quinta-feira, 7 de abril de 2016

Jornada Libertadora

Lembro muito bem até hoje, meu pai dizendo, lá pra meados da década de 70, que a Libertadores era terra de ninguém, onde os jogos eram roubados pela juizada sulamericana que falava a mesma língua dos hermanos.

Muito tempo se passou e a competição ganhou maior dimensão, perdendo a má fama a medida que os jogos passaram a ser transmitidos pela TV, o que coibiu – até certo ponto – o descalabro no apito amigo.

Seja como for, ainda vemos a juizada “caseira” em ação, dificultando ainda mais a vitória do visitante. Não digo que venceríamos sem o juiz, mas que o sujeito delega pró-casa, delega.

Mas que se dane o delegado! Se ainda temos alguma chance, vamos que vamos. É inegável que um milagre se faz necessário pra isso, mas como já disse, dane-se o delegado. Somos PALMEIRAS.

Devo confessar que quase não assisti ao jogo ontem. A televisão estava ligada mas o nervosismo era tanto que mal parei de frente a ela. Acordei o bairro no segundo gol. Quase quebrei arrebentei a rótula comemorando o terceiro ao voltar desesperado pra sala que tem uma mesa no meio. Assim é a vida de torcedor. Tô mancando, tô esbagaçado. Mas tenho esperança!!!


Do que vi, nossa defesa (mesmo com 3 zagueiros) cometeu erros imperdoáveis. E o ataque também, poderíamos ter saído com a vitória! Pelo menos 2 chances claras de gol desperdiçadas (Dracena e Jean). O meio campo com Robinho continua uma porcaria, salvo lampejos de criação. O Gabriel foi o melhor do jogo e tal como a defesa, por infantilidade, foi expulso. Mas como ele disse, não fácil ficar apanhando m90 min. com a conivência do juiz...

O time dá sinais de evolução, o que seria mesmo inevitável com o passar do tempo. Mas ainda não temos um meio-campo decente e os bicões pra frente ainda continuam numa proporção exagerada. Disseram que o Cleiton Xavier já está treinando com bola. Mas ainda não é hora de nutrir muitas esperanças, quem conhece nosso Departamento Médico sabe que por alí todos passam e muitos ficam.

Não foi o resultado que queríamos, mas trouxe na bagagem a certeza de um time que não se entrega e que, com tempo e treinamento pode render muito mais. O que nos resta senão acreditar? Palmeiras, nossas esperanças estão contigo.

8 comentários:

  1. Olá Galuzzi.
    Tenho lido os seus posts, mas não tenho deixado comentário para não contrapor seus pensamentos, mas acredito que já era. Hoje resolvi deixar algo aqui. Só com muito dinheiro aportando em Montevideo para eles mudarem de ideia e assim mesmo não é garantido, porque o Central é bem melhor que o Nacional. Tenho certeza que o Nacional comemorará nossa desclassificação, é só analisar como foram os dois jogos contra eles, deu para perceber o gosto de vingança no olhar de nossos ex-atletas. Torcer nós torcemos, mas já não acreditava a algum tempo, algo mudou para melhor depois da chegada do Cuca, mas já era tarde, o empate quarta passada, seria bom se a situação fosse outra, o resultado foi péssimo. O nosso futuro já não está em nossas mãos, é isso é horrível.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Élcião! Primeiro... faça o favor! Escreva contrapondo todo o pensamento que quiseres fratello!!! Pode soltar o verbo e descascar em cima! rs... tbm tô achando complicadíssimo. Mas numa conta simplória, um jogo de oitavas da Libertas rende por baixo uns 5milão. Eu já engajaria metade disso pro Nacional, 1.5 pra jogador 1.0 pro clube. Não sei como são os salários por lá, mas um carro zero na porta muda bastante o gosto de vingança pra aliança.
      O que me conforta hoje é ouvir o diretor de futebol dizendo que o time está sendo montado pra dar resultado efetivo daqui a 2 ou 3 anos. Esse é o tempo certo do futebol. Só que não da mídia nem da torcida... vamos ver o que esse futuro nos espera. Abs!

