terça-feira, 30 de maio de 2017

A imprensa PERSEGUE o Palmeiras?

SIM
O Palmeiras ocupa posição antagônica ao Curintcha, esse sim, junto com seu parceiro carioca, os “queridinhos” da mídia – representantes do povo – justamente aquele que lhe dá mais audiência.

Nessa perspectiva, criticar o Palmeiras dá eleva a audiência, uma vez que satisfaz o público, dando-lhe exatamente aquilo que ele quer ouvir.

Por complemento, boa parte da imprensa possui tendências de “esquerda” e o Palmeiras, por seu histórico, representa um oposto distorcido, pois apesar de não ser elite, é (mal) visto como de “direita”.

Para completar, dando ênfase ao seu passado como poucos outros, o Palmeiras orgulha-se de seu “sangue” italiano e isso a imprensa não perdoa, pois sempre valoriza e enfatiza o valor “nacional”, em detrimento de qualquer outra identidade que não expresse claramente as cores tupiniquins.

Por isso, o Palmeiras É SIM perseguido e alvo preferencial da mídia e da imprensa.


NÃO
A imprensa é VORAZ. Cria e destrói mitos pois assim vende mais notícia. Nesse aspecto o Palmeiras não é mais “perseguido” que outros, tantas vezes assolados por coberturas dramatizantes, que oferecem espetáculos apetitosos às pobres e ressequidas mentes àvidas por tensão e intrigas pessoais.

Além disso, o Palmeiras é o time que MAIS SE EXPÕE, pondo a BUNDA NA JANELA constantemente com estúpidos vazamentos de notícias e intrigas plantadas, regadas e adubadas dentro do próprio clube que frequentemente são utilizadas por aqueles desejosos da falência do comando vigente ou mesmo o simples e mesquinho interesse próprio.

Por isso o Palmeiras NÃO É mais perseguido pela imprensa do que todos os outros, diferenciando-se apenas pelo que ele próprio faz pra que isso aconteça.


Agora, tirem suas próprias conclusões...

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Paciência é virtude

Bem fratellada, estamos numa segunda-feira fria de outono. A rodada não foi boa pro Palmeiras, que sofreu sua segunda derrota seguida no Brasileiro2017.

Sinceramente creio que nesse momento quanto mais se falar, pior será. A única observação categórica que podemos fazer é que nossa DEFESA nunca esteve tão permeável e dessa forma, jamais conseguiremos conquista nada.

A zaga é a posição onde o entrosamento é mais necessário e nesse ponto a saída do Victor Hugo está fazendo a diferença. O Cuca precisa dar atenção especial a esse setor, sem a menor dúvida.

O resto é ter paciência. Uma paciência que pra torcedor é anacrônica... mas é necessária. Deixa o homem trabalhar, deixa o elenco entrosar, só aí veremos o time jogar.

Não adianta absolutamente nada ficar aqui dando pitaco sobre a qualidade desse ou daquele jogador, sobre o posicionamento de A, B ou C se temos, como treinador, o melhor que poderíamos ter, e que sabe muito mais sobre o que acontece lá dentro do que nós, incautos falastrões.

Então a palavra é essa: paciência é uma virtude escassa no futebol, mas que costuma apresentar excelentes resultados quando bem aplicada. É o nosso caso. Às vezes, pra que as coisas mudem é necessário que não se faça nada... só dar tempo ao tempo.

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Ao trabalho Palmeiras!!!

Abro a janela e vejo... idiotice saindo pelo ladrão. Isso quando não é o próprio ladrão batendo em nossa janela.

Do esporte pouco se fala. A necessidade do público por “drama” alimenta a espetacularização do assunto em questão, tornando tudo uma imensa novela.

E o Palmeiras, que das novelas faz grandes óperas, o clube-mestre da emoção e paixão, é alimento vasto para essa fome pantagruélica por dramas pessoais.

Palmeiras se classifica bem, todos os “primeiros” embolados com 13 pontos, posições decididas no saldo. O assunto é a discussão do Melo, multa, o dinheiro investido, a seca do Borja...

