quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Esqueçam a Copa. Tudo pelo Brasileiro!

Copa do Brasil para o Palmeiras hoje... É UMA CILADA, BINO!!!!

Se estivéssemos com uma boa vantagem no Brasileiro, ok, poderíamos nos dedicar a 2 competições. Não é o caso! O Flamengo, sabiamente, acabou de abrir mão da Copa Sul Americana e se dedicará fulltime ao Brasileiro. E nós?

Já falei aqui e repito: fosse eu o presidente, deixaria bem claro ao Cuca “faça o que for preciso pra ganhar o BRASILEIRO!". A Copa do Brasil é um torneio muito importante, mas ideal pra quem já perdeu a chance de disputar o principal título nacional e só mira a Libertadores.

A Copa é cruel. De nada adianta chegar em segundo, que recebe o mesmo prêmio que recebe o último ou seja, nada. A não ser que alguém aí comemore bilheteria...

Falando em bom tom: esqueçam a Copa do Brasil. Concentremo-nos no BRASILEIRO. Eu nem teria ido com o time titular pra Porto Alegre, mas se o Cuca achou conveniente, que seja. Afinal, foi um jogo em que só jogamos bem no segundo tempo, quando passamos a pressionar o Grêmio e poderíamos até ter empatado, com um pouco mais de tempo corrido.

Seja como for, já fica o recado. Cuca, põe aí o time pra descansar bem pois o próximo jogo é só na segunda, num importante confronto fora de casa contra o Santa Cruz e sua fidelíssima e animada torcida.

Brasileiro, brasileiro e brasileiro. É só isso que nos importa. O resto é treino pra ele.


segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Imprensa parcial não aceita Palmeiras vencedor

Que a imprensa esportiva brasileira, via de regra, se pronuncia influenciada porpreferências ou interesses próprios (comerciais ou pessoais), é notório. Complicado é quando falta discernimento pra perceber isso.

O Palmeiras sempre foi um time que prima pelo futebol arte, acadêmico. Só que hoje em dia a eficiência do futebol passa por um estilo de jogo que muitas vezes não agrada quem vende o produto televisivo. A paciência de um jogo com mais de 500 passes de bola não é lá uma virtude que a mídia cultive.

Existe uma tentativa nefasta de polemizar pra repercutir. O Flamengo, time de massa, tem vasta linha de defesa dentro das redações, ainda mais do que sua versão paulista. E nada melhor do que eleger um “inimigo da ocasião” pra rechear o pastel que é oferecido a esse público.

Dudu teve grande evolução depois de ser alçado a capitão. Moisés, meia, continua executando a função de volante alternando posição com o Tchetchê, autêntico líbero. O Palmeiras domina e envolve os adversários com um meio-campo inteligente e uma fortíssima defesa, não só com 2, mas 4 zagueiros excelentes. Jean tem uma grande obediência tática e mesmo o Egídio conseguiu substituir bem o excelente Zé Roberto, que cadencia o jogo com sua experiência.

Cuca é o primeiro técnico em décadas (no Palmeiras) que joga com um meia de origem recuado à volância. Aplicou um golpe de mestre ao entregar a faixa de capitão ao enciumado Dudu que via a badalação sobre Jesus projetar uma sombra sobre seu futebol, retomando assim sua motivação. E mais, teve papel importantíssimo pra manter jogadores que receberam propostas de venda (graças a um presidente competente não somos um mero balcão de investimento pra empresários).

Mas isso não é notícia pra imprensa que precisa alisar sua grande massa. Melhor inventar um rótulo estúpido qualquer pra poder polemizar e ficar bem com seu público. E dá-lhe simplificação.

A imprensa fala o que seu público quer ouvir. Compreensível. Mas com um pouco mais de caráter, transmitiria a realidade como ela é, falando também o que o povo tem que ouvir. Mesmo que não seja das cores que gosta.

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Não nos elogiem. Nos provoquem!

