quinta-feira, 29 de junho de 2017

Lição de FÉ!

Fratellada, o que vivemos na noite desta quarta-feira foi mais uma prova inequívoca de que o Palmeiras não é um time como os outros. A paixão, o desequilíbrio, a angústia e o êxtase definitivamente convivem juntos por aqui.

Não adianta colocar a culpa dos 3 gols sofridos ainda no primeiro tempo a um pu dois jogadores. Fabiano falhou na marcação em 2 gols, mas cá entre nós, sempre soubemos que ele, perante um ponta veloz, pouco pode fazer. Deixá-lo no mano a mano é pedir pra sofrer.

O Palmeiras entrou completamente desligado, em completo banho maria. E as Marias aproveitaram. O que vivemos naquele primeiro tempo só encontra semelhança naquele 7x1 nacional. Foi a catástrofe completa e irrestrita.

Talvez agora, e só agora, comissão técnica e diretoria percebam que temos problemas crônicos e agudos em nossa defesa. Digo e repito: DEFESA QUE SOFRE TANTO GOL NÃO VENCE CAMPEONATO. Fato.

Sobre a reação no segundo tempo, foi a LIÇÃO DE FÉ que o torcedor precisava. Num momento em que já havia gente atônita, balbuciando palavras incompreensíveis, discutindo na arquibancada e xingando até o Mattos, o Palmeiras foi lá e mostrou que sim, era o Palmeiras em campo.

Incrédulos, atônitos e inconformados, assistimos o primeiro gol. Esperançosos e angustiados, comemoramos o segundo. Extasiados e reforçados, deliramos e no terceiro gol, que proclamava em definitivo “É PALMEIRAS!!!”

Dudu monstro. Egídio improvisado, Borja finalmente empenhado e por pouco, muito pouco, não conseguimos a virada!

Sim fratellada. Somos Palmeiras. Somos apaixonados, somos viscerais, somos humanos. E ontem aprendemos que mesmo quando estivermos perdendo de 3, devemos ACREDITAR, APOIAR, CANTAR E VIBRAR por nosso alviverde INTEIRO, que sabe ser brasileiro, ostentando não só a sua fibra, mas seu desejo de VITÓRIA.

terça-feira, 27 de junho de 2017

Diego Souza

Olha pessoal, muito se comenta sobre a possibilidade de vinda do Diego Souza. Pois bem, darei minha opinião, talvez válida num país de tão pouca memória.

Sem dúvida o Diego Souza está jogando bem. No Sport. Sem dúvida é um bom jogador. MAS NÃO ESQUEÇO 2010, quando vimos o time naufragar no campeonato brasileiro após a chegada do Vagner Love, trazido pelo então presidente Belluzzo.

Operação padrão. O time vinha em primeiro no campeonato e nem à Libertadores se classificou, tendo enviado também o próprio Belluzzo para UTI do hospital. É sério.

Operação padrão. O time passou a ANDAR em campo, enciumado pelo alto salário do Vagner Love, que corria que nem uma barata tonta atrás da bola. Inacreditável que tão poucas pessoas tenham percebido o ocorrido. Mas assim foi.

Pra mim, quem foi um dos CAPITÃES do motim, um dos condutores da operação padrão 2009, senão nosso caro atual meia do Ixpó? Éééé amigos.... por anos nutri um profundo desprazer por esse cidadão, símbolo para mim do interesse pessoal acima do time.

Passados 7 anos, os dias são outros. Não gosto de nutrir rancor e acho melhor perdoar, mas desde que se reconheça e se mude o comportamento. Não creio que essa índole primordial possa ser alterada. Ainda assim, espero que o Palmeiras tenha um COMANDO hoje que não permita que essas malditas paneladas se repitam.

Acontece que o Sr. Diego Souza gosta de ser “a estrela” do time onde joga, talvez por isso tenha se dado tão bem no time nordestino. Mas Sport é Sport, Palmeiras é outra coisa. Caso ele mantenha sua bola alta apenas EM CAMPO, que seja bem vindo. Mas se trouxer qualquer estrelismo desagregador, pode ficar onde está, muito obrigado.

segunda-feira, 26 de junho de 2017

A Ponte que partiu!!!

Como é que é fratellada? Havia um “bicho papão” em Campinas, aquele que ainda “não perdeu em seus domínios”? HAVIA, cara pálida! PALMEIRAS foi lá e KATCHAU! Colocou a Ponte abaixo!

Realmente, vencer a Ponte em Campinas não é das tarefas mais fáceis. Jogam de forma compacta, pressionando o adversário, com apoio incessante da torcida. Exatamente o que precisávamos pra ganhar a confiança.

