segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Dois foi pouco!

Ok ok, uma segunda feira insolarada e isolada na liderança. Muito bom. Estamos vivendo uma nova era, da eficiencia e da competência, deixando o passivo pra trás para abraçar um futuro profissional. E nessa era que estamos, onde cada jogador é contratado após extensa análise e cada jogada revista sob números variáveis e absolutos.

Pois o nosso 0x2 na verdíssima Brasília foi excelente, mas não pode encobrir as falhas de finalização que nos tomaram pelo menos 2 tentos. Vencer com gols de bola parada não deixam de trazer os 3 valiosíssimos pontos mas a movimentação eficiente do meio campo deve também acontecer na frente.

Só que todo jogador ao retornar da seleção sente-se o “ungido de Deus”, aquele que mal pode ser questionado. E dá-lhe Jesus no chão. E dá-lhe Jesus reclamando. Jesus... joga mais e fala menos. Entendo perfeitamente, se ganhasse 1/10 do que você ganha aos 19 anos me sentiria o Rei do Mundo. Mas não é assim que funciona...

De toda forma, continuamos com o melhor ataque e melhor saldo de gols do campeonato. O Cuca tem escalado bem e esse meio-campo jogado em sintonia. Naquela jogada ensaiada (bola parada do Fluminese) em que todo o time se deslocou deixando pelo menos 4 jogadores adversários em impedimento, foi um bom exemplo disso.

A ressaltar a partidaça do Moisés, Tchetchê e Jean (com golaço!), Dudu e seu gol a la Galeano. Além da força do goleiro Jaílson, exaltado a cada boa defesa!


Competência Palmeiras! Futebol é coisa pra profissional. A bem da verdade a VIDA não é brincadeira, embora nela devamos brincar (pra não enlouquecer!). Só que por mais auxílio que exista, não há manual de instrução e tantas e tantas vezes batemos a cabeça. Faz parte, estamos aí pra se ajudar.

Competência Palmeiras! A era da picaretagem, do interesses pessoais devem ficar pra traz, tem que ficar pra traz! Temos um novo Estádio, um novo estatuto, uma nova realidade. Que nela sejamos pioneiros, referência protagonistas. Avanti PALMEIRAS!!! VIVA A FAMÍLIA PALESTRINA!

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Palmeiras, o mais lindo fruto da fusão de povos!

Por que somos Palmeiras?

Pelos títulos
Pela história
Pelos valores
Pela herança cultural
Pelo estádio fenomenal.

Pela mistura de culturas
Pelas conquistas com esforço próprio
Pelo que é bem feito 
Pela Academia e sua arte
Por ser diferenciado dos demais.

Pela paixão
Pela personalidade
Pelo estilo único
Por ser referência
Pela irreverência.

Pelo verde que encanta
Por defender o justo e correr pelo certo
Por ser uma filosofia de vida
Pela Família que Canta e Vibra

Por isso eu canto PALMEIRAS MEU PALMEIRAS!!!



FRATELLADA, FICA O PRESENTE PARA NOSSO DIA DE ANIVERSÁRIO. E NÃO SE ESQUEÇA, VISTA VERDE, GO GREEN!!!


A Oração do Palmeirense

"Jóia rara que uniu povos,
Onde reina paixão e emoção.
Sociedade Esportiva de todas distinta,
Que abraça a luta com amor no coração.

Pra ser Campeão há mais que 11,
Cantando e vibrando por várias gerações.
Desafio e trabalho forja o caráter
Preparando espíritos, iluminando corações.

Corpo e alma da família em verde e branco,
Juntos somos um, de fé pura e brasileira.
Pois das verdades mais verdadeiras,
É a que nascemos pra vencer e Deus nos fez Palmeiras!"


PARABÉNS PALMEIRAS!!! 102 ANOS DE LUTAS, VITÓRIAS E CONQUISTAS!!! 102 ANOS DE UMA PAIXÃO INEXPLICÁVEL!!!! PARABÉNS FAMÍLIA!!!!!!

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Voltando à realidade

Acabou Copa, Olimpíada e o mito do pré-sal. A marolinha do Lula levou a Dilma e o PT embora e hoje o Brasil encara realidade. Somos nós que devemos caminhar ao futuro e não o contrário. E há muito o que ser feito...