Funciona assim pessoal: tudo o que a mídia apresenta torna-se um produto dela. De uma forma ou de outra, ela precisa mostrar sua pauta da forma mais vendável possível. Isso não se ensina no primeiro ano da faculdade, mas aprende-se no primeiro dia de trabalho em qualquer redação.

E como que nós, comunicadores, chegamos aí? Assim: estudamos nosso público, suas preferências e características. Pegamos nosso produto e passamos a maquiá-lo, vestí-lo, emoldurá-lo para melhor ser consumido pelo target, ou público-alvo. E dá-lhe simplificação. Dá-lhe omissão. Dá-lhe emoção com piano ao fundo. Dá-lhe interesses particulares.

E é exatamente assim que funciona na imprensa esportiva. O esporte é seu produto. Na teoria, precisa transmitir ao público “a” realidade, da forma mais fidedigna. Na prática, transmite “uma” realidade que seja mais vendável possível.

Isso explica a babação de ovo eterna para os times “de massa” - SCCP e Flamingau. O Palmeiras, apesar da enorme coletividade, também possui grande rejeição entre esses da massa e as matérias com viés oposto a nós, rendem grande audiência. Falar mal sempre rendeu mais audiência, mas existem pautas permanentes, “alvos-fáceis” de uma demagogia ávida pelo “buzzin” repercutivo.

É por isso irmãos, que hoje a imprensa destila verbetes condecendentes ao “todo-poderoso” da vez, um Flamengo inflado pela verba global e renegociações de dívidas. Seu produto, o campeonato, tem que ser acirrado, a massa deve ser atiçada! E Palmeirinhas, ah... leva sorte no arremesso de lateral.

QUE ASSIM SEJA! Pois fazem nos um enorme favor!!! O Palmeiras, sob holofotes elogiosos perde rendimento! Cai fácil na acomodação.

Dê-nos a injustiça de um comentário como daquele idiota em 2015 que, numa das enfadonhas “mesas-redondas” com a presença de nosso zagueiro Victor Hugo, passou a lamber o Santos tão descaradamente e desprezar nosso time, que quase causou a saída imediata de nosso jogador do programa, indignado com a postura pouco profissional do comentarista. Segundo o próprio Victor Hugo relatou depois, o tema foi fortemente utilizado dentro do elenco, como força motivadora à conquitsa da Copa do Brasil daquele ano. Thanx, sucker!!!

Fratellada: não nos entendem e talvez nunca o farão. Precisam maquiar a realidade pra melhor vender. Que assim seja. Não nos elogiem. Nos provoquem! Deem-nos uma imprensa parcial em favor de nosso inimigo. Deem-nos um Viola imitando porco! E aí sim, mais e mais nos uniremos. E quando o Palmeiras se une, ninguém o vence.

domingo, 18 de setembro de 2016

Deixamos sangue, trazemos a vitória!

Fratellada... se me permitem, não farei aqui mais do mesmo analisando nossa espetacular vitória, ou tecendo loas ao desempenho da equipe. Deixemos para depois.

Gostaria apenas de prestar uma singela homenagem ao time que nos agraciou com 3 derrotas na mesma temporada e que, ao longo da história, tem nos dado tanta alegria... a quem não advinhou, darei umas dicas:

Um time que surgiu a partir da dissolução de outro pela polícia (um tal Botafogo da várzea paulistana em 1910);
Que mesmo com uma enorma torcida “do povo” levou mais de 100 anos pra conseguir um estádio e só o fez por conta de uma Copa do Mundo e pedaladas de um presidente (Lula) torcedor;
Que conta com o beneplácido da mídia e até de arbitragens interessados no apoio “do povo”;
Que nasceu para ser um time de “todos” e se tornou a maior representação dentro do sistema carcerário;
Que mantivemos na fila em 74;
Sobre o qual saímos da fila em 1993;
Sobre o qual fomos Campões Brasileiros em 1994;
O qual eliminamos espetacularmente da Libertadores em 2000;
E reeliminamos na Libertadores seguinte;
De quem tomamos o (autoproclamado) 1º Campeonato Mundial de Futebol;
Saudações a quem mais adoramos vencer em sua própria casa,
Onde DEIXAMOS SANGUE E LEVAMOS A VITÓRIA!

