terça-feira, 31 de janeiro de 2017

14 titulares... ou mais!

Fratellada, o negócio é o seguinte: com a força física (e pulmonar) que o futebol exige hoje, o time que tem bons reservas atua melhor fazendo as substituições (2 ou 3) em todos os jogos. Por uma simples questão de fôlego e talento, o time sempre ficará “mais forte” após as substituições.

Dessa forma o treinador pode montar seu time titular com não apenas 11, mas com 14 jogadores, tendo em vista as 3 substituições diretas que irá fazer. E duas ou três peças já se programam pra dar 100% de gás para um período mais curto, aumentando assim sua frequência em campo.


Esse pode ser o melhor caminho para um time com tanta “disputa” por posições. Com as devidas exceções, em partidas onde um jogador mantém pleno rendimento e dispensa substituição, é normal que 2 ou 3 jogadores apresentem certa queda neste rendimento, tendo numa substituição a melhor condição de reverter a situação para o time. Então lá vamos nós com nossos 14, 15 ou 16 titulares! Um time forte pra iniciara e mais forte ainda para terminar! Vamos que vamos, Palmeiras!!!!  

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Vai começar o show... vai que é sua, Baptista!

E lá vamos nós fratellada!!! Agora é oficial, vai começar a temporada 2017.O palmeirense tem todas as expectativas do mundo, mesmo sabendo das grandes dificuldades presentes no caminho. Serão mais de 70 partidas ao longo do ano, distribuídas entre Paulista, Copa do Brasil, Brasileiro e Libertadores e quem sabe o que Deus nos reserva para dezembro, o mês da “pós-temporada”, onde só os GIGANTES chegam.

O time está recheado de reforços. Ainda tenho meu pé atrás quanto a um setor (lateral-esquerda), não por dúvida do Zé Roberto, mas por saber que ele não deve jogar todas as partidas e que seu substituto direto (Egídio), não transmite a confiança necessária. Mas aí entra a a alternância e preferência ao campeonato certo.

O Palmeiras deve priorizar algum campeonato?
Do ponto de vista do jogador, não. Todos querem e podem “aparecer” o suficiente pra ter seu talento apresentado ao mundo.

Do ponto de vista do torcedor... SIM. Nosso interesse e objetivo tem um nome claro: LIBERTADORES (e Mundial). Os demais campeonatos disputados não podem, em hipótese alguma, prejudicar o caminho para que o Palmeiras possa ter o melhor time à disposição na competição continental. Devem sim, AJUDAR a encontrarmos o melhor time e servir, paralelamente, a que todos os jogadores possam atuar.

O que vimos ontem contra a Ponte Preta foi um time com bastante vontade, ainda que longe de um entrosamento satisfatório. Fato é que o treinador não pode ter medo de achar o melhor time, a composição titular, mesmo que seja exclusiva para a Libertadores!

Defesa, laterais e volantes já está praticamente definido (Prass, Mina, Victor Hugo, Zé Roberto, Felipe Melo, TcheTchê, Moisés). Daí pra frente só o Dudu é certo. Ficam apenas 2 ou 3 vagas a serem preenchidas, dependendo da composição de volantes (TcheTchê e Moisés).

Roger Guedes, Lucas Barrios, Keno, Alejandro Guerra, Raphael Veiga, William Bigode, Hyoran, Michel Bastos, Raphael Marques, Vitinho... 10 jogadores pra 2 ou 3 vagas. Haja olho pra encontrar a melhor composição! Vai que é sua Baptista!

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

O grande balcão de negócios chamado futebol

E lá vamos nós. Sendo um dos clubes com melhor condição financeira no país, o Palmeiras pode ir às compras e tornou-se o ponto a ser observado. A referência.

Todos os adversários dão ALELUIA pela saída do Nobre esperando que o Palmeiras VOLTE a ser a pataquada cômica que foi nos anos iniciais deste século. Porque, como e por quem é outro assunto. Mas é fato que assim o foi.