O preâmbulo político serve apenas para mostrar o momento, o timming em que estamos agora, dentro de um contexto maior, onde mudanças estão vindo pra ficar. E nenhum time passou por tanta mudança no últimos anos quanto o Palmeiras.

Na partida de ontem contra a Ponte Preta ainda vimos a velho desentrosamento, de um time que ainda busca padrão. Nosso problema não foi no meio-campo, onde dominamos amplamente, mas no ataque e principalmente na defesa.

Na ausência do Gabriel, tentamos alternativas interessantes. O Rafael Marques por exemplo, finalmente deslocado ao ataque, conseguiu mais resultado do que lá atrás no meio-campo. Ainda assim Roger e Dudu parecem se procurar sem necessariamente se achar.

Fora isso, temos uma disposição além da conta dos defensores, que sabem que o adversário só joga em nossa casa explorando o ataque e mesmo assim sobem imprudentemente ao ataque, desguarnecendo seu setor de origem.

À nossa defesa deveria ser levada uma placa: “Melhor não sofrer gols do que não marcá-los. O ataque é pago pra isso.”


O Brasil hoje talvez se enxergue um pouco diferente do que há anos atrás. Talvez essa visão mais madura nos ajude a caminhar para aquele futuro cantado em verso e prosa, ao invés de ficarmos a mercê do “vida leva eu”.

Assim mudou o Palmeiras, com um time capaz de superar dificuldades com uma força que há muito não tínhamos. Volta o futebol, volta a vida, volta Jesus, com um inédito ouro no peito e um contrato já assinado. Parabéns Jesus, você merece moleque!!!! Olha lá, nosso campeão voltou! Que volte o encanto.

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Minha terra tem Palmeiras. E a seleção também!

Só um parênteses em nosso brasileirão, pra comentar a final Olímpica que faremos neste sábado contra a Alemanha. Excelente oportunidade de tirar (um pouco) a limpo a lavada na copa, lá vai nossa selecinha Nike em busca do que jamais conseguiu, o ouro olímpico. E por que o Brasil jamais conseguiu o ouro olímpico? Política. E empresários.

Ainda que revele atletas, a seleção olímpica sempre foi uma mera vitrine onde empresários fazem a festa pra promoção de seus pupilos. Não dá pra ser campeão assim. O Brasil nunca teve uma verdadeira seleção olímpica, mas uma seleção de empresários e dirigentes.

Hoje, a despeito da prática, temos verdadeiros craques que realmente fazem a diferença. Só que o mais importante é que esse grupo pode muito bem compor a base da seleção principal, é só dar-lhes tempo.

Seja como for, talvez seja essa a melhor chance pra conquistarmos a dourada láurea. Com todo respeito, o Brasil não vence sem um palmeirense em seu grupo. Mesmo que uma fatalidade tenha ceifado o monstro Prass do grupo, ficou Jesus que, como todos sabem, tem um sangue poderoso. Traz essa dourada Gabriel, deixa ela brilhar na coleção!

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Excelência Profissional

O Palmeiras sempre foi um time multicampeão. Até aí tudo bem.

O fato é que o Palmeiras de HOJE é um tanto quanto diferente do que era antes do Paulo Nobre assumir sua presidência.

Não é só ter um estádio lotado ou a dívida equacionada a juros razoáveis. São os procedimentos internos que finalmente nos tiraram das trevas administrativas.

Temos que nos preocupar com a CONSOLIDAÇÃO desse “modus operandi”, desse forma de administrar com base na EXCELÊNCIA e PROFISSIONALIZAÇÃO de cada departamento, como é feito hoje.

HOJE temos orgulho de torcer pelo Palmeiras não só por sua camisa, mas também pelo que vem fazendo fora de campo, sendo invejado e sendo a referência que sempre foi em sua história.

Conhecendo a VAIDADE e os INTERESSES que vagam pelas alamedas palestrinas, temos sim que nos preocupar com o futuro e lutar para que o Palmeiras NUNCA MAIS RETORNE AO PASSADO e que a era Nobre não seja um hiato, mas o início de um padrão de gestão pautado na mesma EXCELÊNCIA PROFISSIONAL.

Nós, como torcedores PAGANTES hoje temos mais voz do que há 10 anos atrás e temos que fazer disso uma exigência permamanente. A era da bicicleta sem pedal e do sistema “DOS” nunca mais. À SUA EXCELÊNCIA, PALMEIRAS!!!