Obrigado ao SCCP. Há mais de 100 anos fazendo a alegria do torcedor Palmeirense.

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Paulo Nobre é o cara!

Paulo Nobre é o presidente que todo torcedor gostaria para seu time.

O cara tem condição uma financeira privilegiada.
Ainda mais, tem coragem de colocar essa condição a serviço do Palmeiras, sem ser idiota de arriscar tudo a perder mas sem interesse em fazer dinheiro com isso.
Não se rendeu à organizada. Trabalhou incansavelmente pela mudança administrativa interna do clube, principalmente no setor social, onde implementou o sistema de excelência profissional em diversas áreas.
Trouxe ao clube com os mais modernos equipamentos para preparação e recuperação física, bem como novos protocolos de tratamento. Também trouxe grandes patrocínios.
Não aceita e confronta a porcaria da WTorres
É inteligente pacas. Tem a capacidade de reconhecer os erros.
É humano e como todo Palmeirense, o sangue ferve pela paixão!

O episódio em que ele EXPULSOU O FLAMENGUISTA que quis transgredir a determinação de TORCIDA ÚNICA expondo propositalmente o risco de uma represária que pudesse trazer alguma punição o time foi emblemático. Visto com nariz torcido pela impren$inha, visto com PAIXÃO pelo torcedor mais empedernido.

Paulo Nobre... VOCÊ É O CARA. Mamma mia, o cara é sensacional. Vejam nosso histórico de presidentes pra termos noção do abismo. O Beluzzo por exemplo, um grande literato, soltou o seu famigerado “vamo matar bambi”.

Lembro do Palaia falando ao então técnico do Palmeiras, Tite (2006), que deveria “falar menos e treinar mais”, o que causou a demissão imediata do cidadão. Ou preciso lembrar do Banana de Pijama ou do Musgambá, pra melhor nos situarmos?

Presidente, é lógico que fizeste certo em pedir uma sutil desculpa. Mas pra nós, FOI ESPETACULAR. Manda embora mesmo! VAZA DAQUI CARNIÇA! Vai burlar a lei lá no seu estado de sítio da Guanabara!!! Arrasto do país!

Na boa, CHUPAURUBÚ. Quis pagar de bonitão e saiu esculachado. O dia em que a Nobreza desceu do cavalo e mandou às favas as convenções. Nada mais humano. Nada mais apaixonadamente palmeirense. ESSE É NOSSO PRESIDENTE!

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

A hora de uma boa conversa

O Palmeiras fez uma péssima partida ontem. Empatamos, mas deveríamos ter beliscado os 3 pontos. Menos mal, seguramos o avanço do adversário.

É nervosismo, é a vontade de resolver sozinho. Falhas (como a do Zé Roberto e da defesa no gol que sofremos) acontecem, mas são fatais. O que não pode acontecer é termos tanta força ofensiva sem conseguir converter isso num perigo real ao adversário!

Dudu, Roger Guedes e Jesus formam um trio ofensivo que pode e deve render mais! Jogamos certinho com Moisés e Tchetchê mas o meio campo, apesar de ter dominado o setor, não foi capaz de abastecer o ataque.


Prefiro nem comentar as substituições pra não falar mais do mesmo. São as peças que temos, devem ser mandadas ao jogo. Mas que lástima, não conseguimos mudar o panorama do jogo com Barrios ou Xavier. Fazer o que? Isso é pro Cuca decidir. Talvez a confiança engrene um bom futebol. Ou não...

É duro buscar argumentos, mas o importante é valorizar o campeonato e não chacoalhar demais o barco. Agora é que veremos o que o treinador pode fazer, a partir das correções de falhas óbvias que temos no toque de bola no ataque.