Enquanto isso Cuca esfria a cabeça num brasileiro que está apenas se iniciando, mas que não permite muitos vacilos. Até o dia 14 de junho quando haverá o sorteio pras oitavas da Libertadores.

Esse jogo, apesar do sorteio do adversário (primeiros x segundos), mantém o mando de segundo jogo pros “primeiros”. Como ficamos em 5, o ideal é torcer contra todos os que ficaram acima de nós (Atlético-MG, Lanús, Grêmio e River Plate).

De resto é torcer pra que o time tenha PAZ!!! O excesso de exposição muitas vezes contamina ambientes e envenena relações!!! Atenção Cuca, Mattos e Galiotte. BLINDAGEM JÁ!!!

PAZ significa não fazer um ESCARCÉU no caso de uma derrota, não crucificar o Borja se não fizer gol, não se preocupar exclusivamente com o que sai da boca do Melo e sim dos pés (quando vai na bola... rs) e principalmente não ficar dando VOZ às CORNETAS. É hora de FALAR menos e FAZER mais. Ao TRABALHO PALMEIRAS!


Não é gol. É PLANEJAMENTO.
Trabalho, talento, planejamento! SE o Palmeiras tem condição hoje de investimento, não é porque o dinheiro caiu do céu e sim pro CORAGEM de passar 2 anos (2013 e 2014) na pindaíba pra poder colher os frutos em 2015 e 2016, exatamente como fizemos!!!

O que o Palmeiras investe hoje é FRUTO de uma conjunção de fatores, que vão de Estádio, a torcida e presidente com condição, coragem e astúcia pra não ceder a tentação de gastar o que não podia e comprometer um planejamento mínimo a médio e longo prazo.

Mas isso, a INVEJA impede de ser vista. A INVEJA prefere achar que o Palmeiras está onde está por conta de um patrocínio. Paspalhos, continuem pensando assim. Mas é por essa falta de reconhecimento sobre o que faz o sucesso que o Brasil continuará com seus vôos de galinha.

Não Cícero. Dinheiro não faz gol. Quem faz gol são jogadores com TALENTO como você mesmo, jogadores que são PAGOS pra isso e que na ausência desta condição, vêem minguar seu futebol na exata proporção. Estou errado? Então fique com seu discurso e nós ficamos com nosso planejamento. Que pode não fazer gols. Mas contrata quem os faz.

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Brasília queima, Palmeiras atropela.

Chama os seus puliça! Tacaram fogo em Brasília. Sensacional... por aqui, não precisamos fazer muita força pra vencer o valente Tucumán. Com exceção do começo do segundo tempo, o Palmeiras dominou a partida de modo geral. Apesar de falhas pontuais tivemos uma apresentação consistente.

Destaques: Thiago Santos foi um primeiro volante de dar gosto, excelente nos desarmes e no posicionamento. Roger Guedes voltou a jogar bem. Guerra vem ganhando desenvoltura no meio campo. Mina, mais uma vez sobrando em campo. Destaque negativo: Borja ainda não reencontrou seu melhor futebol.

Agora o Cuca terá tempo pra treinar e se dedicar ao Brasileiro, voltando à Libertadores com uma configuração ainda mais sólida. Nas oitavas teremos o sorteio de adversário que deve acontecer em junho.

Se o torcedor (e a cornetagem) der um alívio pro clube e seu dia a dia, o time tem tudo pra se unir e ganhar o entrosamento que o Cuca busca. Estamos no caminho...

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Levanta e anda!

Quem aqui não se lembra do ocorrido anos atrás, lá por meados da década passada, quando se ouvia que o Gigante (Brasil) havia acordado? Ah que felicidade! Copa, Olimpíada, pré-sal... tudo favorecia!

Passados alguns anos (de incomPeTência), acordamos numa ressaca violenta, com corrupção saindo pelo ladrão e aquele gigante, outrora erguido, refastelado no mesmo berço esplêndido que sempre lhe acolheu. Deprimente... e o que temos nós, palmeirenses, a ver com isso?