Fora deste contexto já começamos bem (mal) com intriga política, ex-presidente peitando quem desconfiasse de sua palavra, a mulher do prato nos “ameaçando” novamente de retirar seu dinheiro caso não saísse de destaque no carro alegórico, treinador sem currículo assumindo o time pra Libertadores, Departamento Médico demitido sem uma satisfação pública (a nós só apareceu a carta de indignação do demitido) e o que é pior, uma condição onde a imprensa deita e rola (isso ela adora) no “rompimento” entre o prisa anterior e o atual. Ou seja: em menos de 1 mês já demos fortes indícios de retrocesso.

Posso e devo estar viajando na maiô? Posso. Devo... tomara que esteja. Só que o que ví nesse mês de janeiro já não me agradou nem um pouco. Mas não sou corneta, não gosto de cornetice e espero, pacientemente, que tudo se ajeite. Força aí Galiotte.


Sobre o Borja
É claro e evidente que todos gostariam de ter o futebol de talento desse jogador no time. Mas tenho a mais plena convicção que o sucesso de um time não se mede apenas pelos talentos que tem no papel e sim como esses talentos se arranjam dentro da equipe e principalmente, fora dela.

Já cansei de ver time contratando medalhões sem sucesso pois não conseguiam pagar o restante do elenco que, revoltado, parava em campo. “Não nos paga mas contrata camarão? Então joga aí camarão... sozinho.” E lá ía o time, caindo pela tabela...

Não creio que essa seja nossa situação hoje, recheados que estamos da verba. Maaas... fica a lição: já temos um elenco cheio. Talvez fosse melhor analisar o que conseguiremos com o quadro atual antes de buscar mais reforços. De toda forma, como o futebol é muito mais um balcão de negócios do que esporte propriamente dito, que pelo menos façam dos bons.

domingo, 22 de janeiro de 2017

Prevalece a solidariedade

Na primeira partida “oficial” da equipe na temporada 2017, nenhum jogador se destacou muito. Não era a intenção, prevalecia a solidariedade que o placar final bem representou.

As homenagens ao pessoal da Chapecoense ainda reverberam forte em cenas de grande comoção, capazes de por abaixo qualquer ímpeto de maior competitividade. Dessa forma vimos um esboço do que o treinador Eduardo Batista pode fazer ao time. Além é claro, da cabeleira Platinum do Roger Guedes.

Mas falando do que interessa, pudemos notar falhas pontuais em nossa defesa, normais nessa situação. Mas vimos também velhos problemas, como falhas na lateral esquerda e ligação falha no meio campo gerando chutes “ligação direta”.


Nesse caldo desponta o golaço do Vitinho, ainda magriça demais pra despertar o interesse dos abutres, tal como o Mina já despertou no “clube desejo universal” Barcelona... maledettos, rebate essa proposta aí Mattos!

Ainda na incerteza do que efetivamente teremos pra temporada, vi um Felipe Melo realmente voluntarioso, o Keno com uma visão ousada, boa movimentação do Hyoran, disposição do Erik (mais disposição do que técnica, mas ok). Não é hora de citar “elos fracos”, melhor esperar o tempo e o futebol.

100 milhões de abraços Chapecoense, que nossa amizade fique eternizada nessa bela lembrança estampada que uniu 2 símbolos sob a mesma camisa. Das mesmas cores, dos mesmos valores, amigos para sempre!

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Sem futebol nos resta fofocar

'Giorno fratellada. Quando eu digo que as notícias tentam polemizar qualquer pauta, é à isso que me refiro.

Não existe chance de sossego no ambiente político com esse tipo de “rusga” sendo insulflada feito carvão ao fole. Vaidade e interesse pessoal serviram sempre de alimento às intrigas e novelas midiáticas. A imprensa precisa de lenha pra sua fogueira e não nos casamos de fornecê-la, em quantidades industriais.

Digo e repito: Paulo Nobre foi o melhor presidente que vi nos meus 45 anos de vida e com todo respeito, a sra. Crefisa é uma pantomima de inexperiência com uma fortuna nas costas, amealhada que foi pelos grupos mais experientes do clube para seu lado. Aquela imagem dela segurando um prato foi tragicômica...

