quinta-feira, 27 de novembro de 2014

A fácil tarefa de gerir o futebol

Não é por nada, mas se disser que não houve muito Palmeirense ontem rachando o bico do escorregão do Kardec, estaremos mentindo.

É lógico que a diretoria vacilou. Mas é foda, vejam a postura tricolete de assediar um jogador adversário em pleno campeonato e repetir na conduta, agora com o Gabriel, que já chamou a atenção demais na base.

Porra, puta calhordice meu! Você está lá negociando com seu funcionário e sem dizer que teve outra proposta o cara simplesmente alega ter se sentido “ofendido” por sua falta de reconhecimento e se pirulita. O assédio bambi é imoral. O futebol, que já é difícil, torna-se assim uma carnificina.

A gente acha que é fácil? Não é, mesmo. Olhem lá o Santos, atolado em dívida e se lascando pra pagar em dia. Vejam o tricolete que também não fechou “master” nenhum. Vários clubes pipocando notícia de atraso de pagamento e tals.

O lance é esse: NÃO BASTA TROCAR PRESIDENTE. A mudança deve ser estrutural e maior. Isso já vem acontecendo, mas deve ser mais contundente, categórica e definitiva. Grandes auditorias já foram feitas. Um novo estatuto deve entrar em vigor. E uma nova forma administrativa deve ser incorporada. Uma reconstrução da marca, com diretrizes específicas.

Um exemplo: a parte social era deficitária – usava recursos do futebol para se manter - e agora deixou de ser. Por conta de medidas dessa administração. Que não necessariamente agradou os associados

Mas não é questão não dar atenção ao clube e associados. É adequar à realidade. Pode ser que num futuro esse repasse ainda venha a ocorrer, mas hoje simplesmente não há dinheiro pra isso. Só nessa temporada de 2015 é que poderemos ter a receita cheia (95%) sem comprometimento com dívidas de curto prazo.

Outra mudança essencial é o AVANTI. Hoje, torcedores comuns do futebol bancam meio patrocínio master pro clube. Não é um associado que tem interesse nas instalações da sauna, nem um organizado que tem ligação direta com sua entidade. Nenhum desse jamais teve NEM TERÁ essa capacidade. É O TORCEDOR COMUM QUE BANCA O TIME HOJE.

O AVANTI é o torcedor comum, apaixonado pelo time e com o Palmeiras acima de tudo! SAGRADA RECEITA, que é paga de coração, só pra ver e ajudar o time. Já cansei de ouvir história de quem nem mesmo vai ao estádio mas paga lá, todo mês, lealmente. Isso é amor puro pelo time.

Mas as mudanças devem continuar! Não podemos regredir! CHEGA do estilo politico ARCAICO das alamedas palestrinas. A essência deve ser mantida, mas um novo mundo deve surgir. Na forma como apresenta sua marca. Na relação com o torcedor. Na forma de administrar e conduzir o futebol.

E, só um detalhe, na forma de formar, contratar, montar e manter um time.

13 comentários:

  1. Você acredita mesmo em um novo estatuto "em breve"? Ouvimos essa história desde Fevereiro de 2013 e até agora nada...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade, eu só ouvi esta história em fevereiro 2013... depois nunca mais...

      Excluir
    2. Vini, existe uma comissão de membros do Conselho Deliberativo que segundo a atual gestão "concluirá a reforma estatutária iniciada no biênio 2013/2014". Pelo menos é o que consta do programa de governo que o Nobre lançou. Valeu.

      Excluir
    3. O meu medo é que fique só na promessa, sem contar que todos nós sabemos que as coisas acontecem bem devagar lá dentro..essa mudança é essencial. Obrigado pela resposta!

      Excluir
    4. Tbm temo isso Vini, mas hoje em dia os caras já não estão nem prometendo nada.Tbm não basta mudar né, precisa ver o que será mudado. Mas isso é só uma parte, a MARCA Palmeiras tem que ser revitalizada, reconstruída, reformada. Valeu!

