sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Libertadores no Allianz Parque. Sem censura!

Já não bastava a Globo Midiatics Corporation se prestar ao RIDÍCULO de não mencionar nome de estádio e até nome do time, agora vem a Conmebol copiar a CENSURA canalha.

Futebol torna-se um produto asqueroso, que distorce a realidade por interesse comercial. Essa gôndola de supermercado onde os jogadores e empresários “nadam de braçada” e os clubes vivem numa eterna penúria financeira! Dirigente incompetente não falta. Mas faltam condições minimamente propícias pro êxito financeiro dos clubes.

O Palmeiras consegue se manter na base do presidente,  de sua torcida e de um investimento altíssimo em infraestrutura de seu estádio. Mas é uma equação complicadíssima, eterna corda bamba. E só pra dificultar ainda mais vem essa PORCARIA de Conmebola e quer cobrir bandeira, símbolo, placa... tudo o que não for dos patrocinadores DELES não pode, nem deve ser visto. É demais, beira o nazismo cultural, em seu aspecto mais grotesco.

Advogados neles!!! Dos bons! Impeçam essa canalhice comercial, que ainda vem escrita em boas e jurídicas letras. Distorcem a realidade pra caber em suas catacumbas comerciais. É demais....

Bem, quanto a isso já existe um pronunciamento do nosso lado. Todos sabem que sou feroz crítico da forma como a WTorre trata sua relação com o Palmeiras. Mas como é parte envolvida diretamente no naming rights, deve brigar – e está certa – pra que os interesses de seu patrocinador também seja respeitado.

Por isso emitiram essa nota, uma das defesas mais lúcidas que alguém já fez dos clubes de futebol. Parabéns pela manifestação. E CHUPA a todos os que não respeitam a forma de um clube buscar sua independência.

8 comentários:

  1. Galluzzi, vou dizer apenas o que penso sem qualquer base jurídica até por desconhecer. Tem um ditado que diz, pau que bate em Chico bate em Francisco. Neste caso num jogo do Palmeiras como de qualquer outro (espero que isso não seja somente contra o Palmeiras), o Palmeiras tem direito de receber sobre os comerciais que são anunciados na TV, e se colocarem alguma placa de publicidade na arena, o Palmeiras também tem o direito de receber.
    E não me venham eles dizerem que ja faz parte da cota de TV, pois cota de Tv visa unicamente exibição, publicidade é a parte. Eles usam a imagem do clube para fazer propaganda. Os departamentos jurídicos dos clubes tem que rever estas cláusulas no contrato. A hora é agora, pois não estão em época de renovação?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah PG, esse valor fica por conta do que é pago pela emissora aos clubes, eles juntam exposição e exibição na cota. Já as placas de publicidade, creio eu, são do clube. Pelo mesmo eram, hoje não sei como está... abs.

      Excluir
  2. Caro Galluzi,
    Se não estiver enganado, na Champions a detentora de promover o evento também não permite a aparição de nada que não esteja no script de patrocínios, ou seja, os caras chegam no estádio e "montam" o espetáculo.
    Claro que as décadas atrasadas do futebol sul-americano não permite sequer imaginar tal situação. Mas uma pergunta pode ser pertinente: como o Allianz é pioneiro, não poderia ao menos sentar e discutir o fato novo? Pois se for imposto, foda-se cara, não disputa essa porcaria, é necessário mostrar que o futebol tem que estar acima e o planejamento no futebol tem que ser levado a sério. Se não pode, porque simplesmente não pode e pronto, sem olhar o mais importante, bate o pé e sacode a poeira. Temos ambições maiores, pode acreditar. Não vale a pena jogar um jogo com cartas manchadas.......

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Madilla fratello... entendo a posição, mas as conjunturas são diferentes. Na Europa os clubes não são financeiramente tão depauperados quanto aqui e recebem um grande bolo da UEFA. Aqui, os clubes - que são os protagonistas do espetáculo - são enfraquecidos e tem que ter a chance de se capitalizar. Essa tentativa de imposição comercial é monstruosa.. ao meu ver. Valeu!

      Excluir
    2. Por aqui, além de não ter estímulos financeiros para competir também não podemos buscar novas fontes de receitas para sobreviver.

      Excluir
  3. A ConmeBOSA, não tem moral e nem legalidade para fazer isso.
    Essa instituição bolivariana, tem que ficar no seu devido lugar, que vá para o inferno.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só fizeram esse teatro pra receber o deles por fora pra liberar. Mundo canalha...

      Excluir
    2. Aaah, coisas de instituições bandidas.

      Excluir