segunda-feira, 30 de março de 2015

Despedida de Alex faz valer o fim de semana

Acho que não precisa nem comentar sobre o jogo contra o gasoso Red Bull, mais pra ressaca do que partida de futebol. Foi uma porcaria, pois a falta desses pontos pode nos dar condições mais difíceis nas fases futuras.

Mas tivemos a festa de despedida do Alex que foi o exemplo do que é a torcida Palmeirense e o carinho que ela tem por seus ídolos. Ver 3 gerações no estádio é impagável.

Alguns lances valeram o fim de semana. O passe do Evair pro Edmundo. O domínio de bola desse, trocando de pernas pra tirar do goleiro antes de mandar pro fundo da rede. O gol impedido do Evair e sua comemoração espetacular junto a torcida. Imagino a emoção dos torcedores que ali estavam.

Mesmo com os estádios novos – há muito na organização que não é o clube que executa – se a torcida sentisse maior segurança, a presença nos estádios seria ainda maior, haja vista o comparecimento de mulheres e crianças em profusão, como costuma acontecer nesses eventos.

Seja como for vale o fim de semana assistir um pouco do Marcão, do Ademir, de Evair, Paulo Nunes, Alex e Cia. desfilando uma técnica que vai se tornando rara hoje me dia, em tempo de futebol de força e velocidade.


Pois é isso que somos. Uma família apaixonada. Talvez um pouco saudosista sim, mas que não deixa de olhar o futuro com a confiança de quem trabalha e luta por um futuro melhor. Juntos nessa Palmeiras!

quinta-feira, 26 de março de 2015

O jogo, o gol, o êxtase. Confiança e superação.

Fratellada, ainda rouco e com a cabeça pesada depois da comemoração, mas de coração leve depois da sacolada nos maurícios do Jd. Leonor.

Clássico é clássico e alí só vai cascudo. São aqueles jogos que a gente nem fala em casa que vai, pra não ficar ouvindo groselha. Mais do que festivo o clima gera uma certa apreensão.

Ainda que tenha sido uma partida que não valia nada pro campeonato, vá falar isso pro elenco hoje. Confiança não vem fácil. Vem nessas ocasiões, quando o time percebe que tem mais força do que imaginava.

Não foi apenas uma goleada (3x0 em clássico é goleada). Foi O JOGO que o time precisava pra ganhar confiança. Atípico? Sem dúvida, o atropelo foi inédito. Mesmo na última vez que fizemos isso (3x0 no chapelaço do Alex) o adversário não foi tão explicitamente dominado.

E o gol? O GOL do Robinho, que aos 3min. de partida já colocou o prélio numa esfera exclusiva. Quer DESTRUIR o tricolete? Acerte seu GOLEIRO. Acertou alí, o resto desaba. E foi o que fizemos, magistralmente.



Esse gol do Robinho poderia ter um nome. Gol “aposenta Rogério”. Mas deixa pra lá, cada um com seus problemas. Graças a internet a gente pode ver e rever o lance trocentas vezes, e não cansa. E não será apagado, nunca.

Hoje, o Palmeiras amanheceu enebriado pelo êxtase da noite anterior. Pés no chão, lógico. Mas o coração está mais leve e a cabeça, ainda que zonza, já percebe que melhores dias voltarão.

Palmeiras, confia e supera!  

segunda-feira, 23 de março de 2015

Pra criar um ídolo, 100 talentos são perdidos.

Além dos 3 pontos, o que o jogo contra o São Bernardo deixou claro? Que o ataque ainda precisa se acertar. O jogo entre Dudu, Robinho, Cristaldo e quem mais estiver, ainda não está fluindo bem.

O time parece voluntarioso, aplicado, mas falta algo de ligação, de inteligência, malícia e velocidade. Tudo bem que o adversário veio fechado, mas é o São Bernardo, com todo respeito.

Bom, temos Cleiton Xavier pra estrear. A eterna dúvida Valdívia, não dá pra contar. Temos que dar tempo ao tempo pra deixar o time maturar, errar e se acertar mais em campo.

A defesa parece que se arruma, mas isso só pode ser visto com critério após um clássico ou mais pro segundo semestre. Por enquanto o time está se ajeitando.

