terça-feira, 7 de outubro de 2014

A República dos Notáveis...

Bom, se for pela falta de “notáveis” o Palmeiras não perece. A nova palavra da moda é ser um “notável” e fazer parte do grupo que vai salvar o clube. Desde que se vote nele, lógico. Consenso é uma utopia distante...

As opções pra eleição são até interessantes. Todos os candidatos (Granieri, Pescarmona e Nobre) tem ideias progressistas e modernas em relação ao futebol. Bom, progressista e moderno também era o plano cruzado, e deu no que deu.

A verdade é que não interessa quem entra se a política interna continuar a mesma guerra de sempre e o estádio for entregue definitivamente e de mão beijadas a construtora que o reformou, deixando-nos a vexatória impressão de meros inquilinos de algo pelo qual sempre tivemos o maior orgulho de possuir desde sempre. E, é lógico, se nossos verdadeiros valores, diferencias e características não voltarem à tona, continuando na pasmaceira de um clube com identidade diluída no maior estilo “mais do mesmo”.

Repito: o Palmeiras deixou de ter um diferencial (sócio-cultural), transformando-se num típico clube “igual a qualquer um”, sem características únicas, valores próprios bem definidos, sem a forte identidade que sempre o marcou. Bambeamos entre o vexatório e o risível e não é de hoje.

Você quer ser notável? Então note o mundo ao seu redor. Note que as pessoas precisam da sensação de “pertencimento”, de fazer parte de um grupo com o qual ela se identifica. E quanto mais os valores, diferenciais, o “apelo” (num jargão publicitário) deste grupo é claro, mais fácil a identificação, a lealdade, o apoio. Que não fica dependente exclusivo aos momentos vitoriosos, sem deixar de considerar sua importância.

ALEA JACTA EST, PALMEIRAS. Sua sorte está lançada. Enquanto a decisão sobre a palhaçada que a construtora está fazendo com a gente não sai (não é linda a dinâmica desse país?) e temos a salubre tarefa de torcer pro time não cair (de novo), o que nos resta é rezar e muito, para que o Palmeiras volte a ser (independente de vencer) o que ele era para nossos pais. Uma CASA onde os valores eram mantidos, cultivados e vividos, por toda a torcida. RENASCE PALMEIRAS!!!!

16 comentários:

  1. A lista de notáveis que passaram pela política do nosso país é grande, muito grande. Na boa, a maioria fracassou. Tem muita gente que fica babando o ovo do Belluzzo só porque ele montou um elenco competitivo, porém sucateou o clube, principalmente trazendo os medalhões caríssimos que não deram retorno, exceto o Henrique. O próprio Belluzzo afirmou que fez uma gestão muito ruim. Achar que uma gestão foi boa por causa do elenco montado é estar muito fora da eloquência.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza Marcelo, até pq a memória do brasileiro só vai até a liquidação de sábado. Gosto do Belluzzo, já estive em reunião com ele, estava lá em jan/2003 em sua primeira candidatuta, mas sinceramente, acho que a distância entre a teoria e prática é demais pra ele. Não sei como a família permite, pq se bobear (batendo na madeira) o Palmeiras leva qualquer um pro hospital (de novo). O Palmeiras perdeu o campeonato de 2010 por conta da CIUMEIRA que se instalou no elenco após a chegada do Wagner Love. CIUMEIRA capitaneada pelo sr. Diego Souza. Agora me diga, um senhor que não percebe isso acontecendo bem debaixo da sua fuça tem malícia suficiente pra entender o mundo do futebol? Não basta ter IDEIAS NOTAVEIS, se não houver sabedoria pra aplicá-las de forma prática. O futebol exige MUUUITA malandragem...

      Excluir
    2. A melhor forma é ter um atacante rompedor ao lado um atacante técnico. Trazendo ao que voce diz, talvez a melhor forma para administrar é ter um boleiro ao lado de um gestor (jargão moderno).