Mas isso não necessariamente é ruim. Deixa a tia ir pro Conselho, que encoste alí e fique. O problema surge quando esse grupo (Musga) tem o controle do futebol: vivemos um desastre nas 4 linhas quando isso aconteceu! Dá calafrio só de imaginar que a estrutura vitoriosa que o Nobre montou possa ser negligenciada, menosprezada, diminuída, sucateada!

Galiotte, lembre-se: dentre todas as nobres virtudes que tivemos nos últimos anos, a maior delas foi a CORAGEM. Coragem para enfrentar a balbúrdia política que o Palmeiras sempre viveu. Seja político, mas não sucumba às vozes que desejam o Palmeiras para si.

Contratações
Nem só de fofoca vivemos! Méritos a essa boa análise das contratações:

ALEJANDRO GUERRA (meia atacante)

FELIPE MELO (volante de contenção) 

MICHEL BASTOS (meia esquerda)

KENO – (atacante)

WILLIAM – (atacante) 

HYORAN – (meia-atacante) 

RAPHAEL VEIGA (meio-campo) 

ANTÔNIO CARLOS (zagueiro)


Possível escalação:
1- PRASS, 2-JEAN, 3-MINA, 4-VICTOR HUGO, 6-ZÉ ROBERTO E 5-FELIPE MELO. 10-MOISÉS e 7-DUDU. 8-MICHEL BASTOS, 11-GUERRA e... aí é que está. Nesta última vaga (9) é a questão: Alecsandro? Keno? William? Lucas Barrios? Roger Guedes? Indo por eliminação, daria essa 9 para o KENO.


Felipe Melo, MITANDO na apresentação
Ficou pequeno pro marqueteiro comediante da Gávea...


sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Moisés é 10!

Petacular! Fizeram uma brincadeira com o Moisés para a grande honra de entregar-lhe a camisa 10. Respondendo à algumas perguntas básicas sobre o clube, foi levado à uma sala onde havia uma caixa. E na caixa, com todo o cuidado que ela demanda, lá estava. A camisa 10.

Não que o número garanta titularidade. Mas simboliza o mesmo reconhecimento e confiança que o Cuca demonstrou com o Dudu, entregando-lhe a faixa de capitão. Moisés é símbolo de entrega, de determinação e foco na vitória. E à isso premiamos com a camisa 10 de nosso time.

Muito bom, sinaliza aos que chegam o padrão de jogo que tanto prezamos. Técnica e entrega. Esforço e determinação. Humildade e conquista. Não há torcedor que fique sem reconhecer tais méritos em quem os demonstra. E assim são abraçados carinhosamente pela torcida.

No momento em que o Moisés o veste, o manto lhe parece sob medida, como um cavaleiro que veste sua reconhecida, combativa e vitoriosa armadura, uma aura de proteção e força que lhe serve com perfeição.

PARABÉNS MOISÉS!!! És valente, especial... és merecidamente nosso 10!

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Renovação do Departamento Médico

Reforços partidas e chegadas. Assim é o início de temporada, além das tradicionais especulações de sempre. Acabou de chegar o zagueiro Antônio Carlos, pra ocupar uma “vaga” no lugar do Roger Carvalho, cujo qual já nem lembrava da existência. Seja como for, é nosso 5º zagueiro.

Pois bem, mas a notícia principal nem é essa mas a dispensa no Departamento Médico do Palmeiras, que já é devidamente explorado como "crise" na diretoria. Pra que essa brecha?

Esse é um tema que deve ser visto com uma lente de aumento:

O Departamento Médico do Palmeiras sempre foi criticado. Era desestruturado e passou, há poucos anos, a contar com melhores condições, digamos assim.

O médico principal já estava no clube há quase 20 anos. É saudável uma renovação, mas desde que haja um bom motivo, pois finalmente grupo de médicos e fisiologistas vinha apresentando bons resultados na prevenção e recuperação dos atletas.

Até que aconteceu a pataquada do doping. E a casa que já vinha meio bamba, caiu. Se caiu pra todos não sei, mas caiu. Porque é complicado culpar todos uma situação específica.