Pontos a ressaltar: jogamos com uma defesa “nova” e apesar do gol sofrido, conseguiu segurar o ímpeto da Macaca. Maike na direita, o zagueiro Juninho improvisado na zaga (deu pra perceber que ele quase não subia ao ataque), Antônio Carlos fazendo dupla com o Mina (atualização feita pelo fratello William... foi o LUAN que jogou não o A.Carlos, blogueiro energúmeno!), sempre fundamental e um garoto da base, Gabriel, fazendo a contenção na volância junto com o Tchetchê. Com essa formação totalmente inédita, seguramos uma das melhores equipes do brasileirão em sua casa.

No ataque. Guerra. Fez o velho papel de um legítimo camisa 10! Sua posição é a mais difícil, pois está sempre com marcação em cima e precisa se virar (literalmente) pra achar espaço pro ataque. É lógico que não consegue fazer isso a partida toda, mas quando consegue, arrepia.

Vi bastante disposição (além do passe magistral pro gol da vitória) no Erik. Também no Guedes e menos um pouco no William, mais “sacrificado” no meio da zaga adversária, da qual tem que se livrar melhor.

Como dizíamos, um pouco de tranquilidade e ausência da maledeta corneta era tudo o que o time precisava pra engrenar. Tudo bem, a sequência facilitou, mas a encerramos em grande estilo. Agora virão as pedreiras, uma sequência com Copa do Brasil, Brasileiro e Libertadores pra ninguém botar defeito.

Lógico que o time ainda não tem seu “padrão de jogo”, que ainda está sendo construído. Mas retomou a confiança, imprescindível para isso. E de quebra aliviou a “pressão” que vem de dentro e de fora. É ISSO, PALMEIRAS!!!!

quinta-feira, 22 de junho de 2017

1 gol, 3 pontos!

Engraçado é que o Curintcha ganha de 1x0 90% dos seus jogos e a imprensa se baba toda, aplaude e faz festa. Somos nós a fazer o mesmo, foi “uma dificuldade”, venceu “no sufoco”...

O Dudu perdeu um gol feito. Ok, o Borja e o Guerra também! Mas isso é um bom sinal, de criação produtiva. O Passo inicial é justamente fortalecer a criação.

E na defesa finalmente não levamos gol. Mas por conta do Prass, mais uma vez. Vou repetir: nossa defesa está ruim, bem complicada pelas laterais e uma volância indefinida.

Disse desde o começo do ano: tragam um LATERAL ESQUERDO. Não trouxeram. E por alí penamos em todos os jogos.

A chegada do volante Bruno Henrique será providencial, haja vista o baixo desempenho do Tchetche, somado as contusões do Melo, Moisés e Arouca.

Jogamos ontem sem um volante de contenção, algo perigoso perante adversários mais qualificados. Tchetche não tem essa pegada, muito menos o Jean que, definitivamente, ainda considero melhor em sua posição de origem, na lateral direita.

Digo e repito: nossos problemas defensivos são maiores do que os ofensivos. Mas isso e coisa que o Cuca pode resolver, com um pouco de tempo pra reencontrar a melhor composição para o setor.

A vitória pode não ter sido tão bela quanto gostaríamos. Mas trouxe os 3 pontos que tanto precisávamos. Valeu Palmeiras!

segunda-feira, 19 de junho de 2017

CONFIANÇA nos reconduz às VITÓRIAS

FRATELLADA!!!! Irmãos e irmãs de coração! ACREDITAI-VOS, ÓH FAMÍLIA!!!

Como bem predizíamos por aqui, o tempo, sempre ele, senhor da razão. Se alguém disser que ganhar do Bahia em seus domínios é moleza, não estará sendo condizente com a realidade do futebol. Enfrentamos um bom adversário e conquistamos uma vitória legítima, categórica e imperativa!

Futebol é assim. Demora tempo pra se entrosar. Mas quando o talento se acha em campo, vemos golaços como o que o Keno fez neste belo domingo. Falo e repito: devemos saber ABSORVER o GOLPE em eventuais derrotas, não “acusar o golpe”, sentir muito.... senão desestabiliza tudo! Assim fazendo, podemos ter a bendita tranquilidade que nos reconduz à vitória!

QUE ASSIM SEJA A PARTIR DE AGORA!

Bem estamos vendo que a defesa anda uma desgraça. Como diz meu grande amigo Guilherme, lá de Cuiabá, “levamos gols aos litros”. É uma baldada atrás da outra, assim não dá. Mas a explicação lógica é a saída do Victor Hugo e a demora pra nova zaga se encontrar. Gostei do começo do Juninho, vamos ver como se dá a sequência.

