segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

O jogo e as palavras

Estreamos com vitória no Paulistão, mas não foi lá aquela apresentação. Ok, o time evolui ao longo da temporada. Serão muitas rodadas até encontrar a escalação ideal.

Mas do resultado de 1x0, mais importante do que o gol feito foi o gol não sofrido. A equipe do Botafogo atacou o quanto pode e bem defendemos. Dracena, Victor Hugo e mesmo o Melo 220v souberam conter o ímpeto da equipe de Ribeirão.

Tchetche, que saiu machucado, mais uma vez capitaneou ações no meio campo, auxiliando bastante o Dudu, sem falar em sua arma secreta que nos deu a vitória, o chute de fora da área. Melhor em campo.

Vemos também um Roger Guedes com muita disposição, sabe que esse ano tem que virar.... no restante, tudo correto, ressaltando nossas laterais bem tocadas com Jean e Zé. Mas foi por alí que vieram alguns jogadas perigosas. As laterais... sempre as laterais. Carece de ajuste na cobertura.

No restante, bom ver o Prass em forma e impactante ver o Melo em campo... serei sincero: por um lado, excelente a personalidade e entrega, algo que o palmeirense muito aprecia. 

Mas, sabendo destas características, teremos adversários que saberão explorá-la com provocações diversas simplesmente para tirá-lo de campo. Jornalistas já devem estar apostando sobre quantas partidas levará até que receba um cartão vermelho.

Ao Melo, digo: personalidade sim amigo, mas tenha sabedoria.... e recomendo: meia hora de prosa com nosso São Marcos, pra ver que rir, as vezes é o melhor remédio. Vamos que vamos, PALMEIRAS!

9 comentários:

  1. Olá Galluzzi,

    O jogo foi o que deu pra ser, muita vontade pouca técnica e entrosamento, vai melhorar. Agora o clima de guerra entre o Felipe melo e a imprensa me deixa bastante preocupado, entendo que ele esteja furioso por ter sido eleito o culpado pela eliminação na copa do mundo mas essa fúria não pode afetar o estado emocional do time, não ter jogador expulso foi um dos grandes trunfos no time do ano passado. Não é cornetagem, ainda não, mas não sei até que ponto o desempenho em campo pode ser afetado por esse clima, de repente pode até ser utilizado como combustível pra melhorar o desempenho mas quem controla a dosagem, quem pode chegar nele e dizer " é isso ai" ou então "foi exagerado segura um pouco". Achei o grito na orelha do adversário ontem um exagero, mas a torcida foi ao delírio e isso bota mais lenha na fogueira. Enfim acho que temos motivos para nos preocupar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou ser sincero... acho que esse tipo de provocação (gritar diretamente com o adversário) deveria ser punida com cartão. É bom que o Melo contenha um pouco suas ações, senão será alvo constante e preferido da mídia, corporativa do jeito que é. Valeu, abs.

      Excluir
  2. Galluzzi e colegas, pegando a onda das postagens, também não gosto deste tipo de provocação do Felipe Melo, assim como acho ridículo goleiro vibrar a cada defesa, defensor vibrar quando faz um corte. Posso até ser chato, mas pra mim vibrar somente na hora do gol e no termino da partida quando está consolidada uma vitoria.
    Ontem jogou para o gasto, tem muita coisa a melhorar, mudou muito a forma de jogar. Não gosto deste esquema pré determinado e querer fazer o time jogar nele, isso cabe numa seleção onde pode-se chamar os jogadores que se queira.
    Pra mim tem que ser igual o Cuca fez, adaptou o esquema com o jogadores que tem em mãos e não ao contrário como o Eduardo vem fazendo. Mas enfim vamos apoiar e torcer.
    Acabei de ler que o Tche Tche vai ficar 30 dias fora, assim como o Arouca, e o Moisés ainda vai demorar mais um pouco para voltar. Ai questiono o planejamento pelo imponderável como agora. Era a hora do Matheus Salles que não deveria ser emprestado. Acho que o Jean deverá vir pro meio e o Fabiano vai para a lateral, até o Moisés ou Tche Tche voltar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Beleza PG? Olha, se o jogador se manifestar sozinho ok, mas pior é quando é dirigido diretamente, aí é antidesportivo.

