sexta-feira, 4 de maio de 2018

Quando o alviverde atropela

Jogamos praticamente com a equipe reserva, num jogo que pode ser considerado como um dos mais fáceis da temporada. E atropelamos. Ótimo pra confirmarmos a melhor campanha na Libertadores entre todas as equipes, faltando apenas uma rodada, em casa.

Não nos deixemos cair na pataquada da impren$inha que já vem nos cobrar mais vitórias em casa. Impressionante como conseguem achar algo ruim, mesmo quando a maré é positiva. Malditas cornetas midiáticas.

O melhor da partida de ontem foi o Moisés. Finalmente pudemos rever o Moisés de 2016, aquele mesmo que ganhou a 10 com direito a vídeo e tudo. Só aquela assistência pro segundo gol já valeu o jogo!

Adversário combalido, quase com vergonha de jogar, parecia não receber salário há anos. Não é problema nosso. E tivemos a vantagem de poupar vários “titulares”, deixando ainda aquela pressão positiva dos reservas, prontos a ajudar em caso de queda de rendimento de quem está atuando.

Moisés não é bem um reserva, assim como o William Bigode. Talvez nossa grande vantagem seja justamente contar com 14, 15 jogadores em nível titular e o Roger sabe disso. Nossa defesa ainda não está montada e o meio campo não conversa como poderia. Mas o time navega num mar mais tranquilo e disso pode tirar proveito. Só falta nivelar um pouco mais no Brasileiro pra não perdermos terreno demais...

2 comentários:

  1. Como é bom jogar libertadores! Outro fator, parece-me que nosso time está mais adaptado ao tipo de arbitragem dessa competição, que além de ser ligeiramente melhor, deixa o jogo rodar mais. Já o timinho afilhado de emissora de TV sofre nessas competições pois a arbitragem não teme em expulsar jogador deles ou marcar pênaltis contra.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Falou tudo franco !!
    Eles estão sofrendo, não me surpreenderia se forem eliminados.
    Gostei muito do jogo de ontem por os reservas terem tido chance. Isso motiva os caras e deixa os titulares ligados.
    Avanti palestra

    ResponderExcluir