Nesta quarta teremos mais uma chance de testar forças com um adversário de maior qualidade, ainda que não venha em sua melhor forma ultimamente. Será um belo prélio.

Mas seja qual for seu resultado, o torcedor precisa aprender a enxergar mais a longo prazo. Temos uma temporada longa pela frente e o principal só vem a médio/ longo prazo.



A precipitação aparece em casos como esse, do torcedor que azucrina o treinador pra colocar alguém. É quase impossível evitar algumas situações como essa, mas a forma como ela acontece pode virar o fio, de um apoio positivo à uma super expectativa que só queima o jogador.

Que o torcedor palmeirense é apaixonado todo mundo sabe. Até motivo de orgulho à torcida. Mas as paixões tem muito de insano e proporcionam situações que – por mais engraçadas que possam ser – fogem ao controle e se voltam contra o protagonista. É o nosso caso.

Não podemos deixar o frenesi midiático entrar em campo. O locutor chama o Gabriel de Jesus de “joia rara, joia preciosa” da base. É interesse deles em criar um ídolo, afinal ganham com isso! Mas pra criar um ídolo, detonam outros 100 talentos!

Não vamos deixar essa precipitação atrapalhar o moleque. Ficar gritando que nem tia velha na janela no começo de temporada, num jogo na mão, contra o poderoso São Bernardo, é dar muita brecha de torcedor mimado. Ou desesperado.

Paixão sempre, mas sem controle vira mico geral. Se quisermos inteligência em campo, temos que agir da mesma forma na arquibancada. Deixa o moleque jogar tranquilo, pra não queimarmos mais um talento. Se é pra gritar, grita PALMEIRAS!!!!

quarta-feira, 18 de março de 2015

Chega de Globorinthians!

Fratellada, o mínimo que podemos fazer é ir à porta dessa corporação, digo, emissora de TV, pra manifestar a insatisfação de uma gigantesca coletividade que tem seu entretenimento SEQUESTRADO pela dita cuja, que restringeas transmissões a pacotes de TV fechados, sem considerar a tremenda audiência que a torcida tem em TV ABERTA.

QUEREMOS JOGOS DO PALMEIRAS TRANSMITIDOS EM TV ABERTA!!!!

Não precisa ser RGT... pode ser a Band também, sem problemas, a gente tira o som de qualquer jeito mesmo...

EXIGIMOS MAIS JOGOS DO PALMEIRAS EM TV ABERTA!!!!!

Em nome da IMENSA REPRESENTATIVIDADE DESSA TORCIDA, em respeito as grandes índices de audiência frequentemente registrados em jogos do Palmeiras, somos obrigados a dizer:

RGT é PARCIAL, só responde a seus interesses comerciais e acordos internos de ALINHAMENTO COM PÚBLICO DE MASSA, tal como já fez décadas passadas com o semelhante carioca, Flamengo.

Cmo já foi colocado explicitamente pelo Jorge Khalil (presidente do Atlético-MG) os ACORDOS RGT-SCCP tem propósitos específicos pra cada um. Um ganha o estádio e transmissões constantes de seus jogos. Outro ganha o selo de “amiga do povo”.

Se a RGT tem o direito de escolher o que vai transmitir, NÓS TEMOS O DIREITO DE PROTESTAR CONTRA ISSO!  CHEGA DE GLOBORINTHIANS!!!!



RGT, INTENCIONALMENTE IMPARCIAL. QUEREMOS MAIS JOGOS DO PALMEIRAS EM TV ABERTA!

Quanto barulho teremos que fazer pra sermos ouvidos. Essa emissora é SURDA ou só FDP mesmo?


Golpe de Mestre – Estratégia de defesa
A diretoria abrindo os valores e inclusive a negociação do Valdívia com o Cruzeiro. Toma essa empresário. Sempre fomos vítimas desse “jogar no ventilador” que espalha a merda e inviabiliza o negócio. AGORA É NOSSA VEZ! Vai negociar? Então, abre pra que todo mundo saiba o que você está fazendo filhão, vamos ver ser ainda assim funciona... e outra, 150mil por mês mais 50 mil por jogo - para um jogador que vive no DM - tá excelente.  

segunda-feira, 16 de março de 2015

Vaia precoce é tiro no pé.

