quinta-feira, 30 de outubro de 2014

50.000 vezes AVANTI PALMEIRAS

Podem achar que estou fazendo propaganda do nosso programa de sócio-torcedor. E estou mesmo! O motivo é a chegada iminente à casa dos 50.000 torcedores AVANTI, antes da inauguração do Parque. Número expressivo, já é a maior torcida do Palmeiras! Já não há lugar na Arena pra todos os sócios-torcedores! E vai aumentar!!!

Qualquer um com um mínimo de visão estratégica sabe o quanto esses planos, adotados por TODOS os clubes de ponta, é importante para as agremiações. E principalmente a nossa que fica atrás no quesito “cotas de tv” - haja vista a espanholização que é promovida no Campeonato Brasileiro entre Flamengo e Curintcha - mas tem uma enorme torcida com excelente poder aquisitivo.

Repito: qualquer um com um mínimo encefálico percebe nossa força nesse quesito. Ir contra essa tendência não é só um tiro no pé, é ceder de vez à grana da TV. Em palavras claras: ficar de 4 pra grandes corporações da mídia, tal qual todos tem ficado há muito tempo.

Nesse âmbito lembramos que é totalmente lícito e compreensível que a emissora que paga toda putaiada – digo, clubes – escolha o que quer transmitir. Da mesma forma que nos é lícito, sendo público pagante e de grande audiência, reclamar dessa escolha. Simplesmente pelo fato de que não nos dão outra opção a não ser assistir em pay-per-view! Isso é uma estratégia criminosa. Por isso temos que representar! AVANTI TORCEDOR PALMEIRENSE! A força de um time está na presença de sua torcida.

A última do Português
Já ouviram a última piada do português? Pois então, havia um clube português que conseguiu gerar uma virada de mesa e ser rebaixado 2 vezes. 

Com milhões em dívida e sem receita nenhuma inventaram um projeto de demolir o estádio. Aí o português diz: “Estamos analisando esse projeto. Queremos criar um complexo maravilhoso, nos moldes da Arena do Palmeiras, mas 10.000 vezes melhor.”

Resumindo... dá pra entender de onde vem boa parte da burrice crônica que infesta esse país. É de berço!

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Batendo na trave

O Palmeiras jogou o que era possível, diante de um adversário muito melhor colocado na tabela e bem mais tranquilo. Mais uma vez poderíamos ter vencido e foi por pouco..

Melhor do que lamentarmos a perda de 2 pontos tão próximos, é perceber que há até algum tempo nem à essa condição chegávamos. E isso mostra clara evolução.

O time ainda joga com um receio preocupante, mas compreensível. Fora isso, a doação de jogadores como Valdívia (arre que vai!!!) e o Henrique bem que poderiam contaminar um pouco melhor o Wesley, que continua trotando, mas correr que é bom, é difícil.



A defesa, que me perdoe o Lúcio, pode ter errado no fim, mas parece mais ágil agora. Salve Nathan. Salve João Pedro, Vítor Luís e todos os pratas da casa! Os moleque estão bem na fita.

Do ponto de vista tático, fazer o time jogar de forma compacta talvez seja uma das grandes dificuldades de qualquer técnico. Simplesmente porque implica em maior movimentação dos jogadores, faz com tenham que correr mais.

Isso faz falta em nossa em nossa equipe hoje, que não está tendo receio (e nem deve ter), de jogar na defes e explorar o contra ataque. O Dorival sabe que é o que temos pro momento! Só que pra isso temos que ser mais eficientes neste conta ataque, senão ficaremos nesse sufoco sempre!

Nos 2 jogos em que perdemos 4 pontos nos últimos minutos, tivemos chance de ampliar o placar e liquidar a fatura. Então é aí também que o bicho pega.

A vontade de ganhar e o gosto pelos 3 pontos tão próximos tem que servir de motivação pra que o time veja que está mais próximo do objetivo. O caminho está certo! Em frente time!!! TACA-LHE PAU, DORIVAL!

Coração Palmeirense
Esse post é inteiramente dedicado ao Sr. João Correia e à sua família. A passagem é só um momento que coroa uma vida de realizações. Todos nos encontraremos. É só uma pequena questão de tempo. À vida, sempre.

