segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Melhor padrão ou melhor treinador? O que é mais fácil encontrar?

Pra que gastar tanto dinheiro com o Moe, quando temos alí o treinador da Ferroviária – que faz tudo aquilo que deveríamos fazer – pra isso? Vacilamos... bom, esse foi mais ou menos o sentimento do torcedor ontem ao sair do estádio e ainda por cima se deparar com a chuva pra recepcioná-lo...

Se o Moe está pensando num “laboratório” para a Libertadores, seria uma boa hora de mudar alguns ingredientes, porque está dando sinais que vai explodir... mas a escalação estava correta, as substituições também.

Mas a falta de meio-campo e o embaralhamento defensivo ainda acontecem. A defesa por instantes achei que estava melhorando mesmo. Mas ao sucumbir no fim do prélio demonstrou que ainda precisa de novas peças. Seja Gabriel, Dracena, Arouca ou quem for.

Mas o meio-campo ainda fica desconexo, permitindo a profusão de chutões pra um eventual aproveitamento da “segunda bola”. É triste ver um time tão minuciosamente montado, refém dessa situação. E causa invariáveis questionamentos.

Sempre fui defensor da tranquilidade ao treinador, mas ele também deve nos transmití-la, mostrando evolução em quesitos fundamentais, seja lá qual for o resultado. Mas há um detalhe... não existe isso de sair ao mercado trazendo um nome qualquer, nem de conseguir qualquer um que se queira.

É foda achar “a pessoa certa” praquele momento. E talvez não haja! Nesse caso o “certo” é acreditar no que temos, por pura falta de opção! De barriga encostada num balcão de padaria é fácil dizer “traz esse, traz aquele....” finalizando pelo famigerado “sei lá, alguém que resolva”. Vá ter o mesmo pensamento sendo responsável pelo custo milionário dessa decisão... aí meu amigo a figura muda.

Resumindo. VAMO LÁ MOE!!!! Não perca esse vestiário! Põe esse time pra correr e acertar os passes! Por mais que vejamos as dificuldades que você está encontrando pra achar um futebol eficiente, sabemos que as dificuldades pra achar um outro treinador melhor no mercado devem ser ainda maiores.

Então, por uma simples questão lógica e racional, ainda espero que o time apresente uma evolução. Porque nunca e nada nos foi fácil. E não seria um campeonato recém-conquistado ou um planejamento bem feito que mudaria isso. Eu acredito.


Só pra finalizar, devo citar o comportamento EXEMPLAR da Mancha Verde que no final do jogo preferiu cantar apoiando O PALMEIRAS – pois acima dos jogadores era ele que estava em campo - tendo consciência da importância disso pra disputa do que realmente nos importa, a Libertadores.

Não estou elogiando “torcida” nem sendo “amigo” de ninguém. Apenas ressaltando UMA AÇÃO que se fosse reproduzida pelo restante da torcida, deixaria os jogadores verdadeiramente com VERGONHA de sua atuação, impelindo-os a – no mínimo – correrem mais em campo. 


16 comentários:

  1. Fala Robertão!!!

    Foi impressão minha ou você deu uma estressada e depois escreveu um discurso mais ameno? rsrsrs
    Se foi isso, entendo perfeitamente seu desabafo e posteriormente a isso, indicando o melhor caminho para seguirmos, culminando com os parabéns à Mancha (tiveram a atitude que todo palmeirense deveria ter, apoiando o time incondicionalmente).
    Tá difícil de aguentar mesmo... o time do Palmeiras, por nomes, é um dos melhores, se não o melhor do país. Ver esses caras jogando do jeito que estão, chega a ser desesperador.
    Vamos que vamos, apoiando a cada jogo, quem sabe até, dando a confiança para a equipe de se superar nesse momento psicológico complicado.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Correta impressão sua Claudião! Somos assim né... rs. Difícil ver a cobrança da torcida fora de hora, mas temos que ponderar tudo, inclusive o desempenho jogo a jogo. E o que há disponível por aí fora. As vezes o mais difícil é justamente separar todas as variáveis, dando-lhes o peso correto. Aí já é muito pensamento pruma segunda-feira... rs. Abs.

