segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Perdemos a identidade, perdemos o futebol.

O que pode salvar o Palmeiras? Não digo só nesse campeonato, mas do eterno mar de derrotas que nos acomete desde o fim da década de 70, com exceção do período Parmalat?

Pode entrar Pescarmona, pode ficar aulo Nobre, se as mudanças não forem maiores não vai adiantar porcaria nenhuma.

Os jogadores não sabem pelo que jogam, além do dinheiro que lhes é pago. A camisa do Palmeiras entra vazia em campo, sem propósito, sem personalidade, sem alma.

Estamos falando isso há muito tempo. O Palmeiras tem que se reinventar. Pescarmona vai ser nossa salvação? Esperem sentados, de preferência com o controle remoto na mão.

Ainda acho que dentro das propostas o Paulo Nobre é mais sensato e capaz. O que acontece com o time hoje não seria um Pescarmona da vida que teria evitado, sinceramente.

Seja lá como for, a lama bate a nossa porta e não é de hoje. O Palmeiras tem que se reinventar. O Palmeiras tem que deixar a vaidade pra trás e resgatar sua essência. O Palmeiras tem que renascer.

Repito: o Palmeiras perdeu sua identidade e com ela, seu futebol. Salve-se quem puder esse ano, o barco só não afundará numa próxima tempestade se for pro estaleiro ser reconstruído. Assim como seu estádio.

A únicas coisas que podem salvar o Palmeiras são amplos programas de reengenharia administrativa interna e reengenharia da marca, aproveitando a reforma do estatuto e o novo estádio.

À nós resta esperar pelo melhor e preparar-se pra tudo. Só não ficar na ilusão de que um presidente pode salvar a pátria. O Palmeiras não precisa ser salvo. Precisa ser reconstruído, em suas estruturas internas e em sua imagem externa. Pode ser repetitivo, mas é a verdade.

9 comentários:

  1. Galuzzi, fratello, vc considera um cara que esta nos rebaixando mais sensato e capaz? Nao consigo entender. Não acredito que Pescarmona seja o messias, mas pra que continuar com um cara que tem todas as ações balizadas pelo sapo, que contratou 36 jogadores quase todos de qualidade questionável a um custo altíssimo? Nossa folha salarial eh de mais de 6 milhões de reais, mais de 6 milhões mensais pra nos colocar de volta na serie B? Cadê a competência? Cadê o planejamento? A crise financeira que o Verdão atravessa nao justifica de forma alguma a campanha humilhante que estamos fazendo. Tem clube em situação muito pior que hj respira tranquilo a permanência na 1o divisão....
    Repito: Pescarmona não eh o messias, mas não dah pra continuar com um cara que colocou o futebol do Palmeiras num nível mais abaixo do que estava.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas Allan, ele foi o primeiro a fazer isso? O Palmeiras caiu com Tirone e Mustafá, e com o Belluzzo perdeu o campeonato e as finanças.

      Veja fratello, não estou fazendo campanha não. Pode até vir o Pescarmona. ACHO que o Nobre ainda é mais sensato nessa hora, mas que defendo mesmo é uma mudança maior, independente de quem for o presidente. Coo tbm não acho que um presidente que colocou o futebol do Palmeiras neste nível. O problema vai além disso.

      O que não dá pra continuar é o Palmeiras vítima das disputas internas, como acontece há mais de 30 anos. Repito: o Palmeiras precisa de uma repaginação completa. Reengenharia administrativa e de marca. Valeu.

      Excluir
  2. Pro futebol, Paulo Nobre foi um fiasco total. Não merece a reeleição.

    ResponderExcluir
  3. Irmão Galluzzi, te admiro e te acompanho a tempo, desde o GE. Mas na boa, PN não da mais. Foi uma enganação total, meteu os pés pelas mãos em todos os sentidos. Não da pra se reinventar com um cara que subiu num ano e caiu no outro. E saiba que não sou a favor do Pescarmona não. O Palmeiras parece uma ostra entre a pedra e a onda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo PG, mas o que estou dizendo na verdade é que o problema do Palmeiras é muito maior do que um presidente. Só isso. E que nessa hora, só que que fazemos é queimar bruxa, sendo que o problema é o feitiço.

      O problema é a cada 2 anos ficarmos achando que o culpado é "o presidente, o treinador, o jogador". Me responda PG, quantos presidentes tivemos, quantos treinadores e jogadores já não passaram pela mesmíssima lama aqui no Palmeiras.

      O problema do Palmeiras não é a presidência. É muito MAIOR do que isso. É isso que estou dizendo. Valeu!!!

