sábado, 16 de janeiro de 2016

A miséria da imprensa

Recentemente o ex-presidente FHC lançou um livro entitulado “A miséria da política”. Pois bem, hoje podemos fazer um paralelo com a mídia e lançar um “A miséria da imprensa”, ou a forma como o interesse comum é substituído por interesse próprio.

O Palmeiras dá exemplo de como agir, contratando com toda ética e lisura possíveis, esperando o desenrolar de situações contratuais pacientemente, comunicando-se sempre com o clube em questão de forma a não haver qualquer indício de “aliciamento” - quando o comprador atravessa o clube chegando direto no jogador.

Incapaz de fazer essa leitura, já há “jornalistas” criticando o Palmeiras ao taxá-lo como uma espécie de “predador” ao conseguir contratar em meio a um mercado estagnado.

É por causa dessa tosqueira avaliativa, essa “mediocridade opinativa” - como chamou nosso gerente Cícero de Souza – que por vezes acho que esse país não tem mesmo jeito. Nem mesmo quem é pago só pra avaliar a situação consegue fazê-lo de forma minimamente equilibrada.

Tenha santa paciência... o Palmeiras comeu o pão que o diabo amassou em 2014 pra voltar com força em 2015. Fez a lição de casa que vários outros gostariam de ter feito. Agiu prudentemente e hoje colhe seus doces frutos – um campeonato conquistado e poder de compra refeito. E o que a impren$inha diz? Que o Mattos é um aliciador... é ou não é pra mandar se foder?

Só mesmo nessa lama tupiniquim o que é certo vira errado. E o errado é aplaudido. O que esperar de um país desse?

É pra desistir de assistir... se a própria “imprensa” do Brasil é tão burra e vendida, que esperança teremos? Nenhuma... seremos eternamente essa SilvioSantoslândia vivendo apenas pra ser macacos de auditório de um sistema que só funciona para seus mandantes. Ah-aeeeeeee...

6 comentários:

  1. Faço um paralelo político dessa situação, onde até incrivelmente sua citação à FHC e a situação da impren$a brasileira, que idolatra o ex-presidente e relega ao Luís Ignácio Lula da Silva toda a responsabilidade sobre corrupção e nega a informação a respeito do FHC à todos, é sim, muito nojenta a promíscua a relação da impren$a e seus patrões, suas preferências, e de quem por eles será beneficiados e terão o silencio da imprensa tradicional como "acerto", assim, quem paga a banda escolhe a música.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Danilo, corrupção é uma tendência brasileira desde Pero Vaz de Caminha e não é nem a junção de FHC e Lula que nos salva. A ignorância tupiniquim é estratosférica e só quando tivermos bem essa noção conseguiremos avançar. Tão nojenta quanto a promiscuidade da impren$a com o poder é seu rastejamento pelo popular o que nos condena eternamente ao vira-latismo. E dá-lhe novela e BigBoster... abs.

      Excluir
  2. É Galluzzi, como sempre a imprensa não se conforma em time que não seja os ditos de "massa", estejam em melhor situação, enquanto o time da ZL sem numero tá perdendo todo mundo pra chinesada, a gente consegue comprar, se fosse ao contrario estariam exultando a grande administração gambá e falando que nós estaríamos colhendo os anos de má administração, agora como eles não tiveram competência para manter os principais jogadores e não conseguem pagar a prestação do financiamento, somos aliciadores, não se pode esperar por mais nada que não seja diferente disso, fora que a RGT conseguiu por contrato fazer com que os jogos da Libertas sejam exibidos somente apos as novela, acho que essa nem o cidadão Kane conseguiria, e como você disse la vem BigBoster. Abcs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Denílson, sendo sincero até acho essa debandada pra "mercados compradore" como uma consequência natural depois de boas temporadas. Até aí tudo bem. O problema começa na prestação do estádio e quem fica com a bilheteria, tudo garantido pela Globo, assinado pelo Lula e com pedalada fiscal via BNDES. Vai Brasil... abs!

      Excluir
  3. Perfeito seu comentário, Galluzzi, e bem oportuno. Ontem mesmo me revoltei assistindo a um programa na ESPN, onde um comentarista (flamenguista, mas se diz torcedor do Racing...), com toda a inveja mascarada em jornalismo, disse que gostaria de ver o balanço financeiro do Palmeiras depois de tanto $$ gasto em contratações no ano passado. Disse que o Alexandre Mattos é um dirigente que contrata compulsivamente. Da forma como disse o tal "jornalista", parece que a coisa é feita sem critério algum.
    Mas tudo isto se entende quando você vê o mesmo jornalista elogiar a diretoria do Flamengo, mesmo vendo que não possuem estádio, não possuem poder de compra nas janelas de transferências e ainda contam com apoio da rgt nas doações de cotas televisivas.
    A imprensa reluta em enxergar que fizemos o dever de casa nos anos de 2013/2014, e agora colhemos o fruto e, diferente de todos os outros, fomos ao mercado em dezembro, trocamos peças do BANCO que não deram certo e repusemos com peças melhores, outras apostas, e que, à exceção do Jean que chegou agora, todo o elenco já estava à disposição em janeiro para a pré-temporada, enquanto outros ainda sofrem desmanche.
    Que vá às favas esta imprensa marrom, nunca precisamos dela e nem vamos precisar. Fique com seus queridinhos, morram abraçados...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Marcos, que futuro tem um país que aplaude a picaretice e condena o mérito? Valeu...

      Excluir