      Excluir
  2. Oi Galluzzi, tudo certo, concordo com você não adianta trocar de técnico toda hora, que temos que dar tempo para o trabalho evoluir, mas o Marcelo já está como o time há um tempo e realmente não vi evolução do final do ano passado para agora, não dá para jogar em casa 3 vezes em casa no paulista e perder duas e empatar a outra, perder a posse de bola em casa ontem e tomar "nó" do time da Ferroviária foi o fim, você disse do Marcelo não perder o vestiário, mas não sei não, acho que ele já perdeu, tomara que ele encontre uma forma de retomar o mais rápido possível, porque se não a situação vai ficar mesmo complicada, não tem como o cara que foi teoricamente o melhor técnico do Brasil em 2 anos seguidos ter desaprendido a profissão, tem mais coisa nesse angu.

    Abraço,

    Denilson

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O pior é que não tem coisa no angu não Denílson! Por anos isso nos foi habitual, mas num raro (e profissional) momento conseguimos equalizar essa relação (Diretoria - Comissão - Jogadores). Nunca estivemos tão bem afinados. O "pior" é isso... rs.

      A grande verdade Denilson, é que do "ano passado pra esse" não poderia mesmo haver evolução, pq ela não acontece em treinos, mas basicamente na prática - em jogos oficiais - onde o time é efetivamente submetido à pressão.

      Se considerarmos isso, temos esse "tempo de evolução" em 1 mês - fevereiro - que o time teve pra fazer seu "laboratório", se quiser chamar assim. Então - pelo que conheço de futebol - sei que um mês É POUCO. O certo - infelizmente - são 2 a 3 meses pro time titular se firmar e ganhar padrão de jogo. Por mais que não gostemos, isso é um fato. Há exceções? Sim, mas via de regra é assim.

      De toda forma, acho que o Palmeiras JÁ ACENDEU a luz amarela pra SONDAR NO MERCADO o que é possível. Isso já deve estar sendo feito e o futuro do Marcelo será decidido num só nome: Libertadores. Eu torço por ele! Torço pra que o Palmeiras se livre dessa dificuldade histórica com treinadores. Né não? Abs!

      Excluir
  3. Roberto, eu também sou contra a troca insana de treinadores do futebol brasileiro. Mas, no nosso caso específico parece-me um quadro irreversível, restando apenas saber se será daqui uma semana ou um mes.

    Abraço, Hudson

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo Hudson, mas eu ainda acredito. Há jogos a curto prazo a disputar na Libertadores. A chance dele é conseguir algo que convença nesse período, pq de março, com esse futebol ele não passa. Valeu!

      Excluir
  4. Como o colega anônimo acima disse, me parece irreversível, e quanto mais demorarmos, pior será. O Paulista é tomar cuidado para não ser rebaixado, a Libetadores já está comprometida, duvido que ganhe do Rosario. Meu pedido já é; Vamos salvar o Brasileirão 2016!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pô Elcião, já desistiu da Libertadores? Acredita fratello!

      Excluir
  5. Concordo contigo, Galuzzi. O momento não é bom, mas também torço pela permanência do MO no Palmeiras, porque entra ano e sai ano, vem e vai treinador e nada muda. Só aumenta nossas despesas em pagar treinadores demitidos. Não estou defendendo o MO, estou achando terrível os jogos que o Palmeiras vem fazendo, mas temos que tentar agir pela razão e não pela emoção. Nosso grande rival, só está como está, porque no momento de grande vergonha, na queda contra o Tolima, mantiveram o técnico. Como você mesmo disse é preciso tempo e às vezes engolir uns sapos, para então dar a volta por cima.