Último aviso, continuamos rêfregos pela esquerda. Nosso esforçado corcundinha Egídio até vai bem, até topar com um ponta ágil e veloz, o que convenhamos, não é pra qualquer um. E falando em lateral, melhor manter o Jean na sua direitinha, usando-o como volante apenas em situações limítrofes..

Además... Guerra constante, Gueds pegando no tranco, Keno representando. William um pouco “sacrificado” na marcação, TcheTchê ainda sentindo a ausência do Moisés. Thiago Santos vem firme, mas precisa tomar cuidado pra não perder a levando seguidos cartões.

No restante pessoal, é mais uma vez aproveitar o momento de vitória e de paz pra reafirmar que TORCER DE VERDADE não é apenas COBRAR VITÓRIAS, mas saber APOIAR O TIME nos momentos em que elas não acontecem. A CONFIANÇA no momento de DIFICULDADE é o alimento mais poderoso para que as VITÓRIAS retornem e PERMANEÇAM constantes. AVANTI FAMÍLIA!!!!

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Nos vemos em frente

Ok Santios, pode esperar, sua hora vai chegar. Ganharam na manha, estilo gatuno em campo. Ingênuos, caímos no conto. Sr. Dracena que o diga... se perder o elemento surpresa, perdeu na velocidade, aí é melhor cair pedindo falta. Não basta...

Mas temos efeitos positivos: o Guedes, que embora ainda precise melhorar a pontaria , vem melhorando bastante. Infelizmente isso pode ser prova de que sua saída seja iminente. Quando os olhos da zeuropa aparecem, o cidadão desanda a jogar...

Pouparei meus caros amigos da velha cantilena do tempo, sempre ele, fundamental para o entrosamento, outro elemento negligenciado nas análises esportivas. Mas o fato é que assim é, e aos poucos esperamos ver a evolução. O time começa a ter mais ações ofensivas e mesmo não conseguindo 3 pontos, deixa aquela sensação de “posso mais”.

O problema preocupante é a DEFESA. Falei desde o início do campeonato que precisávamos de um LATERAL ESQUERDO. Pra mim o Alexandre Mattos já vacilou em não ter suprido essa nossa carência. Fora isso, a zaga.

Levando gol em todas as partidas time NENHUM consegue ser campeão. Acreditem no que digo, são estatísticas extensas que leva à tal conclusão. Precisamos, fundamentalmente, fechar a defesa, escancarada pós Victor Hugo. Que fez uma emocionante despedida, mas que sinceramente, pra mim não vale muito. Jogador que deixa o time no meio de uma LIBERTADORES, é de doer. O Edmundo mesmo, até hoje não esqueço em 95... mas que seja, maldito mercado, bendito mercado. Boa sorte pra ele.

VITÓRIAS SEGUIDAS, é do que precisamos. Nosso adversário do Equador, o Barcelona de Guayaquil vem numa boa sequência em seu campeonato e se não tivermos MUITA FORÇA e atenção, podemos ser surpreendidos. Em Libertadores, TODA atenção é pouca e bem sabemos disso.

terça-feira, 13 de junho de 2017

Espaço ROUBADO no Allianz Parque!

Fratellada, saio um pouco do mérito TIME, pra falar do nosso estádio, onde estive na última partida. Gostaria de vir aqui manifestar REPÚDIO COMPLETO contra uma HERESIA que está sendo cometida nas arquibancadas do Allianz Parque.

O espaço ROUBADO dos torcedores
Todos sabem que o ANEL SUPERIOR é a estrutura mais nova em relação ao antigo estádio, local para onde afluíram milhares e milhares de AVANTIS, desejosos de ocupar tais novos e preciosos assentos.

Bem sabemos do LITÍGIO que vencemos com a Wtorre que nos garantiu a posse das cadeiras, sendo 10.000 da construtora e o restante nosso. Pois bem, não sei se esse espaço seria dessas “cativas” da construtora, mas o fato é que 450 LUGARES da parte MAIS NOBRE da arquibancada SUPERIOR CENTRAL OESTE foram CEDIDOS pra colcação de impresa e câmeras. Isso sem contar nos lugares que tiveram sua visão totalmente prejudicada por tal MONSTRUOSIDADE. Disseram que foi comprado.... quem vendeu que vá pra....