Seja como for, até esse ponto é compreensível. O que não é compreensível é a FORMA como a dispensa foi feita, pois pelo que chegou à imprensa, foi através de um “nota lacônica e protocolar”, segundo palavras do próprio demitido.

Ouvir isso dá CALAFRIOS, pois remete diretamente à 2002, quando o Luxemburgo foi embora do time na segunda rodada, após ter uma solicitação de reunião com a presidência respondida via bilhete. O resultado do ano nós vimos. Essa mentalidade, que ficou tão clara após a Parmalat, afasta os bons profissionais. Aliás, ela não acredita em “profissionais” no clube e acha que o futebol,é um absurdo que só leva clubes à falência.

Então, se o Galiotte estiver SUCUMBINDO a essa mentalidade do bilhete, e pior, ouvir a ladainha de “profissionalização excessiva” dentro do Departamento de Futebol, lascou-se. Aliás, tenho um grande receio que a administração Nobre seja um grande hiato na história de balbúrdia administrativa que o Palmeiras, por décadas foi.

Gagliote: não abrace essa mentalidade do descaso com quem serve ao clube. Não que não devesse ter demitido. Ok. Mas não dá essa brecha de ser avacalhado na imprensa como a pecha de “mau empregador”. Isso azeda qualquer ambiente. E não reduza profissionalismo nenhum!!! Times europeus tem o dobro de estrutura que a nossa, só pra leitura do Big Data...

FORÇA GALIOTTE. NÃO SUCUMBA, NÃO PODEMOS VOLTAR ATRÁS! AVANTI

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

As múltiplas opções de Eduardo Batista

Fratellada! Tudo sobre o que falam é a respeito de contratações. Mas se analisarmos bem, já poderíamos iniciar a temporada com uma variedade de escalações:

4-3-3
Prass-Mina-VH-Jean, Zé Roberto, Felipe Melo, Moisés, Tchetchê, Dudu, Guerra e Guedes

Mesma defesa, saindo o Tchetchê e entrando o Bastos (ou um atacante)

Volância com
Melo – Moisés
Melo – Tchetchê – Moisés
Tchetchê – Melo

Meio campo com
Dudu – Bastos
Dudu – Guerra
Guerra – Bastos
(Nem estou considerando ainda Hyoran e Raphael Veiga)

Ataque (dependendo da configuração de meio-campo)
Aqui temos os principais: Roger Guedes, Keno, Barrios, Erik, Alecsandro

Sinceramente não dá pra dizer. A variedade de composições com essas peças já é tão grande que depende diretamente do que houver no meio-campo.

Se o Keno por exemplo chegar jogando bem... pode fazer uma composição com Barrios ou Alecsandro. O Barrios (se não sair) sabe que tem que mostrar serviço, pouco apresentado (até por contusões) ano passado. Virá com “faca nos dentes” pra Libertadores. O Roger Guedes também virá com tudo pra aproveitar a "lacuna" da saída do Jesus. Será uma batalha por espaço!

Não podemos correr o risco de “inchar” o elenco, pois é difícil de administrar... fosse o Mattos, seria muito pontual nos futuros reforços.

Batista, não esquece a lateral esquerda! Cuida disso ae!


Felipe Melo chegando
Esse vídeo mostrando a chegada do Felipe Melo às instalações do CT Palmeirense dizem por si só o impacto positivo de uma estrutura bem montada para a motivação de um jogador. Seja bem vindo Melo.


quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Os 12 trabalhos de Mattos

Vamos considerar que essa é a época que se define boa parte do time pra temporada, onde o Diretor de Futebol mais trabalha. Vai que é sua Mattos!!! LIBERTADORES e MUNDIAL, O REDENTOR. Nada mais passa em nossa mente.

Complicado é que a CHINA ainda veio pra inflacionar o mercado e agora todo mundo acha que vale 8 dígitos em dólar. É ridículo! Essa situação arrasa as finanças dos clubes e parece que "tudo bem, tem mais é que pagar mesmo". Absurdo! É caro? É, mas é também um absurdo arriscadíssimo aos clubes. Mas vamos à uma análise por posições, do que o Mattos terá pela frente:


GOL E ZAGA
Aqui temos que cuidar pra MANTER o Mina e o Victor Hugo, uma dupla fenomenal. Além do Dracena e do Thiago Martins. Junto com a posição de GOLEIRO talvez seja nosso setor mais bem resolvido. FAVOR NÃO MEXER!


