terça-feira, 14 de abril de 2015

Divisão Globo-Itaquera de Entretenimento

Em 2013, num dos programas de entrevistas da ESPN o ex-presidente do Atlético-MG deu uma declaração emblemática. Disse que o presidente do SCCP Andres “Cara de Areia Mijada” Sanchez, havia lhe confidenciado que havia implodido o Clube dos 13 sob orientação da rede Globo, que passaria a negociar diretamente com o clubes aumentando significativamente a bolada de cada um além de - segundo suas próprias palavras – lhe dar o estádio de presente.

O estádio não foi “dado”, mas foi garantido pela prima da mídia. Mas o negócio é só um dos aspectos dessa ligação Globo-SCCP, que vai muito além da audiência. Trata-se da imagem, da associação do canal a um elemento popular, que lhe dá credibilidade junto ao seu principal público. É uma estratégia de comunicação totalmente legítima. E já foi feita na década de 70/80, com o Flamengo.

A Globo gruda no Corinthians pra ter a cara “do povo”. E o Corinthians, com a mais justa razão, explora sabiamente o conceito, deitando, rolando e aproveitando o momento. Até aí, tudo bem. O problema é que isso acontece de forma velada, subjacente. E no contexto esportivo prejudica as demais equipes, obrigadas a competir sob situação desigual.

É óbvio que a audiência é determinante pro canal e a programação é dele. Mas quando o esporte vira só um produto a competição justa é distorcida em favor do interesse do mais forte. E vira um instrumento em si, de associação de imagem a um conceito e público-alvo.

Não há nada que uma grande coorporação precise mais do que o apoio popular e é isso que a Globo, dando a maior (e melhor) cobertura possível ao “time do povo”, busca. Não é só uma questão de audiência...

O Palmeiras tem que acordar pra isso. Sem deixar de receber o que deve, ter um caminho paralelo, configurar uma alternativa a essa associação, que já vem acontecendo há anos. E como fazer isso?

  1. Exposição. O torcedor não pode ser refém de um pacote caríssimo de exibição. Ainda que o palmeirense tenha uma condição financeira boa, o futebol é uma diversão popular e o Palmeiras deve fazer o escarcéu que for pra ser transmitido mais vezes em TV aberta. Time competitivo já está montado, buscar bons resultados é o próximo passo. Aí a gente vai pra cima.
  1. Conceito. Inebriado com seu sócio Avanti e a sua fantástica bilheteria o Palmeiras está dando uma tremenda brecha ao não capitalizar o momento. Em 5 anos o SCCP abraçou o conceito de time “do povo”, puxando para si toda a força que ele agrega. O Palmeiras possui forte identidade, que só falta ser melhor trabalhada e apresentada. Os 2 conceitos mais próximos ao clube são o de “família” e “classe média trabalhadora”, ambos carregados de histórias e heranças culturais comuns à coletividade palmeirense. Paixão, cultura, estilo, disciplina, pioneirismo e irreverência são outras características comuns. Mas o que se destaca mesmo é o amor à família e aos valores que compõe sua identidade, quase num saudosimo romântico por algo que vem do passado e lhe causa orgulho. “Grande Família” por exemplo, é um conceito que desperta simpatia, acolhimento, fácil compreensão e poderia ser explorado.

Finalizando: em termos de estratégia de marketing o Palmeiras está levando um cacete. Assistindo seu concorrente aproveitando o momento como deveríamos fazer. Não temos um garoto propaganda tipo Lula, nem a Globo como madrinha. Mas temos algo maior que isso, os valores que unem uma nação com milhões e milhões de apaixonados. À LUTA PALMEIRAS!!!

5 comentários:

  1. Galluzi, bom dia. Texto muito bom. Parabéns. Nunca comento nada na internet, mas esse merece meus cumprimentos. Torço pra que textos como esse cheguem aos olhos de membros da diretoria palmeirense. Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esteja a vontade fratello, a casa é nossa, valeu!

      Excluir
  2. Caro Galuzzi,
    Essa é uma briga desigual, pois a "ideia" já está vendida e assimilada. O que vejo é procurar alternativas de exposição da marca Palmeiras, não apenas via Globo, mas como também por outros canais. Já podemos notar algas ações nesse sentido, como a TV palmeiras, o plano avanti, o próprio Allianz. Mas para competir é preciso ter acima de tudo um belo time de futebol e conquistar definitivamente o palmeirense, ávido por consumir e enaltecer esse produto com orgulho. Abraços.

    ResponderExcluir