segunda-feira, 11 de junho de 2018

A montanha é grande. E é russa

Enquanto o campeonato se encaminha ao intervalo por conta da Copa do Mundo na Rússia, o Palmeiras ainda vive a sua montanha russa de emoções, conseguindo a proeza de ceder o empate jogando com o lanterna do campeonato, após abrir 2 gols de vantagem no placar.

Desatenção, descompromisso, falta de empenho, falta de vontade de matar o jogo, faca entre os dentes. Difícil ligar o 220v toda partida, mas o mínimo que esperamos é uma defesa que não sofra gols de quem jamais havia feito 2 no mesmo jogo durante o campeonato. É pedir muito?
Sem uma defesa CAMPEÃ, não se faz um time CAMPEÃO. As estatísticas, os programas, os documentários, o cinema o teatro e até o Vaticano falam em alto e bom tom. FECHA A DEFESA.

Num jogo achamos que encontramos o caminho. No outro, pinta a pedra. Não evitamos a pedra, damos é com o dedão nela. Thiago Martins fica olhando, Jailsão já não é... e lá se vão 2 preciosos pontos, que nos dariam mais tranquilidade pra última rodada... além de 3 posições na tabela, mero detalhe.

Assim é o Palmeiras hoje. Um time que promete mas ainda compromete.  Agora fecha que lá vem clássico, e seja o que Deus quiser (leia-se Galiotte/Leila/Mattos e Roger) para esse intervalo que pode definir nosso segundo semestre.  Pra cima, com tudo!

quinta-feira, 7 de junho de 2018

Sensacional e Mundial!

A glória de um dia histórico repousa sobre nós. O sub-17 do Palmeiras sagrou-se Campeão Mundial em cima do Real Madrid, vencendo-os por 4x2, no torneio realizado na Europa (final em Madrid).

É absolutamente certo que a façanha ecoou no vestiário palmeirense na vitória mais tarde, em Porto Alegre. Se a molecada pode, a gente deve! PARABÉNS RAPAZIADA!
Como eu nunca falei antes sobre categorias mais novas, não posso aqui traçar referências, mas ficam as imagens e os números: campeão invicto (5 vitórias e 1 empate) e artilheiro da competição (Verón, com 9 gols). O fato é que tal premiação vem coroar um trabalho de base realizado há uns bons anos. Se antes não éramos reconhecidos reveladores, a situação pode mudar, e muito, nos próximos anos. Mais do que um baita capital ativo, um tremendo orgulho para nós!

Voltando ao profissional, agora sim o Roger cravou seu lugar. Ainda temos alguns jogos até a parada da Copa, mas é certo que o time vem encontrando seu padrão.

O meio campo ganhou velocidade e intensidade com a entrada do Moisés e Hyoran. O Dudu deve ter feito uma de suas melhores partidas, com grandes investidas no ataque e o que dizer do William Bigode?

Dono de uma perseverança invejável, jamais emitiu qualquer desagrado por ficar na reserva e raramente desaponta quando joga de titular. Na média de partidas deve ser nosso atacante mais eficiente!

Nossa defesa ontem chegou forte. Lá na casa de um dos mais pegadores do futebol nacional, saímos com vários amarelos, tamanha intensidade de jogo. Melhor assim, atletas poupados contra o Ceará, lá na casa adversária, pra voltarem com tudo contra o Flamengo.

Roger está exultante. Parece finalmente ter seu jogo entendido e aplicado, ainda que nos falte muito. Temos a confiança que precisávamos pra reta final e a chance que ir com toda moral pra esse histórico segundo semestre.

A molecada deu o caminho, o mínimo agora é acompanhar a conquista. Palmeiras, sensacional. PALMEIRAS É MUNDIAL!

segunda-feira, 4 de junho de 2018

# Nãoimportaoquediga

ESSA IMPRENSA DE GAMBÁ!!! Essa mesma que só funciona na base da polêmica e novela teve que se curvar ao Palmeiras e admitir que sim, temos time. Não é só Lucas Lima ou Dudu. É Moisés, Hyoran, Keno e muito mais.

Desde o início da temporada vimos dizendo: o Palmeiras é um time com 14, 15 titulares... nossa maior vantagem sobre a concorrência é ter cacife pra manter um bom time na ausência eventual de algumas peças. E neste clássico isso ficou claro.

Moisés de capitão é uma justiça pelo equilíbrio e dedicação que esse atleta tem ao clube. Não leva apenas a 10, leva consigo uma garra, uma fibra que há muito não víamos. E se o Lucas Lima tiver que ficar no banco pra que isso aconteça, que seja. É certo que voltará mais ligado... quando voltar.

O técnico Roger Machado mostrou competência ao acalmar o time no intervalo, quando perdíamos por 0x1. O próprio Dracena, que falhou no lance do gol, teve a hombridade de assumir toda responsabilidade por uma eventual derrota, o que por certo deu ainda mais confiança ao grupo.

Não foi apenas uma vitória, de virada, sobre um time que chegou com invencibilidade e cheio de moral. Foi a vitória que precisávamos no momento certo. Não que as cornetas da desgraça parem por mais de 4 dias caso soframos algum revés futuro, mas a calmaria ajuda e muito a sequência do trabalho.

Tendo o Keno saído após acusar dor muscular, pode não ser titular na quarta. Mas um de nossos melhores jogadores tem um bom substituto a altura, o Hyoran. Outro substituído pelo mesmo problema, Diogo Barbosa também conta com Victor Luís como boa opção.

Mais uma vez dizemos... ROGER, ARRUME A DEFESA. Ainda mais forte que o Choque-Rei, enfrentaremos um dífícil Grêmio jogando em casa, por isso a atenção defensiva deve ser redobrada. Resolvendo esse setor, o restante ganha confiança pra avançar e garantir os pontos.

Agora tomo pra mim as palavras do Felipe Melo ao dizer em alto e bom tom: #nãoimportaoquediga! Para um palmeirense está muito claro que o talento vem à tona quando há um mínimo de tranquilidade e segurança pro time desempenhar seu papel. Não é fácil e não será jamais, mas sem o APOIO da torcida o que é difícil torna-se impossível.

Palmeirense, lembre-se: O Palmeiras precisa de você. Não apenas para comemorar gols, vitórias e campeonatos, hora em que todos querem se sentir vitoriosos. Mas justamente nos momentos difíceis, onde eventuais derrotas podem minar a fé dos incautos, mas jamais levarão a esperança de quem carrega – verdadeiramente – os valores dessa instituição.

Viemos pra cá sem nada e aqui construímos uma nação, de gente forte, independente e trabalhadora. Passamos por fila, vexames e rebaixamentos. E superamos. E não será por conta de uma imprensa polemizadora que aproveita cada momento ruim pra incendiar o circo que viraremos as costas à nossa paixão, justamente quando ela mais precisa. Assim é o Palmeirense. E quem não é pode até se vestir de verde, mas não conhece a força astronômica que essa camisa possui.

SENHOR, PERDOAI ESSE POVO DE POUCA FÉ, POIS AINDA NÃO SENTIRAM NO CORAÇÃO A TREMENDA PAIXÃO QUE EMANA DOS VALORES DEFENDIDOS POR UMAFAMÍLIA DE LUTADORES E VENCEDORES. Não importa o que diga, essa imprensa de gambá. Palmeiras PARA SEMPRE vou te amar.