sexta-feira, 10 de agosto de 2018

Melhor da primeira fase, Palmeiras confirma bom futebol

Torneios mata-mata costumam trazer uma emoção extra em relação aos pontos corridos, que tem por característica premiar a equipe com mais equilíbrio ao longo do tempo. Um mais “justo”, outro mais “emocionante”.

E emoção a parte, o Felipão parece talhado pra isso. Chegou ao Paraguai com instruções diretas pra defesa jogar fechada, sem que os volantes dessem os espaços habituais. Ainda que não tenhamos sido lá muito exigidos pelo setor, destaque ao Antônio Carlos e também ao Felipe Melo, que conseguiu completar a partida sem levar cartão!

O que acontece? Cada vez mais percebemos que o futebol – esporte onde mais vezes o azarão consegue vencer o favorito – depende muito do ambiente de grupo. 

Não que o Scolari já não tenha sido vítima da rabugice que acaba afastando os jogadores (inclusive em sua última passagem por aqui em 2012), mas tem a capacidade de explicar-lhes o simples.

Evita as complicações do futebol moderno, simplificando a vida do jogador. “É assim, meu filho: faça isso, isso e isso.” E ponto. Esse é o futebol Scolari.

Destaque também ao Borja e ao Moisés. Aliás, nosso segundo gol foi um primor, através de uma rápida jogada pela esquerda com Diogo B., que penetrou, chutou e no rebote brigado e vencido pelo Moisés, acabou nos pés do Borja, após uma linda assistência de nosso meia.

Todos os caminhos estão abertos à você Felipão! Por mais que os ecos de um futebol não tão “moderno” assustem muita gente (eu incluso), a paixão e identidade que você traz ao Palmeiras é inegável, emocionante e contagiante. Avante, Palmeiras!

2 comentários:

  1. RG, bom dia
    Fato que o jogo de toque de bola,com triangulações deixará de ser visto com frequencia. Deu ruim? joga pra onde tá virado e sem vergonha de sair a bola do goleiro para o atacante... Mas hj futebol é resultado e precisamos disso neste momento. Certo que ficamos mal acostumados com os jogos da Copa, mas bola pra frente...
    abç

    ResponderExcluir