terça-feira, 9 de outubro de 2018

Tentarão arrancar a CREFISA de nós


Invejosos, inconformados e incapazes. Assim são e estão muitos daqueles que se voltam contra nós. Na própria imprensa ainda há quem nos veja como milícia fascistóide. Carentes do “inimigo necessário”, invejosos de nossa condição, inconformados com nosso sucesso e incapazes de perceber o virtuoso caminho percorrido, inflamam a cizânia dentro do clube, expondo as dificuldades inerentes ao processo.

Virtuoso, mas tortuoso. Vejam o caso da Dna. Leila. Tem carinho pelo Palmeiras? Sim, lógico. Tem amor? Não... isso não. Tem sim uma excelente estratégia de exposição, sabedora da propulsão fornecida por qualquer tema à nós associado. Dessa forma, dá-lhe marketing, dá-lhe mídia. Que nem sempre são positivos ao Palmeiras.

Declarar publicamente que o patrocínio pode e deve estar condicionado a quem estiver na presidência, é SIM uma chantagem direta. Patrocínio não é FAVOR e sim INVESTIMENTO. Colocar-se como “salvadora do time” é uma clara exacerbação das prerrogativas da patrocinadora, enquanto “rebaixa” o time à uma condição de penúria.

O FATO é que foi o PAULO NOBRE quem saneou (do próprio bolso) as finanças do clube, tornando-o efetivamente atraente ao investimento que foi e é tão rentável ou mais à CREFISA do que sua diretoria poderia prever. Esse sim AMA o Palmeiras, carrega suas cores, enaltece seus valores e foi o melhor presidente do Palmeiras desde Paschoal Byron Giuliano e Delfino Facchina.

A CREFISA não deve sair do Palmeiras. Nem o Palmeiras deve dispensar a CREFISA. Maurício Galiotte provavelmente deve ser reeleito, colocando um aliado da parceira por mais 3 anos no comando. O que deve ser feito é mais SILÊNCIO para que AMBAS AS MARCAS LUCREM com mais uma parceria de sucesso e nunca, jamais, queiram competir entre si... algo que é, justamente, desejo dos ABUTRES que nos rodeiam.

Nenhum comentário:

Postar um comentário