Se toda torcida é parecida, é nos detalhes que se faz a diferença e é na diferença que se faz os grandes. Herdeiros de uma bagagem cultural privilegiada, fruto de uma das mais belas experiências de mistura de povos, a coletividade palmeirense vive com histórias de luta e conquista, dramas e tragédias que pontuam sua vida. E é justamente disso que o Brasil precisa agora.

Espírito de mudança, de coragem, de união. Por uma sociedade mais inclusiva, próspera e saudável. Assim foi nossa história, assim se fez a Família Palestrina. O Brasil precisa de referências. Referências de quem luta, trabalha, corre pelo certo e conquista, com humildade e justiça.

É com esse espírito que o Palmeiras caminha. Nessa Libertadores por exemplo, a nota oficial do clube sobre as decisões da Conmebol sobre o caso “Peñarol” foi excelente. O presidente Maurício Galiotte falou firme, ainda que o resultado prático desse clamor possa ser limitado.

O fato é que temos que vencer nosso jogo na quarta contra um time argentino lutando por vaga. E saber que pela campanha realizada, já estamos atrás de River Plate e Atlético-MG, que num confronto direto conosco jogariam a segunda partida em casa.

Pois é fratellada, não é fácil mesmo. Nunca disseram que seria. Mas temos tempo, time, torcida e estrutura. Talvez ainda possamos fazer algo a respeito... veremos agora em mais uma emocionante, angustiante e apaixonante noite de quarta-feira, de Libertadores. Irmãos, aqui vamos nós.

quinta-feira, 18 de maio de 2017

A esperança é o futuro. Renasce verde!

Fossemos um time que teme jogar fora de casa, lamentaríamos mais essa vitória magra por 1x0 contra o Inter, na primeira partida das oitavas da Copa do Brasil. Mas temos essa vantagem, de ser um visitante incômodo.

Após quase quebrar a televisão depois do Dudu desperdiçar aquele último contra ataque, relaxei um pouco pra refletir sobre a maratona de jogos que o time começa a enfrentar e ponderar que montamos um elenco parrudo pra isso.

Mas ontem por exemplo, o bom Roger Guedes entrou pra não fazer nada... não pode! O Erik até poderia ter feito o gol, se o Dudu tivesse lhe passado a bola... mas no futebol não existe “se”. A melhor substituição foi a entrada do Fabiano, que deslocou o Jean pro meio.

Temos que ser mais efetivos, eficientes, mas essa inconstância faz parte da transição. Resta esperar o mestre Cuca colocar seu tempero. Nossa esperança não está no hoje, mas no futuro. Em vários sentidos...

Boa notícia, má notícia
A boa notícia fica pela liberação do Allianz à torcida, ainda que tenham-nos bloqueado como visitantes. A má notícia não tem nada a ver com futebol. Sendo do rock'n roll, não posso deixar de lamentar a passagem de um dos maiores vocalistas do gênero, Chris Cornell, ex Sondgarden, Audioslave. Caramba... agora o céu (ou o que houver) já tem gente pra cantar o apocalipse! Com Dio e Cornell, as hostes estão bem servidas! Long live Rock' n Roll. Fica em Paz Chris.

Pensamento do dia
O Brasil funcionou como nação? Acho que não! Para tudo e refaz do zero... um pouquinho mais verde, por favor!

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Sem medo de ser feliz!

Palmeiras estreia no campeonato brasileiro com um sonoro 4x0 no Vasco da Gama recém readmitido na série A. Mais que isso, o time parece reconhecer o estilo Cuca, ao qual se adapta tão bem.

Um dos melhores da equipe, nosso lateral direito Jean é o exemplo dessa mudança. Vimos ontem o Jean campeão brasileiro de 2016. E não só ele, mas Zé Roberto e Tchetchê, são gratos ao retorno do treinador. 

Em entrevista ao excelente Resenha da ESPN, o Cuca foi sincero ao dizer que não pretendia voltar agora, ainda faria uma viagem com a família, mas preferiu atender ao chamado palmeirense ao invés de terminar noutro clube... e assim fomos atrás. E também deixou claro que o Palmeiras montou um time pra 2, 3 anos, o que é gratificante saber.