Avantis PAGAM por esses lugares
MONSTRUOSIDADE. Não pode ser tratado de outra forma. JÀ EXISTE espaço pra câmeras definido e utilizado. Já nos foi TOMADO um espaço da SUPERIOR LESTE pra colocação de “antenas” (erro de projeto!!!), que tomou pelo menos 300 lugares. E agora esse absurdo, esse descalabro bem no meio da arquibancada.

Isso é uma AFRONTA a quem paga R$65/mês no plano AVANTI SUPERIOR pois agora se torna ainda mais difícil encontrar lugares centrais, sendo “empurrados” para atrás do gol ou à já LOTADA entrada leste.

Pode ser algo planejado pra enfraquecer o Avanti. Mas que o Palmeiras deveria se pronunciar, devria. E DERRUBAR esse maledetto puxadinho dos infernos.

segunda-feira, 12 de junho de 2017

12/06/1993 - O Fim da Fila. O Renascer das Conquistas

Se há algo pelo qual agradeço a Deus, é poder ter vivido esse dia. Pra quem começou a torcer em 1977, com recém completados 5 anos de idade, ser campeão só 16 anos após a escolha valeu ainda mais por um fato: não vencemos um time de interior qualquer, mas sim um dos maiores adversários, colocando-os de 4 perante nossa força. Ali, eu renasci.

A sensação de ser campeão com 21 anos de idade deve ter sido próxima daquela do virgem aos 40 depois de sua primeira noite. Ao sol brilha como nunca antes. Acordar no dia seguinte foi como Deus finalmente tivesse olhado pra você, após tanto tempo, após até mesmo de você duvidar se ele queria algo contigo, e dissesse: “Filho, eu também te amo. E agora chegou tua vez!”

Só de lembrar me veem as lágrimas. Foi uma redenção indescritível, como se a Luz do Universo finalmente nos atingisse. A Deus agradeço por esse dia. Nossa redenção não poderia ser diferente, tinha que envolver grandes atores, numa batalha épica. Assim foi, e quem viveu JAMAIS, repito, JAMAIS irá se esquecer do dia mais feliz de sua vida.

O dia. O "sai zica!"
Não fui ao primeiro jogo, apenas ao segundo. Quase perdi também o segundo pois antigamente as filas pra compra de ingresso eram tremendas. Só consegui meu ingresso no dia do jogo, avisado na noite anterior por um amigo – adversário, diga-se de passagem – que uma carga extra de 500 ingressos seria colocada a venda... no Parque São Jorge. E lá fui eu pra lá as 06 da manhã do dia 12/06. As 07 já estava lá, rodeado por adversários que eu só torcia pra que nem quisessem falar comigo. Mas foi tudo bem e de lá sai com meu ingresso.

Havia uma história pessoal. Após assistir tantos jogos do Palmeiras (também estive naquela final de 86 contra a Inter de Limeira, e na de 92 contra o SP), eu nutria uma pequena amargura de ter a impressão que eu era o pé frio. Sim, pois foi só eu começar a torcer e o time parou de vencer! E naquela semana eu não sabia se deveria ou não ir ao estádio, pra não zicar!

Mas aí na noite anterior rolou esse aviso. E eu pensei “bem, não fui no primeiro jogo e o time perdeu do mesmo jeito. Então agora eu vou e que se dane. Mesmo porque se ganhar sem eu ter ido, vou achar que NUNCA MAIS poderei ir ao estádio ou a uma final!” Munido dessa lógica, lá fui eu.

Observação sobre a semana do jogo:
O lance é o seguinte: o Palmeiras vinha com seu segundo ano de Parmalat, reforçado e bombado. Sabendo disso o adversário procurou tirar vantagem, nos apontando como FAVORITOS e com a “obrigação de ganhar” por conta dos investimentos. Coincidência com o que fazem hoje? Pois é... então, funcionou.

Na primeira partida o Palmeiras entrou nervosíssimo, sentindo tremendamente a pressão. Não conseguiu encaixar o jogo e saiu de campo derrotado por 1x0. Terrível. Mas aí aconteceu o que mudou tudo. O gol do Viola, imitando o porco jocosamente. AAaaahhhh... aí o jogo começo a virar.

De apontar-nos como favoritos, o pessoal da ZL começou a “tirar onda”, já nos (re) colocando na fila, talvez até mesmo (pros mais velhos), numa recordação de 20 anos antes, quando em 1974 o Palmeiras os deixou na fila que então lhes durava 21 anos.