Já havíamos tido vitórias com bola parada. Foi um indicativo. Agora está explícito. Ou esse ataque se entende ou perderão uma das maiores oportunidades da vida. A bola tá contigo Cuca, chame pra conversa e destrave esse ataque! 


quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Colossal Nacional. Um clássico histórico

No dia 09/12/1979, meu aniversário de 7 anos, havia uma rodada e tanto na TV. O Palmeiras iria ao Maracanã enfrentar um forte e bem montado Flamengo. Eu já havia ido ao estádio algumas vezes e já acompanhava as rodadas de forma permanente. E esse jogo foi televisionado, no dia do meu aniversário.

Não preciso falar o resultado, é histórico. O fato é que dali em diante, de forma inexorável e inquestionável, minha paixão se confirmava. A partir dali eu já sabia. Pode cair um cometa na minha cabeça, mas sempre serei palmeirense.

É engraçado como alguns eventos podem mudar ou determinar o decorrer de toda uma vida. O jogo de hoje não é uma final. Pontos corridos exige uma constância que vai além da empolgação que o momento traz. Tudo bem... mas fala isso pro coração palmeirense!

FAMÍLIA!!! Família linda que hoje estará não só no SOLO SAGRADO do Parque Antárctica/ Palestra Itália/ Allianz Parque mas espalhada por todo o mundo torcendo, com o coração na boca, COMEMORE. Independente do resultado – e que seja a vitória! - comemore nossa volta ao protagonismo e que dele não mais nos afastemos tanto como outrora fizemos.

Protagonismo, referência, LIDERANÇA. É parte de nosso espírito, de nossa história!!! Sempre fomos e seremos assim, os do caminho próprio, do estilo único... quer verba pública pra estádio pedalada? NÃO OBRIGADO. Quer renegociar a dívida fiscal e se ajoelhar pra TV? NÃO OBRIGADO!!!!

Isso é Palmeiras!!! É POR ISSO que torcemos. Vai muito além dos 11 em campo, uma filosofia, um jeito de enfrentar a vida, um jeito de forjar o caráter e formar essa família!


TIME!!! ESTAREMOS JUNTOS. Talvez vocês não tenham exata ideia do que defendem. Do tamanho dos valores que essa camisa carrega. Mas saiba que em cada grito, em cada canto de incentivo há essa força, que vem da paixão, do coração e de uma história GIGANTE que hoje escreve mais um capítulo. Boa sorte Flamengo, sempre fizemos grandes prélios! SCOPPIA PALMEIRAS, AMOR ÀS TUAS CORES, TEUS VALORES!!!!! AVANTI FAMÍLIA!


terça-feira, 13 de setembro de 2016

Sara´ una brutta sera!

A dureza do prélio não tarda. A frase é de nosso hino. Vida fácil, em sombra e água fresca é algo que nossa família pouco conhece. O próprio Palestra Itália foi fundado no início da 1ª Guerra, tendo enviado (e perdido) muito de seus associados (e até jogadores) ao conflito.

Até mesmo as músicas antigas ressaltavam a beleza dentro de uma vida duríssima. Graças a Deus e os esforços inimagináveis de nossos antepassados, já deixamos essa época para trás. Mas ficou a lição. De uma época onde a “dureza” da vida, embora não desejada, era melhor suportada.

Hoje cá estamos nós, amaciados pela mídia e pelo sofá. Pela televisão e pelo macarrão. Mas o Palmeirense tem algo a mais. Tem a consciência de que ou avança ou sucumbe. O futebol hoje é para gigantes e quem não se adaptar a esse molde, viverá apenas de revelar um ou outro jogador e participar de torneios como eterno coadjuvante.

Há clubes (Flamengo e SCCP) que estão com enorme vantagem financeira pela discrepância na distribuição da verba da TV (cada um recebe 170 milhões) além da folga financeira adquirida com a recente renegociação das dívidas junto ao governo pedalada.

