segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Vai que é sua, Valentim!

Existe um ditado que diz não haver “se” no futebol. “Se” não tivéssemos perdido o Moisés no primeiro semestre... “se” o Roger Guedes não tivesse entregado 2 pontos de lambuja, “se” o Borja tivesse jogado metade do que jogou ano passado, estaríamos brigando pela primeira e não pela segunda posição do campeonato.

Acontece que esse “se” não acontece apenas para nós. Toda equipe tem o seu “se”. Se o Grêmio não tivesse jogado com o time reserva por exemplo... teriam levado tunda do mesmo jeito! Sim! Ouso dizer que teríamos levado os mesmos 3 pontos, fosse a qual fosse a equipe gremista.

Em campo, o Grêmio foi bem aplicado, com sua força habitual na marcação e qualidade na saída de bola. Mas o futebol, coletivo como é, não deixa margem para falta de entrosamento. Toda falta de entrosamento será castigada. E foi. Dessa vez, melhor para nós!

O Alberto Valentim não mudou muito o jeito do time jogar. Sabiamente manteve a base do Cuca, com variações no ataque (Deyverson e Roger Guedes perderam espaço), Maike na direita e pouco mais. Digo sabiamente pois nas internas é sabido que esse entrosamento, tão fundamental, vem com o tempo. Tempo que a torcida não tem...

Outro fator positivo ao Valentim, além da aprovação do elenco, é a de que voltou com o Felipe Melo só porque o Cuca saiu. Manteve o Bruno Henrique e ganhou respeito do elenco. No ano passado diziam que o Valentim não havia ficado no lugar do Cuca por causa de sua proximidade com o elenco, que poderia deixá-lo vulnerável a este próprio.

Não serão 2 vitórias que o darão estatura de um técnico mais gabaritado. Mas talvez seja o momento para menos estatura e mais gestão de grupo, elemento crucial ao desempenho de qualquer equipe. Flertamos com a vitória e estamos em ascensão. Mas não é hora de comemorar e sim focar no padrão de jogo, no entrosamento e principalmente na defesa. Com o melhor ataque do campeonato, só não temos mais pontos por causa dela. Vai que é sua Valentim!

4 comentários:

  1. Independente do que acontecerá no dia 05/12/2017, a diretoria deveria, sim, efetivar o Valentim, mesmo porque acreditar nessas cobras criadas é perder tempo, pois mais dia ou menos dia irão embora e nos deixarão com encargos muito pesados - temos inúmeros exemplos de jogadores pedidos por ex-técnicos que estamos engolindo até hoje. Também convidaria o Zé Roberto para exercer a função de Auxiliar Técnico do Palmeiras. O que acha, Roberto? Abraço, Palestrino!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irineu, ainda acho que o problema maior está nas condições de trabalho do que o profissional em questão. Se a diretoria não faz a blinfdagem contra a infame pressão por resultados a curto prazo, não há técnico no mundo que consiga desempenhar um bom papel. Torço pelo Valentim, mas torço ainda mais para que haja um ambiente no Palmeiras que saiba absorver o golpe de eventuais derrotas, ao invés de sair caçando as bruxas como sempre fazemos... valeu, abs!

      Excluir
  2. Depois desses 3 jogos com o Valentim fiquei com a impressão de que o elenco ajudou derrubar o Cuca. Será?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Camilo, acho que isso é mais polêmica de comentarista do que algo prático. No fundo todo treinador demissionário tem algum "ruído" com o elenco. Daí a prática efetiva, só os polemistas do tipo "Neto" da vida, podem dizer... afinal essa é sua função. Abs!

      Excluir