E ESSA PROVOCAÇÃO era tudo o que precisávamos. Bem, essa provocação e a presença decisiva do Luxemburgo, que fez uma preleção fantástica. Assim, entramos no jogo com a faca nos dentes, sangue nos olhos, já tendo superado o sentimento da derrota. Já eramos vistos como derrotados, não tínhamos nada a perder. E quem não tem nada a perder tem muito a ganhar. E assim vencemos, estremptuosamente, colossal, imperiosa e categoricamente!!!!

Irmãos, de coração vos digo. Toda e qualquer interpelação que cite uma possível influência de arbitragem é completamente IRREAL e IGNORA OS FATOS, tais como ocorreram. 1) Uma eventual expulsão do Edmundo não nos afetaria, pois já estávamos vencendo e intenção era levar o jogo à prorrogação, na qual só precisávamos do empate. Ou seja, não precisávamos de mais gols. Que o Edmundo nem fez, pois jogol mal naquela partida (quem “deitou” foram Zinho, Evair e Edílson, além de uma zaga fantástica).

Assim, a “voadora no ar” que o Edmundo deu e só levou o amarelo é um argumento pífio pra dizer que a partida seria diferente. Basta assistir o jogo e será visto que o domínio do Palmeiras foi GERAL, haja vista que nosso gol saiu logo no primeiro tempo, pelos encantados pés do Zinho.

2) Dizem também de uma expulsão de um zagueiro, mas que as imagens corroboram sem a menor dúvida, após duas faltas claras e graves. E pior, NÃO CONSIDERAM a expulsão INJUSTA do nosso zagueiro Tonhão, após uma simulação grotesca do goleiro Ronaldo sobre uma pretensa cabeçada a qual ele jamais proferiu. Essa expulsão sim, que poderia ter sido perigosa. Mas não foi, pois a vitória era nossa e já estava escrita e não seria árbitro nem adversário nenhum no mundo que a tiraria de nós. Mas devo reconhecer por ter sido em cima de quem foi, tornou-se muito mais saborosa, épico, inesquecível.

Por isso presto aqui minhas homenagens a mais esse aniversário de 24 anos daquele que foi, com toda certeza, o dia mais feliz da vida de muita gente que nunca deixou de acreditar e sentia como ninguém, que aquele título de CAMPEÃO era seu, pelo mais justíssimo DIREITO DIVINO.

Assim foi e assim ficará, para todo sempre. Amém Palmeiras.

domingo, 11 de junho de 2017

A PAZ

AEEEE fratellada!!!! Um pouco mais calmos após a vitória categórica sobre o Fluminense, graças a conjugação de partidas, onde a imprensa terá uma semana pra ficar descascando a lenha em cima do clássico Padoca (coxinhas x mortadelas) (SP x SCCP), teremos finalmente a paz pra poder baixar os ânimos.

A partida de ontem seguiu um script clássico.. 1x0, 1x1, 2x1 e 3x1, tendo o Guerra e o Roger Guedes como principais destaques. O Guedes finalmente aproveitou as chances e o Guerra, bem o Guerra tem uma excelente visão de jogo e toques precisos. Pode render muito!

Outro que a jogar bem foi o zagueiro Juninho, que substituiu o Mina com personalidade e surpreendeu o adversário com bons lançamentos em profundidade, como o feito em nosso terceiro gol.

Agora é seguir a toada, de preferência pedindo pra nos esquecerem (assim como faz o UOL sempre que vencemos!), algo que ajuda a trazer paz e não diminui nossa audiência, haja vista a quantidade de mídias próprias com as quais já contamos.

Apenas como registro, devo aqui manifestar profundo INCONFORMISMO com o ABSURDO que fizeram na no anel superior Oeste do Allianz, onde colocaram, BEM NO MEIO DA ARQUIBANCADA (SETOR 505 A e B), uma ESTÚPIDA área de câmeras ou imprensa (sei lá o que, pois ainda está vazio) que DESALOJOU os torcedores de 450 lugares!!!

450 LUGARES tomados do torcedor AVANTI QUE PAGA e foi TOLHIDO de 450 de seus MELHORES LUGARES!!!! Olha, eu sei que algum imbecil deve estar PAGANDO. Só que MAIS IMBECIL ainda é quem permitiu tal ABSURDO!!!! Se foi a Wtorre falida, pro inferno. Se foi o clube, pro inferno em dobro.

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Presidente BANANA, Palmeiras na LAMA.

Negócio é o seguinte, não vou aliviar não.

Sem um presidente PICAGROSSA o Palmeiras não chega em absolutamemte lugr algum. A não ser que consideremos a ZONA DO REBAIXAMENTO como “algum lugar”. Não é onde devemos estar.

Por PICAGROSAA entendam Dante Delmanto, Ítalo Adami, Delfino Facchina, Pascoal Byron Giuliano.