O Palmeiras, ainda que agraciado por sua grandeza, vive um momento ímpar. Consegue com recursos próprios inserir-se no futuro, com estádio, CT, e até mesmo estatuto novos. E uma nova forma de administrar (que esperamos permanente!). Mas o mais importante, uma torcida mais engajada e apaixonada, ciente de sua nova realidade e das superações pelas quais passou.

O Flamengo é um grande time (com uma enorme vantagem financeira). Tem seus méritos e sua competência! E tem também lá seus cheirinhos. Nós, porquinhos, também temos o nosso... mas é um aroma de flores que vem da montanha. Um VIVA a toda coletividade, tutti fratelli, e a todo esse BELO PRÉLIO, que nos resgata memórias de um tempo árduo, mas de grande valor! Quel mazzolin di fiori!!! AVANTI FAMÍLIA!!!!


Amanhã mais sobre a partida!

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Defesa! Defesa!

Todos sabiam que enfrentar o Grêmio em casa depois de terem levaram uma sabugada não seria nada fácil. A vontade... sempre ela, impera, motiva e manda pra cima. Mas ficaram em nossa defesa, monumental.

Passamos sufoco, lógico. Mas tendo jogado sem o Jean tivemos que improvisar o Gabriel/ Tchetchê na lateral direita, o que me pareceu bem acertado por parte do Cuca. Mas sacrificou o jogador, que acabou numa de suas atuações mais fracas. Tudo bem Tchetchê, estava fora de sua posição, entendemos.

No restante o que falar? O que sempre falamos: time que quer ser campeão precisa se preocupar PRIMEIRO e essencialmente com a DEFESA. Sei que parece meio anacrônico, mas é assim*. E assim estamos fazendo pois temos reposição. Nosssa zaga é composta de Victor, Mina, Dracena e Martins. Nosso maior mérito está justamente na qualidade de reposição do setor.

Por isso Palmeirense, MEU IRMÃO PALMEIRENSE, acredite. Acredite muito! Você torce para um time legitimamente campeão, de elevados valores e montado de uma forma como há muitos e muitos anos não víamos!

Quarta-feira não será a final do Campeonato. Será sim um jogo de 6 pontos. Mas não adianta achar que a batalha termina alí. Temos que ter INTELIGÊNCIA EMOCINAL pra não esquercer que o campeonato é de PONTOS CORRIDOS e não mata-mata.

Por isso, vencer quarta é fundamental. Só que ainda mais importante é não baixar a guarda no restante do campeonato, isso sim! Noutras palavras, uma vitória trará a imprensa contando “é campeão” em verso e prosa. PURA SECAÇÃO!!! Não caiam nessa!!!

NOSSO Verdão é LUZ. LUZ da ESPERANÇA num mundo mais verde, harmonioso e unido, onde haja mais arte e esporte e menos picaretagem e trapaças. E é por isso que estaremos no Allianz mais uma vez nesta quarta-feira (estarei no 505A, P14 quem quiser pode colar). Não apenas para torcer para um time, mas por um projeto, uma filosofia, UMA FAMÍLIA, que canta, vibra e ilumina! AVANTI PALMEEEIRAAAAAS!!!!


* Chris Anderson e David Sally em "Os números do jogo", editora Paralela, 2013.

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

3 Nobres pontos

Sejamos sinceros... o Gabriel entrou no segundo tempo e, mesmo não fazendo gol incendiou a partida e deu ao time a disposição que precisava. E não teríamos ele em campo não fosse a disposição do presidente em buscá-lo de avião particular pra trazê-lo de Manaus. Só nós temos.

De virada é muito mais gostoso, ainda mais contra os tricoletes em casa. Casa aliás que já lhes rende calafrios, haja vista a quantidade de derrotas que ali sofreram. Perder pro tricolete em casa é coisa do estádio passado!

Perdemos alguns gols fáceis, e precisamos treinar a pontaria. Melhorar essa finalização é fundamental! Já não é a primeira partida que vencemos com gols de bola parada que, apesar de trazerem a mesmíssima vitória, denunciam a dificuldade em concluir ao gol com mais eficiência com a bola rolando. Atenção nisso Cuca!