Ainda temos muito a melhorar tanto técnica quanto taticamente. O entrosamento no meio (Dudu e Guerra) deve ter uma atenção especial. Felipe Melo e Tchetchê parecem confortáveis em suas posições e Mina já conhece bem o Dracena. Do Zé Roberto só espero que jogue mais tempo, pois sempre ajuda quando está em campo. E o Jean completa a lateral com competência.

Tal competência pode ser vista até na entrevista, sempre polemizante, que lhe questionou sobre a cobrança de pênalti por ele batida, resistente ao “pedido” do Guerra pra que o Borja fosse o batedor. Corretamente, Jean indicou que seguia o que havia sido treinado e ainda tivemos o beneplácido de 2 tentos do colombiano, até com pênalti gentilmente lhe cedido!

Início ótimo, mas sigamos com os pés no chão. E calça vinho.

BLINDAGEM
Cuca: chame o Mattos e o Galiotte e FECHE O VESTIÁRIO. Blindagem do time contra as nefastas fofocas e polêmicas é imprescindível à vitória! Todos os clubes são vulneráveis, mas o Palmeiras sempre foi especialista em se colocar com a bunda na janela. “Vem pra dentro moleque! E FECHA ESSA JANELA!!!!”


quinta-feira, 11 de maio de 2017

Idas e vindas, mercadobol em ebulição

Os comentários sobre saída e chegada de jogadores parecem promissores. Nomes que não vem sendo aproveitados podem funcionar muito bem noutros times, veja lá o Allione, praticamente um baiano nativo! Brincadeiras a parte, desde que as propostas seja sérias (e não algo esdrúxulo do tipo que nos mantém pagando o salário do atleta que joga noutro clube), deve mesmo ser feito.

Rafael Marques, Erik, Alecsandro e mesmo o Vitor Hugo, que é legal pacas mas desde o ano passado já queria se pirulitar, podem sair. E os nomes que podem vir, agradam. Só não me esqueçam a lateral esquerda!

Incompetência, nível Master.
Fratellada, olhe só essa notícia. De uma só patada vemos o absurdo de incompetência que esse país vive.

Supostamente, o Palmeiras teve a capacidade de pagar a um agente 600 mil euros pela negociação do Wesley (!), só que o agente nem era da empresa que “representava” o atleta!

Agora, na segunda pataquada, a justiça considera o Palmeiras o culpado, por ter acreditado no cidadão. Ao invés de irem atrás do cidadão por falsidade ideológica e apropriação indébita, consideram que o Palmeiras fez um “pagamento ineficiente”... mas que trolha de país é esse?

É lógico que tem caroço nesse angú! Alguém levou sua porcentagem na maior mamata, querendo pagar de “eu não sabia”. Isso tudo ocorreu no ano de 2012, administração do nosso caro Arnaldo Tirone. O mesmo ano que fomos rebaixados. Coincidência?

Gostaria de deixar claro aqui O NÍVEL de diretoria que assolou o Palmeiras por tanto tempo. E clamar aos céus que tais descalabros não se repitam. Ainda que tenha sérias dúvidas sobre essa possibilidade...


terça-feira, 9 de maio de 2017

Soam as cornetas... lá vem desgraça!

Amigos... vejam só essa notícia declarando que o “Conselho” palmeirense tem mais voz ativa na gestão Galiotte....

DEUS NOS ACUDA!!!!

Conselheiro é um cidadão que serve pra dar palpite (tosco) e não se responsabilizar por absolutamente nada que decorrer dessa decisão. A não ser que dê certo, o que é raríssimo.

Sabem quando o “Conselho” palmeirense funcionou a pleno vapor? Década de 80. Depois a Parmalal calou a boca de todos, com dinheiro e competência.

Saiu a Parmalat e voltou o Conselho a falar alto. E o que aconteceu? Rebaixados. 2 vezes. Aí veio mais um Nobre mecenas e da mesma forma – dinheiro e competência – calou a maldita cornetagem. Em 4 anos ganhamos 2 nacionais e saímos do buraco onde havíam nos metido.

Agora que saiu quem controlava a pleura de bobagens que vem dalí, estamos a mercê novamente da infame cornetagem que historicamente sempre nos prejudicou.