VOLÂNCIA
Gabriel, Thiago Santos, Matheus Salles, Arouca, Tchetchê e Moisés (considerando ele volante e não meia, como quando aqui chegou). Sem contar o Felipe Melo, que se chegar vai ser pra titularidade. São 7 pra 2 posições. Matheus Salles, Arouca e Gabriel parecem ter propostas. Chato porque são ótimos jogadores, não seria bom perdê-los. Tentaria manter o Gabriel, mas precisa ver o preço.


LATERAIS:
MANTER o Jean e estudar a situação do Egídio, que deveria, na minha opinião ser substitído por um reforço. Esse é nosso CALCANHAR DE AQUILES. Temos que ter uma coisa só em mente. LIBERTADORES. Digo e repito: em 1994 tínhamos O MELHOR PALMEIRAS que já vi jogar (melhor que 1996 e 1999), mas PERDEMOS na Libertadores por uma falha na lateral esquerda (Euller em cima do Roberto Carlos) e 1999 pela direita (cruzamento pela lateral). Não adianta montar um time forte se houver BRECHA na defesa. Tudo vai por água abaixo se houver um ELO FRACO mal resolvido.


MEIO-CAMPO
CONGESTIONADO: Pro meio campo temos: Dudu, Michel Bastos, Guerra, Cleiton Xavier, Raphael Veiga, Hyoran, Barrios e além do Rafael Marques, Allione... São quase 10 jogadores pra 2 posições... tá demais!!! 2 aí precisam zarpar (Marques e Barrios). Ainda cederia o Hyoran pra Chape. Tem que usar de moeda de troca, mas aí depende dos jogadores... Marques e Allione por exemplo não aceitaram propostas que já receberam, o que dificulta o processo. 


ATAQUE
Pro ataque temos Roger Guedes, Erik, Alecsandro, Keno. Não dá pra deslocar um meio-campista pra fazer a frente? Com certeza é a posição que deve ter reforço breve, mas temos quer ver o futebol do Keno antes pra saber.


OS TRABALHOS DE MATTOS:
Tão importante quanto CONTRATAR é conseguir MANTER os jogadores que constituíram nossa espinha dorsal em 2016:

Quem tem que ficar: Prass, Victor Hugo, Mina, Jean, Zé Roberto, Tchê Tchê, Moisés e Dudu. 

Quem poderia sair: Allione, Rafael Marques, Barrios, Arouca, Matheus Salles e Egídio

Qual posição reforçar: LATERAL ESQUERDO e um ATACANTE. E pronto.

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Começando o ano com o pé direito!

AEEEEE FRATELADA!!!! Começamos com um bom dia e começamos com o pé direito em 2017.

Quem assistiu ao jogo da Copinha ontem ficou satisfeito. O Palmeiras dominou completamente a partida e o placar de 3x2 pode até ser enganador, pois o time lá de Brasília (Paranoá) até tentou esboçar algum desafio, mas a partir dos 20min. do segundo tempo viu seu gás acabar e o Palmeiras virar o placar. Destaque pro atacante Léo Passos, parece bem habilidoso.

Só pra variar, a impren$inha diz lá: “Palmeiras vence com sofrimento”. Mentira patética. Nesses jogos de Copinha, os times pequenos (que só existem pra fazer troco pra empresário) sempre entram jogando “pela vida” (o que não deixa de ser verdade), fazem um grande primeiro tempo e depois desmoronam. Quem conhece futebol sabe que é assim.

Não há sofrimento nenhum e sim uma bela vitória de virada, muitíssimo bem administrada. É só analisar os números do jogo para isso constatar. Mas veículos tendenciosos preferem ressaltar a DERROTA do adversário, sofrida e suada, classificando nossa vitória como um “castigo” que veio na base de um “Cucabol”! O quê???? O Palmeiras MASSACROU o infeliz Parangolé no segundo tempo, com um grande número de finalizações corretas!!! É assim que se vence!!! Mas é assim que a impre$inha se posta.