Sempre tive e terei uma identificação muito grande com nossa torcida. Por isso dá nos nervos vê-la reproduzindo um comportamento PRECOCE e INFANTIL de vaiar seus próprios jogadores.

É muita infantilidade e desconhecimento básico de como funciona a psicologia de grupo, fazer algo puramente emocional e totalmente contraproducente como partir a vaiar jogador num momento em que seu futebol não está brilhando. Ainda mais quando seu talento e aplicação são notórios.

Achar que alguém vai jogar melhor depois de vaia é de uma ignorância atroz. Basta procurar na memória pra ver se há um único e sequer exemplo disso. Não há. A vaia traz insegurança e desmotivação, pois o jogador não se sente reconhecido.

Longe de mim ficar passando a mão na cabeça, mas por uma simples questão de EFICIÊNCIA, vaiar jogador do próprio time – com raras exceções, tipo Wesley – é um verdadeiro TIRO NO PRÓPRIO PÉ pois não só o jogador se desmotiva quanto o próprio elenco abraça a causa de quem foi hostilizado e AO CONTRÁRIO DE UM BURRO QUE APERTA O PASSO DEPOIS DA CHIBATA, o jogador sente a torcida injusta e distante, o que faz o empenho pela camisa ir ralo abaixo.

Por essas e outras as palavras do DUDU sobre as vaias ao Allione foram perfeitas. Acostumado ao passionalismo gaúcho, estranha essa cobrança injusta, precoce e infantil. Quer ver seu time vencer? Apoie! O treinador que tire o jogador depois, mas a torcida precisa passar CONFIANÇA ao time, não pressão desmedida e precoce.

Confiança você dá observando (mas não criticando em demasia) o erro e apoiando enfaticamente os acertos. É isso que faz o jogador melhorar. Para a parte dos jogadores, que entendam também que o torcedor está pagando bem caro pra assistir o time e uma cobrança um pouco maior é natural (ainda que não ajude porra nenhuma) por conta disso.

Considerações feitas, se quisermos ser diferenciados, que seja na base da INTELIGÊNCIA e não só no teor de cobrança que vem da arquibancada, que sempre foi apontado como um dos maiores do país (além de ser uma dos fatores que mais afastam e inflacionam jogadores pra aceitar jogar aqui).

Se quisermos que o time jogue com inteligência, o mínimo que devemos fazer é agir de acordo. Palmeirense não se esqueça: VOCÊ É PARTE DO TIME. E "vamo que vamo" Palmeiras.


quinta-feira, 12 de março de 2015

Bora ganhar filé, meu Palmeiras!

Putaquelospariles, assim é complicado. Não engrenamos ainda em clássicos, daqui a pouco estamos que nem SBP – Terrível contra os insetos.

Haja paciência pra esperar o time ganhar consistência de jogo. O lance é que ainda não há aquele homem de referência, o meio campo que pegue a bola e dê cadência, calma, tranquilidade e proteção à jogada.

O Zé Roberto tem que ser esse homem pelo meio. Nem vou falar do Valdívia porque o imbróglio ali é cavernoso e nem sabemos se poderemos contar com ele ou não, já que agora no fim do tratamento é convocado pela porcaria da seleção chilena onde vai pra voltar estourado e colocar a culpa na infiltração. VTN OLHO DO C. O coitado do Furlan que investiu 30 e tals porcento no cidadão já deu a grana como perdida. Grande Valdívia. Tratado, vai lá, se estoura e volta vá.

E o Oswaldo tem que acertar essa defesa, essas laterais abertas demais, sem cobertura! A zaga não é ruim, mas num lance de maior categoria (que não é raro) se espatifam que nem jaca madura.

Sem esquecer que há muita coisa boa e melhorando. O ataque tem um belo desempenho, o Gabriel entra comendo grama, dá gosto de ver.

Mas time tem que jogar mais COESO, mais PRÓXIMO, correndo JUNTO, com coragem, inteligência, rapidez e VONTADE, muita VONTADE. Porra, essa torcida vem assistindo piaba há anos e anos e dando provas inequívocas de sua fidelidade.

