segunda-feira, 28 de março de 2016

Troca o treinador que resolve!

A culpa é do Oliveira 1. Não, esse já foi!  É do Oliveira 2. Não não, esse também já foi! Mudamos, a culpa agora é do Cuca!!! Se tivessemos trazido aquele outro treinador, estaríamos bem. Aquele outro, oooo... Jesus Cristo! E olhe lá, hein! Teria que vir com uma liga Galáctica com Filpo Nuñes, Brandão, Telê e Minelli. Haja milagre pra ressucitar esse time!

Não há o que falar agora a não ser esperar que melhore. Apedrejar o ônibus só traz mais nervosismo a um time que mostra sinais claros de desequilíbrio emocional. Não podemos condenar a indignação da torcida, mas que a ação – infelizmente - atrapalha, é fato.

Independente disso, a cobra agora fuma pro Mattos, responsável pela montagem do elenco que agora se mostra tão frágil. O que fazer, ò Mattos? Reunir o elenco, falar à imprensa e buscar alguma solução externa imediata estilo “salva pátria”. Mas com as inscrições já fechadas, vai fazer o quê?

Da minha parte, prostrarei-me monásticamente, tentando fingir que as derrotas não incomodam. E que se dane. Não podemos fazer nada agora. O que tínhamos pra fazer já fizemos. E deu merda, fazendo o time despencar ainda mais rápido. O que resta é aceitar o futebol que vier pela frente, desde que não nos faça perder  mais!

Só mesmo muita calma, paciência e conversa. Muita conversa. Não é hora de buscar jogo bonito, padrão, o caralho! É hora de NÃO PERDER MAIS. Comecemos pela defesa. Parar com a sangria já! Parar de tomar gols é mais importante do que qualquer coisa. Ajustada a defesa vamos à frente, buscando o gol redentor e pronto.

Gerenciando o dano: o que fazer quando a casa está caindo? Recolher-se ao básico, partindo de onde você tenha alguma segurança. E se esse ponto não existir, que se crie um. No nosso caso é: APROXIMAÇÃO e PASSE. Mudar o estilo de jogo sem a preocupação jogar bonito. Eficiência agora é tudo, nem que pra isso tenhamos que abrir mão da posse de bola e jogar na segurança.

Vou repetir: CUCA! Arruma a defesa. O problema é nas duas laterais! E pelo meio também. A situação é crítica. Bom, nem vou me alongar mais pra não cair no óbvio das mesas redondas. Apenas ressaltar que o desafio que se impõe é tamanho que a carreira de várias pessoas envolvidas está em jogo. Não por sua lisura, mas mas sua competência. Ou falta dela.

10 comentários:

  1. Minha avó já dizia: dinheiro não traz felicidade

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ok, que volte então os famigerados TIMES LIMITADOS do Musgambá Cunfuso.

      Excluir
  2. Amigo Galluzzi, desta vez não concordo, os treinadores demitidos tem culpa sim, pois não fizeram um trabalho para ser continuado, assim como Cuca com Levir no Atlético tinha um trabalho e o levir deu sequência. Marcelo Oliveira, não fez trabalho algum, não deu padrão de jogo, não tinha esquema tático, ou seja, cuca tem que começar do zero pois pego no zero, agora paciência, e a diretoria tem culpa sim, pois contrataram sem uma avaliação técnica, e agora está aí, os frutos que éramos colendo de péssimos trabalhos feitos anteriormente. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas Mineiro, como assim "não fizeram um trabalho para ser continuado" se foram TODOS demitidos antes do fim de seu contrato? Como posso deixar algo se fui interrompido no meio? Sobre as contratações, quando é EM NOSSA HISTÓRIA que tivemos contratações com avaliação técnica? Hoje temos avaliadores só pra isso! Lógico que não vai dar resultado de um hora pra outra, mas não podemos ser cegos à estrutura que o próprio time tem... valeu, abs!

