se esperar.

Ante a essa situação precisamos nos POSICIONAR, declarando nossa VONTADE E AMOR pelo que a torcida sempre teve como sua SEGUNDA CASA. Não interesse se ela foi reformada. Ela continua sendo NOSSA.

Em 1942 houve quem enchesse barris de gasolina pra não abrir mão do que conquistamos com tanto sacrifício. Não será hoje, com 100 anos de história, que artifícios jurídicos ESPÚRIOS e declarações midiáticas IMBECIS vão tirar do PALMEIRENSE O QUE ELE TEM DE MAIS VALIOSO.

PALMEIRAS, sua história é sua glória. E ela está sendo feita HOJE. Fratellada, vamos nos levantar e repercutir essa porra! O Palmeiras precisa da gente, cazzo!


quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Em campo, a RAÇA.


Quando não há jeito na qualidade, vai na raça mesmo. Mas vai! É isso aí Henrique, falou o que deveria ser dito. Mesmo não jogando grande coisa o time parece que respira outros ares. A defesa, laterais, com outra disposição. Meio campo e ataque ainda parece que precisa entrosar bastante. Mas vamos que vamos.


O melhor foi a emoção que o Cristaldo transpareceu ao comemorar seu gol da vitória, enfatizando a alegria em jogar pelo Palmeiras, o reconhecimento dos torcedores nas ruas. Esse é o espírito... renovados até pela pressão da ausência forçada (bendita seja!) de alguns titulares, o time parece que corre mais e se posiciona um pouco melhor. Mas continua saindo pro jogo na base do chutão. Inclusive foi assim que saiu o gol!


Sair da zona da degola é fundamental pra que na época da eleição a votação não seja feita sob o calor da emoção, do desespero. Isso sim pode zoar a continuidade de um bom trabalho que está sendo feito pelo Nobre.

Embora a maioria veja a atual administração como causa direta da atual situação, o problema que o Palmeiras enfrenta hoje é uma consequência de erros passados e isso só não vê quem não quer. Tanto os erros quanto acertos só poderão ser avaliados a médio/longo prazo. Essa regra fundamental é ignorada sistematicamente no momento em que se julga. Mas beleza, isso é outro problema.

Fato é que saiu quem atrapalhava e ainda que nos falte uma era de evolução, pelo menos o caminho parece ter melhorado. Até mesmo a CND (Certidão Negativa de Débito) o Palmeiras já conseguiu, após 5 anos no limbo dos maus pagadores.

Agora falta o estádio. CADÊ A ARENA? CADÊ A DECISÃO SOBRE A ARENA, DEUS DO CÉU!!! Existe algo na terra mais LERDO que a Fundação Getúlio Vargas pra julgar esse processo? Ah, estão querendo competir com o Poder Judiciário tradicional, está explicado.

Antes que me esqueça: VÁ PRO DIABO, CONSTRUTORA APROVEITADORA DO INFERRRRNO!!!! Primeiro nos vendeu um projeto e entregou outro (haja vista as maquetes comercializadas) e ainda quer usar de uma tremenda MÁ FÉ pra abocanhar nosso estádio com 100% de cadeiras cativas!!! ONDE JÁ SE VIU ISSO?????

A ARENA É NOSSA, FORA AS ESPECIAIS (CATIVAS) O RESTANTES DAS CADEIRAS SÃO TODAS DO PALMEIRAS!!!! 10.000 ESPECIAIS à construtora, ok, tal como assinado em contrato e NENHUMA A MAIS!!!! Senão só haverá cativa no estádio e quem tem grana pra isso? Onde já se viu isso???? Eu pago o PALMEIRAS mas não pago Construtora, pelamordeDeus!!! JESUS DÁ UMA LUZ!!!!!

 A ARENA É DO PALMEIRAS. AS CADEIRAS SÃO DO PALMEIRAS. JÁ!!!! Alô Getúlio Vargas, ACORDA DESGRAÇA!!!!! VAMOPALMEIRAS!!!!!

terça-feira, 9 de setembro de 2014

O fator Dorival

Sobrinho do Dudu, todo mundo sabia que um dia viria pra cá. Pois bem, a situação caótica e sua disponibilidade adiantaram a situação. Havia tempo que não tínhamos 3 treinadores no mesmo campeonato! Apesar de toda simpatia do ex-treinador será difícil nutrirmos alguma saudade do período Gareca. Agradecemos pela postura e profissionalismo, muito gente boa. Mas agora a letra é outra.

Se por um lado o Dorival já passou por algumas quedas, por outro parece ter trazido novos ares ao elenco, que correu e se movimentou bem melhor no último jogo, contra o Atlético-PR fora de casa. O uniforme do Palmeiras lhe caiu muito bem. A postura, a grisalhada... a alma palestrina que ele carrega desde o berço familiar.

Temos a sorte de estarmos num campeonato brasileiro que, apesar de todas as dificuldades é um dos piores tecnicamente dos últimos tempos. Com uns 40 ou 50% dos pontos já nos livraremos fácil da degola. E por incrível que pareça o torcedor palmeirense já aceitou essa condição – logicamente temporária – de buscar uma “salvação” nesse ano pra almejar um campeonato em 2015. 

Boas surpresas acontecem, como o Vitorino. Ninguém mais lhe dava crédito. Pois o barba foi lá e impôs respeito na zaga. Na ausência do Lúcio pode garantir a vaga. Outras boas notícias são a volta próxima do Prass e do Valdívia (bem, esse último não dá pra dizer por quanto tempo...). Nuvens escuras se dissipando? Melhor não tirar a capa.

