segunda-feira, 27 de junho de 2016

Liderança exige postura

Na moderna concepção de futebol existe algo chamado “o elo fraco”. Trata-se daquela posição em que o time é mais vulnerável, via de regra com o jogador menos técnico da equipe. Nesta teoria (baseada na análise extensiva de resultados), esse elo fraco é mais decisivo para uma equipe do que seus jogadores mais fortes. Ou seja, não adianta ter um ataque forte, se tiver um ponto vulnerável na defesa.

O Cuca é realmente um técnico ousado. Tenta fazer com o Moisés algo parecido com o que o Luxemburgo fez com o Rincón na década de 90, ao recuá-lo do meio campo ofensivo à posição de segundo volante, algo que conseguiu com sucesso (no Palmeiras só atuou como meio-campo). Assim, entramos pra jogar fora de casa com um volante (Tchê Tchê) e um meio campo deslocado à defesa (Moisés).

Até aí tudo bem, já havíamos jogado (bem) assim contra o América. Bem, mas Cruzeiro não é América. Está ruim, mas tem camisa pra jogar com brio pra sair da parte debaixo da tabela. E assim jogou.

Pelo nosso lado, entramos com o ataque (Dudu, Gabriel e Roger) muito bem, mas na minha opinião, com duas falhas essenciais. Cleiton Xavier e Fabiano. O Cleiton Xavier seria a ligação com o ataque, mas frequentemente ficava fora de posição ou preso à marcação. Assim o ataque ficava isolado e mesmo na correria, não conseguia pressão ofensiva.

No segundo tempo a entrada do Thiago Santos visou justamente liberar o Moisés pra ajudar na saída de bola, mas na prática a teoria não funcionou. A entrada do Luan no lugar do Cleiton nos deu melhor movimentação, mas o meio-campo continuou perdido. Isso sem contar o mencionado Fabiano, que pode até ter uma boa presença ofensiva, mas definitivamente não tem velocidade pra lateral. Qualquer um que jogue um ponta pelo setor fará a festa em nossa defesa.

Tivemos sorte na rodada com a derrota dos adversários diretos, ótima chance pro time perceber que ainda precisa melhorar muito. Pra permanecer líder de um campeonato tão nevelado, ser bom é pouco. Temos é que arrepiar. Meio-campo e lateral, evolução é essencial.  

2 comentários:

  1. Galluzzi amigo, Cuca levantou um fogo amigo, criticou publicamente o Luccas Barrios, eu também tenho minhas desconfianças dele, mas...nao se pode fazer alarde, depestade, principalmente nesse momento triunfal, de pura concetração, e manter o ambiente limpo e tranquilo, faltou experiencia, calma, maturidade, poderia ter caçado o mandato dele na calada. Vamos torcer para que isso nao passe de um simples fogo de palha. Abração.

    ResponderExcluir
  2. Fala Mineiro! Amigo, nessa serei obrigado a discordar. Vivemos hoje uma realidade absurda, onde o jogador se vê no DIREITO de colocar o treinador na parede dizendo "se não me colocar de titular eu saio". Vc acha isso certo? Aí nós ficamos a mercê do famigerado "rodízio da alegria", onde todos os jogadores ficam felizes, menos o torcedor que vê seu time naufragar sem esquema tático nem conjunto! Mercenários malditos que colocam seus interesses próprios acima do time!!! Isso é palhaçada Mineiro. O Robinho fez isso e levou na bunda (bem feito). E agora aparece a dupla de hermanos querendo exigir vaga no time titular na gogó? Ahhh meu amigo, farei um post só pra isso agora! rsss... Abs, valeu!!!

    ResponderExcluir