quinta-feira, 13 de julho de 2017

A síntese do Tite-taka da zona leste

Porque o Curintcha veio com sabedoria e venceu? Pois segue a risca – via treinador – a cartilha do Tite. Que já havia se provado vitoriosa.

É o seguinte. O “Tite-taka” se baseia em 2 questões: gestão de grupo (encantador de serpentes significa o cara que mantém o foco e a determinação do grupo pra conseguir entrosá-lo. Que se todos se doarem o objetivo final fica mais fácil. Individualidades são colocadas de lado em prol do futebol coletivo. E os resultados aparecem e todos ficam satisfeitos. Na verdade nem todos, mas a tendência é essa.

A segunda questão é tática. O futebol moderno prova por estatística que as equipes campeãs são aquelas que ERRAM POUCO e apresentam a melhor defesa. Em primeiro lugar a defesa. Depois o ataque. É o Tite-taka, costumeiramente inervante, mas que ele conseguiu que a torcida entendesse e apoiasse. Talvez aí o maior mérito. Vitórias magras, de 1x0 num joguinho chato e feio, mas que traz a vitória, suficiente ao torcedor.

Então é isso. Esse é o Tite-taka da zona leste. Um futebol coletivo e determinado, com a defesa fechada e também com boa posse de bola, com troca constante de passes. E que joga com calma, sem pressa. Sem virtuosismo mas principalmente: errando pouco.

Eu não acho que devemos copiar estilo nenhum, mesmo porque o ímpeto e o talento palmeirense sempre nos impeliu pra cima. Mas seria importante aprender 3 lições cruciais: primeira, o time tem que estar unido e correndo junto, de forma coesa e não independente. Segundo, tem que ter a melhor defesa possível. Se não levar gol, pelo menos unzinho o ataque confere. E terceiro, paciência à torcida, que definitivamente ajuda – e bastante – o time apoiando sem esmorecer, apesar do futebol feio de se ver.

4 comentários:

  1. Discordo de você, os favelados vão colocar uns 3 ou 4 jogadores na seleção Brasileira, ou seja, jogam pelo grupo, mas são chamados ou vendidos individualmente. Sobre o futebol apresentado por eles discordo novamente com você, vamos ao números, sei que a matemática é fria, mas não tem outro jeito: Palmeiras marcou 16 gols, gambás 23 gols seu ataque junto com o Grêmio são os melhores do Brasileirão. Não vou colocar a porcentagem de pontos porque tudo mundo sabe é a melhor de todos os tempos. Conhece a fábula a raposa e as uvas? Temos de parar de criticar os outros achando que somos especiais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas peraí Rinaldo, onde estou criticando os outros? Estou criticando a nossa própria conduta, dentro do clube pelo desmonta do profissionalismo e fora dele pelo excesso de criticismo e ausência de confiança. Além disso, sinceramente Rinaldo, não tenho estômago pra ficar analisando gambá além do que fiz no tite-taka. Cada um na sua realidade e nos campeonatos que disputa... valeu!

      Excluir
  2. Pois é Galluzzi, foi assim que fomos campeões ano passado, sofrendo poucos gols, time unido, um só objetivo e determinação. Esse ano parece que o Sr. Cuca perdeu a receita, time apático, sem sangue no olho, jogadorzinho cheio de vaidades e defesa que não passa confiança. Há muito a trabalho a se fazer, há muito o que mudar, espero que essa mudança não ocorra tarde demais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Moisés, não creio que o Cuca tenha "perdido a receita" e sim que perdeu jogadores que que tem um novo esquema a ser montado. O problema é que isso exige mais tempo do que nós conseguimos esperar... abs!

      Excluir