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Ponto fora de casa não se ganha. Se arranca.

Assistir aos jogos do Palmeiras na TV, isso é bem sabido, não é das coisas mais fáceis. Bem, assistir aos jogos do Palmeiras não tem sido fácil de nenhuma maneira mas hoje, quando o time começa finalmente a mostrar um padrão de jogo aceitável, vê-lo na TV é enervante não pelo que é visto, mas pelo que é ouvido.

PELOAMORDEDEUS!!! Dêem-nos NARRAÇÃO CUSTOMIZADA (narradores e comentaristas torcedores declarados do time em questão) logo!!! Do jeito que vai não dá, absolutamente. Quem assistiu ontem viu isso. Pro Cruzeiro – queridinho – tudo. Pro Palmeiras, a lama da lama. Puta coisa asquerosa!!! Ao menos declare-se torcedor...

Mas beleza, mesmo desfalcados de nosso principal jogador fomos lá e ARRANCAMOS um empate do líder disparado do campeonato, virtual campeão de 2014, na casa do adversário. E por pouco, muito pouco, não saímos com a vitória.


A tática do Dorival foi certa. Segurar os caras até os 30' do segundo e então partir pra cima. Assim fez com as substituições. Pena que o Bruninho não entrou muito bem, mas o restante foi perfeito. A entrada do Felipe Menezes e do Mouche no final (2 jogadores ofensivos) mostrou que o time não se acovarda, parte pra cima!!! É ISSO!

É bom lembrar ao comentarista PATETA (que insistia em dizer que o Palmeiras “jogava por uma bola”) que a tática de segurar o adversário e bombar no final é feita desde Muhamad Ali e foi exatamente isso que fizemos.

Tristíssimo foi ver o semblante do Nathan, que vem se mostrando uma grande revelação. Era ele que estava na marcação do atacante adversário que pegou o rebote do gigante Prass. Prostrado no chão após o apito, parecia balbuciar automaticamente “foi falta, foi falta”, num misto de resignação e incredulidade. Nathan, estamos contigo garoto. Fica tranquilo e segue na confiança que tu é bão.

O lance foi que o Bruninho chegou atrasado na marcação, permitiu ao meiocampista cortar pra dentro e ter todo espaço pra chutar. Tinha gente na frente e o Prass foi pego de surpresa, coisa rara. Mas beleza, acontece... deixou aquele gosto, aquela vontade maior de vitória no próximo jogo!!!! TODOMUNDOJUNTOAGORA – PALMEIRAS!!!!! O TIME DE TODOS... mas não pra qualquer um.

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Tendência evolutiva

Perdemos jogando melhor. Não era o que esperávamos, mas é melhor do que a derrota sumária e acachapante que sofríamos há pouco tempo.

Perdendo podemos ver mais claramente as falhas. O Marcelo Oliveira por exemplo, é bom, aplicado e com bom posicionamento. Mas as vezes sobe e deixa a cobertura da lateral desguarnecida. O Renato parecia mais “1º volante”, de toda forma temos que ter revezamento, até pelas naturais contusões.

Outro ponto abissal é o Lúcio, que com todo respeito que lhe é devido, perde umas que é de inervar qualquer um. Perde bola, perde passe e depois ainda perde na corrida. A única coisa que ainda ganha é no grito e na cara feia. Pela grande liderança e experiência em campo ainda deve ser mantido, mas o Palmeiras tem uma boa safra de zagueiros vindo por aí e isso não pode deixar de ser visto.

O Palmeirense já sabe que grande disputa desse final do ano de 2014 será por evitar o rebaixamento, as cadeiras que o Torre tenta tungar da gente e a própria presidência em si.

Teremos uma sequência de partidas difíceis que podem garantir e selar nosso futuro pra próxima temporada e quem sabe próximos anos. É importante que o Dorival tenha um mínimo de tranquilidade pra conduzir a equipe nessa tendência evolutiva que vem apresentando (desde que o Valdívia siga jogando).