    Abs,
    Sandro

    ResponderExcluir
  6. Roberto Galluzzi,
    Respondendo à pergunta formulada e que serviu de título para o seu texto eu afirmo que é mais encontrar um melhor treinador do que o Marcelo Oliveira dar um padrão melhor para o Palmeiras. Eu digo isto porque já se passaram vários meses e, com o Marcelo Oliveira, o Palmeiras simplesmente não evolui e não há o menor sinal de que isto possa acontecer nos próximos quatro, cinco ou seis meses.
    Em toda entrevista pós jogo o MO transfere aos jogadores a responsabilidade pelos maus resultados. Na última, então, ele simplesmente afirmou que não sabia o que estava acontecendo e que se tivesse uma resposta exata resolveria rapidamente. Ora, se o comandante não sabe o que está acontecendo, o que mais precisa acontecer para ele ser demitido?
    Para você que gosta de referenciar músicas, lembre-se de um refrão da canção “Pra não dizer que não falei das flores”, composta por Geraldo Vandré:
    "Vem, vamos embora
    Que esperar não é saber
    Quem sabe faz a hora
    Não espera acontecer."

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ok, Ítalo... mas vc está esquecendo que nesses "vários meses" que se passaram, fomos campeões da Copa do Brasil, só isso. Podíamos não estar jogando lá o fino da bola, mas houve evolução sim.

      Quanto a resposta do treinador, como não pode jogar no fator "tempo" então cai no óbvio. Sendo sincero fratello, EU TBM esperava bem mais do Marcelo Oliveira. Não imaginava que levaria tanto tempo pra arrumar os problemas crônicos que o time apresenta. Mas a grande questão não é essa e sim se há opções melhores a disposição ou não e isso é algo que nós, leigos, não podemos afirmar, apenas imaginar. E nessa divagação, não adianta perder tempo. Ainda acredito e quinta estarei lá. ABs!

      Excluir
  7. Galluzzi acerte, só um milagre salva o ano, e passa para que o MO e cá entre nós, me parece quase impossível. Virá outro técnico que pedirá tempo, afinal o MO ficou quase 10 meses e não conseguiu, e tambem tem a questão de estes jogadores não foi eu que pedi etc,etc,etc...
    A questão é o porque disso acontecer? planejamento? salto alto ?auto confiança ? falta de treinamento? excesso de contusão? impaciência da torcida? Talvez o dia que descobrirem a coisa acerte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha PG, não sei se é questão de ter paciência ou bom senso, mas parece ser a única equação que não nos leva para a mesma situação que já vivemos tantas e tantas vezes. Tbm espero a solução. Abs!

      Excluir
  8. Roberto Galluzzi,
    Eu não me esqueci da conquista da Copa do Brasil, não! Acontece que este título foi conquistado muito mais pelo fator emocional do que técnico ou tático. Também não podemos esquecer que o Palmeiras não só manteve a base, como também trouxe reforços pontuais para qualificar ainda mais o elenco e, apesar disto, nada de positivo aconteceu, nem uma pequena melhora que fosse compatível com tempo que ele está treinando o Palmeiras.
    Eu também não vou deixar de torcer pelo Palmeiras e, embora eu não tenha este grau de confiança que você demonstra, também estarei lá na quinta-feira.
    Com relação à nomes, penso que o Jorge Sampaoli seria uma solução inteligente para o problema.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah Ítalo, mas uma comissão técnica também tem influência (e muita) no fator emocional, pela confiança que tem do elenco etc. Sim, temos reforços pontuais e tivemos contusões pontuais (Gabriel, Dracena, Moisés) que de normalmente dificultam qualquer trabalho, fosse o técnico que fosse.

      Sobre o grau de confiança... o limite entre coragem e imprudência é bem tênue não é? rss.... as vezes nem mesmo eu sei onde termina a confiança e começa a fé obstinada... rs.

      Estarás lá na quinta? Bora tomar uma na L'Osteria? Aì sim concatenamos as ideias! rss... Abração. Sampaoli pode ser opção, mas não se esqueça da rejeição natural que os treinadores estrangeiros tem por aqui, principalmente se vc tirar um que, apesar dos resultados negativos, tiver a simpatia do elenco. São muitos fatores a se considerar. mas se conheço nossa diretoria, já devem estar na fase de sondagens (ainda que de forma muito velada). Abs!

      Excluir