terça-feira, 13 de setembro de 2016

Sara´ una brutta sera!

A dureza do prélio não tarda. A frase é de nosso hino. Vida fácil, em sombra e água fresca é algo que nossa família pouco conhece. O próprio Palestra Itália foi fundado no início da 1ª Guerra, tendo enviado (e perdido) muito de seus associados (e até jogadores) ao conflito.

Até mesmo as músicas antigas ressaltavam a beleza dentro de uma vida duríssima. Graças a Deus e os esforços inimagináveis de nossos antepassados, já deixamos essa época para trás. Mas ficou a lição. De uma época onde a “dureza” da vida, embora não desejada, era melhor suportada.

Hoje cá estamos nós, amaciados pela mídia e pelo sofá. Pela televisão e pelo macarrão. Mas o Palmeirense tem algo a mais. Tem a consciência de que ou avança ou sucumbe. O futebol hoje é para gigantes e quem não se adaptar a esse molde, viverá apenas de revelar um ou outro jogador e participar de torneios como eterno coadjuvante.

Há clubes (Flamengo e SCCP) que estão com enorme vantagem financeira pela discrepância na distribuição da verba da TV (cada um recebe 170 milhões) além da folga financeira adquirida com a recente renegociação das dívidas junto ao governo pedalada.

O Palmeiras, ainda que agraciado por sua grandeza, vive um momento ímpar. Consegue com recursos próprios inserir-se no futuro, com estádio, CT, e até mesmo estatuto novos. E uma nova forma de administrar (que esperamos permanente!). Mas o mais importante, uma torcida mais engajada e apaixonada, ciente de sua nova realidade e das superações pelas quais passou.

O Flamengo é um grande time (com uma enorme vantagem financeira). Tem seus méritos e sua competência! E tem também lá seus cheirinhos. Nós, porquinhos, também temos o nosso... mas é um aroma de flores que vem da montanha. Um VIVA a toda coletividade, tutti fratelli, e a todo esse BELO PRÉLIO, que nos resgata memórias de um tempo árduo, mas de grande valor! Quel mazzolin di fiori!!! AVANTI FAMÍLIA!!!!


Amanhã mais sobre a partida!

Nenhum comentário:

Postar um comentário