      Excluir
  4. E aí Galluzzi, primeiramente gostaria de parabenizá-lo pelo blog que somente descobri há pouco, portanto será minha primeira participação de muitas que virão, espero eu. Sempre gostei de acompanhá-lo quando postava no GE, pois seus textos são bons, coerentes e expressam as emoções da maioria dos palestrinos.
    Concordo com você com algumas coisas que você coloca sobre o PN. No início da gestão dele eu até que o apoiava bastante em suas ações como presida, também acho que ele é um cara bem intencionado em suas políticas de condução do clube.
    Agora, uma coisa que já não dá mais para engolir é essa política do “bom e barato” que já vem se enraizando nestes quase quatro anos. Isso tem que mudar.
    Os riscos para um jogador vir jogar no Palmeiras hoje são enormes. Vexame após vexame, ao longo dos últimos anos vem atrapalhando no Marketing, graças a Juquinhas e Zezinhos sem expressão alguma do futebol jogando em nosso time. Não adianta, para trazermos jogadores bons, temos que colocar a mão no bolso. Aí você tem um presidente mimadinho que faz miséria de 15 mil reais, trabalha por produtividade e ainda entrega seus melhores jogadores para rivais. Produtividade de c... é r... . Olhe onde chegamos: bixo para não cair!
    Torcedores como eu e você que já se encontram com certa maturidade logicamente não ligam mais para papar todos os títulos que são disputados no ano e nem para torcedores adversários enchendo saco nas derrotas, mas as crianças e os jovens, para escolherem um time, escolhem times campeões ou que, pelo menos, joguem de forma vistosa.
    Outra coisa, você está sendo muito injusto ao falar que o Palmeiras sofre um mar de derrotas desde a década de 70, e que só se salvou a geração Parmalat. Eu trocaria facilmente os dois títulos obtidos nestes últimos 14 anos após a era parmalat por times competitivos como os times dos 20 anos de jejum que tivemos até 93.
    Discordo de você e acho que o Pescarmona é uma alternativa viável, não é o salvador da pátria, mas pelo menos que colocar dinheiro novamente no futebol, pois investir no time é trazer a torcida de volta para o estádio, é valorizar o torcedor que caro na entrada, é valorizar o sócio-torcedor que ajuda a pagar as contas desta bagaça. Qual a motivação que um torcedor tem de ir aos jogos do Palmeiras hoje? Ver Messi Black? Juninho Anvenida? Sleep Meneses? Diogo? Um time que briga pra não cair?
    Devemos sim, nos modernizar, viver o futebol do século XXI, mas, para ontem, precisamos separar o social do futebol, eleições diretas para sócio-torcedores e, principalmente, ter um time que, pelo menos, atraia o torcedor para o estádio, um time para brigar por títulos, mas, para isto, precisamos de um presidente que não seja do bom e barato.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Franco, seja bem vindo fratello!!! Indo à dialética... rs: o Nobre não implementou nada de "bom e barato", isso era da época do Mustafá, a quem todos que se opõe ao Nobre tentam colar de qualquer jeito. O Palmeiras NÃO TINHA DINHEIRO pra investir em nada quando o Nobre assumiu. Não havia opção "será que gasto ou economizo". Achar que essa opção existia é simplesmente um erro.

      Cara, vai por mim. Qd vc diz "olha onde chegamos", olhe a última década do Palmeiras e veja se hoje estamos em algo diferente dos últimos anos... mudaram os presidentes e a lama é a mesma!!! O problema é que nossa paixão nos cega.

      Sobre o "mar de derrotas", reitero: vc lembra dos times dos anos 80? PeloamordeDeus amigo... com uma ou outra exceção (86, 89, times que perderam pra INTER DE LIMEIRA E BRAGANTINO). O que faz vc acreditar que termos algum desses elencos seria melhor do que os 2 campeonatos que ganhamos nos últimos 14 anos (fora série B)? Eu NÃO troco esses títulos por nenhum time daquele NEM FUDENDO! Pra que? Qual seria o propósito? Trocar TAÇAS por DERROTAS? Pra quê?????

      Sobre o Pescarmona, sinceramente não conheço pessoalmente mas dá claras mostras de descompasso. Na boa, será o marionete de torcida. Vc acha que o grande Pescarmona trará grandes contratações? FRANCO: a maior parte desse jogadores que vc citou NÃO FOI O NOBRE QUEM TROUXE!!!!! A gente simplesmente ignora o ÓBVIO pra colocar a bruxa na fogueira.

      Repito o que venho falando e continuarei nessa: O PROBLEMA DO PALMEIRAS NÃO É SÓ UMA PRESIDÊNCIA. Vai muito além disso.

      Nós sofremos da síndrome materna: o problema do filho nunca é ele próprio e sim as companhias... só lembrando: assino em baixo qualquer coisa contra "barato". Mas o Belluzzo entrou com esse discurso e o que fez? Querer gastar eu tbm quero, mas achar que isso é fácil, são outros 500. Se vc acha que um Pescarmona da vida vai formar um time que empolgue o torcedor, cara, gostaria de compartilhar de seu otimismo... vamos ver o que vai dar. Valeu!

      Excluir
  5. Palavras de Paulo Nobre: " Presidente que cai não pode ser eleito". Confira: http://espn.uol.com.br/noticia/462161_para-paulo-nobre-presidente-rebaixado-nao-pode-ser-reeleito..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, falou isso pro Mustafá na eleição de 2002. Bom, naquela época o Belluzzo era uma opção razoável, ainda não havia sido presidente nem ido parar na UTI por conta do time que montou e nem na Liberta's chegou.

      Excluir