sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

À vida, CAMPEÕES!

Ahhh vida, esse conjunto inesgotável de sensações, que nos carrega numa montanha russa de emoções, do prazer à dor num átmo de tempo. Inexoravelmente seguimos, pois ela nos leva, nos carrega, nos arrasta incólume a qualquer sentimento que tenhamos.

Assim seguimos, porque não podemos parar. Se assim fosse congelaríamos o tempo naquele domingo a noite. Mas a vida não é assim, e assim seguimos...

Não se sabe ainda se a última rodada do campeonato irá mesmo acontecer ou haverá um forfair geral. Seja como for, nosso futuro já está sendo desenhado.

Cuca saiu. Que merda! Quis curtir a família, tem todo nosso respeito. Obrigado, obrigado e muitos obrigados! Foste sensacional e será inesquecível! Mas sinceramente, jamais vi um técnico com tamanho sucesso abandoná-lo assim no meio do caminho. Sim meio, pois o Brasileiro é também um caminho e todos sabemos para o que. 

Tudo bem Cuca. Quando puder voltar, avise. Só não sabemos a situação em que o time estará. Tomara que esteja bem com seu novo treinador, afinal não podemos torcer contra! Ou que coincida com o fim natural de mais um ciclo.

Sinceramente, eu gostaria de ver o Valentim e o Cuquinha tocando o barco, mexendo pouco no esquema bem montado pelo Cuca. Aí sim seria mais fácil seu retorno. Mas a diretoria prefere apostar em outro nome, vamos ver.

Até a manhã desta sexta feira parece ser o Eduardo Batista, filho do Nelsinho, o mais cotado. Roger Machado chegou a ser procurado mas fechou com o Atlético-MG.

É bom esse Eduardo? Não posso dizer com precisão, mas trata-se de um treinador “nova geração”, adepto as novas leituras do futebol moderno. Sinaliza um direcionamento semelhante ao que tivemos com o Cuca, buscando profissionais longe do estereótipo “treinador defasado” que dominou a categoria nos últimos anos por aqui.

Olha não sei não... é uma tarefa dificílima, pois encontrará uma torcida que NÃO queria o último treinador fora. Isso é incomum! O desafeto com os treinadores que saem (normalmente demitidos) propicia uma “lua de mel” com o novo, pela própria repulsa ao anterior. Isso não haverá agora.

Então, seja lá quem vier, que se prepare, pois encontrará uma torcida felicíssima pelos títulos recentes, mas hiper crítica em relação ao trabalho de quem aqui chegar. Somos a Oxford, a Berkley, a Yale dos clubes. Quem aqui chegar, terá muito que ralar, um tremendo desafio! Mas assim é a vida, que segue, impossível de ser congelada, apenas vivida. AOS CAMPEÕES, DE TODAS AS DIMENSÕES, NOSSA GRATIDÃO. A VIDA SE FAZ DE MEMÓRIAS E ELAS SÃO ETERNAS.

12 comentários:

  1. Daew Galuzzi, tudo certinho?
    Olha não sei, vou torcer obviamente pro cara, mas to com o pé muito atrás, falaste muito bem da situação atual, e o prélio é duro, eu também preferia que o Valentim assumisse, e que pudesse ter o irmão do Cuca (Cukinha) como auxiliar, mas vamos ver o que vai dar. Um detalhe que tem que ser evidenciado é que, ao menos é o que parece, o elenco será ainda mais reforçado, e desta vez em posições em que não tivemos grandes destaques (Esse Guerra que está vindo é muito bom, tomara que venha mesmo) então a cobrança será ainda mais forte, porque reclamar de elenco (Como o Felipão e outros faziam) não vai poder, então vai ter que mostrar competência!
    Então é isso, grande abraço!
    PARA SEMPRE PALMEIRAS!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Carlinhos! Parece que a opinião sobre a mudança de treinador é unânime... seria a hora do Valentim. Seja como for, que seja pro bem geral. Abs! ÉS CAMPEÃO!!!

