segunda-feira, 18 de abril de 2016

Um mundo de trabalho pela frente

Aaahhh fratellada... inicio a conversa desculpando-me pela ausência pós Libertas, mas é que as vezes falta tempo e por vezes, palavras. Por vezes o silêncio é melhor.

Perdemos a classificação sim, mas o time saiu de campo aplaudido. Vimos o Sr. Cleyton de volta! Vimos o Matheus Salles arrebentando na volância. Vimos claramente o esboço de um novo padrão de jogo, despontando no horizonte... em tons dramáticos, vimos o sol se pôr de um lado, e uma nova alvorada de outro. Assim foi e que assim seja!

Se o país vive um momento singular – FELIZMENTE! - o Palmeiras segue o movimento. Um novo time surge, com toque de bola mais eficiente, um futebol jogado minimamente à altura do esporte. E o clube tem, nos próximos meses, o tempo necessário pra se modernizar com o novo estatuto e se alinhar com uma prática diretiva que siga a disposição, coragem e profissionalismo que a atual administração, bem ou mal, com seus erros e acertos, adotou ao clube.

Nossa bandeira é nosso orgulho. Sem medo de mudança,
sem medo do futuro. Trabalha e conquista!
Não sou associado, falo do lado do torcedor, que ao menos pode ver a montagem de um bom elenco e grandes esforços para a contratação das melhores comissões técnicas disponíveis.

Assim como tudo o que queremos do país é uma nação mais justa e que dê condições ao seu cidadão evoluir e prosperar honestamente, o que esperamos do Palmeiras é um time que não seja conhecido por brigas internas e a contratação de elencos pífios, como por tantas e tantas vezes tivemos. Um time profissional, referência de conduta e protagonista das competições. Assim como nossa história ensina.

Fazemos o campeonato Paulista olhando o Brasileiro, esta sim, competição a qual já entraremos ajeitados e com um esboço de padrão a ser desenvolvido. Torneio longo, na medida que o time precisa pra evoluir. E vamos que vamos. NUM NOVO BRASIL, COM UM NOVO PALMEIRAS!!!


4 comentários:

  1. Oi Galluzzi, tudo certo, espero que hoje tenhamos uma vitória tão contundente sobre o São Bernardo como foi a de ontem sobre os rumos do país, a eliminação da libertas realmente ficou com gosto que com um pouco mais de tempo poderíamos avançar, mas também podemos agora focar no Brasileiro e entrar com o time mais ajustado e mais forte.
    Com relação ao país a sensação que ficou é que começamos a extirpar o que tem de ruim, mas mesmo retirando a "senhora presidenta" de lá, é necessário que se expurgue também o senhor "vice-presidente" e companhia bela, porque para mim fica a sensação que mudaram de lado somente para continuar no poder e isto não pode continuar.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Denílson. Mas quanto a "sujeira", não basta tirar as moscas, tem que limpar o terreno!!! Abs!

      Excluir
  2. Parceiro Galluzzi, Vitoria hj é obrigação, temos q achar a metodologia de jogo independente dos jogadores que entrarem, e pensar no BR2016, em relação ao nosso Brasil faço das palavras do Denilson as minhas, so tirar a "presidenta" nao adianta, falta nosso vice-presidente, e nosso amigo Cunha. Abracos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não gosto muito dessa "obrigação", Mineiro... deprecia o adversário e tira o prazer da vitória. Seja como for, vencer o São Bernardo faz parte do caminho! Valeu, abs!

      Excluir