quinta-feira, 16 de junho de 2016

Fome de vitória, fome de conquista!

Time que pretende alguma conquista simplesmente não pode sofrer gol de empate a 2minutos do final da partida. Nosso treinador fez o certo, tirando um meia atacante pra reforçar a defesa com mais um zagueiro. Mas aí entrou o sinalizador...

É verdade que a parada deu chance ao adversário se arrumar e aproveitar a chance. Mas também houve vacilo da defesa que deixou jogadores livres pra finalizar. A culpa que o Cuca colocou na parada serve mais pra aliviar o lado do elenco e pode ser positivo.

Agora o time ficou com FOME DE VITÓRIA. Talvez (e só talvez), uma liderança precoce poderia tranquilizar o time além da conta. Da forma como aconteceu, o time volta "mordido" pra duas partidas em casa.

Num campeonato longo, como o Cuca bem disse, o time precisa ter “prevalência”, dar as cartas, ser quem manda na partida. Ainda que isso não aconteça 90min', tivemos essa prevalência no jogo de ontem, fora de casa. Ou seja, tudo bem, o empate deixou muita gente sem dormir, mas o padrão de jogo que o time está apresentando nos dá esperanças de que o time possa protagonizar esse campeonato.

Hoje quem mais chama a atenção são Moisés e TchêTchê. Movimentação, empenho, bela visão de jogo. E o TchêTchê é o “líbero” tão famoso nos anos 90. O Moisés quer garantir sua vaga no meio e tem correspondido bem à expectativa.


Outro que ajuda é o Zé Roberto. Tem um ótimo senso de posicionamento e a tranquilidade que a equipe precisa em muitos momentos. Roger Guedes é daquelas estrelas com brilho certo, ainda que nem sempre constante. Jesus já vem assumindo o comando de ataque há bastante tempo.

O melhor é que trata-se de uma formação com jogadores que dão clara mostra que podem evoluir bastante! Técnica E taticamente! Gostaria muito que a torcida não se deixasse levar pela empolgação e expectativa além do devido, pra deixar nosso futebol evoluir naturalmente, trocando o infantil conceito de “obrigação de vitória” (que esvazia todo o mérito de uma conquista), pelo consciente “dedicação de campeão”, onde os jogadores correm (de forma ordenada) e lutam de forma impressionante e constante, até o trilar do apito final.

Se o time quer ser campeão, tem que ter FOME DE CAMPEÃO. Que corre atrás. Que se impõe. Mais do que os outros. E que não vacila, deixando uma parada por sinalizador impedir sua vitória. E, de preferência, uma torcida que não atrapalhe o que já não é fácil.


6 comentários:

  1. Fala Galluzzi, vou mudar meu nome para Profeta Verde, falei aqui, sobre nosso time vacilar sempre nos últimos minutos deixando a vitoria escapar, Cuca tem que trabalhar isso, time nao sabe jogar com o resutado, coisa boba, facil de ser resolvido, faltou experiencia segurar essa bola no ataque eles estavam com 4 atacantes tudo desorganizado, era so matar o jogo segurar essa bola, mas nao preferiu chamar os 4 atacantes deles para dentro da area, brincadeira. Outra coisa torcida nossa juvenil hein... 2 cagadas em menos de 30 dias, quer ganhar titulo como?? jogando copo dentro campo? acendendo sinalizador? tampando na porrada com torcedor? Se os torcedores tambem nao mudar esse comportamento agora de imediato, nao tem direito de cobrar ninguem depois no caso de alguma frustação. Abracos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vero Mineiro, ou como falava Davino, meu professor de Teoria da Comunicação no primeiro ano da facú: "É UM COMPORTAMENTO GINASIAL!".... rs. Abs, ò Profeta!!!

      Excluir
  2. kkkk valeu !!!!

    ResponderExcluir
  3. Até q enfim achei vc galluzzi, acompanhava vc no blog do ge, belo texto fratello, abç!
    Avanti Palestra

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Big Clay, parla fratello, esteja em casa! Avisa lá, que é nóis que tá!!! Abs!

      Excluir
  4. neste jogo, o gol aos 48 ou 49 foi foda!!!! mas o 1° gol do Coxa (de cabeça) também foi lastimável...mais uma vez!!

    ResponderExcluir