      Excluir
  2. Galluzzi, Primeiramente somos solidários as vitimas e familiares da tragédia, Força Chape.
    Mas vamos tocando a vida por aqui. Sou também da sua opinião poderia dar uma folga ao Cuca deixaria o Valentim e o Cuquinha dando manutenção no time no paulista e mais alguns meses o Cuca retornaria. Seguindo este raciocínio na volta do Cuca mandaria o Valentim para a europa, investiria nele para o futuro, produziria um tecnico como se produz jogadores da base. Na Alemanha e Espanha fazem muito isso.
    Agora sou temerário ao Batista, até porque ele se saiu bem no Sport e Ponte que são medianos, quando foi para o Fluminense não conseguiu repetir o trabalho porque a pressão ja foi diferente. Aqui no Palmeiras nem precisamos falar o que acontece, sem contar que a exigência do ponto de partida será no mínimo igual ao time que é campeão, e um complicometro a mais é a Libertadores que não tem experiencia nenhuma, neste quesito em relação a favoritismo Atlético-MG e Santos ja pulam na frente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Podes crer Gigante! A desconfiança está tão grande que pode ser que até nos surpreenda com um futebol diferenciado. Eu tbm faria a mesmíssima coisa, Valentim + Cuquinha até junho/ julho e depois voltaria o Cuca. Maaaas... vamos dar aquele voto de confiança e espelhar pelo melhor. Valeu. ÉS CAMPEÃO!

      Excluir
  3. Galluzzi, não vou comentar sobre a tragedia, nao sei lidar com tamanha perda, peço que Deus conforte cada família, sobre Eduardo.....??? Uma incógnita, bons trabalhos nada mais, quando esteve em uma equipe de mais expressão (Flu), nao conseguiu dar padrão a equipe, tambem tive p sentimento de que Valetin seria um otimo nome para dar continuidade ao trabalho, mas....vamos dar um voto e confiança a essa diretoria que mais acertou do que errou. Avanti Palestra #FORCACHAPE

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falaste bem Mineiro Campeão... é hora do voto de confiança. Valeu, abs!

      Excluir
  4. Olá, Vou ser muito sincero. Quando estavam para anunciar o novo técnico lopo após a saída do MO, tinha o Levir e o Cuca como boas opções. E eu queimei a língua. Teria escolhido o Levir pois achava que tinha feito um ótimo trabalho no Atlético e poderia repetir no Palmeiras. Veio o Cuca e em pouco tempo eu estava achando tudo muito bom. Ou quase. Às vezes não entendia certas escalações e certas substituições. Não vejo o Roger com um diferencial muito grande em relação ao Eduardo, portanto os dois são uma incógnita. Espero que de certo. Em tempo, esta é uma decisão difícil. Será que o Valentim seria uma boa? Quem pode saber a menos que ele treinasse o time? Bom final de semana a todos, infelizmente ainda muito triste com tudo que aconteceu esta semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fratello, acho que o Levir ainda conta com rejeição por conta de 2002. A chance do Valentim era ótima por já fazer parte da comissão vitoriosa e vir se preparando pra isso há um bom tempo. Torci o nariz pra esse primeiro movimento da nova diretoria, mas como não sabemos ao certo dos bastidores, nos resta dar um voto de confiança. Queria a dupla Valentim-Cuquinha pro Cuca voltar em julho. Anyway, here we go. Abs!

      Excluir
  5. Galluzzi,
    Sei não, mas penso que este era o momento exato para o Palmeiras pensar grande e não fazer apostas. O currículo do Eduardo Baptista é muito pobre para um time que acabou de ser campeão nacional. Temo que até o Alexandre Mattos também esteja de saída e que estejamos voltando para o século XX.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Batendo na madeira de lei, Ítalo! Já vi notícia que a diretox tá empenhada na permanência do Mattos, deverá ficar! Cuca só não ficou por vontade própria. Quanto a treinadores que encampem essa "grandeza"... veja bem, o Belluzzo foi nessa linha em 2010 (trouxe o Muricy pro lugar do Jorginho) e acabou na UTI... fechar com o Valentim seria numa eventualidade em que a volta do Cuca já estivesse no horizonte, pra mudar pouco do bom trabalho que já estava sendo feito. Sei lá, vamos ver... e torcer. Abs!

      Excluir
  6. Galluzzi,
    Insisto na tese de que o currículo do Eduardo Baptista é paupérrimo para treinar o campeão brasileiro. Não tem bagagem para dirigir o time do Palmeiras em torneios importantes, como por exemplo, a Libertadores. É a aquela velha história de um camarada que inventou um isqueiro à gás minúsculo mas que tem que carregar o botijão nas costas.
    Na verdade, a minha percepção é que o Eduardo Baptista seja um Gilson Kleina com grife.
    Torço muito para eu estar errado, mas ao que tudo indica o Paulo Nobre deixou um presente de grego para o Mauricio Galiotte.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas qual seria a opção Ítalo? O Luxemburgo quando veio pro Palmeiras em 93, tinha o que no currículo? Bragantino... o elenco já foi consultado e aprovou sua escolha, pelo perfil "estudioso", um profissional moderno com o perfil que o clube procura. Não temos tantas opções "disponíveis" no mercado. Valeu, abs!

      Excluir