      Excluir
  2. Olá grande Galluzzi. Assistir ao primeiro tempo, pois precisava sair pra trabalhar. Desliguei a TV após aquele lance da bola no travessão no início do 2º tempo, saí confiante pois começavamos bem o 2º tempo. Após uns 15 minutos dentro do ônibus, ouvi um colega que estava acompanhando o jogo dizer que estavamos perdendo por 3x2, não acreditei, achei que fosse zoação. Quando cheguei ao trabalho, descobri que o jogo havia terminado empatado em 3x3. Fiquei chateado, pois ficamos a frente do placar duas vezes e ainda deixamos a importantíssima vitória escapar. Pelo que vi no 1º tempo, apesar de entrar com três zagueiros nossa zaga ainda dá muitos vacilos, o adversário não é lá essas coisas, principalmente na defesa, que dá muito leite, vide primeiro gol nosso. Poderíamos ter vencido fácil se soubessemos prender mais a bola, catimbar mais, manter a bola no ataque, evitar chutões e errar mais nas saídas de bola. Por isso o adversário teve mais posse de bola e buscou mais o gol. Apesar disso vejo algumas evoluções no nosso time, como na volância que agora passa mais segurança com Gabriel, além disso nosso time mostrou muita entrega, muita vontade. Um fator importânte é o temperamento dos nossos jogadores, principalmente de Gabriel Jesus, acho ele muito esquentadinho, o Cuca deve observar isso e corrigir o quanto antes, pois fomos prejudicados pela expulsão de nosso maior destaque no jogo. Acredito que com o tempo nosso time vá entrando nos eixos. Não acho impossível a classificação, e se conseguimos, vamos dar trabalho na segunda fase. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Moisés, eu quase uma síncope cardíaca nesse jogo. Te juro que se o Palmeiras tivesse feito o 4º gols acho que não estaria aqui conversando contigo hoje!!! KKKKKkkkkk.... tô zoando, temos que fazer 4, 5 e 6! O River Plate do Uruguai é mais forte que o Trujillanos da Venezuela? Bom, deve ser, mas dane-se. Quanto ao esquentado Gabriel, concordo contigo. mas veja, ele levou CROC na cabeça! Esses argentinos filhasdaputa, bando sujo do caralho!!! Foi uma partida típica de Libertadores com os caras provocando nas costas do juiz!!!!!! E a gente ainda caiu nessa!!! Os "perros" estão rachando o bico da cara do Jesus agora. Putaquelospariles.
      Se o time quer ir pra frente tem que cuidar do psicológico em primeiro lugar e nunca mais cair nessa palhaçada. Seja como for, que seja aprendido! Abs!

      Excluir
  3. Galluzzi, beleza, até que em fim é sexta-feira, com relação ao jogo de quarta, depois que quase morrer do coração na quarta, fiquei com a sensação que podíamos ter ganho, perdemos para os nossos erros (que foram pontuais, por causa do nervoso), mas também com a nítida sensação que a chave virou, as coisas mudaram e que estamos novamente nos trilhos e vamos lutar até o ultimo (com pelo menos 3 x0) e rezar para que a rivalidade entre los hermanos e os uruguaios fale mais forte e não façam jogo de compadre.

    Abraço e bom final de semana, que domingo tem o Mogi ainda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nada fácil né Denilson... tenho certeza que ninguém da cúpula do Palmeiras esperava uma desclassificação na primeira fase, mas acredito no trabalho do Cuca... passar uns perrengues no início é bom pra calejar e juntar o time. Vamos entrar no Brasileiro com tudo. Abs!

      Excluir
  4. http://rodrigomattos.blogosfera.uol.com.br/2016/04/11/fred-e-a-geracao-de-mimados-do-futebol-brasileiro/
    Galluzzi, olha esse post, diz mais ou menos o que vc pensa sobre esses jogadores minmados atualmente! Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Com certeza Aldonis! O problema é que não se trata apenas de "mimo" e sim uma condição contratual que hoje é vigente e que deixa os clubes totalmente vulneráveis, enquanto jogadores e empresários nadam de braçada. E o que se ouve da imprensa? O discurso eterno de que "os clubes são mal admnistrados", ignorando completamente a situação absurda a que são submetidos.

    Exemplo fundamental: JEAN CHERA. Despontou com 10 anos de idade, mal jogou em clube nenhum (eterna "promessa"), jamais fez a alegria de torcedor que fosse, mas já está COM A VIDA GANHA graças ao dinheiros das trocentas transferências que fez. E a imprensa ainda vai lá lamber o fedelho... é muita nojeira escondida sob montanhas de dinheiro. Abs!

    ResponderExcluir