Não é possível que o time não sinta, não capte esse desejo latente da torcida, de transformar esse novo momento do Palmeiras em conquistas definitivas. SEJAM esse novo Palmeiras em campo! SEJAM a vontade da torcida e CORRAM com o coração que vem da arquibancada, que vou te dizer, não é pequeno.

BORA GANHAR FILÉ, MEU PALMEIRAS!  

terça-feira, 10 de março de 2015

Grandeza em números

Alcançar a marca de 100.000 sócios-torcedores pode até ter tido o impulso de um estádio novo em que a compra de ingressos via internet é uma tendência irreversível. Mas seria uma leitura rasa não perceber que há algo diferente nessa torcida.

Numa mistura de saudosismo pelo Palmeiras de ontem e a esperança de um novo tempo que o traga de volta, o Palmeirense se sente quase na obrigação de ajudar o time. E faz bem, pois será visto como referência.

Na lacuna espiritual (a despeito da profusão de templos nesse país) por qual passamos, uma “entidade” que agrega valores é a barca do pertencimento. Os torcedores querem fazer parte dessa coletividade, dessa família, buscando um grupo com valores semelhantes aos seus, onde se sinta em casa entre os seus “irmãos”.

Não posso falar por outras torcidas, mas sei que esse sentimento é comum entre os palmeirenses, originário de uma formação com forte identidade cultural – a qual sempre buscamos preservar e valorizar.

Então não é só um estádio ou a compra de ingresso com desconto. É a força que impulsiona a paixão por esses valores, por essa identidade a qual buscamos, mensalmente, seja com 10, 20, 100 ou quanto for, afirmar. Isso meus amigos, é Palmeiras.

E a quem, algum dia, duvidou da lealdade dessa torcida ou da grandeza desse clube que já nasceu gigante... chupa.

segunda-feira, 9 de março de 2015

Titularidade ou reserva são condições temporárias

Palmeirense não é fácil, critica pacas mas também elege seus xodós. É difícil algum jogador de base conquistar esse posto, mas quando aparece uma prata de encher os olhos, a galera abraça de corpo e alma.

O atacante Gabriel veio da base após ótimas atuações e com apoio da torcida. Joga bem mesmo, mas precisa ter uma baita assessoria pra que a empolgação não ofusque seu futebol, como acontece com tantos por aí.

É lógico que o time recheado de jogadores que pouco atuaram juntos iria demonstrar essa fragilidade. Mas o Oswaldo quer deixar o time tocar a bola sem pressa e não é fácil assistir aquele moro-moro pro lado e pra trás. De toda forma vencendo, tá valendo.Vâmo com calma com o Jesus pra não desandar o moleque, que sem dúvida é bom.



Maikon Leite já teve todas as oportunidades que poderia ter.

Arouca finalmente estreou... antes estava muito nervoso.

Rafael Marques ainda peca em fundamentos (domínio, condução) mas pode evoluir muito, tem boa disciplina tática e altura pra cabeceios. Vale pelo gol, teve a frieza necessária na esperta jogada do Leandro.

Victor Luis pode até errar, mas entra sempre com vontade. Vitor Hugo também foi bem. As laterais ainda precisam de ajuste, mas gosto do João Pedro, só precisa melhorar a marcação.

A imprensa martela a cantilena da titularidade. Isso atrapalha dentro do elenco. Então que o Oswaldo deixe claro que nesse grupo, reserva ou titularidade são condições TEMPORÁRIAS nas quais os jogadores podem se alternar. Um hora está na reserva, noutra pode estar como titular. Se é mais discurso do que prática não importa. Esse é o discurso.

(Des)Organização na entrada do estádio
O Palmeiras precisa MARCAR UMA REUNIÃO COM A PM pra REORGANIZAR o processo de entrada no estádio pela Matarazzo, que é uma zona total, com imensa furação de fila e gargalo na hora de entrada, com pequeno contingente pra revistas etc.