O contrário disso é a BUNDAMOLICE de presidentes que deixam o Conselho dar as cartas, que deixam a velha CORNETAGEM cantar em alto em bom tom. Não há time que não sucumba a esse ambiente de vaidade, inveja, paixões sem controle e interesses próprios.

Precisa ser muito, muito foda pra bater de frente com essa balbúrdia. Só quem fez, quem pode fazê-lo recentemente (até pela situação de penúria na qual o clube se encontrava), foi o Paulo Nobre. Saiu, sucumbimos às fofocas da alameda.

A grande verdade é que o problema do time não estava necessariamente na TROCA DO TREINADOR. O Cuca deveria ter voltado? Sim.... mas não tão cedo. O presidente BUNDA fraquejou perante o vozerio corneta que pedia o Cuca e lá foi ele atrás.

Agora a gente percebe que o problema é muito mais do que “treinador e sim ter um “ambiente saudável” pra treinar, jogar, ganhar e PERDER! SIM! O time que não sabe perder (nada a ver com “gostar”) fica apavorado e faz tempestade a cada derrota, afastando-se ainda mais das vitórias.

Cornetas, ficamos que nem um afogado em areia movediça. Quanto mais afunda mais nos debatemos e quanto mais nos debatemos, mais afundamos. Haja personalidade pra conseguir segurar o ímpeto de se “debater” que carregamos.

Apenas finalizando: o problema não é o Cuca. O problema não são “maus jogadores”. O problema é INTERNO NO PALMEIRAS pois hoje as vozes são dissonantes, ao invés de um comando central bem definido e obedecido.

Sou da década de 70. Peguei a fila inteira e a Parmalat. O Musta e o Nobre. Não adianta, presidente BANANA, Palmeiras NA LAMA. Alguém pode até argumetar que o Musta é picagrossa. Mas não adianta nada se usa apenas pra controlar o Ph da piscina...

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Cadê a BLINDAGEM? Palmeiras volta a ser peneira de notícia ruim

Saiu a Parmalat, fomos rebaixados. Saiu o Paulo Nobre voltamos a ser a peneira de notícias jocosas e piadas com o time. Gostaria de saber quem foi o imbecil a cantar pra imprensa que o lucutor do Allianz teria que “baixar o tom” e não fazer mais provocações (leves, que a torcida adora).

Não dá... assim não dá. Voltamos ao velho Palmeiras de sempre, de onde partem fofocas e rumores em profusão e que só ganha campeonatos de piadas sobre o time.

Primeiro: O locutor estava ótimo. Segundo: calem a boca!!!! Fica cantando tudo o que acontece pra imprensa deitar rolar em cima, assim não dá!

Olha pessoal, espero estar enganado... mas o Palmeiras dá todos os sinais de já ter voltado completamente ao tipo de administração medonha que sempre tivemos (década de 80 e anos 2000), a mesma que nos leva à fila e vexames.  A mesma que trata o futebol como um ESTORVO. A mesma incapaz de GERIR UM GRUPO que se dedique à camisa. Mais uma vez, espero estar errado, mas....

Outro indício claro é a postura desta em relação ao Mattos. O cara é excelente, mas a diretoria já lhe faz cara feia!!! É uma falta de reconhecimento atroz! Bons Diretores de Futebol são RARÍSSIMOS, deveríamos valorizar seu trabalho. Isso não significa que tenhamos que aceitar tudo o que é proposto (como esse torneio da Florida). Apenas não entornar o caldo por conta de detalhes.

terça-feira, 6 de junho de 2017

Já querem jogar Felipe Melo contra o Cuca!

Pronto... lá vem os semeadores da discórdia! É só colocar o cidadão no banco por 2 jogos e a novela da semana já é criada em cima da situação do jogador x treinador. Dessa forma, qual técnico consegue ter ambiente pra treinar, pra fazer o que deve ser feito? Nenhum, nunca!

Pelo amor de Deus... o Felipe Melo é um cara profissional e não está “saindo” do time titular. Deixa o treinador trabalhar a equipe, pombas. Podemos muito bem compor a “volância” com Thiago Santos e Felipe Melo. Revezar com o Tchetchê.

Nessa fase que estamos, o treinador DEVE fazer alguns testes. Preparar o time pros meses seguintes. Mesmo porque teremos ausências forçadas, por convocações ou lesões. Não houvesse a saída forçada do Dudu, não teríamos visto a habilidade do Keno por exemplo. Ou seja, o jogador precisa de chance e tempo. Pra mostrar que é bom ou ruim mesmo.