      Excluir
    3. É aquele lance velho político: O melhor ministro da educação não será um professor, será um político que faz as coisas acontecerem, porém ele sabe o que a educação precisa? Na maior parte não, por isso precisa de professores ao seu lado. penso que o melhor gerente de futebol deve ser um bom político aliado de futebolistas e gestores de empresas. O que menos os imortais do Palmeiras sabem é de futebol.

      Excluir
    4. É verdade PG, mas depende do boleiro né... aí pode até ser.

      Marcelo, concordo contigo. Ter ideia é fácil. Difícil é executá-las... valeu.

      Excluir
  2. Galluzzi, uma dúvida... quando acaba o contrato do Palmeiras com a Globo?? Não temos outra emissora interessada em passar nossos jogos em TV aberta?? até quando vamos ficar reféns dessa emissora? Precisamos que passem jogos do Palmeiras na TV aberta! Senão a molecada não torce para o nosso time! O que faz um torcedor é a simpatia com o time... time bom ajuda, títulos tb! Mas não é só isso... O que podemos fazer? Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grego meu meu caro, esse é um tema que vai longe pacas. Infelizmente a gente não pode negociar em separado assim. O problema é que nos tornamos reféns de uma situação ABJETA, onde um único canal é DONO do futebol nacional, simples assim.

      O resultado a gente vê aí... com exceção de alguns times outros estádios ficam vazios, tendo nossos campeonatos menos média que o futebol australiano (aquele parecido com o rugby), pra vc ter ideia. A solução? Tempo. Tempo, estádios bons, planos sócio-torcedor, CANAIS PRÓPRIOS DE VEICULAÇÃO, marketing moderno focado no diferencial (não tratando o time como um mero estampador de símbolos em produtos), e junção dos times contra o CONLUIO GLOBAL que compra todos transformando uma competição no produto mais adequado possível à sua prateleira... e dá-le Flamengo nos 80. E dá-le Curintia hoje...

      Grego... é nóis contra O IMPÉRIO DO MAL. Palmeirenses correm pelo certo. Que a força esteja conosco.

      Excluir
    2. Lembro quando jogos do Palmeiras eram transmitidos pelo SBT na voz de Silvio Luis e pela Record na voz de não sei quem (não lembro, mas via).

      Excluir
    3. E não era mais legal Marcelo? Com o monopólio de hoje ficou tudo pasteurizado, politicamente correto, com cara de mídia de massa, comunicação rasa... que melda.

      Excluir
  3. Roberto,
    Você coloca que o Paulo Nobre tem ideias progressistas e modernas em relação ao futebol! Que ideias são essas que até agora não apareceu? Na realidade este presidente só se preocupou com o planejamento financeiro e tratou de destruir a marca "Palmeiras" com suas ideias modernas. Tenha a santa paciência não projete no Belluzzo a incompetência do Nobre!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo João, pra torcer pro Palmeiras desde 77 a gente precisa de bem mais do que uma santa paciência. Precisa de um pouco de discernimento pra ir além do que se ouve na retórica de botequim que se ouve por aí.

      Tivéssemos um pouco disso veríamos que o simples fato de renegociar todas as dívidas do clube conseguindo alívio à uma situação que era insustentável (toda receita comprometida, dívidas adquiridas em contratos medonhos, contas anteriores não aprovadas), sendo hoje o Palmeiras um dos poucos clubes NO BRASIL que está pagando em dia (veja matéria no Lance), já é algo que o traz à uma situação diferente do que sempre tivemos.

      Deixa eu ser bem claro: NÃO SOU DEFENSOR DE NINGUÉM. Mas reconheço o ARCAÍSMO que sempre domonou as alamedas do Palestra Itália. Se vc já circulou por ali sabe ao que me refiro. Sabemos ser bem modernos, mas quando é pra ser amarrado no tempo vc só encontrará um equivalente lá pela Mooca, se é que me entende.... rs.

