quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Poder de reação

9 dias de concentração, retiro em Atibaia e muita conversa. Ainda que o resultado inicial não tenha trazido 3 pontos, trouxe uma 2 certezas: 1) o time voltou com brio e poder de reação; 2) Jesus dá a luz! Não tira mais o moleque do time!

O primeiro tempo foi aquela dispersão que ainda persiste. Sem um jogo coeso passamos boa parte dos 45min. iniciais correndo atrás, num mix de meio-campo inoperante e ataque desassistido. O segundo tempo foi um outro jogo.

A entrada do Gabriel no lugar do Rafael e a vontade do Dudu fizeram a diferença. Robinho também teve participação importante. O time ganhou posse de bola e dominou as ações. Mais importante, soube controlar a pressão do placar adverso e buscar reação. Era isso que precisava, voltar com confiança!


Faltando 5 partidas pra acabar o ano não precisamos ficar muito nessa de “poupar” jogadores na próxima partida. O jogo contra o Cruzeiro pode ser encarado mais como um jogo sem pressão, com foco exclusivo no padrão de jogo, na movimentação e posicionamento. Já estou com ingresso pra esse “treino de luxo”, esperando nada mais que um time que sabe onde quer chegar. Nos vemos em NOSSA CASA! PALMEIRAS!!!!

10 comentários:

  1. Galluzzi, bom dia.

    Não gostei muito do que vi não, fora os dois pontos que você mesmo comentou sobre "1) o time voltou com brio e poder de reação;" e o Gabriel que "2) Jesus dá a luz! Não tira mais o moleque do time!". De resto não gostei da falta de profissionalismo de alguns jogadores que receberam cartão vermelho de graça, mesmo com dois irregulares do Palmeiras (me corrija se estiver errado). O único erro grave que talvez tenha havido na arbitragem é a falta de critério no cobrar a falta de um para o outro time.
    Honestamente não gostei do resultado... acho que o certo seria o atlético ter ganhado.

    Vamos ao que nos resta: "Copa do Brasil lá vamos nós!!!"

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamo q vamo né Claudião? Mas como assim "não gostei do resultado, o certo seria o Atlético ter ganhado"? Num pode fratello!!! Podes até não ter gostado do resultado, mas o certo é sempre a gente vencer!! rss... valeu!

      Excluir
  2. Galluzzi,
    Que poder de reação você conseguiu ver neste time? Tomar dois gols em 1 minuto? Lamentável!Infelizmente o Palmeiras tornou-se o time do ano que vem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aí vc vê o que vc quer... 2 gols em menos de 1 minuto, ou um gol nosso no último lance. João Batista... tens um nome redentor. Não se deixe levar pelo lugar comum fratello, nossa torcida pensa além desse convencional! Se vc diz que o Palmeiras "tornou-se", pressupõe que isso tenha acontecido "após algum acontecimento", certo? Qual seria ele, amigo? Abs.

      Excluir
  3. Galluzzi,
    Realmente cada um vê o que quer. Cada um tem o direito de enganar-se a si próprio. O Palmeiras de hoje não é mais respeitado. Os caras não estão nem aí para os torcedores. Não creio que deixar de se levar pelo lugar comum e pensar além do convencional seja levar o Sérgio Mallandro para dar palestra motivacional para o grupo. Eu sinceramente espero mais de você quanto a nos representar neste espaço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espere e cobre sempre mais João, não só de mim como do Palmeiras mesmo. Mas isso significa que VOCÊ também pode ser cobrado certo? Então responda a pergunta que te fiz, amigo. Abração.

      Excluir
  4. Galluzzi,
    Não sei por que perguntas se já sabes a resposta. Foi no ano de 2001, logo após o fim da parceria com a Parmalat. De lá pra cá montamos times ridículos, inclusive para disputa da Libertadores, e nós, torcedores palmeirense, temos sempre a esperança de que no ano que vem as coisas melhorem. Alguns até que tentaram mudar este panorama, mas a turma do "bom e barato" e "não vou fazer loucuras" sempre triunfaram e nos enfiam goela abaixo este elenco e comissão com baixa qualidade técnica. Vou torcer, e muito, para que sejamos campeões da CB, mas este time e comissão técnica não me inspira nem um pouco de confiança. Mas seja como for ou venha o que vier, no ano que vem estamos firmes com nossa fé de que algo possa mudar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso João, a resposta traz a luz. Se desde o fim da "parceria parmalat" temos dificuldade e tivemos 5 ou 6 presidentes diferentes nesse período, como é que podemos continuar insistindo na mesma tecla? O que quero dizer é que nossa dificuldade está além de um presidente.

      Lembre-se: em 2013 o Palmeiras estava falido e sem dinheiro pra montar time algum. Na temporada de 2015 trouxemos técnico campeão e diretor de futebol que todos os clubes queriam, além de várias contratações. E o que a gente faz? Continua metendo pau no presidente, técnico, diretor etc. Mas admitir que existe sim um excesso de pressão que vai da torcida à diretoria e dificulta o sucesso de qualquer elenco e comissão técnica, isso a gente nunca admite...

      No verdade fratello,defendes o direito a corneta. Ok. E eu defendo que essa cornetice mais prejudica do que ajuda. É lógico que lamento qualquer derrota. Mas nem a maior delas mudará um milímetro que seja da minha paixão pelo Palmeiras - que mais do que por conquistas, vem de seus valores. Valeu, abs!!

      Excluir
  5. Galluzzi,
    Para aqueles que aprovam uma comissão técnica que não consegue dar um mínimo de padrão de jogo ao time. Que consegue ganhar apenas um ponto nos últimos doze disputados em casa (e jogando contra adversários ridículos). Que consegue ser goleado pela poderosíssima Chapecoense vai o segundo verso do samba composto, em 1963, por Manuel Brigadeiro e João Correia da Silva:
    "Camelô na conversa ele vende algodão por veludo,
    Não tem bronca porque nesse mundo tem bobo para tudo."
    Fui!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso aí João, estou certo que do alto de sua sabedoria na próxima vc trará aquela sua crítica construtiva que estamos tão acostumados. Tipo, a próxima Comissão Técnica (a ser crucificada). Valeu, abs!

      Excluir