SOCORRO!!!!

Tenho absoluta certeza que o barco corre SERÍSSIMOS riscos de entornar, o caldo desandar, a vaca ir pro brejo. BEM QUE O NOBRE AVISOU que o Galiotte seria FANTOCHE nas mãos dos “caciques das alamedas”. E assim parece que será mesmo... seja o que Deus (e a corneta) quiser.

Enfrenta Galiotte!!! A responsa é tua.

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Cuca 3.0

É a terceira passagem do Cuca no clube. A primeira como jogador na década de 90, a segunda como treinador em 2016 e agora voltando, 5 meses depois. A alegria que sentimos nesse momento é grande.

Não ficarei aqui dando murro em ponta de faca – mesmo porque considero a volta do Cuca excelente – pra defender a estadia minimamente mais longeva dos treinadores por aqui. Ainda acredito que a insana pressão por resultados a curto prazo atrapalham o desenvolvimento do futebol de cada time, tornando ainda mais difícil as conquistas.

Será mesmo que o treinador anterior já havia “perdido comando do vestiário”, mesmo após a vitória espetacular no Uruguai? Talvez haja outro fator, algo além dos resultados que pode ter precipitado a busca ao Cuca, talvez a procura de outro time...

Mas ainda me incomoda a mentalidade geral (aí me incluo) incapaz de enxergar ao longe, ficando a mercê do que é óbvio e superficial. E que, na busca pela venda, a imprensa explora essa infantil demanda, polemizando a pauta como de hábito e jogando ainda mais combustível nessa roda nefasta. E agora chega não falo mais disso.

Seja como for, a volta do Cuca é importantíssima. Temos uma boa base do ano passado com reforços pontuais. A bem da verdade, a ausência do Gabriel Jesus e do Moisés ainda não foi suprida é será esse o principal desafio que o Cuca terá em seu início. Fazer o Borja render mais. Já indicou a necessidade pra lateral esquerda o que era evidente. E agora, mãos à obra.

sexta-feira, 5 de maio de 2017

É vapt-vupt!

Olha fratellada, faz tempo que não vejo o Palmeiras agir tão rápido quanto nesta quinta-feira. Ainda que fosse um desejo audível pós-derrota, poucos esperavam que a saída do Eduardo Baptista fosse tão rápida.

Na boa, eu teria esperado um pouquinho mais. Dedicado e estudioso creio que o trabalho do Batista iria vigar muito bem. Torcedores, devemos desculpas ao treinador pela histeria por resultados a curto prazo. Essa nossa obsessão insana... futebol cruel.

Mas confio no Alexandre Mattos. Creio que vá como flecha em cima do nosso antigo treinador, o Cuca. Tomara!!! Mas o que gostaria mesmo de ver um técnico dirigindo o time por 2 ou 3 anos, quando o resultado dos trabalhos realmente aparece. Será mesmo assim tão utópico?

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Falar menos, agir mais

Fratellada.... que porcaria de derrota foi essa.... com esse catadão em campo não há Batista que aguente.

Sei que estamos naquele momento de revolta e inconformismo. Pra vencer uma Libertadores o time não pode jamais levar 3 gols da forma como levamos. Nossa defesa foi de sólida à peneira em 3 meses.

Todo mundo hoje acordou pensando numa só coisa: CUCA. Fazer o quê... paciência. Reflexo natural da derrota.

O lance é o seguinte: deixa o Batista trabalhar, mas liga pro Cuca e acerta a volta pra junho.

Com tanta comunicação hoje em dia, fala-se muito. Chegou a hora de agir mais. Sem mimimi, sem churumela. Temos muito trabalho pela frente.

Avanti fratelli!!! Não vamos esmorecer. Vamos nos recuperar, lutar e vencer. Somos Palmeiras.

terça-feira, 2 de maio de 2017

Michel Bastos na lateral esquerda?

Olha pessoal, essa foi BOLA CANTADA. Estávamos nós em janeiro/ fevereiro do ano corrente e vim aqui fazer um alerta: precisávamos contratar um LATERAL ESQUERDO. Argumentava então que, servidos de Egídio e da presença inconstante do Zé Roberto, tínhamos no setor nosso ELO FRACO, algo que pode colocar todo o restante abaixo.

