segunda-feira, 10 de setembro de 2018

Palmeiras empurra Curintcha ladeira abaixo

O coitado do adversário da zona leste, SPCC Curintcha Populista, mais conhecido de nossa velha guarda como “Faz-Me-Rir”, já na base do ladeira abaixo, sucumbiu mais uma vez à nossa pujança.

Deve ter-lhes faltado fundos do BNDES ou CIDEs pra pagar marmita ou mensalidade “1-0-0” do árbitro. Parelho, o prélio só poderia levar-lhes ao vexame, de onde jamais sairiam sem ajuda Global ou das maracutais de bastidores.

Desfrutando de um momento há muito planejado, o Palmeiras esbanjou superioridade sobre o adversário, vencendo pelo placar mínimo por puro capricho de um teimoso travessão. Ladeira abaixo, nosso patético devedor de marmita, mal ofereceu perigo ao gol do Weverton.

A  verdade é que não há treinador que consiga pilhar os jogadores como o Scolari. É um não sei o quê de tripa e coração que poucos resistem. Ainda mais sob nosso ultra passional manto alvi-esmeraldino. Scolari é nossa cara. Nosso coração em campo. Visceral, emocional, espiritual.

Nossa equipe não jogou com um time “reserva”, como tentou apregoar a impren$inha. Acontece que o Palmeiras tem uns 18 titulares. Dá-se ao luxo de dispor de jogadores atuando 1x por semana, dentro de um calendário insano! Fruto do planejamento, do poder aquisitivo de sua fantástica coletividade que dá retorno à cada um que ousa lhe associar o nome.

Assim, entramos com uma zaga alternativa que deu conta do recado. Laterais com fôlego e meio campo intenso, que se recusava a ceder a posse de bola ao adversário. E o ataque com um elemento surpresa, chamado Deyverson.

Deyverson é daquelas enganações do futebol oriundo de um sagaz empresário. Sabe que vale mais pelo que representa do que pelo futebol que joga. E tudo bem! Continue assim, chamando a atenção na base do siricutico porralouca, enquanto vai dando assistência e metendo caixa vez por outra. Deixa que que digam, que venham e que falem... enquanto isso seguimos vencendo. Show Deyverson!

O time ainda segue com claras deficiências, como quando permanece prostrado ante uma boa marcação no meio campo, sinal claro da ausência de um 10 líder, função a qual o Moisés ainda se esforça pra alcançar. Mas nada que comprometa a lua-de-mel em que o time e torcida vivem com seu treinador.

Felipão! É Deus no céu e tu na terra! Vai que vai, guerreiro! Aglutina a massa, concatena o grupo, empodera essa família que tanto o admira. Largos sejam os caminhos que nos acolhem. Vastos sejam os prados por onde, com mais e mais vontade, nosso manto brilha e reina, impávido, categórico e imperativo no panteão de onde jamais deve sair. Por honra e desígnio do destino. Por amor e paixão desta tua inflamada torcida... segue e vence, PALMEIRAS!

4 comentários:

  1. E aí Galluzzi, tudo certo? O Felipão tem sangue verde só pode ser, conseguiu dar padrão ao time, coisa que Roger não estava conseguindo, acertou a defesa, titular e reserva e estamos aí há 9 jogos sem perder no Brasileiro, a derrota para o Cerro foi consequencia da inconsequencia do FM, que joga bem, mas tem que controlar os "arroubos" e prejudicar o time, outra coisa que só o Felipão conseguiu foi fazer o Deyverson jogar, dando a confiança que ele precisava e colocando ele no lugar certo, não é nenhum genio da bola, mas tá fazendo a diferença nos jogos, estamos vivos em todas as competições com chances de vencer todas, se vai acontecer não sei, mas com o Big Phill tudo pode acontecer.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Big Phill!!! Lembrou bem Denílson, um dos maiores méritos dele é pilhar, mas tbm controlar os arroubos de seu xará Felipe. Na verdade a genialidade é até dispensável, desde que eliminemos os "elos fracos" do time, o que parece ser alvo direto do treinador. Long Live Big Phill! Abs!

      Excluir
  2. Boa Noite!! ótimo texto Roberto, avante palestra, da lhe porco!!

    ResponderExcluir