Keno, Guerra e Thiago Santos são nomes que ganharam força nas últimas partidas. Infelizmente já teremos as famigeradas “datas fifa” pra tirar Mina, Guerra e Borja. Chance pra quem foi contratado entrar e jogar, sem que isso precise virar uma novela com “dono” da vaga, como insistem em colocar. Não há novela. Não deveria haver. Há um clube tentando ser profissional, além dos “dramas” pessoais. Quem faz a novela é quem lucra com ela.

Time com o qual podemos jogar no caso das ausências:
Gol:
Monstro Prass ou Jailsão da Massa,

Defesa:
Zé Roberto (pode revezar com o Bastos), Dracena e Antôno Carlos (zagueiro perna direita, o Juninho é mais perna esquerda) e Maike (mais uma partida pra dar sequência) ou Fabiano.

Volância:
Thiago Santos e Felipe Melo (dois pitbuls, mas um só de contenção e outro com mais saída de bola)

Meio-Campo
Michel Bastos e Raphael Veiga (ou ele ou o Hyoran tem que jogar!)

Ataque:
William (60 cobranças de pênalti treinadas depois) e Keno

Outra opção é jogar o Keno no meio-campo no lugar do Bastos que pode até ser deslocado à lateral esquerda (sempre dependendo da partida), entrando com Roger Guedes pela direita e William centralizado.  

A verdade é que podemos ter 2, 3 ou 10 times. Mas nenhum deles jogará bem se não houver entrosamento. Sei que é chato e repetitivo, mas assim é o esporte, a despeito do “produto” que nos é vendido.

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Tchetchê, cadê você?!

Fratellada, família linda... por favor alguém consegue responder onde é que foi parar nosso Tchetchê? De revelação à “sumidão” em 3 meses. Será que seu futebol dependia tanto assim do Profeta Moisés? Parece que sim.

O empate ontem contra o Atlético, jogando em casa, foi de doer! Tivemos uma boa composição defensiva, inclusive pelas laterais, onde o estreante Maike fez uma boa partida e o Egídio, com uma ou outra exceção, foi seguro na defesa. A zaga, sem tanto trabalho também foi bem.

O problema foi a ausência do Dudu pelo meio, que deixou o Guerra sozinho na armação, presa fácil da boa marcação adversária. E a entrada do Borja... não que o Roger Guedes não merecesse a substituição, mas é inadmissível ver um atacante super valioso, jogando com tão pouca motivação.

Se o Borja tem alguma motivação pra jogar, provavelmente a deixa em casa antes das partidas. Não é possível. Vindo do banco e jogando apenas 45min., teria tudo pra entrar voando, faca nos dentes... qual o que...

Preso na marcação, sem buscar espaço, correndo e finalizando muito pouco pra quem tanto custou. Borja, assim não dá meu filho.... pelamor diga aí: o que precisas pra reencontrar seu futebol? Ser vendido? Chama dona Leila que te trouxe e fala pra ela então, quero ver...

No restante é colocar o sr. Dubgod pra treinar 50... não, 60 pênaltis. Tá bom assim, sir William?! E jamais perderá outro, como perdeste este, que bem poderia ter nos trazido 2 pontos a mais. Tu é bom moleque, vá pras cabeças sem medo de ser feliz!

Cuca, chegou a hora de colocar a calça de molho e partir pro trabalho, muito trabalho. Conversas individuais, análise de dados, treinos setorizados, insistência e determinação. O futebol voltará. O Dudú voltará. O Moisés também voltará! Quem sabe até o futebol do Tchetchê retorna! E sonhando ainda mais alto, quem sabe nossa temporada não se encerra com a mesma alegria de conquista da que tivemos em 2016...

sábado, 3 de junho de 2017

É uma cilada, Cuca!!!

Não Cuca, não!!! Não caia na armadilha das entrevistas que acabam te colocando contra o próprio time. Pegaram sua declaração e esfregaram no elenco, classificando-o de “pior”. É isso mesmo que você quis dizer? Preste bem atenção!!!

A compração foi usada de forma RIDÍCULA, logicamente tentando polemizar ao máximo o tema. O Palmeiras de HOJE não pode ser comparado ao do final de 2016 por conta do ENTROSAMENTO com o qual aquela equipe já contava!

Não se trata de ter jogadores melhores ou piores e sim do ENTROSAMENTO que as equipes tem, hoje ainda inferior ao do FINAL de 2016. Mas quem ENTENDE de futebol SABE que dificilmente uma equipe atinge seu ÁPICE ainda no primeiro semestre! E nem deve!!!

