terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Usando o Paulistão pra Libertadores

Ontem, após a derrota por 1x0 pro Ituano, nosso guerreiro Dudu pediu paciência à torcida. Triste. Jogador de tal envergadura nem deveria precisar vir a público pedir algo tão óbvio. Dá até vergonha da mentalidade infantil que nos assola.

O negócio é o seguinte: o futebol simplesmente não é o que nós imaginamos. Um quadro impossível nos é pintado e nós, patos que somos, caímos na conversa. Esqueçam ganhar “todos os campeonatos que disputamos”, discurso padrão em toda pré-temporada de time grande.

Nem paciência, mas um simples bom senso já nos
ajudará bastante a encontrar o melhor esquema
de jogo com mais tranquilidade.
Campeonatos são produtos que devem ser valorizados, por isso esse discurso. Falassem a VERDADE, esse produto se desvalorizaria. Por isso vivemos essa MENTIRA.

O Campeonato Paulista é o regional mais difícil do mundo e via de regra só queima o filme de time grande pois, se é vencido, foi obrigação. Senão (vice ou qqer outra posição), é motivo pra queda de treinador. Fato.

A forma correta de encararmos um início de temporada (2 a 3 meses) é com muito menos expectativa e muito mais paciência do que num meio ou quarto final dela quando, aí sim o time terá que desempenhar 100% de seu potencial. Fato que ignoramos para cairmos na cornetice da crítica prematura.

“Ah não interessa, investimentos foram feitos e devem apresentar resultado agora”. Ok, ignoremos a vida como ela é e passemos a exigir algo infactível. É uma opção. Mas não trará os melhores frutos e sim uma baita azia.

Nessa fase que o Palmeiras está, o ideal é ter LIBERDADE pra testar, testar e testar. Tranquilidade pra ERRAR e aí sim poder encontrar o melhor time e esquema (ainda com suas variações perante diferentes adversários). Sem essa liberdade, com MEDO de ERRAR, o time é montado na pressão, sem os testes que poderiam levar à melhor opção.

DANE-SE O PAULISTA!!! Temos é que usá-lo pra encontrar nosso melhor time PRA LIBERTADORES, isso sim!

Sinceramente, acho a tarefa do Baptista DIFICÍLIMA. Técnico sem currículo com elenco de alto investimento derrete rápido. Mas lógico, desejo-lhe um ambiente que lhe permita desenvolver seu trabalho da melhor forma possível! E para isso, nem paciência deveria ser necessário, apenas um mínimo de bom senso.

13 comentários:

  1. Pela sua opinião, a torcida então não precisa gastar dinheiro com ingressos para o Paulista? Seríamos então um bando de idiotas, que vão na Arena para assistir jogos treinos, não importando o resultado?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Rinaldo fratello, lamento te decepcionar. Mas apresento-lhe a vida, como ela é (não como a Globo transmite). Cruel né? Tbm acho... mas fique tranquilo, há bastante diversão no processo. Abs. Obs.: não me sinto idiota por torcer pelo Palmeiras em NENHUMA situação, só tento adaptar minha expectativa à razão, não ao coração. Valeu!

      Excluir
  2. Salve Robertão!!!

    Tô contigo e não abro. Acredito que nossa função como torcedores é proporcionar um ambiente em que jogadores e comissão técnica se sintam abraçados e que possam realizar o trabalho da melhor maneira possível. Isso de forma alguma significa ficarmos apáticos aos resultados ruins. Se necessário for, na hora certa, devemos nos manifestar e exigir mudanças.

    O campeonato paulista, quando não se está participando de uma libertadores, acaba sendo a bola da vez e sim, tem sua importância, mas no geral é um campeonato que não agrega muito.

    Eu tenho vontade de ver meu time jogando até em amistoso e gosto de ver a evolução do time no decorrer do processo para atingir os objetivos estipulados para o ano. Pra mim, o paulista tem a ver com um campeonato que tem função de preparação para o que interessa e portanto é importante e sim devemos apoiar o time. Estamos mais uma vez juntos nessa Roberto.

    O complicado é torcedor palmeirense que é do tipo são paulino, que só apoia o time quando está ganhando tudo e já cogita não mais ir ao estádio por causa de uma derrota. Qualquer tropeço do time (que seja o primeiro) já vira as costas (olha a sacanagem rsrsrs).


    Abraço a todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claudjones, diga lá: estou errado ou és tbm um "filho da fila"? Essa geração abençoada que sabe o que é merthiolate que dói, Atari e só 5 canais na TV! Que maravilha ter sido pré-digital... o problema é que hoje em dia existe muito APELO EMOCIONAL e a razão escorre pelo ralo! Vai falar prum CARDÍACO como o palmeirense pra usar a razão... KKkkkkk... Abs, valeu!

      Excluir
    2. Sim, padeci na fila dos 16 anos, o merthiolate que era o momento da tortura e joguei muito Atari rsrsrs.
      Embora não tenha ido na final assistir ao jogo que nos tirou da fila, vi o jogo pela TV, me lembro ainda hoje da sensação... foram dois dias maravilhosamente estranhos aquele do dia da conquista e um após.

      Abraço!

