quinta-feira, 16 de março de 2017

Retranca? A gente arromba!

Fratellada, irmãos de coração... mais uma vez vivemos ontem uma daquelas noites cardíacas, na qual o Palmeiras conquistou uma vitória, senão elástica, fantástica! Fazer gol aos 50min. do segundo tempo é uma afirmação ao destino: essa é nossa e ninguém tasca!

Que o time jogou abaixo do esperado todos viram. Embora seja um bom articulador tático o Batista ainda não tem aquela representatividade pra dar tranquilidade aos jogadores, que virá naturalmente. Ainda assim jogamos bem melhor e só fomos travados pela retranca do time boliviano, que definitivamente abdicou do futebol e pagou o preço por isso.

Quero só ver na partida de volta, na casa deles, esse Jorge jogará recuado assim... vamos pra cima com ainda mais força!!!! E o juiz então? Um espetáculo a parte, deixou o Mina ser agarrado na área diversas vezes, fez moral com o time boliviano cuja torcida desavisada ousou cantar até um “olé” e depois se lascou! Típica arbitragem SAFADA sulamericana.

Ao final do jogo o Palmeiras e o Allianz Parque eram pura emoção.

Jogando num 4-2-4 deixamos só o Melo e o Dudu no meio campo, pra jogarmos com Keno, William, Borja e Guedes no ataque. Detalhe, o gol veio de jogada direta do Keno com o Guedes, que cruzou pro infustigável Yerri Mina empurrar pras redes, pro delírio dos mais de 38.000 torcedores que pulsavam o Allianz. Difícil descrever tamanha alegria e energia dalí emanava!

Mais uma vez exemplar, conforme palavras do próprio Batista, a torcida estava em sinergia total com o time e sinceramente, estando lá na Superior Oeste, não ouvi uma nesga qualquer de protesto ou vaia contra o Palmeiras, concentrados que estávamos em apoiar o time em todos os lances e vaiar o time boliviano na mesma proporção. Foi o que vi, ouvi e fiz.

Finalizando, gostaria apenas de fazer uma comparação: na primeira partida da final do Copa do Brasil 2015 perdíamos de 1x0 na Vila Belmiro quando, numa jogada final o adversário teve a chance absurdamente clara de aumentar o placar pra 2x0, complicando de vez a partida de volta. Mas não... erraram o lance e NAQUELE MOMENTO os Palmeirenses se olharam e sentiram que aquela conquista seria nossa. Certeza visceral, coisa de alma.

Pois bem... esse gol no último minuto trouxe de volta essa sensação! Guardadas as proporções do momento e do campeonato, foi com a mesma confiança que o Palmeirense deixou ontem sua casa, o Allianz Parque, numa catarse absurda de emoção e confiança, que ligou o jogo de sábado com este da Libertadores... definitivamente, nossa torcida é fantástica e nosso estádio, um COLOSSO. ISSO SIM É PALMEIRAS!!!!


2 comentários:

  1. Salve Robertoooooo!!!

    Ufa!!! Define tudo pelo que passamos ontem! rsrsrsrs
    Não sei se possuo uma miopia pelo Palmeiras, mas gostei do jeito que o time jogou, os erros que ali vi, foram erros individuais e não de tática (o Melo por exemplo, errou muitos passes no primeiro tempo). Jogar com um time totalmente retrancado, jogando nos contra ataques, jogamos pra frente sempre, mas sem esquecer da defesa.
    Méritos mesmo é para o quase eficiente time do Jorge, retrancou muito bem e fazem uma linha de impedimento bastante eficaz. Merecem meus parabéns pelo jogo que fizeram, afinal de contas, o Verdão é o time a ser batido esse ano, está muito superior aos demais times brasileiros.
    Compartilho com você a expectativa de título(s) em mais esse ano.

    Avanti Palestra!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso ae Claudião... tbm reconheço os méritos do time boliviano, mas confesso que ao final do jogo eu já estava xingando os caras de tudo quanto é nome.... rs. Expectativas... ah, sempre as expectativas... rs. Abs fratello!

      Excluir