      Excluir
  2. E aí Galluzzi, blz? Uma dúvida que sempre tive e que você deve saber me responder, por ter um maior contato no ambiente do clube. Na verdade isso pode ser chamado de especulação.
    Se o clube social se separasse do futebol, cada qual com seu presidente (se Deus quiser isto vai acontecer algum dia!), ou seja, as eleições para presidente do futebol democratizadas e sócios torcedores AVANTI tendo poder de voto, você acredita que o número de associados AVANTI aumentaria?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Franco, na boa, acho que isso não seria um fator tão importante no crescimento do AVANTI. Esse crescimento depende da continuidade do projeto, que a cultura do sócio-torcedor ganhe força e o time ganhe jogos.

      Fora isso, já vi mais a divisão social x futebol como salvação. Há muita oposição à isso lá dentro e há formas de menor interferência de um sobre outro. Hoje mesmo - nesse ponto graças a atual gestão - o social não precisa mais "chupar" 1milhão por mês do orçamento do futebol que nem fazia até 1 ano atrás pra se manter. Isso é importante.

      Além disso, hoje o futebol e o social são vistos como "Unidades de Negócio" independentes, sendo que cada um tem administração das receitas e despesas próprio, entende? Já estamos no caminho...

      Fora isso é implementar PRÁTICAS DE GESTÃO ESPORTIVA modernas e permanentes pq se há cada 2 anos houver uma filosofia de comando diferente, só teremos vôos de galinha e olhe lá. Valeu!

      Excluir
  3. Galluzzi, por vias das duvidas vamos trocar tá. O atual ja teve a chance dele, e é evidente que deste mato não sai mais coelho. Até acredito que no outro mato não tenha nem mato, mas só porque o atual decepcionou de forma doída, por via das duvidas prefiro trocar. Como bem disse, o que precisamos não passa somente pelo presidente, talvez, quem sabe as mudanças estatutarias que almejamos saia mais rapido. Vá saber.

    ResponderExcluir
  4. Não PG, não concordo com a teoria do "vai saber". Ah, "de repente o Pescarmona é melhor"... só que não. O Pescarmona é aquele que trouxe o MAX PARDALZINHO vc se lembra?

    PG fratello... NÓS (por favor não se ofenda) somos MUITO burros (melhor reconhecer do que viver nisso). Julgamos por nossa PAIXÃO. E somos VÍTIMAS de nossa paixão. Via de regra meu amigo, os primeiros anos de uma administração refletem as ações da gestão ANTERIOR. Esses 2 anos foram para REEQUILIBRAR o clube que estava completamente falido em 2013. Agora sim, SE o Nobre continuar, poderemos ver sua gestão sem a herança que recebeu, entende?

    Pensa bem fratello, perceberás que é ABSURDO julgarmos uma administração após cada rodada. Compreendo perfeitamente a indignação, mas ela nos CEGA! Uma gestão deve ser avaliada por um CONJUNTO de fatores que muitas vezes só vão se refletir 1 ou 2 anos depois. Masdo alto de nossa paixão não conseguimos tal discernimento... capi?

    Só pra ilustrar, lembre-se (isso mal é comentado!) o Nobre foi o primeiro presidente que SEPAROU FINANCEIRAMENTE o Social do Futebol, criando as Unidades de Negócio independentes (são 4: social, futebol, estádio e esportes amadores). Assim, pela primeira vez na história o dinheiro do futebol é SÓ do futebol! Mas foda-se, se o time for mal em campo a culpa é sempre do presidente né... é foda isso sim.

    As vezes o coelho espera o mato crescer pra aparecer. Valeu, abração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Galluzzi, entendo o que você está falando, também penso que o Nobre fará uma gestão melhor com todo o orçamento, mas acho que ele montou um elenco muito fraco para essa temporada.

      Não estamos analisando a gestão do Nobre após cada rodada, estamos analisando ao longo da temporada, onde fomos eliminados no Paulista pelo Ituano, onde abandonamos a Copa do Brasil (nem sequer tentamos jogar contra o Atlético) e estamos passando vergonha de novo na Série A, até a Chapecoense está melhor que nós!

      Sei de tudo que ele fez de bom pro clube, mas isso não vai valer de nada se cairmos pra Série B de novo.
      E pior, em ano de Centenário.

      O Pescarmona é muito falastrão, ele não me convence, entre ele e o Nobre que fique o Nobre, mas com o time na Série A pelo Amor de Deus!!