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Racismo e nazismo

O cidadão escorrega na latrina e cai de boca na sujeira, proferindo o maldito "macaco!" para outro cidadão que, sinceramente, nunca viu na vida. Não é o que o famigerado torcedor realmente pensa, foi uma catarrada verbal. 

Mas essa catarrada vem de um pulmão infectado pelo vírus do racismo, que ainda encontra guarida em mentes poluídas de quem se pretende superior ou pior, puro. É a pura estupidez em sua mais pura idiotice. O mentecapto que proferiu a infâmia poderia mesmo ser retribuído com uma saudação nazista, bem mais próxima do seu padrão ideológico.  Estamos todos na mesma selva, buana...


A importância do título
É fundamental ressaltar a importância desse título para consolidação do modelo de excelência que vem sendo adotado pela atual diretoria, com equipes profissionais em todas as especialidades – com destaque às análises pré-contratação – além de uma estrutura topo de linha pra preparação física desde a base ao profissional.

Esse trabalho vem dando ótimos resultados, não podemos regredir ao passado confuso e atrapalhado que nos atormentou por tanto tempo.

Sinceramente, tenho ascendência e tals. Mas reconheço que a italianada sangue quente mete os pés pelas mãos e, a despeito de uma competência fenomenal em manter-se com estilo, muitas vezes bota tudo a perder com vaidades e desavenças ginasiais. A solução é mesmo escolher os melhores profissionais e a eles oferecer os melhores recursos. O resto é série B.


Haja motivação...
A verdade é que a conquista de um título é desejada pela torcida, mas é só um pano de fundo para atletas que tem como objetivo conseguir uma boa transferência ao exterior, de preferência ao sonho dourado europeu. Fato inexorável.

Quando um time monta um elenco recheado pra aguentar bem uma competição como o brasileiro (mais Copa do Brasil) e não decair de desempenho nas corriqueiras contusões, suspensões ou convocações (tivemos todas!), tem que ficar rebolando pra “motivar” jogadores que supostamente ficam descontentes na reserva...

E como se não bastasse, ao segurar seus talentos pra conquistar aquilo que realmente importa ao torcedor – o título – tem que agir novamente pra “motivar” o jogador a ficar e continuar jogando bem, isso quando tem cacife pra pagar a brincadeira, lógico. Se não não, é taxado de time limitado, ou que cedeu ao desmanche. E é lógico, a culpa é sempre do mal administrado clube...


A destreza do Cuca
Entrar com o Moisés como 2º volante/ meia (uma das melhores contratações)
Colocar o Dudu como capitão (deu a confiança que ele precisava).
Conversar com jogadores que receberam propostas pra manter a motivação.

Resolver a finalização do Roger Guedes é questão de tempo.

O Palmeiras inovou jogando com só 1 volante (pouco observado pela imprensa), o que por vezes até sobrecarrega o Moisés, mas é um esquema de jogo que há décadas não tínhamos.

Agora encaixou com o Thiago Santos e o Tchetchê, liberando o Moisés pra meia ofensivo, que ainda assim auxilia na marcação liberando Dudu, Roger e Erik (ou Gabriel) pra frente. E finalmente o Cleiton entra pra resolver.


Nossa espinha dorsal passa por Victor Hugo, Jean, Tchetchê, Moisés e Dudu. Mas a verdadeira força vem da qualidade na reposição de jogadores. Mérito de uma diretoria que soube contratar e melhor, soube manter... o que as vezes é ainda mais difícil.

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Joga muito!!!

Aaaahhh fratellada!!! Está ou não está merecendo, esse time, uma grande conquista? Líderes em gols pró, assistências, vitórias como mandante, como visitante... não são poucas as virtudes o Palmeiras agrega nessa temporada, algo que nos dá mais do que esperança, dá confiança!

Alguém aí disse que o Atlético-PR era invicto em casa? ERA. Depois do Palmeiras com Jaílson, Victor Hugo, Moisés e Dudu, não houve chance pro time paranaense. Ou melhor, até tiveram chances, que pararam nas mãos de mais um arqueiro fenomenal.

O Cuca? Ah o Cuca... acertou em cheio ao colocar o Dudu como capitão, que com a confiança extra fez ainda melhor o que melhor sabe fazer: levar o time ao ataque e dar lindas assistências. Da defesa ao ataque, todos de parabéns. Até o Roger Guedes. Não esquenta não Roger... você é jovem e vai ganhar constância com o tempo.