Alguém já disse que poucos torcedores rezarão tanto por seu time quanto nós nesse fim de ano. Incluam aí simpatia, oferenda, promessa e o que mais valer. Pro clube ser bem presidido, o estádio bem apresentado, o time bem treinado e o futebol bem jogado. Haja concentração pra tanta decisão. Haja coração pras próximas semanas!

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

É ISSO!!! Enfim, PALMEIRAS.

Obrigado Grêmio, obrigado Felipão, obrigado Barcos... era o que precisávamos!

AE SIM, TIME!!!! No melhor jogo do Palmeiras em muito tempo, finalmente pudemos assistir aquilo que esperávamos do time! Quem assisitiu a essa partida no Pacaembú, ainda mais em seu segundo tempo, viu um VERDADEIRO PALMEIRAS em campo.

Essa é a pegada. Esse é o padrão e o jogo. Ainda com muitos erros (defesa, transição, cobertura de laterais, dependência do Valdívia) pra corrigir, mas difinitivamente, na pegada ideal. Esse é o padrão!

Tivemos até a presença na fogueira do volante Washington que deu conta do recado. E a grande da noite, o jogaço do João Pedro, um que poucos conheciam até poucas semanas. Prata, qualidade, foi exemplo em campo e na resposta: “temos que ter pé no chão”. Bravo.

Sensacional ver o Dorival Jr. Esboçando um sorriso após 1 mês no clube. Jogadores comemorando junto, beijo no escudo e tudo mais. Jogo da virada. E como as pretensões de algo maior já nem são consideradas pra esse ano, o time pode jogar desafogado um pouco.

Só um detalhe. CONTRATEM O MÉDICO CUBANO que veio pra tratar o Valdívia. Não, sério. Contrato vitalício. Ofereçam asilo diplomático pra ele e toda sua família, cachorro, gato e periquito. Só façam que ele convença o Valdívia a reclamar menos com os juízes e tá perfeito!

VamoPalmeiras. Coisa mais linda desse mundo ver a torcida saindo do estádio sorrindo. Todos sorrindo. É uma alegria contagiante indescritível. Homens, mulheres, crianças, num êxtase combinado entre alívio (ainda que restrito) e esperança. De que aqueles dias, de um futebol quilômetros distante de nossas tradições possa finalmente dar lugar a um Palmeiras combativo, com humildade, trabalho e talento.

Só quem é torcedor de estádio ou esteve presente em situações como essa sabe a que me refiro. É a Festa de Babete. O êxtase após um grande show, um grande evento, daqueles que nos remetem à percepção de que, apesar de toda crueza das dificuldades cotidianas, ainda há momentos pelos quais vale a pena viver. GRAZIE DIO.

OBRIGADO PALMEIRAS! Não precisas ser o melhor ou maior. Basta ser o PALMEIRAS de verdade e nosso coração baterá junto, como nessa noite mágica no Pacaembú. Viva às crianças e viva à Nossa Senhora. Que a luz esteja com todos. E vamos fazer arte!!!


terça-feira, 7 de outubro de 2014

A República dos Notáveis...

Bom, se for pela falta de “notáveis” o Palmeiras não perece. A nova palavra da moda é ser um “notável” e fazer parte do grupo que vai salvar o clube. Desde que se vote nele, lógico. Consenso é uma utopia distante...

As opções pra eleição são até interessantes. Todos os candidatos (Granieri, Pescarmona e Nobre) tem ideias progressistas e modernas em relação ao futebol. Bom, progressista e moderno também era o plano cruzado, e deu no que deu.

A verdade é que não interessa quem entra se a política interna continuar a mesma guerra de sempre e o estádio for entregue definitivamente e de mão beijadas a construtora que o reformou, deixando-nos a vexatória impressão de meros inquilinos de algo pelo qual sempre tivemos o maior orgulho de possuir desde sempre. E, é lógico, se nossos verdadeiros valores, diferencias e características não voltarem à tona, continuando na pasmaceira de um clube com identidade diluída no maior estilo “mais do mesmo”.

Repito: o Palmeiras deixou de ter um diferencial (sócio-cultural), transformando-se num típico clube “igual a qualquer um”, sem características únicas, valores próprios bem definidos, sem a forte identidade que sempre o marcou. Bambeamos entre o vexatório e o risível e não é de hoje.

