segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Gira a roda do círculo virtuoso

O Palmeiras fez sua lição de casa, reformou seu estádio, pagou suas contas e hoje é o time que tem maior capacidade de contratar. Assim fizemos e começamos a temporada 2018 como poucas antes. Não são apenas os resultados, mas a forma como o time vem jogando.

A quarta vitória seguida deixou a torcida entusiasmada, mas será apenas no próximo fim de semana, no confronto contra o Santos, que a força começará efetivamente a ser medida. Nessa partida contra o Bragantino tivemos mais um jogo em que a defesa foi imaculada.

Felipe Melo é um jogador ímpar. Muito bom, mas também muito perigoso, seja pela chuteira ou pelo verbo. Contendo o ímpeto que muita fama lhe dá, resta um exímio jogador, defensor e líder nato dentro de campo Um líder que toda equipe precisa.

Início de temporada, o técnico Roger Machado tem que fazer uns testes de praxe, até pra dar oportunidade a todos (só não me venha com o infame rodízio). Assim, Michel Bastos entrou pela esquerda e fez o cruzamento pro gol do Keno. Não tem lá aquela pegada defensiva, mas ajudou no que pode.

Time bom é assim. Recheado de qualidade, pode se dar ao luxo de ver um jogador não tão bem em campo, mas que é compensado por outros talentos. Mas é algo bem perigoso. Apesar de não ter feito gol, o Borja tem apresentado outro comportamento em campo, mais aguerrido e combativo. O Lucas Lima não repetiu as atuações de outros jogos, mas tenho a impressão que guardou fôlego para o próximo prélio, um embate contra seu ex-clube.

O Palmeiras vai bem. Muito bem, obrigado! Mas tenhamos os pés no chão pra saber que só após os primeiros insucessos é que saberemos, pela força de superação, qual a verdadeira força desse time. Meio assim como um barco que só se prova confiável após navegar através da tempestade. Por enquanto o sol brilha.O importante é chegar ao destino, seja quais forem as condições de tempo.

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

O jornalismo em crise. A revolta do colete!

Você sabe que está num país subdesenvolvido quando até a imprensa é folclórica. Nos cursos superiores de jornalismo já se discute abertamente: o jornalismo vive em CRISE. E o porque dessa crise? Manchetismo...

A necessidade excessiva em vender manchete, vender notícia ao invés de informar, criou um jornalismo lixo, sem o menor crédito. Ninguém mais acredita no jornalismo. Via de regra as notícias trazem omissões e descontextualizações propositais, sob a batuta de interesses pessoais e/ou comerciais que visam salientar a notícia, a custa de uma opinião pública bem informada.

Desinformada, temos uma masssa crítica grotesca, superficial e incapaz de uma reflexão minimamente mais ponderada. Ciente que a reprodução de notícias possui distorções da realidade, a sociedade já não acredita mais no jornalismo. Há inúmeros comunicadores “não jornalistas” que, livres dessa imposição comercial, conseguem falar a verdade de forma mais clara de direta! 

O resultado disso é a CRISE DE CREDIBILIDADE de um jornalismo marrom pela sua própria sujeira. Desacreditado e inutilizado, a melhor forma de escrever a verdade hoje em dia é passar longe de um curso de jornalismo, que ensina a vender manchete, não informar.

Esse preâmbulo serve apenas pra ilustrar a realidade de pessoas que se dizem profissionais mas não superam o lado torcedor ao reclamarem da utilização de um mero colete identificador que leva o símbolo do clube. Que bando patético de bebês desmamados. A MÁSCARA do clubismo agora caiu! E depois não sabem porque o jornalismo vive em crise... COLETE NELES PALMEIRAS!!!! Que sejam minimamente PROFISSIONAIS! E aumentem o símbolo! RÁ!

