terça-feira, 22 de maio de 2018

Uma nova era política


A aprovação pelo conselho da mudança do estatuto, dando 3 anos de mandato ao presidente ao invés de 2, marcou uma nova era política no clube, onde o dinheiro e mordomias da dna. Leila seduzem mais que a picanha do Mustafá.

Galiotte deve ser reeleito esse ano até 2021. A partir daí, vem a dna. Leila Pereira. Habitualmente eu torceria o nariz para uma “aventureira investidora” na presidência do Palmeiras, uma pessoa que não tem a ligação histórica que sempre buscamos num presidente. Não, isso ela não tem.

Mas há outro fator a ser considerado: todos os últimos presidentes com “história” no Palmeiras – com exceção do Paulo Nobre – tiveram gestões tão criticadas, que a prerrogativa histórica já foi água abaixo.

Leila pode não ter um sobrenome italiano nem aquela ligação umbilical que seu marido tem. Mas tem conhecimento das modernas práticas administrativas. Isso é bom. Só que não tem a malandragem e o traquejo de um Mustafá. Terá que se cercar de bons nomes pra poder bem administrar o futebol do clube.

Leila, não se engane. Futebol é um ninho de serpentes e fogueira de vaidades. Além do dinheiro terás que ter coragem e muita sabedoria pra circular nesse circo de horrores. Mas acima de tudo, jamais se esqueça, está o Palmeiras que muito longe de ser apenas uma mídia à sua marca, é a verdadeira pátria de milhões.

4 comentários:

  1. Amigo Galluzzi, falando da mudança de mandado de 2 pra 3 ate gostei, pois acho 2 pouco e 4 muito entao 3 seria ideal, em relação a Leila...ela traz uma u verdadeiro "yang", dinheiro que é muito bom, e coloca FOGO na politica do clube novamente(q nunca nos fez bem), espero eu e todo torcedores conscientes do que e o Palmeiras no seu dia a dia, que ela se cerque de pessoas que realmente querem o bem do clube e que ira remar com ela para a mesma direção. Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Vdd Mineiro! O que complica é que todos lá dizem querer "o bem do clube"... até a hora que barram a carteirada... rs. Abs!

    ResponderExcluir
  3. Não entendo porque tanta rejeição à essas mudanças e ao fato de eventualmente favorecer a tia Leila no seu projeto de ser presidente, principalmente de parte de conselheiros e sócios e da imprensa.
    Como bem lembrado, com excessão ao Paulo Nobre, todos os demais dinossauros-presidentes mais mamaram no clube do que deram.
    Ela tem grana e tem um sonho, se quer pagar por ele melhor para o clube. O que de pior pode acontecer? Vai quebrar o clube? Vai torná-lo ainda maior e vencedor? Vários times grandes da Europa têm dono e todos aplaudem, e aqui vira vilão.
    Sempre pedimos, oramos e sonhamos com essa cambada de sanguessuga caia fora do clube, então pode ser um começo.
    Só lamento que Paulo Nobre e a Leila não estejam do "mesmo lado", aí seríamos imbatíveis!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Camilo! Fratello, nem acho que haja tanta rejeição assim, o que pega é a polêmica que se cria sobre tudo... "ser dono" é algo que não pode acontecer por aqui, até pelos estatutos de clube, mas garanto que se o Nobre e a Leila se unissem teríamos, finalmente, o Palmeiras em sua devida proporção... rs. Abs!

      Excluir