Você quer ser notável? Então note o mundo ao seu redor. Note que as pessoas precisam da sensação de “pertencimento”, de fazer parte de um grupo com o qual ela se identifica. E quanto mais os valores, diferenciais, o “apelo” (num jargão publicitário) deste grupo é claro, mais fácil a identificação, a lealdade, o apoio. Que não fica dependente exclusivo aos momentos vitoriosos, sem deixar de considerar sua importância.

ALEA JACTA EST, PALMEIRAS. Sua sorte está lançada. Enquanto a decisão sobre a palhaçada que a construtora está fazendo com a gente não sai (não é linda a dinâmica desse país?) e temos a salubre tarefa de torcer pro time não cair (de novo), o que nos resta é rezar e muito, para que o Palmeiras volte a ser (independente de vencer) o que ele era para nossos pais. Uma CASA onde os valores eram mantidos, cultivados e vividos, por toda a torcida. RENASCE PALMEIRAS!!!!

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Quo Vadis Palmeiras?

Aonde vais, Palmeiras? Para onde você vai? Descer, subir, ficar? Não era assim que pretendíamos atravessar o centenário. Com um Estádio que nem mais parece nosso e sim propiedade particular de um tal Torre que tem a PETULÂNCIA de se dizer esperançoso que os dirigentes palmeirenses “tenham a consciência da devida importância dessa casa”.

É realmente nós nunca tivemos essa consciência. Nossos diretores, seja de hoje ou ontem, nunca tiveram a consciência de como o Palestra Itália era importante. Quase tacaram fogo pra não perdê-lo. Trocamos de nome por isso. Não era importante? Era, pois acabou. Palestra Itália, o nosso saudoso Palestra Itália, nunca mais.

Agora temos o estádio do sr. Torre, que gentilmente nos aluga. Obrigado sr. Torre, o sr. é magnânimo e ainda fala em “ajudar” o Palmeiras a sair do buraco onde está. Poderia ajudar começando primeiramente a entregar o estádio na forma como nos foi vendido e não com essas gruas/ guindaste com acabamento mais barato que você nos enfiou goela abaixo, sem contar é lógico com a FACADA NAS COSTAS que foi a interpretação NOJENTA que fizeste do contrato, na interpretação de que “colocquei cadeira, é tudo meu”. Asqueroso...

Infelizmente, iludida e entorpecida por uma mídia incapaz de abordar o que realmente importa, preferindo a isso nos relegar ao imediatismo dos resultados de cada jogo, a torcida palmeirense segue incólume, mesmerizada e embasbacada. E inerte em suas reivindicações.

Tivessemos um mínimo de discernimento, estaríamos na porta daquela porcaria de construtora aos berros de “o Estádio é nosso!!!”. Sinceramente, nossos antepassados devem estar com vergonha de nossa falta de ação.

Pois entre a perda de um estádio e a perda de rumo não há muita distância. Mais uma vez vou repetir: o Palmeiras perdeu sua essência, seu diferencial, seus valores mais fundamentais e virou um mais do mesmo. Nosso marketinge se resume a licenciar produtos com linha de outros clubes. A vender chinelo e cueca com o símbolo. E é nela que a gente freia...

Financeiramente temos feito o possível. Ainda precisaremos de muita austeridade antes de termos caixa pra vir mais alguém e estourar tudo de novo. Alguém aí se lembra da última vez que tivemos caixa azul? Foi em 2002... e o que tivemos depois disso?

Palmeiras PELOAMORDEDEUS, muda. Mas muda de verdade... a política interna, o trato e a forma de conduzir o futebol, a imagem perante a torcida. Sem a mudança essencial nesses 3 pilares, não tem Valdívia, não tem Wesley, não tem Luxermburgo, não tem Nobre, Pescarmona, Graniere ou a putaqueopariu que nos salve, a médio e longo prazo.


Se por um lado nunca nos faltou consciência da importância de nossa casa, falta quanto a forma que nos comportamos dentro dela. ACORDA PALMEIRAS! POIS DORMES HÁ DÉCADAS.