No resto é parabenizar também a TORCIDA PALMEIRENSE, que compareceu em peso à casa adversária ajudando a empurrar o time à vitória. Em casa então, será monstruoso.

ESSE TIME JOGA, ESSA TORCIDA REPRESENTA!!! Essa é a LUZ que ilumina nosso caminho. Da eficiência, da competência, do desafio e da conquista. ASSIM SE FAZ HISTÓRIA, ASSIM SE TORNA REFERÊNCIA!!! AVANTI PALMEIRAS, SEMPRE JUNTOS!!!!

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Oportunidades nascem da dificuldade

Olha lá! Olha lá a chance do Cuca escalar o Rafael Marques no ataque. Olha lá a chance de encaixar o Roger Guedes na velocidade. Problemas surgem diariamente, a suspensão do Alecsandro, a contusão do Barrios. Mas deles temos que tirar proveito!

Rafa, diga pra mim: quando é que jogaste o melhor pelo Palmeiras? Quando usou a cabeça dentro da área. Entendeu? Volta lá queridão. O Roger Guedes é um tremendo jogador mas, ainda jovem, precisa de mais orientação pra evoluir na parte tática.

Eu não pensaria 2x em escalar Moisés, Dudu, Roger e Rafa contra o Atlético-PR, guardados por Thiago Santos e Tchêtchê. Segundo tempo podemos pensar num Allione, num Cleiton ou num Erik. Ou ainda num Matheus Salles se a intenção for fechar a defesa. E pronto.

Mais importante é manter o fôlego pra não dar mais ânimo aos adversários. Mostrar que temos força pra recuperar e avançar. Trabalho neles Cuca!

Torcer pelo quê?
Apenas uma lembrança... ouvindo comentários esportivos sobre a rodada do fim de semana ouvimos que o time da ZL mais uma vez saiu na vantagem por não ter um pênalti marcado contra si, num momento igual ao passado, onde o goleiro deveria ter sido expulso. Pra variar, o juiz aliviou.

Com o empate ouviram as vaias de uma torcida que vive a declarar amor incondicional. Quando se surfa na marola da vitória é fácil cantar proeza. Mas na primeira trovoada a “paixão” se revela, incapaz de se manter sem o sucesso que infla. A verdade como ela é, não como alguns gostariam que fosse.

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Respondendo na hora certa

Ae sim! O time joga em casa e responde na hora certa. Temos agora 1 semana pra afinar esse padrão. Finalmente o Dudu acordou. E o Barrios também resolveu fazer o que veio aqui fazer, jogar bola.

Como bem lembrou o Cuca, a queda que o Palmeiras teve deveu-se a perda de vários jogadores, além do Jesus e do Prass. Tivemos a ausência do Tchetchê e do Moisés, além do Dracena e do Mina. Perdemos titulares de várias as posições!

Com a volta do Moisés e do Tchetchê, aliados a liderança do agora capitão Dudu (excelente decisão do Cuca que lhe outorgou a confiança que ele precisava!) e de um Barrios revitalizado, retomamos algo do padrão habitual.


Ainda continuo achando o Cleiton lento, mas a sequência de partidas vem melhorando seu futebol, vamos ver o que teremos nas próximas rodadas. Contando com um treinador que não só trabalha nas 4 linhas, mas na motivação necessária fora delas, temos a esperança de contar com um time determinado ao objetivo do campeonato, além das propostas que lhes chegam e viram a cabeça de qualquer um.

Não sei se virar o primeiro turno garante alguma coisa. Mas sei que nessa posição a chance de termos CASA CHEIA em tudo quanto for jogo em casa (e muitos fora!) aumenta bastante e com isso, a força propulsora do time que, sem ela, definitivamente, não conseguiria os mesmos resultados. Parabéns à FAMÍLIA, parabéns à TORCIDA que empurra esse time e merece a vitória. PALMEIRAS!!!

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Confiança voltando pra casa

Um empatezinho com o Chapecoense pode não ser considerado lá grande coisa, mas pra quem só levava tunda ao visitar o time catarinense, 1 ponto jé é progresso. Principalmente quando se atua com jogadores que não ajudam patavinas e se arranca o empate com um pênalti muito bem cavado.