      Pra vaga do Tchetche podemos até ir com o Thiago Santos antes de improvisar o Jean, mas é opção. Não creio que o Moisés demore pra voltar, o que nos daria mais ofensividade. Vamos ver o que o Eduardo resolve. Abs!

      Excluir
  3. Salve pessoal!!!

    Pô, acho que eu fui o único que gostou da raça demonstrada pelo Felipe Melo, embora no lance comentado, ele tenha extrapolado um pouco. rsrsrs
    Porco Gigante, discordo quanto ao vibrar somente quando se faz gol, cada um tem sua função e vibrar por desempenhar um bom papel nela, não acho só válido mas primordial, isso faz parte do estar feliz com o que se faz.
    Mas concordo contigo com o esquema do Cuca, de adaptar o esquema em cima dos jogadores que se tem. É a melhor maneira de otimizar o potencial do time.
    Agora o Tchê Tchê... não contava com essa...

    Abraço a todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Cláudio! Bom, eu tbm gostei da raça demonstrada, só comentei que junto com ela pode vir uma vulnerabilidade fácil de ser explorada pelos adversários. O quanto que uma coisa compensa a outra, aí só o tempo dirá. Sobre a contusão do Tchetche, o Eduardo tem que aproveitar pra mostrar que as oportunidades surgirão pra todos... abs!

      Excluir
  4. Respeito sua opinão Claudio Veiga, é válida, mas eu particularmente não gosto. Pra mim passa a impressão que quer jogar pra torcida.

    ResponderExcluir
  5. Oi Galluzzi, tudo bem? Realmente o comportamento do Melo põe fogo em boa parte da torcida, até acho que as vezes dependendo do jogo até precisa, mas sempre vai ser complicado, se ele entrar nessa pilha todo jogo, vai ser daquele que fica tres jogos e sai um, ou mais se tomar vermelho, o Eduardo tem que conscientizar o cara que a banda não pode tocar dessa maneira, com relação ao jogo concordo com o PG não adianta ele tentar fazer o time encaixar em um esquema, ele tem que descobrir a melhor forma de cada um jogar, o time não tem e acredito que não pode ter um esquema fixo ou preferido, fica totalmente previsível para os adversários, vamos ver os próximos jogos, por enquanto ele tá com o credito de ter iniciado o trabalho, mas não gostei muito do que vi.

    E agora como você tá vendo essa movimentação toda da Crefisa via Leila para trazer o Borja e com isso fortalecer a candidatura dela, sei que precisamos do patrocinio, mas ficar com tanta dependencia assim fica preocupante, passamos por isso na epoca da Parmalat, ganhamos tudo e depois sabemos o que aconteceu quando saiu, o Fluminense passou por algo parecido quando saiu da UNIMED, será que não tá na hora dos dirigentes irem buscar alternativas para a CREFISA, de preferencia com várias empresas? Ou se é para ter dono que oficialize o time como uma empresa de vez e que se tenha todos os direitos e os deveres da mesma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Denílson! Concordo com a alternância de esquema de acordo com o adversário, mas também entendo que o time só atinge seu melhor potencial após encontrar uma espinha dorsal que aproveite o entrosamento pra vencer. Aí é uma questão de equilibrar essas 2 situações.

      Quanto a Crefisa, com certeza o clube não "deve" ser refém de patrocínio algum, mas na prática isso é relativamente comum acontecer. Não há hoje no mercado quem tenha a bala da Crefisa, nem a ligação que os "proprietários" Lamacchia e Leila possuem com o clube. Na época da Parmalat isso jamais existiu. Como tampouco existiram declarações esdrúxulas por parte de sua diretoria (Leila style) sobre o time. Sobre o Borja, só esperaram a falta de propostas chinesas pra que seu valor caísse e então voltarem à negociação. O resto é novela de imprensa... abs!

      Excluir