      Excluir
    2. Podes crer Pedro, chega de série B. Mas veja, se tivéssemos ganhado 2 das últimas 4 rodadas, não estaríamos mas na zona do perigo e a opinião geral seria outra, ou não? O mais difícil pra nós é conseguir separar o joio do trigo e por mais que o cidadão faça, tudo dependerá do desempenho do time na temporada. A pergunta é: será mesmo que outra pessoa no lugar do Nobre teria conseguido melhor resultados do que ele? Olhe nossos anos anteriores pra ver... o que nos resta é esperar por uma temporada minimamente mais equilibrada. Na série A! Valeu.

      Excluir
  5. Galluzzi,
    Concordo com você quando diz que ”NÃO BASTA TROCAR PRESIDENTE”, mas entendo que DEVEMOS COMEÇAR PELA TROCA DELE.
    De qualquer maneira eu penso que e é profundamente lamentável que um clube com a magnitude do Palmeiras esteja diante de um quadro eleitoral onde nenhum dos dois candidatos traga em suas bagagens um histórico de realizações que permitam apontar qual a melhor escolha. Na realidade estamos diante de uma certeza e de um risco.
    O senhor Paulo Nobre representa a certeza absoluta da perda. É pedir para que o Palmeiras se torne um “quadro na parede” em um curto espaço de tempo. Nós todos sabemos que o senhor Paulo Nobre não aceita críticas e não dá sinais de que vá corrigir seus erros.
    Por outro lado, não se sabe como será o mandato do candidato da oposição e por esta razão ele representa o risco.
    Em resposta a um comentário você citou que o candidato da oposição contratou o “Max Pardalzinho”, mas não citou que a gestão atual dentre outras porcarias, contratou: Weldinho, Felipe Menezes e no último dia janela de transferência, com o time capengando o "reforçou" com dois jogadores reservas de seus respectivos times na série B.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala JB, beleza? Vamos lá: uma troca PODERIA ser um bom começo se o substituto oferecesse alguma segurança, o que não é o caso. Na boa Jota, o Pesca só tá lá por causa da Mancha que catapultou ele, todos sabem disso. É até um direito, mas é um marionete.

      Tbm lamento a qualidade dos nossos quadros presidenciáveis, mas olhe pra trás e veja se o cenário era diferente... o último que montou um elenco ao agrado da torcida viu o time naufragar e fou parar na UTI sabe por que? Porque não basta dinheiro JB... é preciso criar AMBIENTE, saber lidar com a filhadaputice que reina nos bastidores do futebol.

      Nesse ponto talvez o Pescarmona leve vantagem, pois as pessoas que estão POR TRÁS DELE que é quem realmente mandaria, tem MAIS MALÍCIA E MALANDRAGEM que a trupe do Nobre.

      Quanto a "se apequenar", não concordo. O Nobre vem tomando medidas e fazendo mudanças que vão ajudar o Palmeiras a médio e longo prazo. Mas NÓS não temos paciência pra isso se não houver um resultado minimamente satisfatório dentro de campo. a curto prazo.

      As mudanças já estão em curso JB. Tanto com o Nobre quanto com o Pescarmona, tenho certeza que vão se intensificar e o time vai melhorar. Mas pra mim o Nobre parece mais SÉRIO e CONSCIENTE e RESPONSÁVEL. Ele não aceita críticas? Mas foi o único presidente que eu vi até hoje a reconhecer erros na sua adminstração. Se vc conhece outro, cite por favor.

      Já o Pescarmona pode até fazer um fuzuê e sair contratando um "grande time". Mas tenho receio pelo ESTADO FUTURO que o Palmeiras pode ficar depois de uma administração com esse viés populista. Faz um time que enche o torcedor de esperança numa ou 2 temporadas e depois o time fica arregaçado financeiramente, com mais 5 ou 6 temporadas como coadjuvante.

      Apenas completando, citei o Pardalzinho e há outros. Mas não deixei de citar que as contratações do Brunoro se mostraram um monte de perebas tbm, leia lá.

      No mais amigo, torço pra que quem anhe, seja Nobre o Pescarmona tenha a consciência do tamanho das mudanças pelas quais temos que passar pra voltar a ter a imagem que sempre tivemos. Mudanças administrativas, de gestão e de comunicação. Enfim, uma REENGENHARIA DE MARCA. É isso, seja lá quem entrar, que o Palmeiras precisa fazer. Valeu.

      Excluir