      Cara, infelizmente a leitura que a mídia faz de algo fica a mercê do que pode parecer mais sensacional. TE JURO: com 5min. de conversa com o dirigente nossa retórica vai pro espaço. Por isso a gente tem que saber ler nas entrelinhas e não cair na repetição das queixas que são repetidas ad nauseum. O lance do "patrocínio master" por exemplo, que ao se deparar com o fato de que nenhum time nacional conseguiu isso de 2013 pra cá (fora os que conseguiram fechar com a Caixa, não pudemos por dívidas), ficam parados, sem nada pra falar. E por aí vai...

      Montar um time competitivo é dificílimo. A gente acha que é fácil daqui, mas é uma tarefa hercúlea. Primeiro a gente tem que voltar a ter estrutura financeira e depois sim, capacidade pra escolher um time bom, não apenas o "possível" como está sendo feito hoje - justamente pra equilibrar o caixa. Mas a torcida não tem a SANTA PACIÊNCIA pra entender nem esperar por isso. Incentivados por uma mídia que quer que tudo se foda desde que sua manchete seja vendida.

      Pois é João... vc já reparou como em nossa história, gente boa só existe no passado ou no futuro? Nosso "presente" é eternamente uma desgraça. Talvez seja esse o legado de quem não consegue ver as forças que realmente nos regem. Não me entenda mal amigo, estamos junto nessa. Mas acredito em nossa força. Valeu.

      Excluir
  4. Galluzzi,
    Não há como negar o saneamento financeiro promovido pelo Paulo Nobre, incluso aí os mais de 100 milhões que vão ser devolvidos em melhores condições a longo prazo. Com certeza esse caos financeiro prejudicou a formação de um time melhor. O Paulo Nobre, me parece, sempre quiz continuar esse processo por mais uma mandato para ter condições de montar um grande time. Mas, mesmo com todos os problemas financeiros, errou muito no futebol, e admitiu isso. Com o time se arrastando e ameaçado de rebaixamento, todo esforço não terá sido em vão? Corre um grande risco, de depois de roer o osso, entregar o filé para a oposição. Tivesse tido um pouco mais de cuidado com o futebol...

    ResponderExcluir
  5. Pois é Camilo, mas pode ter sido mais inexperiência do que falta de cuidado com o futebol, que tem malícias que poucos conhecem antes de se ver cara a cara com o bicho. Seja como for, a simples mobilização de 3 correntes com disposição a "mudar" (ainda que seja o discurso obrigatório) parece positiva. O mais importante é como será a política interna (disputas, grupos) depois da eleição... sem uma trégua será difícil tocar qualquer projeto. É aí que pega... abraço!

    ResponderExcluir
  6. É complicado administrar um clube com a grandeza do Palmeiras com apenas 20% das recitas. Só o tanto de jogadores que nem lembramos mais processando o clube por indenização trabalhista já é demais (Vitor e Henrique foram os últimos que me lembro, aliás este acabou de ganhar na justiça mais de 3 milhões de R$). Su contra essa de presidente colocar seu dinheiro no clube, porém, se o Nobre não fizesse isso, não teríamos como pagar a conta de água e luz (lembra da vergonha nacional do CRVG e do CRF quando cortaram a água e a luz dos CT's deles? Essa seria a nova vergonha também). Só apoio o Nobre por um simples e único fator, quero vê-lo trabalhando com 100% das receitas, daí não tem esculpas por não estarmos brigando dignamente nos campeonatos.

    ResponderExcluir
  7. Roberto, fratello, cadê tu? Resultado valioso ontem. A melhor partida do Verdão no BR. Não podemos aliviar, tem que manter a pegada, o foco. Ainda não alcançamos nosso objetivo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alô alô Allan!!! Tava offline nesse domingo, mas agora tâmos aí!!! Depois de uma rodada "perfeita" como esta, não podemos deixar de aproveitar! Embala Palmeiras!

      Excluir