Outro ponto a se ressaltar é a defesa que jogou muito bem, apesar do gol sofrido. Já disse e repito: time que pretende ser campeão precisa se preocupar primeiro com a defesa, em tê-la forte e bem fechada. Aì temos uma grande vantagem: perdemos Mina pro próximo jogo, mas temos Dracena e Thiago Martins pra recompor. Essa vantagem é só nossa.

Vencer um Campeonato Brasileiro é dificílimo. A perseguição ao líder continua implacável mas suspeito que nossas peças de reposição farão a diferença no final. Além é claro, do jatinho particular do presidente Nobre, que pra mim, sinceramente, deveria ser eleito presidente vitalício. Quem não concorda que cite outro nome capaz de fazer pelo Palmeiras o mesmo que ele já fez.


ESSE É O PALMEIRAS, PARA O QUAL QUE SEMPRE TORCEMOS... E TORCEREMOS!!!!


segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Palmeiras, sob ataque

Apenas pra jogar uma luz no tema, desvelando os interesses que norteiam a publicação de uma pauta ridícula como essa: No meio do campeonato, soltam a notícia do interesse do treinador em voltar ao exterior. Por que e pra que uma notícia dessas agora? São 3 as respostas:

1) porque é naturalmente polêmica e vende manchete;
2) pra dificultar a vida do líder na tabela, pois nada pior do que um campeonato onde não haja disputa pela liderança;
3) pra causar comoção e fazer a diretoria se mexer e iniciar conversas com o treinador.

A notícia não é nova. Vindo pro Palmeiras com um contrato enxuto, Cuca sempre declarou que não pretendia terminar aqui suas andanças pelo mundo. Está certo, tem todo e absoluto direito.

Só que não foi ele que procurou a imprensa pra dizer isso. Ele apenas respondeu a mesma pergunta que sempre lhe foi feita, da mesma forma como vinha fazendo. A “canalhice” está na escolha do momento e na forma como se divulgou, da forma mais escrota e provocativa possível (no contexto “contando minutos pra ir embora”, até com foto pra ilustrar!).

Isso foi SUJO, mas longe de ser novidade na prática midiática, que sempre elege a venda da notícia acima de sua correta explicação. O leitor que se vire pra descobrir a realidade subjacente em suas linhas vendedoras. Ou não, que se dane.

Cuca não está contando minuto algum pra sair do Palmeiras. Técnico novo que é, sabe que a projeção de um título brasileiro e mais, a chance de disputa (com força!) de uma Libertadores por um time como o Palmeiras, é algo que lança o treinador um patamar acima. Sabe que terá mercado numa China da vida tranquilamente, quando quiser. Mas encontrar um clube nacional com as condições que o Palmeiras reúne hoje, não é qualquer hora. E diga-se de passagem, não ganha nenhuma pinguinha de salário, mas algo bem polpudo.

O tempo está ao lado do Cuca. Tem o melhor presidente que um clube pode querer, um time bem montado (alinhado e com a sua cara) em mãos e que deve ainda ficar melhor. Um clube com rendas invejáveis, com uma estrutura TOPO entre qualquer outro clube nacional e que ainda está sendo ampliada! Será que ele realmente está contando minutos pra sair, ou pra vencer mais uma?

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Mimados da arquibancada

Na lata sem dó: torcedor que vai ao estádio com o time em primeiro lugar no campeonato e começa a vaiar só porque o time não marcou gol no primeiro tempo é INFANTILÓIDE E MIMADO.

Aliás, vivemos numa sociedade TREMENDAMENTE MIMADA (sou da geração do merthiolate que dói), constantemente acariciada por uma mídia que distorce sua imagem pra que fique mais bonitinha na fita. Não é bonitinha... é feia pra cacete. E nós seguimos deslumbrados com o retrato que nos é oferecido...

