segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Não nos elogiem. Nos provoquem!

Funciona assim pessoal: tudo o que a mídia apresenta torna-se um produto dela. De uma forma ou de outra, ela precisa mostrar sua pauta da forma mais vendável possível. Isso não se ensina no primeiro ano da faculdade, mas aprende-se no primeiro dia de trabalho em qualquer redação.

E como que nós, comunicadores, chegamos aí? Assim: estudamos nosso público, suas preferências e características. Pegamos nosso produto e passamos a maquiá-lo, vestí-lo, emoldurá-lo para melhor ser consumido pelo target, ou público-alvo. E dá-lhe simplificação. Dá-lhe omissão. Dá-lhe emoção com piano ao fundo. Dá-lhe interesses particulares.

E é exatamente assim que funciona na imprensa esportiva. O esporte é seu produto. Na teoria, precisa transmitir ao público “a” realidade, da forma mais fidedigna. Na prática, transmite “uma” realidade que seja mais vendável possível.

Isso explica a babação de ovo eterna para os times “de massa” - SCCP e Flamingau. O Palmeiras, apesar da enorme coletividade, também possui grande rejeição entre esses da massa e as matérias com viés oposto a nós, rendem grande audiência. Falar mal sempre rendeu mais audiência, mas existem pautas permanentes, “alvos-fáceis” de uma demagogia ávida pelo “buzzin” repercutivo.

É por isso irmãos, que hoje a imprensa destila verbetes condecendentes ao “todo-poderoso” da vez, um Flamengo inflado pela verba global e renegociações de dívidas. Seu produto, o campeonato, tem que ser acirrado, a massa deve ser atiçada! E Palmeirinhas, ah... leva sorte no arremesso de lateral.

QUE ASSIM SEJA! Pois fazem nos um enorme favor!!! O Palmeiras, sob holofotes elogiosos perde rendimento! Cai fácil na acomodação.

Dê-nos a injustiça de um comentário como daquele idiota em 2015 que, numa das enfadonhas “mesas-redondas” com a presença de nosso zagueiro Victor Hugo, passou a lamber o Santos tão descaradamente e desprezar nosso time, que quase causou a saída imediata de nosso jogador do programa, indignado com a postura pouco profissional do comentarista. Segundo o próprio Victor Hugo relatou depois, o tema foi fortemente utilizado dentro do elenco, como força motivadora à conquitsa da Copa do Brasil daquele ano. Thanx, sucker!!!

Fratellada: não nos entendem e talvez nunca o farão. Precisam maquiar a realidade pra melhor vender. Que assim seja. Não nos elogiem. Nos provoquem! Deem-nos uma imprensa parcial em favor de nosso inimigo. Deem-nos um Viola imitando porco! E aí sim, mais e mais nos uniremos. E quando o Palmeiras se une, ninguém o vence.

6 comentários:

  1. Galluzzi falou tudo, sou fã do esporte, futebol principalmente(onde amo o PALMEIRAS), mas sao poucos os profissionais na imprensa esportiva, Cereto, Mauro Cezar, a maioria dos ex-jogadores, todos são parciais nas suas analises. Cereto vem secando escancarado o Palmeiras, o Mauro é covarde, ataca a gestão e o torcedor, mas esse ano vão ter que mudar de profissão pq o PALMEIRAS VAI SER CAMPEÃO!!!
    Me preocupa a eleição, que vem alguem para manter funcionando o que implantou o Nobre.Abração!!!

    ResponderExcluir
  2. Pois é Mineiro, compartilho da tua preocupação, ainda mais sabendo da pouca memória que nosso povo tem. Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Galluzzi, vim aqui so pra contar que o ridiculo Mauro Cezar depois daquela catracada que tomou do CUCA em bloqueou no twitter apos eu mandar uma mensagem pra ele assim: "Um lateral incomoda muita gente dois laterais incomodam muito mais...." ele apelou kkkkkk.....

      Excluir
    2. Pois o novo post é justamente pra ele, Mineiro! Rá!!! Valeu, abs!

      Excluir
  3. E aí Galluzzi, tudo certo? A imprensa sempre contro o Verdão, exaltando a campanha dos "Urubus" e dizendo que nos caímos para terceiro nesse segundo turdo, sem levar em consideração a tabela que tínhamos, só pedreira, vamos ver agora que eles vão pegar as pedreiras e ver como se saem, o Palmeiras que não pode vacilar e perder o foco, principalmente agora que vai jogar com a parte de baixo da tabela, tem que exorcizar de vez esse complexo de "Robin Hood" de ressuscitar defunto, tem que partir pras cabeças e ganhar com propriedade.
    Com relação a sucessão, pelo que andei lendo, a tendencia é ter chapa unica, já que candidato do Nobre parece ser de consenso e tem bom relacionamento com a CREFISA, creio que com isso pelo menos a base do que temos hoje vai ser mantida.

    Abraço,

    Denilson

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí Denílson, beleza? Cara, a imprensa se morde de ódio de campeonato em pontos corridos e a última coisa que eles querem é um time que se mantenha na ponta, como aconteceu em prévias edições. Por isso, o que puderem fazer pra "engrossar o caldo", farão. Quanto mais times disputando a liderança, maior a audiência. Essa é a equação, capito fratello?!

      Quanto ao Galiotti, já é. LONG LIVE PROFISSIONAL EXCELLENCE. Palmeiras RULES. Abs!

      Excluir