Na lata: Leandro Pereira só joga enfiado no meio da zaga. Com pouca movimentação acabamos com um jogador a menos. Outra, Cleiton Xavier é muito lento. Possui técnica, vontade ok. Mas a rapidez do futebol moderno toma-lhe a bola como doce de uma criança.

Outro que atrapalhou muito ontem foi o Tchetchê, pois ficar muito afastado da zaga dificultou a saída de bola, atrapalhada pela marcação adiantada do adversário, que presentiu o medo do time após a cagada do gol.


No segundo tempo a entrada do Barrios ajudou bastante. Se ele jogasse sempre assim seria um progresso! Na minha opinião se o Roger Guedes tivesse entrado no lugar do Pereira, já era pro Chaps. Mas, o treinador tem lá sua leitura.

Muitos falam que o Dudu está numa baixa forte. Mas na hora que ele encontrou o esquema, o esquema mudou! O Cuca tem que encontrar um padrão melhor, quem sabe utilizando mais o Allione ou o próprio Barrios, ao lado do Roger Guedes e Moisés.

Seja como for, o futebol tem que ser coeso, solidário, aproximado, paciente, inteligente e rápido quando necessário. São muitas virtudes? Pode ser, mas pra quem quer ser campeão é só uma parte do processo. Agora é jogar em casa pra fechar o turno de olho no que vem pela frente. FORÇA FAMÍLIA, JUNTOS PALMEIRAS!

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Pelo título, pela conquista

Fratellada, deixo hoje aqui uma pertinência no ar: num momento olímpico, percebam como o esporte frequentemente fica relegado a segundo plano, sendo a tragetória “pessoal”, os dramas individuais o principal foco das coberturas esportivas, aí inclusa a venda de Jesus.

Pois é amigos... Jesusfoi vendido. Frase emblemática não é? Pois é... explicita o propósito real do esporte em questão. Render. Conquistas de campeonato são meros panos de fundo de uma pantomima muito bem apresentada aos palhaços que pagam a conta, nós.

De uma notícia bem apropriada, que dizia que alguns atletas, após os esforços da diretoria para não perdê-los ao mercado europeu, haveriam ficado desmotivados pela permanência.

Onde qualquer jornalista vê algo compreensível, o torcedor vê um absurdo, haja vista a disputa em pleno curso de um almejado campeonato.

Mas almejado por quem cara pálida? O verdadeiro troféu do jogador chega através de uma polpuda proposta, taças só servem pra acumular poeira em alguma sala fria. A verdade, como ela é...


Não há desmotivação entre a torcida... há SEDE POR VITÓRIA. E é isso que devemos levar à campo, o Palmeiras precisa de nós tanto quanto a um Jesus. Pois se ele nos trouxe vitória, deve também deixar esperança! Nos preparamos pra isso e temos hoje um elenco qualificado. É hora DE VITÓRIA!!! BORA FAMÍLIA!!!

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

O momento pede nossa presença

Problemas são assim, raramente aparecem sozinhos. Como se não bastasse a contusão do Prass, agora temos um queda natural de rendimento, que precisa rapidamente ser remediada.

O problema é que sem Prass nem Jesus, o esquema com um só volante de contenção fica difícil, nossa marcação fica comprometida. Teoricamente todos devem ajudar a marcar. Mas na prática é diferente. Moisés se desdobra pra marcar e auxiliar na ligação, Thiago Santos também joga com empenho. Mas ainda assim buracos se abrem.

Outra dificuldade vem sendo o meio-campo com o Cleiton, que padece sem a ofensividade necessária. Nessa escalação de ontem, usando Leandro Pereira na frente, essa letargia ficou explícita no primeiro tempo.

Nas substituições, eu não tiraria o Roger Guedes, mas o próprio Pereira, que ficou em campo para nada de mais produzir. Já a entrada do Dudu foi positiva, enquanto o Dracena teve que sair por problema físico.

Perder do Botafogo é um bom indicativo de que ainda não chegamos a um padrão de jogo consistente, o Cuca está longe de poder encostar o burro na sombra. Aliás, burro é quem imaginou que esse campeonato já estaria ganho. Nossa realidade nunca foi fácil e não seria agora que o cenário iria mudar.


O desafio se impõe. Agora é a hora de mostrarmos todo apoio que o time precisar. Estaremos lá, como sempre, com paixão e com vontade. A PRESENÇA AGORA É AINDA MAIS IMPORTANTE. Força Família, que não é de hoje que levamos o time no peito. Bora buscar essa conquista!