      Excluir
  3. Galluzzi, tudo certo, concordo com você que troca de técnico não resolve nada, mas o ambiente para o MO tava complicado. Com essa derrota inadmissível e vergonhosa para o Água Santa, que até 2012 era amador, para mim fica claro que há alguma coisa muito errada, apesar do clube estar com tudo em dia com os jogadores, deve haver algum descontentamento muito grande no grupo, não sei se entre eles, se entre o time e a diretoria/gerencia de futebol, mas que tem tem. Não é possível que o time continue assistindo tudo isso de forma passiva, digo passiva porque não tinha um em campo para chamar quem estava comendo mosca para o jogo, ficaram olhando o Água Santa passar por todo mundo e não tinha um "infeliz" pelo menos para fazer uma falta qualquer coisa, se tem gente rachando o grupo tem que ser afastado, mesmo que seja "general de 6 estrelas" não dá pra continuar assim, se não vai ser mais um ano de suplicio e torcendo pra não cair, isso já não dá mais.

    Concordo que invadir CT e apedrejar onibus não adianta nada, só aumenta a tensão, mas que tem que ter uma chamada geral e uma "lavagem de roupa suja" isso tem, espero que tenha acontecido isso nas 5 horas de viagem de volta de Presidente Prudente, espero que nenhum deles tenha conseguido dormir, porque se conseguiram não merecem estar no Palmeiras.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Denílson, o ambiente no Palmeiras não estava complicado "para o Marcelo Oliveira". O ambiente do Palmeiras é complicado PARA TODOS!!!! Esse é nosso maior problema!!! Vc já leu "o Monge e o Empresário"? Às vezes a maior ação que vc pode ter é justamente NÃO FAZER absolutamente nada e esperar que o que foi plantado frutifique. Essa lição, definitivamente, não aprendemos... abs.

      Excluir
    2. Ainda não li, mas vou procurar, valeu

      Excluir
    3. Empresário, executivo... acho que é por aí. Mas tem um monge. rsss. Abs!

      Excluir
  4. Galluzzi,
    Vamos falar em dois conceitos frequentemente utilizados na área de negócios que são a eficiência e eficácia. Eficiência está ligada ao âmbito operacional e consiste em fazer certo as coisas. Por outro lado, a eficácia está ligada ao nível gerencial e consiste em fazer as coisas certas.
    Eu penso que a diretoria foi eficaz ao substituir um treinador que estava fazendo um trabalho ruim, mas não foi eficiente na contratação do Cuca, um profissional desatualizado do futebol brasileiro e que não iria fazer nada de diferente de seu antecessor.
    O Alexandre Mattos, por sua vez, contratou oito jogadores para serem reservas de um time que estava carente em algumas posições e precisava de reforços para serem titulares. Por esta razão deixou de ser eficiente nas duas oportunidades. Um executivo não pode errar tanto.
    O Paulo Nobre é um banqueiro gerindo o futebol e não conseguirá ir muito além do já foi.
    É visível que o grupo está rachado (e não é de agora) e isto é um problema para ser resolvido pela diretoria. Já passou da hora de se fazer uma limpa no departamento de futebol.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ítalo, discordo frontal e amplamente. Se quiseres entrar no metiér empresarial, jogo apenas os conceitos básicos de CURTO, MÉDIO e LONGO prazo. Nós (errados e influenciados pela mídia) EXIGIMOS resultados a curto prazo (que no futebol é 6 meses, pelo menos). É ISSO que fode tudo!!! Como é que a gente pode ter naufragado com TROCENTOS presidentes, técnicos e diretores de Futebol que por aqui passaram? Pensa bem fratello!!! Com é que com um histórico desses podemos ficar eternamente culpando o "atual presidente, atual técnico, atual diretor"?

      Até concordo que precisemos de uma "limpa" no setor, mas enquanto não reconhecermos que nossos problemas não são isolados à uma só administração, viveremos eternamente a cornetar o time. Amor pelo time NÃO se mede pela altura que a corneta toca... ao invés do que pensamos. Abs!

      Excluir