Categoricamente: FUTEBOL NÃO É SHOW. COMPETIÇÃO ESPORTIVA NÃO É SHOW!!! Quer ir a um show, vá a algo em que não haja adversário: teatro, cinema, espetáculo musical... aí sim pode-se cobrar por um “show”, afinal foi ensaiado à exaustão e, como já disse, não há adversário pra atrapalhar!!!

Não chamo mais de amendoim nem de corneta. Afinal, até mesmo os cornetas esperavam pra vaiar no final e não precocemente. São os MIMADOS DA ARQUIBANCADA. É o pessoal que “pago caro e quero ver show, se virem”. VÃO PRO INFERNO ISSO SIM!!! Ensina eles Cuca!


Esporte é LUTA (não briga!), é SUPERAÇÃO e não um showzinho para um bando de mimados que quer papinha na boca. Os técnicos ENFATIZAM ISSO!!! Hoje em dia pra VENCER precisa-se muitas vezes adotar um futebol de paciência, de toques exaustivos. É assim!!! Se ficarmos com esse bando MIMADO que não entende esse processo, estaremos sempre a mercê da ANSIEDADE que só afasta as vitórias!!!

E o que mais me surpreende é que é a organizada, sempre criticada e espinafrada que assume a postura mais madura na comemoração, embora ainda vá às vias de fato. Quem dera tivessem apenas voz e não punhos... seja como for, no gogó dão de 10x0 nos bancadistas gerais, sentadinhos que ficam esperando seu show...

Me fiz claro? Cada um torce do jeito que quer, lógico. Mas se for pra torcer olhando pro próprio umbigo, que o faça longe do estádio por favor. De preferência quando for ao banheiro... e tranque a porta.

Gabriel Jesus
Ahhh Gabriel o que falar agora? Volte pro Gran Finale e depois, como diz Salomão Schwartzman, seja feliz!

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Vai pro ataque, Marques!

Num jogo onde o time nitidamente se poupou no primeiro tempo, o Palmeiras ganhou, digamos assim, quando quis. Vamos direto àss observações pertinentes:

O Moisés está sobrecarregado. Fosse o Cuca, eu pensaria melhor e o deixaria no meio campo mais avançado, com Thiago Santos (Gabriel/Arouca/Matheus Salles) de primeiro volante, Tchetchê de segundo volante dando retaguarda.

O Cleiton Xavier, definitivamente, não dá. Precisa passar por uma reciclagem ou algo que o valha. Não se posiciona direito, não dá assistência, erra passe, uma tragédia. O Erik também é outro que precisa dizer a que veio.

Rafael Marques. Não falei que é atacante?!! Atacante pô!!! Demorou pra achar a posição hein Rafa? Agotra pensa bem, você acha que deve voltar ao meio campo? Bora cabecear, sofrer pênalti e fazer gol moleque!!!

O Tchetchê merecia aquele golaço! Jogador humilde e voluntarioso, daqueles que não deixa o sucesso subir à cabeça e arrebenta nas 4 linhas. Parabéns Tchetchê, vais longe assim!!!


A torcida, excepcional etc etc. Mas ao fim do primeiro tempo onde o time tocava a bola num enervante 0x0, alguns ENERGÚMENOS soltaram algumas vaias, que foram prontamente abafadas (pela organizada, que sempre canta mais do que qualquer um no estádio, verdade seja dita). A esses eu peço: ao invés da vaia, incentivo!!! Sinceramente é vergonhoso ver nossa torcida copiar o pior das outras. 

Finalizando...no jogo de volta lá na Paraíba, agora sim, podemos muito bem poupar alguns jogadores. Eu pouparia Victor Hugo, Zé Roberto e Jean, Tchetchê, Moisés e Dudu, que representam nossa espinha dorsal e estão sempre atuando.

Embalados e motivados, vamos nós aos clássicos!!! Agora sim começa a esquentar!!! BORA LOTAR O ESTÁDIO, FAMÍLIAAAAAA!!!!