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Vitória da defesa imaculada

A vitória sobre o Botafogo sob o sol escaldante de Ribeirão Preto, parece simples até pelo diminuto placar. Mas revela-se promissora quando analisada sobre o aspecto das dificuldades que se encontra no Paulistão, ao nos depararmos com equipes do interior que vem de pré-temporada completa e tem nessa competição, sua maior vitrine de exposição.

O melhor desse resultado não foi o 1 da vitória. Mas o 0 da defesa imaculada. Temos que desenvolver um padrão que, em primeiro lugar, garanta a defesa. Temos que ter a melhor defesa! A partir daí, podem estar certos que o ataque deixa o seu.

O Roger está fazendo o que a maioria faria. Trocou as laterais e zaga por completo, e a volância passou a ter Felipe Melo na contenção. Daí pra frente, há uma base já desenvolvida com Tchetchê, Dudu, Borja e Bigode, acrescidos do talento de Lucas Lima.

A zaga ainda não está definida. Posição demorada pra fechar. Mas as laterais já são outra coisa. E para protegê-las temos Melo, Bruno Henrique, Tchetchê e Thiago Santos. Dou preferência aos 2 primeiros, mas Tchetchê parece ganhar a confiança na base da polivalência fisíca e tática.

Tendo em vista os jogadores que ainda nem atuaram, é impossível não ficar entusiasmado. Temos Diogo Barbosa, Emerson Santos, Moisés, Guerra, Scarpa... pura artilharia sendo cuidadosamente preparada pra entrar em ação.

Talvez o importante agora seja justamente isso. Conter o excesso de entusiamso, que acaba em empolgação que acaba em frustração. Pés no chão e olho nos adversários, a batalha está apenas começando!

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Chora concorrência.... ressurge Palmeiras!

Quando (re)surge o Alviverde imponente
No gramado em que a luta o aguarda....

É isso aí impren$inha, chora concorrência... podem berrar a vontade, reclamar o quanto quiser, espernear feito criança... mas o Palmeiras está ressurgindo. Com personalidade e competência. E dinheiro, dada a força e atuação de sua coletividade.

Não se trata de notícia antiga... Campeões da Copa do Brasil em 2015, Campeões Brasileiros em 2016, segundo lugar no Brasileiro de 2017 (que alguns paspalhos proclamam “ano que não ganhou nada”) já é um currículo que indica isso. Mas ontem eu vi mais.

Vi um time MADURO em campo na primeira partida do ano! Vi um time que, longe de parecer estar começando do zero, dá mostras que finalmente conseguiu manter a espinha dorsal e se fortalecer. Espetacular.

Tudo bem, ok... era o Santo André... mas esperem um pouco. Paulistão é animal e os Santo Andrés da vida vem em pre temporada desde o meio de dezembro... ou seja, pés no chão, mas nada de desmerecer o adversário muito menos a vitória.

Vamos aos destaques: posicionamento do time, buscando mais solidez à defesa. Subimos com mais parcimônia e o Felipe Melo assusta qualquer atacante. Infelizmente ainda nos assusta também, em lances que ficamos rezando pro juiz não expulsá-lo. Mas ok.

Pelas laterais, o Victor Luiz jogou mais do que 6 meses de Egídio comprovando ser, a lateral esquerda, nosso principal problema no ano passado. No meio, o Lucas Lima mostrou que o Dudu terá que correr bastante pra garantir posição. Não que precisem competir por ela, mas com o Lima jogando o bolão que jogou ontem, vai ficar pequeno pro Dudu se continuar errando os passes que erra. Mas a gente confia no "baixinho" e ele, com toda certeza, irá arrepiar.

Mas foi o ataque que nos reservou o melhor: Bigode sempre consistente e positivo. Keno entrando pra arrebentar com enorme velocidade. E o Borja, finalmente, ouvindo o Felipe Melo e parando de baixar a cabeça. Jogando com mais personalidade, guarda o seu e se guarda em nossa memória.

Roger Machado, começou bem. Ainda não engoli direito a ausência do zagueiro Emerson, recém-contratado, mas vinha treinando isolado há meses e com certeza terá sua oportunidade.