Mesmo torcedores que chegaram bem antes só foram entrar no estádio com a bola rolando. É lógico que tanto clube quanto PM colocarão a culpa NO TORCEDOR como sempre fazem, o que é ridículo, pois o comportamento da multidão é sistemático e previsível! O torcedor paga muito caro pra continuar a ser tratado como gado pre-abate.

Finalizando mais um parabéns a torcida, que comparece em peso e emoção. Isso é Palmeiras!

sexta-feira, 6 de março de 2015

Palmeirense corre pelo certo

Todo mundo faz o corre nessa vida. Uns mais outros menos, mas a vida é sempre um “corre”, como se fala aqui na Z/S de Sampa.

Mas nesse âmbito há um universo de escolhas e todos fazem seu caminho a cada instante. E há formas e formas de correr. Você pode correr dizendo foda-se pros outros, ou pode correr levando em conta que o que faz aos outros, faz a si próprio.

Lembrei disso por ocasião das novas regras que estão sendo discutidas em Brasília (eca) para os times de futebol – no que tange a sua administração financeira, impostos etc.

Aí ontem apareceu uma notícia de umas partidas em 1974, onde o Leão teve suas defesas de pênalti anuladas pelo Dulcídio (árbitro da época) pois haveria se adiantado. Foram várias e aquilo ficou na mente de vários, como o meu pai, que se lembrava delas anos depois ao comentar que às vezes o Palmeiras procurava ser muito correto e ser assim no Brasil é dançar uma outra música, que por vezes te deixa lá atrás na fila.

Só fui entender o significado daquelas palavras anos depois no choque de realidade da adolescência que se depara com a filhadaputice reinante no mundo. Só que aí eu já era palmeirense. Palmeirense demais pra abrir mão do caminho que havia escolhido do bem, do certo, do que é direito.

Sem ser caxias nem coxinha, dentro das bagunças e trapalhadas eu via o Palmeiras daquele começo da década de 80 como Jedis (assisti Gurerra nas Estrelas no cinema em 79) que eram muito melhores que os outros mas estavam levando um cacete da Federação, do Império do Mal.

E o Império do Mal era uma parte do mundo exterior, a bem da verdade pra mim com 8 anos era qualquer time que viesse nos enfrentar. Pois o Palmeiras era o time do bem, dos Cavaleiros Iluminados que trupicavam por conta das injustiças e da filhadaputice do mundo. Mais ou menos assim.

Pois bem, a gente cresce e as ilusões desaparecem. Assisti o filme “O Exército de Brancaleone”, uma paródia de um cavaleiro “italiano” da idade média (recomendo) e achei o “palmeirense” muito mais próximo daquilo, por sua humanidade, falhas naturais mas no fundo um grande e puro coração.

Só que mais tarde, já adulto ao conhecer melhor a torcida e o clube, pude ver a linha que conduzia aquela relação de infância. Uma linha de conduta, de comportamento que de forma sutil permeava o jeito de agir do palmeirense.

Hoje, quando os clubes são cobrados por maior transparência e “austeridade” em suas finanças, o Palmeiras está na frente com contas mais que abertas. Todos os times tem dívidas mas o Palmeiras já vem as equalizando a um bom tempo, o que não é barato não.

Correr num campeonato com regras diferentes pra alguns não é fácil. E isso sempre houve aqui. Para privilegiados com bons contatos (amigos do Rei) ou pra quem for malandro e jogar a ética pro canto. Custa e muito ser honesto.


Se o Palmeiras – ainda que num contexto semelhante – se destaca dos rivais por uma situação financeira equilibrada é por consequência dessa postura, de quem corre pelo certo (pois sempre esteve sujeito as penas) e até por isso, tem a paixão e a condição financeira de recolocar o time em seu lugar de origem, de protagonista das competições que participa. Do presidente ao torcedor de balcão. Essa é a nossa torcida, que corre pelo certo, que vive com paixão.  

quinta-feira, 5 de março de 2015

Os Desalmados

Ontem foi publicado na imprensa uma pataquada qualquer falando que o Palmeiras não tinha mais alma, pela ausência de “craques” no time.

Sinceramente? Buscando apenas polemizar ao invés de informar, acho que nem mesmo o próprio autor das palavras deve acreditar nelas. Primeiro porque associar a presença de “craques” ao fato do time ter ou não ter alma é a colocação mais esdrúxula que ouvimos há muito tempo.