Calhorda e canalhamente, a mídia esportiva - que sabe disso - joga suas cartas pela cizânia, intriga e polêmica. Desavisado, Cuca cai na cilada e classifica o time como inferior ao do ano passado. Pronto, era a manchete que a imprensa queria.

Aí, tem o treinador que ir lá e explicar pro elenco que “não foi isso que quis dizer”, antes que o estrago de desconfiança seja plantado.

Realmente é triste ver a pauta esportiva sendo tratada como novela global... mas infelizmente “é disso que o povo gostia”, então... dá-lhe drama! Pra isso temos que ter paciência, sabedoria e BLINDAGEM. Se liga Matos, se liga Cuca...

quinta-feira, 1 de junho de 2017

Classificação na RAÇA e na CAMISA!

Olha fratellada, vou ser sincero... o Palmeiras fez uma partida HORROROSA ontem. E por isso conseguiu uma classificação HERÓICA! Na pura RAÇA e na CAMISA. Sim porque taticamente foi desastroso.

Acontece o seguinte: é LÓGICO que o Palmeiras não esteja jogando tão bem quanto no fim de 2016! A mídia só joga PRESSÃO e alimenta uma expectativa paranóica do torcedor que - com toda razão -passa a achar que o time tem a OBRIGAÇÃO de estar jogando muito melhor.

Sim, até poderia estar jogando melhor... mas NÃO É ASSIM QUE FUNCIONA!! Tem que dar TEMPO. Tempo é fundamental!!! Trocamos jogadores fundamentais do esquema. Trocamos treinador... o time de 2016 só foi engrenar mesmo no final do segundo semestre, até lá tivemos várias oscilações.

Mais uma vez repito: ENTROSAMENTO é muito mais importante do que imaginamos e ele só vem com MESES e MESES jogando juntos. Aliás, deveríamos pensar em ANOS pois essa é a dinâmica do esporte.

Quando o Cuca disse que o “time” ESTÁ inferior ao de 2016 (traduzido pela imprensa que o time é pior que 2016), não quis dizer que os jogadores que foram contratados esse ano NÃO POSSAM vir a desenvolver um futebol tão bom quanto ou melhor do que os jogadores que saíram. Só que teremos que RALAR muito ainda pra isso. Simples e corriqueiro.

Seguinte: quanto mais PAZ o time tiver sem essa pressão paranoica, tanto antes acharemos nosso padrão. É SÉRIO. Se dermos confiança e tranquilidade ao time, tenho CERTEZA que veremos o time VOANDO em campo antes do que imaginamos.

Analisando taticamente
ZAGA
A zaga desmoronou. Isso porque ano passado o MOISÉS fazia a função de cabeça de área e o Vitor Hugo era mais rápido que o Dracena. Então ficamos agora com uma zaga mais pesada e descoberta!

Solução: ter um primeiro volante de contenção clássico, cão de guarda, protegendo a zaga sem subir tanto. Felipe Melo ou Thiago Santos podem fazer essa função, mesmo jogando juntos (Melo mais avançado)

LATERAIS
Se não houver cobertura da lateral, danou-se. O Zé deve avaliar criteriosamente se haverá algum velocista em seu setor e posicionar-se de forma a não permitir avenidas.

Na direita o Fabiano tampouco tem rapidez pra acompanhar um ponta, então nessa configuração nossa lateral só sobe “na boa”, com cobertura e um por vez. Lembrando que ainda nem mesmo chegamos à configuração ideal, podendo testar ainda mais o Michel Bastos na esquerda ou mesmo voltar com o Jean pra lateral direita.

MEIO-CAMPO
Desde o ano passado temos problema com o meio campo. Acontece que por termos tido um iluminado ali no ataque, conseguíamos uma eficiência rara em finalizações. Nesse ano ganhamos Guerra e Borja. O Guerra já está conseguindo mostrar seu futebol e tenho certeza que ainda irá melhorar, se entrosando mais com o Dudu. O mesmo com o Borja, mais uma vítima da expectativa exagerada e precoce sobre ele. Calma, que ele vai mostrar seu futebol.

Vejamos o exemplo do Barrios! Jogou pouco por aqui e poucos se incomodaram quando foi vendido ao Grêmio. Naquela época só se falava de Borja. E o que aconteceu? Foi pra lá e está esfregando na nossa cara o futebol que não tivemos paciência pra ver acontecer por aqui. Deveríamos aprender com isso...

Musiquinha cantada ao fim do jogo no Beira Rio!
"Chora colorado chora! Pega sua faixa, enfia no c... e vai embora!"