Também continuo preferindo Bruno Henrique ao Tchetchê, mesmo considerando o voluntarismo deste último. Fora isso, o treinador parece ter o mérito de perceber as virtudes da equipe e bem trabalhá-las. Só precisa ainda postar um pouquinho melhor a defesa e tudo começará a voltar ao eixo. PARABÉNS TIME!!!! PARABÉNS PALMEIRAS! E PARABÉNS aos mais dde 31.000 torcedores que puderam compartilhar dessa emoção em família... AVANTI!

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

A força de um time começa no caixa

Fratellada, irmãos de coração... sabemos que nossa coletividade é fenomenal. Mas hoje, esse fenômeno vem se mostrando... em números financeiros.

Pro desconsolo, inveja e estarrecimento de nossos adversários, o Palmeiras é, pelo segundo ano consecutivo, o clube que mais consegue se estruturar, contratar reforços para a temporada.

Fenomenal, o Palmeiras conseguiu fortalecer suas finanças num dos períodos de maior crise econômica nacional. Tendo em seu ex-presidente (o colossal e inigualável Paulo Nobre) o vetor que tirou o clube de sua antiga e vexatória situação, temos ainda nosso estádio, um dos maiores cases de sucesso entre as arenas esportivas mundiais além do incremento de um polpudo patrocínio, que só existe pelo retorno estupendo que o Palmeiras oferece. Finalizando nosso diferencial, estão os Avantis, programa de sócio torcedor que chega a equivaler, em valores, a um patrocínio master.

Invejosa e rancorosa, a imprensa aborda essa questão de forma superficial, creditando à “dna. Leila” nossa fortuna. Débeis náufragos em sua própria ignomínia, deixam de expor a referência que muitos deveriam seguir. Mas com suas limitações, haja vista a força coletiva que a torcida do Palmeiras possui.
Palmeiras pagou "luvas" de 6 milhões de euros, já que o atleta
liberou-se do Fluminense, que lhe deve salários. 

Pois assim é. E assim será. O Palmeiras está estruturado e caminhando a passos largos para ZERAR DÍVIDAS. Sendo assim, consegue investir diretamente sua receita em reforços. Deixem que pensam ser a tia Leila exclusiva responsável... enquanto isso caminhamos de volta ao nosso lugar tradicional de protagonismo e referência nacional.

Palmeirense, tenha orgulho de torceres para quem torces. Tenha orgulho de seres o que é. A força de uma coletividade é o maior patrimônio que um clube pode ter. Fizemos nossa lição. Trilhamos nosso próprio caminho. E nosso EXEMPLO, mais uma vez, serve de referência positiva para uma nação que busca, desesperadamente, um novo caminho.

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Montando o time titular

Muito nos satisfaz a primeira escalação do técnico Roger Carvalho. Com exceção de uma posição, vem ao encontro exato do que a torcida imaginava:

Prass, por tudo o que representa, segue de titular. Líder nato, todo time precisa de uma figura assim.

As laterais novas, com Diogo e Marcos Rocha.

Primeiro volante, Felipe Melo. Se apenas jogar e deixar as entrevistas e redes sociais pra lá, teremos muito sucesso.

Segundo volante seria o Moisés, mas segue em pré-temporada, o que é excelente. Precisamos do Moisés de 2016, não de 2017. No lugar dele entra Tchê tchê.

Do meio pra frente, o óbvio: Lucas Limas no meio, Dudu pela esquerda, Keno pela direita e Borja de controavante.

É meio que uma escalação automática pelo que a equipe desempenhou no fim de 2017, somadas as contratações.

Só um adendo: com o dinheiro que o Palmeiras teve do Mina, poderia fechar com um zagueiro do naipe de um Miranda por exemplo. Sei que o Dracena é bom e tem experiência. Mas carece de uma velocidade pra mim, fundamental.


