terça-feira, 12 de abril de 2016

Fundamental pisicológico

Fratellada, antes desse fundamental confronto pela Libertadores gostaria de lembrar o quanto a preparação psicológica é importante para essas ocasiões. Depois de apanhar tanto na argentina, Gabriel Jesus sabem bem disso.

Pra jogar a Libertadores você tem que entrar com a cabeça fria, na malícia e na ligeira. Há tempos já descobriram que o psicológico determina fundamentalmente as escolhas que uma pessoa faz, especialmente se estiver sob pressão, situação habitual em qualquer competição.

Fizeram um experimento colocando adolescentes pra pilotar karts. Primeiro sem ninguém olhando. Depois com “torcida”. O desempenho foi significativamente pior com a plateia, por motivos meio que óbvios. Lógico que jogadores estão – de certa forma – acostumados a essa pressão. Mas também – de certa forma – também a sentem. E assim se esvai um desempenho.

Vaidade & Ciúme
Sempre falei que em 2010 perdemos o campeonato por conta de ciúmes do elenco quando o Vagner Love foi recontratado pelo Belluzzo ganhando um salário acima da média. Pra quem acha que isso não acontece tome o caso do Barcelona que também implementa o sistema de ganho de produtividade para jogadores que ganham acima da média, equilibrando desigualdades para equacionar vaidades.

Tudo perfeito. Só me pergunto porque tal realidade é tão respeitada quando praticada por um Barcelona e quando é ventilada por aqui, sofre uma enxurrada de questionamentos do tipo “será que os jogadores irão aceitar?” Os valores pagos por jogadores são astronômicos e é facílimo (e perigosíssimo) para um clube de série A, empurrado pela pressão de sua torcida E mídia, desembolsar milhões por atletas que muitas vezes trazem prejuízos vultosos. É algo bem sabido e lamentado pela torcida.

Seria útil apenas se a mídia, num geral, percebesse a tremenda dificuldade e risco que os clubes correm para conseguir não só campeonatos, mas pra fechar no “azul”, algo praticamente impossível sem a venda de jogadores. Ao invés de estacionar na cantilena eterna dos “clubes mal administrados” que com certeza tem um grande fundo de verdade. Mas que está longe de ser a única responsável pela situação de penúria financeira que tantos e tantos clubes enfrentam.

LIBERTADORES
Não tem o que falar nem dizer. Mas não funciona sem o bastidor bem feito. Sabem o que digo, a artilharia hermana vai além das 4 linhas. No restante, é torcer, cantar e vibrar. Preparar-se pro pior, esperar pelo melhor.

4 comentários:

  1. Fala Galluzzi, amigo, so vou ver esse jogo pq é o Verdão, quero ver como vai jogar o time, qual tatica o cuca vai utilizar, ou seja, vou ver para analisar a equipe para as competições que realmente temos chaces de algo, e libertadores pra mim ja era e a muito tempo, a eliminação nao veio contra o rasario nem contra o nacional. E sim, no dia que empatamos com um time semi-profissional que joga em um campo de universidade, e seu faturamento e de 7 milhoes ANUAIS(dinheiro q o Palmeiras arrecada em 3 jogos na arena), se tivessemos ganhado aquele jogo estariamos hj com 8 pts, ai sim, a classificação estaria em aberto. Mas da forma q esta nao vejo chance alguma nem com mala branca, preta e cor de rosa. Nos resta e torce para q o Cuca encontre o mais rapido possivel a equipe ideal para podermos beliscar um titulo do Paulista, e comecar bem o BR2016. Abração!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem disseste Mineiro... a perda veio naquele empatee no futebol não existe "se". E pra variar, nos resta torcer. Abs!

      Excluir
  2. Galluzzi, a mídia é jornaleira quer mais é polemica para vender. O que importa é que o Palmeiras adotou e muitos virão atras. Talvez seja dado algum valor quando o "time do povo" adotar.
    Por falar em merda, eu até ganhei uma aposta com um amigo, sabia que por estes dias alguma pesquisa seria divulgada por algum orgão qualquer sobre os gambás para contrapor a citação deles no Lava Jato, e a não capacidade de pagar o entulhão de Itaquera. Hoje uma mídia esportiva fez questão de expor de uma forma em que indicassem os caras com a maior patrocínio de camisa. Fizeram uma jogada "matematica com as letras" que 30 ficou maior que 60. Mas eles tinham que mostrar que são os primeiros de qualquer jeito, não aceitam a verdade. Num trecho do texto diz:
    No Palmeiras, Crefisa e a FAM pagam juntas R$ 58 milhões por todos os espaços na camisa, incluindo cintura, mangas, ombros e costas. O valor sobe para R$ 66 milhões/ano com os espaços de calção e meias. No formato antigo, o Palmeiras recebia R$ 23 milhões apenas pelo espaço principal, e o Corinthians fechou com R$ 30 milhões sendo o maior do Pais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PG, o "povo" desse país é manipulado há gerações, o que mais esperar... abs!

      Excluir