E depois por ignorar sistematicamente o momento vivido pelo time, onde RENASCE motivado por um estádio novo e pela presença avassaladora do torcedor no programa sócio-Avanti. Que time sem alma conseguiria isso?

Pois os DESALMADOS foram lá pra Bahia, foram recebidos com carreata e muita festa. Aliás, não é de hoje que o Palmeiras deveria DAR MAIS ATENÇÃO AO SEU TORCEDOR NO NORDESTE, uma das regiões que mais simpatizam com o verde e branco palmeirense. É um grande reduto a ser explorado e atendido. Talvez uma pré-temporada lá.



Junto àquela arquibancada convidativamente festiva, o Palmeiras não poderia encontrar mais alma, mais alegria e entusiasmo. O time vem ganhando padrão de jogo com base em seu forte meio campo. Jogando com várias substituições, ainda oscilamos na zaga e ainda mais nas laterais que no esquema do Oswaldo ganham uma forte função defensiva.

No ataque o Cristaldo vem fazendo das tripas coração, corre infustigável, abrindo espaços que podem ser melhor explorados por Dudu, Allione e Robinho, como bem vimos ontem. Aliás, Robinho é seleção. Ou melhor, não! Não venham estragar essa joia com aquela lama cebefê.

Finalizando, o Arouca ainda vai estrear, tem tudo pre fazer uma bela dupla na entrada de área/ saída de bola. Um pouco de Oswaldozil pra ele acalmar e o jogo fluir. E vamos arrumando a cozinha pros clássicos... com alma, espírito e coração. VAMOPALMEIRAS!

segunda-feira, 2 de março de 2015

Oswaldo San e Palmeiras Zen

Num primeiro tempo totalmente amarrado, caído na marcação de um voluntarioso Capivariano, o maior mérito do Palmeiras foi a paciência pra insistir sem se desesperar. E a mexida do Oswaldo, deslocando o Zé Roberto pro meio. Aí o time ganhou ligação e as finalizações começaram a surgir. E o Robinho chutou. E como chuta esse moleque! E os gols apareceram.

Cada treinador tem um jeito de formar sua equipe. O Luxemburgo faz uma com malandragem. O Felipão monta sua família e pilha os jogadores. A do Oswaldo parece ser a de passar tranquilidade ao time. Deve ser da época que treinou no Japão, voltou Zen.

Oswaldo San, o de paciência oriental. Não tem mais pressa pra escalar o Valdívia. O Allione não jogou bem? Desloca o Zé pro meio com o Vitor Luís na esquerda. Ou entra com o Dudu, Robinho, Marques e Cristaldo. Ou manda mais um atacante, tipo Jesus. VAI JESUS!!! Opção é bom e a gente gosta.



Quem vem garantindo a posição? Gabriel, Zé Roberto, Robinho e Cristaldo. A defesa também vem bem, mas esses 4 vem mantendo uma constância exemplar. O Cristaldo, mesmo sem fazer gol corre e se apresenta sempre, voluntarioso, chama a marcação. O Dudu nem sempre brilha, mas comparece na assistência. O Zé Roberto dá cadência e o Gabriel tem ótimo gás.

O Arouca estreou de forma razoável, aquele frio na barriga. Oswaldo San nele. Lucas melhorando (ainda que uma avaliação contra o Capivariano seja relativa).

Ás vezes falta uma presença na área adversária mais incisiva. Por vezes a defesa também entrega uns presentes. E a movimentação no meio campo também pode ser mais envolvente. Muitos ainda aguardam bola parados numa posição, o que facilita a marcação. Erros comuns dentro do prélio.

Uma saborosa Copa do Brasil no meio da semana pra gente se divertir com os nomes pode ser útil pra entrosar isso, mas é bom não brincar lá na Bahia, senão o bicho pega.

O parabéns final vai ao nosso torcedor, o PALMEIRENSE QUE LOTA O ESTÁDIO. Mesmo com uma chuva absurda horas da partida, recorde de público e força no caixa pra garantir o corre. BELA TORCIDA. VAMOPALMEIRAS!!!