terça-feira, 7 de agosto de 2018

A crise Palmeiras Crefisa

Os problemas que o Palmeiras enfrenta hoje com a dna. Leila Crefisa foram plantados há tempos. O tom “conciliatório” do atual presidente simplesmente não funciona nas alamedas palestrinas e acabou por criar uma situação em que a patrocinadora fala o que quer, abanando dinheiro da forma mais arrogante possível.

Sendo sincero: sempre fui forte crítico das pataquadas de nossa diretoria e conselho. Via de regra são pessoas muito inteligentes e que amam o Palmeiras com sinceridade. Mas o ser humano é complicado e as vaidades e interesses acabam se sobrepondo à forma prática de tocar o barco.

Quando o Paulo Nobre saiu, deixou o rastro de um Palmeiras dividido, pois não aceitava a prevalência que a “presidente” da patrocinadora queria impor ao clube. Do meu ponto de vista também é muito questionável o presidente da empresa patrocinadora querer se tornar presidente também do clube. Toda história de “jatinho e jantares” também parece um passeio com o diabo Pior ainda é a gritaria – "tenho dinheiro!" – propalada a quatro cantos pela referida em questão.

Dona Leila... acredite, o Palmeiras não é um clube comum. A senhora NÃO CONHECE o Palmeiras, ou se conhece, age como se não o fizesse. Isso porque a PERSONALIDADE que o palmeirense tem, simplesmente NÃO ACEITA esse discurso impositivo, que arrota dinheiro e diz: estou pagando, eu posso.

Pode até ser que a senhora se torne presidente. Veja, no contexto de qualidade geral de nossas administrações, pode até ser que seu jeito de presidir (mais moderno e voltado ao mercado) possa nos ajudar em muito. Mas entenda: o futebol é TINHOSO, exige tempo, coragem, cuidado, sabedoria pra agir na hora certa e se calar no momento apropriado.

A CREFISA tem dinheiro, mas lembre-se, só veio ao Palmeiras DEPOIS que nossa situação financeira já estava sendo equilibrada. Senão, não viria. Vocês nos ajudam muito, mas não foram vocês que “salvaram” o Palmeiras, e sim um efeito CONJUNTO entre um PRESIDENTE, um ESTÁDIO, uma TORCIDA e um PATROCÍNIO.

O Palmeiras NÃO É CONTRA a patrocinadora. Apenas sobre o grau de influência que ela pode ter no clube e isso é legítimo! O imbróglio com o patrocínio/empréstimo com certeza foi um erro de avaliação do clube, mas é compreensível nossa preocupação com a situação criada a partir daí.

Apenas finalizando: o patrocínio da CREFISA é ótimo e rende frutos ÀS 2 PARTES! Mas a senhora FALA MUITO para um clube que gosta de OUVIR POUCO. Por melhor que seja, o Palmeiras não pode se sentir REFÉM de patrocínio algum.

Se quiseres alguma prevalência saudável, evite qualquer citação de superioridade pelo dinheiro investido (o Palmeiras SEMPRE conseguiu os melhores patrocínios do país) e simplesmente administre. Mais na surdina. Mais piano. O Palmeiras faz PARCERIAS há décadas. Mas NÃO VAI TOLERAR ninguém que -  seja por dinheiro ou o que for – pretenda se fazer MAIOR que ele.

2 comentários:

  1. Galluzzi,
    Entendo que as vezes a tia Leila "fala muito", mas também é constantemente provocada e criticada pela oposição.
    Não a vejo contratando ninguém sem que a diretoria pedisse, não a vejo pressionando o time ou treinador. Até agora só pagou a fatura. O imbróglio Crefisa/Receita/Palmeiras que tem gerado discórdia, foi provocado por denúncia interna, e me parece mais guerra politica do que risco de prejuízo.
    Sim, com a grana que coloca no clube, entrou de pés e cabeça para mudar o estatuto, que pode abreviar sua pretensão de se candidatar a presidente. Podem dizer que é oportunista, que a mudança a favorece. Mas e daí? Os sócios é que vão decidir! Prefiro arriscar com ela do que com qualquer um daquelas velhas ratazanas que já conhecemos.
    Sobre ela dizer da possibilidade de retirar o patrocínio caso a oposição vença a eleição, acho que vai depender de quem e de como será o relacionamento. Quem coloca patrocínio em uma empresa se não confia em quem a administra.
    O próprio Paulo Nobre, nosso melhor presidente até hoje, palmeirense de berço, conselheiro há anos, só colocou a grana dele (por empréstimo) no clube depois de assumir a presidência. Tava errado? Certo que não! Ele sabia que se fizesse antes a grana iria pro ralo ou bolso de alguns!
    Também é certo que o patrocínio da Crefisa é ótimo para ambos, mas em se tratando de futebol, é um valor acima da média dos grandes clubes. O clube consegue sobreviver sem? Sim! Consegue um patrocínio equivalente a curto prazo? Duvido muito! Mas por que abrir mão dessa grana por picuinhas políticas? Ela quer ser candidata a presidente em 2021, deixa! Acho que o que mais teme a oposição é que ela seja bem sucedida e faça uma grande gestão no clube "a partir de 2021"!!!! Não acho que ela queira ser maior que o clube por isso.
    Se esse patrocínio caísse no colo do presidente gambá, a Tia Leila seria conselheira vitalícia remida, a próxima presidente do clube e teria o nome da Crefisa no estádio! De bobo o presidente gambá não tem nada, ainda ficaria como diretor de futebol só prá colher e capitalizar pessoalmente as glórias do time. KKKKK... Alguma dúvida???
    Então, prefiro ser refém da Leila e seu patrocínio milionário do que ver o time entregue a Mustaffa, Tirone ou algum de seus marionetes.
    Sou apenas sócio-torcedor, não voto, meu único interesse é futebol, ter um time forte, grande, respeitado, temido e conquistando títulos!
    Pode ser uma visão simplista, mas é simples assim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Camilo, inicialmente, creio que a Leila não precise de provocações ou críticas pra sair falando, como já fez noutras ocasiões. Simplesmente porque ela lucra com essa exposição. Mas na hora de tirar foto com um prato na mão nos expondo desnecessariamente, ou ficar falando que o patrocínio “paga mais do que o valor de mercado do Palmeiras” ela não pensa 2 vezes.
      Se não a vemos pedindo ou pressionando pode ser também porque isso acontece nos bastidores. Sobre a fatura, ela lucra diretamente com a exposição da marca e outras cositas más. Mas “denúncia” é incompetência direta nossa, por deixarmos algo totalmente previsível acontecer.
      “Oportunismo” é uma acusação frequente no futebol, pois deixa terra arrasada quando se vai. Mas nesse caso ficamos no elas por elas, pois nosso “quadro diretivo” tem a capacidade de arrasar como nossa própria terra.
      Sinceramente, lamento a tremenda dificuldade em termos um tom conciliatório, um consenso dentro do clube. É sempre guerra, vaidade daqui e dali... fica difícil. Só que de ambos os lados, entre a oposição aceitar a Leila e a Leila ficar um pouco mais quieta, creio que a segunda opção seria mais rápida e fácil. A Leila tem a faca e o queijo na mão. É só parar de querer fazer malabarismo que tudo se acerta. Ter paciência no futebol é fundamental. Abs, valeu!

      Excluir