Temos também o recém-contratado Emerson. Então que jogue, pra que saibamos que apito toca. Enquanto isso não acontece, sonhamos com um zagueiro que nos traga a solidez de uma antiga formação Mina-Victor Hugo, por exemplo. Não será fácil, mas é essencial.

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Uma longa jornada

Prezados amigos, após um longo período de recesso, aqui estamos nós para uma nova e empolgante temporada. Já ficou analisado o que o Palmeiras precisa superar e temos condições para tanto, então mãos à obra!

Ao contrário de anos anteriores, fomos ao mercado de forma mais comedida. Mas isso foi uma padrão geral e nesse contexto, ainda fomos o clube que mais se reforçou. E isso é até bom, pois se aproveita mais o ENTROSAMENTO com uma base que já vinha atuando.

Num resumo da ópera das contratações, FINALMENTE fomos atrás do bendito lateral esquerdo (Diogo Barbosa), o que foi a melhor notícia de fim de ano. Após isso, a permanência do Prass, a vinda do goleiro Weverton (pra mim desnecessária já que temos o Jailsão, mas ok), reforço pra zaga (Emerson), pra lateral direita (Marcos Rocha) e pro meio campo (Lucas Lima), que agora ficou meio congestionado.

Vamos por partes: primeiro e mais importante, o treinador Roger Machado precisa DEFINIR A ZAGA, com a iminente saída do Mina. Por mim, testaria o reforço (Emerson Santos) ao lado do Luan. Essa é o principal setor que precisa ser ajustado.

Nas laterais, também iria com os 2 reforços. Diogo e Marcos Rocha. Em ambos os casos, temos boas opções, com Victor Luís pela esquerda e Jean pela direita. Finalmente podemos ter grandes laterais! Força nessa Roger!

Na volância: várias opções. Eu começaria com Felipe Melo na contenção e Moisés de segundo volante. Como opção direta, Bruno Henrique, Thiago Santos e o próprio Tchetchê.

Meio campo, mais opções: bem provável que fiquemos com Dudu e Lucas Limas, tendo Alejandro Guerra como alternativa direta e de alta qualidade.

E no ataque, também recai a maior probabilidade na dupla Borja e Keno, ambos jogadores que terminaram 2017 em ascensão, especialmente o Keno. Ainda assim, temos William Bigode (que sempre atuou bem) e Deyverson, esse sim precisa mostrar a que veio, tamanho investimento.

Meu time titular:
Prass; Marcos Rocha (lateral-direita), Luan (zaga), Emerson Santos (zaga) e Diogo Barbosa (lateral-esquerda). Felipe Melo (primeiro volante), Moisés (segundo volante). Dudu (meio-campo) e Lucas Lima (meio campo). Keno (atacante) e Borja (centroavante).

Opções diretas:
Weverton ou Jailsão da Massa; Jean (direita), Dracena, Antônio Carlos (zaga) e Victor Luís (esquerda). Thiago Santos e Bruno Henrique (volantes). Tchetche, Guerra (meio campo), William Bigode e Deyverson (ataque).

Então é isso... NOSSO CORAÇÃO E NOSSA ESPERANÇA PRA VOCÊ, ROGER MACHADO!!! Que nós, torcedores, tenhamos paciência! O Paulistão por exemplo, é só um começo!!! Que todo elenco e comissão técnica, aliados à diretoria de futebol e presidência possam estar UNIDOS, FECHADOS E ALINHADOS PELA CONQUISTA, que não viria de hoje, nem de graça, mas como fruto direto de muito esforço, paixão e dedicação. FORÇA GALIOTTE! Esteja JUNTO, rebole no vestiário, represente nossa paixão e principalmente, saiba BLINDAR o time das perversas maquinações e exposições midiáticas.

Vencer nunca foi fácil. Nossas conquistas nunca foram ao acaso. E mais uma vez, se Deus permitir e nossa competência for capaz, assim será. Com luta, lágrimas e glórias. Mas sempre com muita HONRA e PERSONALIDADE. PALMEIRAS!!!!!!