Vamos que vamos fratelada. Esperando mudanças muito mais significativas, algumas já em curso e que só mostrarão resultado mais a frente. A esperança é verde, o Centenário chegou e só falta plantarmos a bendeira em NOSSO novo estádio, dizendo em alto e bom som: “A ARENA É NOSSA!” PALMEIRAS!!!

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

O FUTURO DO PALMEIRAS

Não quero saber se o Palmeiras perdeu essa rodada. Não quero saber se estamos mais perto ou longe do rebaixamento. Não quero saber se o técnico será o Gareca ou Dorival. E nem se o próximo presidente será Nobre, Pescarmona ou Frizzo (se bem que esse último inviabiliza tudo). Porque já tivemos “n” técnicos e “n” presidentes e a situação simplesmente se perpetua.

Temos que pensar em algo maior que isso. NO FUTURO DO PALMEIRAS.

Como já vimos dizendo aqui há algum tempo, o Palmeiras MORREU. No final da década de 70, com a entrada de uma nova geração de dirigentes com nova abordagem sobre o futebol. E aí deixamos de ser o time pelo qual, numa vã ilusão, ainda tentamos achar que é o que entra em campo a cada partida que assistimos. Não é.

Seja lá qual for o técnico, seja lá qual for o dirigente, seja lá quais forem os jogadores. NADA VAI MUDAR. Repito: NADA VAI MUDAR. O Palmeiras continuará cada vez mais longe de seus valores, de sua identidade, cada vez com capacidade menor de montar times que suem por sua camisa. Isso vem acontecendo há décadas.

Vou repetir. O PALMEIRAS PRECISA RENASCER. De novo: O PALMEIRAS PRECISA RENASCER. De dentro pra fora. Caso contrário, esqueçam. Continuaremos torcendo prum defunto com nosso manto. Com eventuais vôos de galinha e só.

Tentarei ser claro aqui. O Palmeiras precisa mudar de dentro pra fora:

Em sua relação INTERNA (menos disputa por poder, vaidade e fogo amigo, mais espírito colaborativo, consenso, respeito total pela instituição acima de cada um). Não nos cabe aqui ficar dizendo como cada um deve agir. Mas é fato que a imagem que o Palmeiras tem hoje é terrível, indo da bagunça ao estapeamento, sendo que muito mais do que ser “perseguido” o próprio Palmeiras fornece munição (como nenhum outro) pra auto mutilação. E tendo o mercado que tem, é um prato cheio à imprensa. Essa falta de cooperação, de união, é sentida diretamente pelos elencos e comissões técnicas, de todos os departamentos esportivos

Em sua relação com o DPF (Departamento de Futebol Profissional) – desde o fim da década de 70 a relação “Diretoria x Comissão Técnica e Jogadores”, apesar de correta, não cria um ambiente em que os jogadores se sintam integrados, que forme uma família, que haja harmonia ou uma alegria de jogar. A bem da verdade o DFP, sob muitas administrações é visto mais como um “fardo” do que algo que agrega valor ao clube. Essa relação “fria” e muitas vezes distante que se tornou um padrão – ainda que consideremos as diferenças, que existem – é um dos fatores principais na dificuldade de contarmos com elencos que se dediquem de “corpo e alma”, que se empenhem com aquele “algo a mais” que faz um campeão. Existe profissionalismo sim, até porque o Palmeiras cumpre seus acordos.  Mas não vai além disso. Essa relação sempre foi mais fraternal e acabou, a partir de meados da década de 70. Por isso torcemos pruma sombra do que eramos antigamente. Eu mesmo já ouvi de jogador que não existe alegria de jogar no Palmeiras, só pressão, interesse e cobrança. 
Aí não existe coração que bata dentro da camisa. Isso não é incomum, haja vista a extrema dificuldade em se formar times com verdadeiro "espírito de grupo". Mas se tornou um padrão-crônico dentro do Palmeiras. Rever essa relação é PRIMORDIAL pra entendermos e sairmos da atual situação e tendência.


Sua IMAGEM perante a torcida e mídia. Já vem mudando, com muita coisa boa sendo feita a medida que o marketing se torna mais presente. Mas trata do time como qualquer outro, simplesmente um produto igual. A MARCA deve ser renovada com AÇÕES EXCLUSIVAS que agreguem valor à sua imagem, resgatando características inerentes à nossa coletividade. Tal como alguns clubes europeus já fazem, focar em AÇÕES SOCIAIS (ajuda à campanhas de integração social, incentivo a programas de voluntariado junto a torcida, desenvolvimento de campanhas educativas etc.) e AÇÕES CULTURAIS, explorando uma característica em comum valorizada por nossa torcida (descontos e promoções aos seus torcedores para eventos culturais, cinema, teatro, shows, museus, exposições, feiras populares etc.) O Palmeiras precisa voltar a ser “admirado”, sem ficar exclusivamente dependente de vitórias para isso. A marca tem que ser admirada pelo que ela é, e não só pelo que ela proporciona. 
Finalmente, o que pode ser feito para marcar essa nova fase, aproveitando a reabertura do estádio, o ano do Centenário, é alguma renovação em LAYOUT, tal como foi feito no início da década de 90. Algo padrão no uniforme, ou mesmo em seu símbolo, que pode ser “limpo” e apresentado de forma mais forte e visível.

Tudo isso é apenas um conjunto de ideias e propostas, baseado no que precisamos realmente pra sair dessa situação que nos encontramos desde o fim da década de 70, com um vôo de galinha (uma exceção administrativa) chamado Parmalat no meio. Mas o que é INCONDICIONAL é que o Palmeiras para o qual torcemos deixou de existir há muito tempo, torcemos prum defunto da década de 70 e nos iludimos, por pura cegueira de paixão. Ele precisa RENASCER.