      Excluir
  3. O que acontece é que ainda estamos de ressaca do ano anterior onde vivemos um caso de amor com o ex técnico que teve um começo muito ruim mas com um final feliz, e o povo na maioria só se lembra das coisas boas. Claro que a falta de currículo do nosso atual treinador ajuda na desconfiança. Concordo que temos que usar o paulista para teste para o resto do ano e que os times menores vivem o paulista como a única chance de título do ano, vide o pequeno da baixada. Acredito muito na Diretoria e no Mattos se escolheram o batista foi por confiar no trabalho do cara, todos os últimos treinadores tirando o O.O. Foram campeões ( esse não foi pois o nosso hoje capita pisou na bola ) mas aprendeu com o erro e já nos ajudou em 2 canecos. A ESPERANÇA É VERDE.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vero Pablo... essas ressacas do futebol não são fáceis. Bora acreditar, Mattos que é Mattos dribla até investidor chinês! Abs.

      Excluir
  4. Galluzzi,
    Me permita discordar de você. Da vergonha mesmo é este futebolzinho que o Palmeiras tem apresentado em 2017. Não é questão de cornetar, mas nós sabemos perfeitamente que a paciência do torcedor palmeirense não é muito elástica e, principalmente agora que fomos campeões da principal competição nacional, sem desmanchar o time estamos indo na mesma direção e sentido do começo da temporada passada quando jogamos pelo ralo o campeonato paulista e a Libertadores.
    Assim não vai adiantar o Eduardo Baptista e o Dudu virem pedir calma à torcida. O que eles precisam é reagir rápido e mostrar resultados imediatamente, senão o calor será intenso.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lógico Ítalo, esteja a vontade pra lascar a lenha, fratello! rss. veja, sei que "dá vergonha", mas se fossemos mais maduros não padeceríamos desse sentimento. Tome ano passado como exemplo próximo! Perdemos de 4x1 pro Diadema!!! No dia seguinte tinha "pseudo" jornalista colocando o Palmeiras no último círculo do inferno, "como é que podia uma coisa daquelas". E aí? O que aconteceu depois, vc lembra? O Palmeiras foi até a final do Paulista e terminou a temporada como CAMPEÃO!!! Cadê o "poderoso" Água Santa? Foi rebaixado.

      Então é isso que eu quero dizer... a imprensa EXPLORA nosso emocional pra melhor vender sue produto (ainda que transformando-lhe num dramalhão grotesco). Falo isso por ser publicitário e trabalhar na área com os MESMOS recursos de linguagem...

      No mais fratello, concordo contigo. Torcida de futebol não se acalma com verbo ou com as mãos e sim com os pés (tô falando no campo!!! rs...). Abs.

      Excluir
    2. Galluzzi,
      Definitivamente não creio que o problema todo para o pífio desempenho do Palmeiras em 2017 esteja na imaturidade do torcedor. Também não vejo nenhuma incoerência por parte dos torcedores. A impressa, então, tem bajulado o Palmeiras como nunca vi antes. Portanto, não vejo outro problema que não um tratorista dirigindo uma Ferrari. Por duas vezes tiramos treinadores que vinham fazendo ótimos trabalhos na Ponte Preta e foram um fiasco na Libertadores conosco. Quem não se lembra de Estavam Soares e Gilson Kleina. Espero que eu esteja enganado, mas se não tiver, logo logo vamos fazer deste espaço um muro de lamentação.
      Abraço.

      Excluir
    3. Ítalo, realmente "o problema para o desempenho pífio" do Palmeiras não é o torcedor. É o TEMPO. Segunda partida da temporada já estamos esperando um futebol bonito do time, sem considerar o contexto do campeonato paulista (equipes do interior se preparam para ele), os desfalques, a busca por um padrão novo de jogo... isso não tem o menor cabimento.

      Como te disse anteriormente, CONCORDO que o Palmeiras seja muita areia pro caminhãozinho do Baptista. E nem descarto a troca breve de comando. Só digo - e tenho certeza disso - que a EXPECTATIVA do torcedor é inchada por uma mídia - com todo o respeito de quem é formado em comunicação - esquizofrênica. Valeu.


      obs.: tendo começado a moderar fóruns em 2001, a coisa que mais li até hoje foram lamentações, sem dúvida alguma... rs. abs!

      Excluir
  5. Saudações alvi verdes galera, vim prestigiar esse blog do Robertão. Vamos lá acho que todos nós palmeirenses somos desconfiados porem temos que dar tempo ao tempo cadê aquela coerência onde dizíamos que temos que dar oportunidade ao novo e quando temos o novo não damos tempo para que seja trabalhado. Só acho que o Eduardo batista tem que ter mais pulso firme nas entrevistas (fica com uma cara de coitado, medo) tem que falar firme e lembrar que saiu dá ponte preta e está no maior time da América. Eduardo terá o apoio só não seja teimoso em insistir com esquemas que não dá certo e jogadores que não tem a menor condição de vestir o manto sagrado.

    Avanti palestra


    PS já passamos por muitas dificuldade e sempre estamos lá na arquibancada incentivando mostrando que a nossa torcida não é modinha igual a dos nossos fregueses.

    Parabéns pelo blog Robertão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parla Adrian! Concordo plenamente... cadê aquela coerência?!!! Está em falta... ou melhor, jaz soterrada sob escombros de dramatização produzidos por nossa pomposa mídia, em sua frenética transformação do ESPORTE num PRODUTO a ser explorado AD NAUSEUM... e assim caminha la humanidad. Abraços fratello.

      Excluir