Vitoriosos - apesar dos comentários do Zé Gambá Elias que só elogiou o time derrotado – mostramos que o trabalho na base vem sendo bem executado. Um trabalho dificílimo, haja vista os valores que o clube investe sob o risco de assistir – como está acontecendo no tricolete com um tal João Schmidt – seu jovem jogador deixar o clube mandando-lhe ume enorme banana – sem nem ao menos considerar uma multa recisória que valha um mínimo pelo investimento feito.

Assim acontece, sempre sob o aplauso da imprensa para quem são sempre os clubes os “mau administrados” enquanto os jogadores são eternos santos em sagrado direito de levar o máximo que puderem do famigerado “patrão”. Só se esquecem que é pra esse “patrão” que nós torcemos...

PARABÉNS PALMEIRAS. COMEÇAMOS O ANO COMO TERMINAMOS O ANTERIOR. VITORIOSOS! E ASSIM SERÁ!

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Michel Bastos, um reforço importante.

À FRENTE PALMEIRAS, SEJA FEITO 2017!

Bom dia fratellada, e lá vamos nós à temporada 2017, que pode ser mais uma ou pode ser “a” temporada.

Terminamos 2016 com um presente. MICHEL BASTOS. Sim, presente. Porque ninguém desaprende a jogar e a motivação é algo fundamental no futebol. E precisamos de um jogador com seu estilo combativo, técnico e tático. Algo que o Xavier também já poderia ter feito com mais ênfase. Não fez e agora terá que correr em dobro pra voltar à titularidade.

Seguinte: O MICHEL BASTOS virá com toda gana possível pra limpar a imagem que ficou no tricolete. E sei que o clima lá também é pesado, atinge fácil os jogadores e ele foi culpado direto tendo até levado uns sopapos da torcida. Imagina quando jogarmos, a vontade do cara de marcar contra o clube que quase acabou com sua carreira!

MICHEL BASTOS, seja muito bem vindo! Aqui não temos um clima tão sério, tão maquiado, tão empastelado cênico. Palmeiras é mais HUMANO, mais CORAÇÃO, mais São Marcos. Somos mais passionais e tenha certeza que se houver entrosamento com o Dudu, vixe... vamos arrepiar. Liga nessa dupla!

Felipe Melo
Agora o Felipe Melo: enquanto não sair nenhum dos volantes que temos, sinceramente não vejo porque trazer, me parece um jogador um pouco fora do perfil para uma equipe JÁ vitoriosa. De toda forma tem uma boa “pegada” pra Libertadores. Mas se for pra vir com salário fora do real, esquece.


Problemas de Relacionamento com ex-treinador (ou birra por ser reserva?)
Pra finalizar, a covardia das notícias que apregoam “problemas de relacionamento” do Cuca com jogadores do time. Ele nem quer ser meter mais, mas poderia ter respondido claramente assim: “No futebol é praticamente impossível a qualquer treinador conseguir unanimidade no elenco por uma razão direta: quem não está como titular, o detesta. E num grupo com +/- 30 jogadores, mais da metade fica nesta condição!”

A verdade é que à essa CANALHADA só interessa usar o time de VITRINE para seus jogadores e esse INFAME RODÍZIO prejudica o rendimento geral da equipe!!! ESSA É A VERDADE! O maior (e as vezes único) real interessado na conquista “do campeonato” é o técnico. Os jogadores querem é APARECER o maior tempo possível para ganhar visibilidade e ser vendido. FATO.

Ou seja: DANE-SE o fato de alguns MAUS PROFISSIONAIS que não sabem destilar seu próprio veneno individualista se incomodarem com a RESERVA (porque são ruins mesmo) e não gostarem do treinador VENCEDOR.

Diretoria boa é aquela que evita essa maldita situação individualista dos jogadores (que a imprensa se recusa sistematicamente a mostrar), prezando pelo resultado final e eficiência da equipe para conquista de CAMPEONATO e não apenas BALCÃO DE VENDA de jogadores (ruins).