Passados 3 meses, temos aí o resultado. Michel Bastos sendo cogitado na lateral esquerda, já que não temos outra opção mais forte do que o Egídio pra substituir o Zé Roberto, este com inflamação no tendão do pé.

Falei e avisei. Ninguém ouviu e fomos atrás de Hyoran e Raphael Veiga, sobre os quais não tenho nada contra, mas estão lá encostados. Precisamos ouvir do Michel Bastos que atua na lateral esquerda sem problemas e mais que isso, ver o resultado em campo. No ataque não há problema, o lance é na defesa!

Como todos sabemos, pra ganhar um torneio como a Libertadores o time deve ter uma DEFESA muito boa e sofrer poucos gols. A Juventus em 10 jogos na Champions sofreu 2 gols! Caso o Michel consiga fechar o setor, ganhará muitos pontos e poderá definitivamente dar uma guinada positiva em sua trajetória. FORÇA BASTOS!!!!

Borja Banco
Sinceramente, nada demais. Valor de contratação não é nem deve ser critério pra permanência de jogador no time titular. Daqui a pouco volta... e deslancha.

Camisa Nova
Todos já devem ter visto essa foto maravilhosa que roda pelas sociais, supostamente do novo fardamento do Palmeiras para 2017, com camisa 1, 2 e 3.

Será mesmo, uniformes 1, 2 e 3?
Não sei se será mesmo isso, mas vamos lá: primeiro, como a camisa fica bonita SEM PATROCÍNIO... mas beleza. A camisa verde é bem estranha, não pela utilização de 2 tons de verde (que fica muito bonito), mas pelo padrão de listras colocadas, parecendo cela de prisão ou pior, semelhante à gambazada.

Padronagem que já não acontece com a branca, que conta com listras maiores, bem melhor. Mas só pra variar, o melhor fica pra terceira camisa. Num tom de verde/azulado bem fechado e detalhes de gola, manga e símbolo em amarelo, vai fazer fila na loja pra comprar.

Mas o curioso é a não utilização do conjunto “calção branco/ camisa verde” que sempre caracaterizou o time, adotando um conjunto igual em cores, o que não ficou ruim não! Mas é diferente. E a diferença final fica por conta da utilização do símbolo simplificado, apenas o “P”, que realmente é muito bonito.

Seria bom se fossem colocadas a venda num valor próximo a R$250 e não os absurdos R$350 que se cobra por aí e tanto favorecem a pirataria....

segunda-feira, 1 de maio de 2017

É desse amor que é feito uma torcida.

Não posso com essas coisas... me desabo em lágrimas. Sentimental, apaixonado, visceral... o palmeirense nutre um tipo de amor por seu time e por aqueles que honrosamente vestiram seu manto que é difícil explicar.

Seja pelos VALORES que congrega, seja pelo sentimento FAMÍLIA, alguns torcedores jamais se esquecem daqueles que nos representaram, tendo-os com verdadeiros MEMBROS DE SUA PRÓPRIA FAMÍLIA.

Isso ficou claro no encontro entre Dna. Lindaura, 77 e nosso ex-atacante Edmundo. Tal como estivesse reencontrando um filho que volta da guerra, dna. Lindaura deu o maior exemplo possível do tipo de sentimento que habita os corações palestrinos.

Nos momentos difíceis, nos momentos de dor, nos momentos de solidão. Momentos que não faltam na vida de ninguém. É aí que um time de futebol como o PALMEIRAS se faz presente, é aí que o torcedor se refugia da luta diária! Projetando no time e nos jogadores uma série de características e valores cujos quais ele mesmo quer pertencer, o torcedor tem neles uma parte essencial de si mesmo!

Que seja mostrado aos jogadores. Que chegue a eles. Estou certo de que em sua imensa maioria, eles não tem a percepção clara da emoção e de quanto um time de futebol e seus jogadores podem representar a um torcedor.

Então, que lhes fique bem claro. Obrigado dna. Lindaura. É desse amor que é feito uma torcida.