segunda-feira, 7 de maio de 2018

Tempo Rei

A declaração do William enaltecendo a participação do treinador Roger Machado na bela vitória sobre o Atlético-PR não foi aleatória, mas fruto da consciência sobre a necessidade de dar tempo ao trabalho do suposto comandante.

Há 3 partidas queríamos a cabeça do treinador. Ontem, enfrentávamos o queridinho da imprensa, que tinha um "grande repertório", Fernando Diniz. Esqueceram de dizer que o Palmeiras vinha em evolução, um pouco pelas cobranças redefinidas e também pelo retorno de jogadores como Moisés e Edu Dracena.

Tempo. O futebol precisa de tempo. Começamos a temporada de forma grandiosa e só não beliscamos o primeiro título por intervenção externa. Sentimos um pouco o baque, mas o time já parece dar a resposta, tendo feito sua melhor partida pela segunda vez consecutiva (contra o Allianza já havíamos "deitado").

Quem sabe de futebol percebe o seguinte: o Fernando Diniz fica refém do estilo de futebol "sem chutão", onde você precisa ter um exímio toque de bola. Caso contrário, com uma pressão acertada, recuperamos a bola perto da área adversária! Assim fizemos...

O Lucas Lima ainda parece dormindo, mas o meio campo vem melhorando no geral. Keno continua encapetado e o Bigode com rápida movimentação, confunde e abre espaço dentro da defesa adversária. A isso somado a eficiência das laterais, um tanto maior que no ano passado, nos dá o panorama atual onde o time é líder num torneio e em busca direta pela liderança noutro.

Relembrando: poucos times tem tanto "fogo amigo" como o Palmeiras... as cornetas dificultam qualquer trabalho. Cobrança sempre haverá, mas é um bom momento pra torcida perceber que com ações mais racionais, o resultado costuma ser bem melhor.

2 comentários:

  1. Bom dia! Para que tenhamos um time qualificado é necessário que criemos uma identidade tática - isso, nos dias atuais, é importantíssimo para que um planejamento tenha resultados positivos. Para que criemos uma identidade tática é necessário mantermos uma comissão técnica que tenha competência para criar tal identidade. Somados a esses fatores,nossa estrutura administrativa e técnica, base e elenco já contam com uma organização acima da média. Esse é o Palmeiras que será GIGANTE para todo o sempre, e se seguirmos essa cartilha, o que me parece coerente com a comissão técnica atual, ergueremos muitas e muitas taças ao longo dos próximos anos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo total Irineu... o único problema é quando a tal comissão técnica tem capacidade hoje e não tem mais daqui a 6 meses... come le facciamo in questo modo? Fica difícil... Abs!

      Excluir